Um livro policial e um Toni Venturi oportuno | Marcelo Miranda | Digestivo Cultural

busca | avançada
28797 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Almundo traz até 40% de desconto em seu primeiro Outlet 2019
>>> Ex-Titã Paulo Miklos apresenta seu terceiro álbum no Sesc Belenzinho
>>> Companhia de Teatro Heliópolis coloca em cena as duas faces da justiça em nova montagem
>>> Cunha realiza 2ª edição do Verão na Montanha - Cunha Fest, festival de jazz e blues
>>> Artista ucraniana expõe pela 1a vez no Brasil
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
Últimos Posts
>>> Assim eu quero a vida
>>> Um sujeito chamado Benício
>>> A imaginação educada, de Northrop Frye
>>> Direções da véspera (Introdução)
>>> O tempo nos ensina - frase
>>> O Cinema onde os fracos não tem vez
>>> Senhor do Corpo e da alma - poema
>>> Fotogenia
>>> É Natal
>>> Canções de amor
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Jabá é sempre jabá
>>> Guimarães Rosa: um baiano de sangue
>>> Contra reforma ortográfica
>>> Wilhelm Reich, éter, deus e o diabo (parte I)
>>> O certo e o errado no ensino da Língua Portuguesa
>>> Jane Fonda em biografia definitiva
>>> Sobre caramujos e Omolu
>>> Sobre a vida no campo
>>> O óbvio final de Belíssima
>>> Unidade na multiplicidade
Mais Recentes
>>> Curso de Direito Aeronáutico de Luis Ivani de Amorim Araújo pela Forense (1998)
>>> Patologia bucal de William G. Shafer / Maynard K. Hine / Barnet M. Levy pela Mundi (1961)
>>> Dicionário Internacional de Economia e Finanças de Bernard e Colli pela Forense-Universitária (1998)
>>> Tratado de Direito Privado - Tomo 10 de Pontes de Miranda pela BookSeller (2000)
>>> Tratado de Direito Privado - Tomo 22 de Pontes pela BookSeller (2003)
>>> Didático de Enfermagem Teoria e Prática - Volume I de José Jardes da Gama - Sandra Maria da Penha pela Eureka (2017)
>>> Geografia 7º Ano - Espaço e Vivência - Livro do Aluno de Levon Boligian e Outros pela Atual (2016)
>>> The Adventures of Tom Sawayer de Mark Twain pela Sterling (2010)
>>> Ataque do Comando P. Q de Moacyr Scliar pela Ática (2006)
>>> Uma Aventura no Mundo de Tarsila de Mércia M Leitão - Neide Duarte pela Do Brasil (1999)
>>> Educando Filhos Responsáveis de Elizabeth M Ellis pela Ática (1997)
>>> Celebridade de Chris Rojek pela Racco (2008)
>>> O Pagador de Promessas de Dias Gomes pela Ediouro (2006)
>>> Tudo é Poesia - Livro II - 2ª Edição de Ray Lima pela Queima - Bucha (2005)
>>> Os Escravos de Castro Alves pela Cedic
>>> Geografia - Volume Único - Vereda Digital - Livro do Aluno de Bacic Silva Lozano pela Moderna (2012)
>>> Nuevo Listo Parte a - Livro do Aluno de Roberta Amendola pela Santillana (2012)
>>> Jornadas - Português - 6º Ano - Livro do Aluno de Dileta Delmanto - Laiz B de Carvalho pela Saraiva (2016)
>>> Jornadas - Português - 9º Ano - Livro do Aluno de Dileta Delmanto - Laiz B de Carvalho pela Saraiva (2016)
>>> E Agora, Mãe? - 3ª Edição de Isabel Vieira pela Moderna (2018)
>>> É de Morte! de Flávia Savary pela Ftd (2014)
>>> Os Três Mosqueteiros Em Cordel de Klévisson Viana pela Leya (2011)
>>> História 360º - Livro do Aluno de Alfredo Boulos Júnior pela Ftd (2017)
>>> Hyperlink - 2 Edition de Albina Escobar pela Pearson (2014)
>>> Access - Volume 1 - Livro do Aluno de Luiz Otávio Barros pela Richomond (2016)
>>> Davi e a Árvore da Riqueza de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2017)
>>> O Patinho Feio de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2005)
>>> Os Animais do Mundinho de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2007)
>>> Um Mundinho de Paz de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2012)
>>> João e o Pé de Feijão de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2006)
>>> A Riqueza Está Em Toda Parte de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2015)
>>> Dinheiro Nasce Em Árvore? de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2018)
>>> Uma Escada Chamada Vida: Coleção Crescer e Enriquecer de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2018)
>>> A Magia do Lixo - 3ª Edição de Jonar Brasileiro - Kátia Rocha pela Humanidades Educação (2016)
>>> De Olho na Amazônia - 2ª Edição de Ingrid Biesemeyer Bellinghausen pela Dcl (2011)
>>> A Receita da Prosperidade de Angélica Rodrigues Santos - Rogério Olegário pela Humanidades Educação (2017)
>>> Projeto Teláris - História 9º Ano - Livro do Aluno de Gislane Azevedo - Reinaldo Seriacopi pela Ática (2015)
>>> 1000 Lugares para Conhecer Antes de Morrer: um Guia para Toda a Vida de Mara e Outros pela Sextante (2006)
>>> Conexões: George Washington a Compadre Washington de Super Interessante pela Abril (2016)
>>> Super 30 Anos: as Revoluções das Três Últimas Décadas de Abril pela Abril (2017)
>>> Acontecem Há Mais de Cem Anos de Elto Koltz pela Prazer de Ler (2011)
>>> A Bússola e a Balança: por um Mundo Mais Justo de Maria Lúcia de Arruda Aranha pela Moderna (2001)
>>> Sistemas Digitais: Fundamentos e Aplicações - 9ª Edição de Floyd pela Bookman (2007)
>>> Contos de Exemplo de Luís da Câmara Cascudo pela Global (2014)
>>> Globalização: o Que é Isso, Afinal? 2ª Edição de Cristina Strazzacappa - Valdir Montanari pela Moderna (2006)
>>> Educando Filhos Responsáveis de Elizabeth M Ellis pela Ática (1997)
>>> Noilde Ramalho: uma História de Amor à Educação de Daladier Pessoa Cunha Lima pela Liga de Ensino do Rn (2004)
>>> O Homem Que Se Achava Napo Leão: por uma História Política da Loucura de Laure Murat pela Três Estrelas (2009)
>>> Brincadeiras do Tempo da Vovozinha de Maria das Graças Brandão Soares pela Gracinha (2012)
>>> Almanaque Anos 70: Lembranças e Curiosidades de uma Década Muito Doida de Ana Maria Bahiana pela Ediouro (2006)
COLUNAS

