Um livro policial e um Toni Venturi oportuno | Marcelo Miranda | Digestivo Cultural

busca | avançada
14031 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 23/5/2005
Um livro policial e um Toni Venturi oportuno
Marcelo Miranda

+ de 2700 Acessos

1.
Histórias policiais clássicas têm características próprias: crimes misteriosos, investigadores sabichões, pistas falsas e revelações surpreendentes. Claro, dependendo de quem escreve, nada é tão simplista quanto este meu emaranhado de adjetivações. Um Edgar Alan Poe raramente soa simplista, ou mesmo Conan Doyle em momentos mais inspirados. Agatha Christie já não é tão complexa e interessante assim, apesar de ter papel fundamental na escrita de mistério: seus livros costumam ser porta de entrada para quem se aventura nesse gênero literário ou mesmo na literatura com um todo (eu mesmo aprendi a gostar de ler livros devorando, ainda muito criança, dezenas de casos do detetive francês - ops, belga - Hercule Poirot. E não desdenho Agatha Christie jamais. Apenas reconheço a limitação de seus escritos, o que não deixa de ser um elogio dentro de sua proposta).

Os Demônios Morrem Duas Vezes (Editora Códex, 2005, 254 páginas), de Fernando Pessoa Ferreira, não chega a ser um romance policial desses clássicos, mas presta tributo a eles. Principalmente ao comissário Maigret, criação do francês Georges Simenon. O protagonista, investigador Omar Fonseca, segue ao longo de todas as páginas (e não se cansa de repetir) a máxima de Maigret "eu nunca tenho idéias", quando se refere aos casos em que se vê envolvido. Especificamente no livro de Ferreira, o caso diz respeito ao assassinato brutal de dois travestis numa São Paulo (bairro Vila Madalena) recheada de peculiares personagens. Pais-de-santo, divorciadas burguesas, velhinhos paranóicos, porteiros nordestinos, grupos neonazistas, freqüentadores de academias de artes marciais, delegados viciados em charutos cubanos. Estes são alguns tipos que transitam pelas páginas deste romance de estréia do autor.

Apesar de prestar tributo a Maigret e a tantos outros "papas" da narrativa policial (não deve ser à toa que o investigador Omar Fonseca tenha esse sobrenome, nos remetendo de imediato ao mestre Rubem Fonseca), Fernando Pessoa Ferreira está menos interessado na investigação e nos crimes propriamente ditos do que em se deleitar com ironias, deboches e referências pop - tudo isso no mesmo caldeirão. Um divertido diálogo entre Omar e seu parceiro (que veio do nordeste e não tem a carga cultural do chefe) deixa isso bem claro:

- Você se lembra do Capitão Marvel?
- Não. Ele é capitão da PM?

Todo o texto de Ferreira segue esse estilo. Bem humorado, direto, sem grandes desenvolvimentos de personalidades e pensamentos. Um trabalho comercial, voltado para o grande público leitor. Pesa a favor o fato de que o autor demonstra ter absoluta noção de para quem está falando desde as primeiras páginas, sem pretensões de ir mais longe. Há certo exagero de citações, por vezes explícitas demais (Os Três Mosqueteiros, Janela Indiscreta e Harvey Keitel no filme Cortina de Fumaça), o que enfraquece a condução da história.

E é essa condução o maior ponto de interesse no livro, já que Ferreira não parece preocupado em valorizar sua própria trama policial, mas sim apresentar um universo de criaturas humanas em constante contato, passando pelas mais variadas situações que vão descambar em momentos de puro pastiche. Isso fica óbvio na resolução do enredo: após mostrar todos os passos do investigador em busca do assassino, o desfecho inteiro acontece fora da vista do protagonista, de forma independente e quase sem relação com suas andanças junto ao parceiro. É como se Ferreira assumisse que seu interesse mesmo era usar esses personagens apenas como pretexto para uma curiosa, porém ligeira, denúncia da violência incompreensível e beirando o fascismo que assola a maior metrólope do país. No saldo final, Os Demônios Morrem Duas Vezes se afasta de suas maiores referências, mas proporciona bons momentos de diversão. E só.

2.
O sucesso de público e crítica do novo longa-metragem de Toni Venturi, Cabra Cega, vem animando o circuito independente do cinema brasileiro e dando alternativa de qualidade em cima do "mais do mesmo" tão apregoado nas nossas telas. O filme, com meras oito cópias em circulação, já deve estar beirando um público de 20 mil espectadores - se este número já não foi ultrapassado.