Segunda-feira, 23/5/2005
Um livro policial e um Toni Venturi oportuno
Marcelo Miranda

+ de 2600 Acessos

1.
Histórias policiais clássicas têm características próprias: crimes misteriosos, investigadores sabichões, pistas falsas e revelações surpreendentes. Claro, dependendo de quem escreve, nada é tão simplista quanto este meu emaranhado de adjetivações. Um Edgar Alan Poe raramente soa simplista, ou mesmo Conan Doyle em momentos mais inspirados. Agatha Christie já não é tão complexa e interessante assim, apesar de ter papel fundamental na escrita de mistério: seus livros costumam ser porta de entrada para quem se aventura nesse gênero literário ou mesmo na literatura com um todo (eu mesmo aprendi a gostar de ler livros devorando, ainda muito criança, dezenas de casos do detetive francês - ops, belga - Hercule Poirot. E não desdenho Agatha Christie jamais. Apenas reconheço a limitação de seus escritos, o que não deixa de ser um elogio dentro de sua proposta).

Os Demônios Morrem Duas Vezes (Editora Códex, 2005, 254 páginas), de Fernando Pessoa Ferreira, não chega a ser um romance policial desses clássicos, mas presta tributo a eles. Principalmente ao comissário Maigret, criação do francês Georges Simenon. O protagonista, investigador Omar Fonseca, segue ao longo de todas as páginas (e não se cansa de repetir) a máxima de Maigret "eu nunca tenho idéias", quando se refere aos casos em que se vê envolvido. Especificamente no livro de Ferreira, o caso diz respeito ao assassinato brutal de dois travestis numa São Paulo (bairro Vila Madalena) recheada de peculiares personagens. Pais-de-santo, divorciadas burguesas, velhinhos paranóicos, porteiros nordestinos, grupos neonazistas, freqüentadores de academias de artes marciais, delegados viciados em charutos cubanos. Estes são alguns tipos que transitam pelas páginas deste romance de estréia do autor.

Apesar de prestar tributo a Maigret e a tantos outros "papas" da narrativa policial (não deve ser à toa que o investigador Omar Fonseca tenha esse sobrenome, nos remetendo de imediato ao mestre Rubem Fonseca), Fernando Pessoa Ferreira está menos interessado na investigação e nos crimes propriamente ditos do que em se deleitar com ironias, deboches e referências pop - tudo isso no mesmo caldeirão. Um divertido diálogo entre Omar e seu parceiro (que veio do nordeste e não tem a carga cultural do chefe) deixa isso bem claro:

- Você se lembra do Capitão Marvel?
- Não. Ele é capitão da PM?

Todo o texto de Ferreira segue esse estilo. Bem humorado, direto, sem grandes desenvolvimentos de personalidades e pensamentos. Um trabalho comercial, voltado para o grande público leitor. Pesa a favor o fato de que o autor demonstra ter absoluta noção de para quem está falando desde as primeiras páginas, sem pretensões de ir mais longe. Há certo exagero de citações, por vezes explícitas demais (Os Três Mosqueteiros, Janela Indiscreta e Harvey Keitel no filme Cortina de Fumaça), o que enfraquece a condução da história.

E é essa condução o maior ponto de interesse no livro, já que Ferreira não parece preocupado em valorizar sua própria trama policial, mas sim apresentar um universo de criaturas humanas em constante contato, passando pelas mais variadas situações que vão descambar em momentos de puro pastiche. Isso fica óbvio na resolução do enredo: após mostrar todos os passos do investigador em busca do assassino, o desfecho inteiro acontece fora da vista do protagonista, de forma independente e quase sem relação com suas andanças junto ao parceiro. É como se Ferreira assumisse que seu interesse mesmo era usar esses personagens apenas como pretexto para uma curiosa, porém ligeira, denúncia da violência incompreensível e beirando o fascismo que assola a maior metrólope do país. No saldo final, Os Demônios Morrem Duas Vezes se afasta de suas maiores referências, mas proporciona bons momentos de diversão. E só.

2.
O sucesso de público e crítica do novo longa-metragem de Toni Venturi, Cabra Cega, vem animando o circuito independente do cinema brasileiro e dando alternativa de qualidade em cima do "mais do mesmo" tão apregoado nas nossas telas. O filme, com meras oito cópias em circulação, já deve estar beirando um público de 20 mil espectadores - se este número já não foi ultrapassado.

Num momento como esse, é válido conhecer (ou rever) o primeiro longa-metragem de ficção de Toni Venturi. Latitude Zero, disponível em DVD e VHS, causou boa repercussão quando foi lançado, em 2001. É um filme ao mesmo tempo estranho e intrigante. Intrigante pela história que conta: mulher grávida de oito meses vive sozinha no meio do nada, no Planalto Central, tomando conta de um bar onde ninguém pára. Ao seu redor, montanhas e terras abandonadas pelo garimpo não mais reinante; certo dia, um homem chega ao local e passa a conviver com ela, numa relação que mistura apreensão, sexualidade e raiva. Intrigante por conta do tom que Venturi dá ao filme: em alguns momentos, a narrativa se assemelha a um pesadelo (o parto da mulher em meio a velas, o choro incessante do bebê, a loucura do parceiro); em outros, a crueza das imagens e das ações dos personagens (desde a primeira cena, quando vemos a protagonista se masturbando) nem sempre se fecham num único sentido, mas possuem suas razões de ser, têm parâmetros para acontecerem da forma como são mostradas.

Ainda não vi Cabra Cega. O triste circuito exibidor do país não deixou o longa aportar na cidade onde moro. Questão de tempo (ou não, nunca se sabe). De qualquer forma, dá para perceber claras semelhanças entre este novo trabalho de Venturi e seu projeto anterior - o que já delineia certo aspecto autoral na sua trajetória como cineasta. Tanto em Latitude Zero quanto em Cabra Cega, temos dois personagens isolados, mas inseridos num contexto externo do qual nenhum deles possui controle (no primeiro, o bar contrastando com a vastidão do planalto; no segundo, um apartamento servindo de esconderijo ao regime militar no auge da repressão). Também acompanhamos, num crescendo quase introspectivo, relacionamentos inicialmente marcados pela desconfiança, depois pelo companheirismo e por fim (aí já estou especulando em torno do filme mais recente) pelo extremismo que a situação desfavorável vai provocar, ao mesmo tempo em que gera uma tomada de consciência definitiva. Há semelhanças ainda na produção. Em ambos os filmes, Toni Venturi trabalha com Débora Duboc (sua esposa) num dos papéis principais e dirige roteiro assinado por Di Moretti inspirado em texto do escritor Fernando Bonassi.