Num momento como esse, é válido conhecer (ou rever) o primeiro longa-metragem de ficção de Toni Venturi. Latitude Zero, disponível em DVD e VHS, causou boa repercussão quando foi lançado, em 2001. É um filme ao mesmo tempo estranho e intrigante. Intrigante pela história que conta: mulher grávida de oito meses vive sozinha no meio do nada, no Planalto Central, tomando conta de um bar onde ninguém pára. Ao seu redor, montanhas e terras abandonadas pelo garimpo não mais reinante; certo dia, um homem chega ao local e passa a conviver com ela, numa relação que mistura apreensão, sexualidade e raiva. Intrigante por conta do tom que Venturi dá ao filme: em alguns momentos, a narrativa se assemelha a um pesadelo (o parto da mulher em meio a velas, o choro incessante do bebê, a loucura do parceiro); em outros, a crueza das imagens e das ações dos personagens (desde a primeira cena, quando vemos a protagonista se masturbando) nem sempre se fecham num único sentido, mas possuem suas razões de ser, têm parâmetros para acontecerem da forma como são mostradas.

Ainda não vi Cabra Cega. O triste circuito exibidor do país não deixou o longa aportar na cidade onde moro. Questão de tempo (ou não, nunca se sabe). De qualquer forma, dá para perceber claras semelhanças entre este novo trabalho de Venturi e seu projeto anterior - o que já delineia certo aspecto autoral na sua trajetória como cineasta. Tanto em Latitude Zero quanto em Cabra Cega, temos dois personagens isolados, mas inseridos num contexto externo do qual nenhum deles possui controle (no primeiro, o bar contrastando com a vastidão do planalto; no segundo, um apartamento servindo de esconderijo ao regime militar no auge da repressão). Também acompanhamos, num crescendo quase introspectivo, relacionamentos inicialmente marcados pela desconfiança, depois pelo companheirismo e por fim (aí já estou especulando em torno do filme mais recente) pelo extremismo que a situação desfavorável vai provocar, ao mesmo tempo em que gera uma tomada de consciência definitiva. Há semelhanças ainda na produção. Em ambos os filmes, Toni Venturi trabalha com Débora Duboc (sua esposa) num dos papéis principais e dirige roteiro assinado por Di Moretti inspirado em texto do escritor Fernando Bonassi.

Com estes seus dois filmes de ficção, Toni Venturi é um nome a se acompanhar com extremo interesse. Assim como Beto Brant, diretor do excepcional O Invasor, Venturi é um artista jovem e ousado, experimentador e sem medo de furar a mesmice e a pretensão que reinam em grande parte do nosso cinema. Os dois fogem dos temas óbvios ou, melhor, pegam assuntos já exaustivamente abordados (a ditadura, a violência urbana) e dão-lhes novos caminhos de desenvolvimento e significados. Há vários Venturis e Brants espalhados por aí. Tudo que precisamos é ter a oportunidade de conhecê-los.

P.S. - o DVD de Latitude Zero é recomendável não apenas pelo filme, indispensável, mas também pelos bons extras. O principal deles é uma longa seqüência de 17 minutos, cortada da versão final e comentada pelo próprio diretor, que mostra a chegada de um terceiro (e fundamental) personagem na trama. Como bem diz Venturi, a melhor decisão foi mesmo cortar, pois aqueles minutos dariam uma "barriga" que nada acrescentaria à complexidade do filme. Vale pela curiosidade e de aprendizado sobre como são necessárias decisões dolorosas para tornar uma obra mais artisticamente saudável.

Para ir além






Marcelo Miranda
Juiz de Fora, 23/5/2005


Mais Marcelo Miranda
Mais Acessadas de Marcelo Miranda em 2005
01. O enigma de Michael Jackson - 26/9/2005
02. 24 Horas: os medos e a fragilidade da América - 4/7/2005
03. Abbas Kiarostami: o cineasta do nada e do tudo - 10/1/2005
04. O faroeste não morreu. Está hibernando - 1/8/2005
05. Filmes maduros e filmes imaturos - 24/10/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MANUAL DE INTRODUÇÃO À ECONOMIA
JEFFERSON MARIANO
PAPIRUS
(2002)
R$ 11,00



ADMINISTRANDO A INFORMÁTICA
PAULO ROBERTO RODRIGUES
PIONEIRA
(1989)
R$ 15,00



A FESTA
CHRISTIANE GRIBEL
PLANETA
(2004)
R$ 10,00



DEPOIMENTOS
ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE PROPAGANDA
APP
(1985)
R$ 20,00



PEREGRINO DO TEMPO
EDUARDO PIOCCHI
MERCURYO
(1992)
R$ 10,00



CORA DO MEU CORAÇÃO
MÔNICA AGUIEIRAS CORTAT
EME
(2012)
R$ 23,00



CONTRÔLE DE QUALIDADE - 1 METROLOGIA
PANAMBRA
PANAMBRA S. A.
(1961)
R$ 50,00



CONTOS BUDISTAS
SHERAB CHODZIN
MARTINS FONTES
(2003)
R$ 46,00



ATTRACTION UNIVERSELLE ET RELIGION NATURELLE CHEZ QUELQUES...
HELENE METZGER FEDERICO ENRIQUES ORG.
HERMAN & CIE
(1938)
R$ 75,00



MEMORIAL DO PRESENTE
AUGUSTO MARZAGÃO
NOVA FRONTEIRA
(1994)
R$ 6,47





busca | avançada
14031 visitas/dia
1,2 milhão/mês