Com estes seus dois filmes de ficção, Toni Venturi é um nome a se acompanhar com extremo interesse. Assim como Beto Brant, diretor do excepcional O Invasor, Venturi é um artista jovem e ousado, experimentador e sem medo de furar a mesmice e a pretensão que reinam em grande parte do nosso cinema. Os dois fogem dos temas óbvios ou, melhor, pegam assuntos já exaustivamente abordados (a ditadura, a violência urbana) e dão-lhes novos caminhos de desenvolvimento e significados. Há vários Venturis e Brants espalhados por aí. Tudo que precisamos é ter a oportunidade de conhecê-los.

P.S. - o DVD de Latitude Zero é recomendável não apenas pelo filme, indispensável, mas também pelos bons extras. O principal deles é uma longa seqüência de 17 minutos, cortada da versão final e comentada pelo próprio diretor, que mostra a chegada de um terceiro (e fundamental) personagem na trama. Como bem diz Venturi, a melhor decisão foi mesmo cortar, pois aqueles minutos dariam uma "barriga" que nada acrescentaria à complexidade do filme. Vale pela curiosidade e de aprendizado sobre como são necessárias decisões dolorosas para tornar uma obra mais artisticamente saudável.

Para ir além






Marcelo Miranda
Juiz de Fora, 23/5/2005


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Os Doze Trabalhos de Mónika. Prólogo. Sem Alarde de Heloisa Pait
02. Gerald Thomas: uma autobiografia de Jardel Dias Cavalcanti
03. Os dinossauros resistem, poesia de André L Pinto de Jardel Dias Cavalcanti
04. Fragmentos de Leituras e Sentido de Ricardo de Mattos
05. Tempos de Olivia, romance de Patricia Maês de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Marcelo Miranda
Mais Acessadas de Marcelo Miranda em 2005
01. O enigma de Michael Jackson - 26/9/2005
02. 24 Horas: os medos e a fragilidade da América - 4/7/2005
03. Abbas Kiarostami: o cineasta do nada e do tudo - 10/1/2005
04. O faroeste não morreu. Está hibernando - 1/8/2005
05. Filmes maduros e filmes imaturos - 24/10/2005


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LITERATURA/POLÍTICA/CULTURA (1994 - 2004)
IZABEL MARGATO, RENATO CORDEIRO GOMES
UFMG
(2008)
R$ 50,00



LE GOLF 365 PARCOURS DANS LE MONDE
ROBERT SIDORSKY
HERMÉ
(2005)
R$ 199,00



LA JUSTICE ET LA VIOLENCE (TEXTES ET DOCUMENTS PHILOSOPHIQUES)
PRÉSENTÉS PAR - ROBERT DERATHÉ
CLASSIQUES HACHETTE
(1958)
R$ 15,00



A MORTE DO DIVINO SÓCRATES
JEAN PAUL MONGIN
MARTINS FONTES
(2012)
R$ 27,96



FILHAS DA DEUSA: AS MULHERES SANTAS NA ÍNDIA DE HOJE - LINDA JOHNSEN (RELIGIÃO/HINDUÍSMO)
LINDA JOHNSEN
NOVA ERA
(2009)
R$ 8,00



MORTE ABJETA
BERNARDO GUIMARÃES & MARIA JUDITH RIBEIRO
M. J. RIBEIRO
(2002)
R$ 19,00



POÇO DOS DESEJOS
ROSEANA MURRAY
MODERNA
(2014)
R$ 35,70



HOMENS SÃO DE MARTE - MULHERES SÃO DE VÊNUS (RELAÇÕES HUMANAS)
JOHN GRAY, PH. D.
ROCCO
(1995)
R$ 5,00



REVISTA BRASILEIRA DE ALERGIA E IMUNOPATOLOGIA VOL 19 Nº 2 MAR/ABRIL
NÃO INFORMADO
S.B.A.I
(1996)
R$ 4,00



CEM ANOS DE SOLIDÃO - GABRIEL GARCIA MÁRQUEZ
GABRIEL GARCIA MÁRQUEZ
RECORD
(2017)
R$ 29,99





busca | avançada
28797 visitas/dia
1,0 milhão/mês