Rituais de final de ano | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
37685 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 3/1/2007
Rituais de final de ano
Ana Elisa Ribeiro

+ de 4700 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Final de ano é tempo de festa. Mesmo quando a gente acha um porre ficar errando de festividade em festividade, algumas bastante protocolares, é sempre bom prestar atenção em alguma coisa. Festa de empresa, via de regra, é chatíssimo. E quanto maior a empresa, mais tosca é a confraria. De festim arrojado, facilmente tudo se torna um pagodão com gente bêbada que acha que os chefes não vão reparar, vão compreender que "hoje a festa é nossa".

No meio do furdunço, uma professora bêbada cai no chão. Nada muito especial, se ela não estivesse de saia e tonta como uma porca. Mais alguns meses e o chefão manda chamar na sala dele, diz que compreende, mas que aquele comportamento lhe havia incomodado e à "mantenedora" (cujos chefões estavam todos na festa), então, já que estão em contenção de gastos, o nome dela foi cogitado para a demissão. Isso tudo é dito já na execução da coisa toda. E então vêm à tona outras tantas cenas da professora bebendo com os alunos, nos churrascos de turmas, no bar da esquina da faculdade. "Hoje a festa é nossa", mas não de quem quiser.

Funcionário feliz é ótimo, mas na festa de final de ano é preciso saber, o tempo todo, que não se está na presença dos amigos e primos de primeiro grau. O chefe dar vexame também não combina. Em geral, outro funcionário pensa que o dono da empresa virou amigo de funk de uma hora para a outra. No dia seguinte, o man in black não admite gracinhas e nem ser chamado de "chegado". E ainda há os funcionários caxias, que mostram serviço até na hora de compôr a festa.

Há aquelas pessoas que participam dos eventos com fervor. Ajudam a organizar, recolhem dinheiro, propõem "amigo secreto" (em Minas, "amigo oculto"), escolhem a trilha sonora, mandam fazer salgados e doces, recortam e colam os enfeitinhos brilhosos. Há indivíduos que são mais discretos e, embora concordem com tudo, colaboram apenas dando a grana, entregando os enfeites e sendo coordenados pelos tipos descritos acima. E há aqueles que se sentem, com direito, invadidos, chateados e obrigados a participar. Seja por medo de perder o emprego, temor de serem chamados de anti-sociais ou apenas para serem polidos. Mesmo se forem sorteados para ganhar o kit "pente-e-espelho" que o chefe doou para a festa, ou, nas empresas maiores, a TV de alta definição, sentem-se cumprindo um dever compulsório. O jeito, então, é relaxar. Se não há como escapar da festa, melhor tentar converter os esforços em algo interessante. Uma bebida gostosa, um salgado especial, que nestas épocas abundam por aí. Uma boa música, um presente acertado do "amigo secreto", uma varanda agradável. De repente, um bom papo com alguém surpreendente, uma roda de amigos estimados de verdade.

"Inimigo explícito"
Perdi a conta dos "amigos secretos" de que fiz parte. Muitas vezes por vontade, noutras tantas, para "entrar no esquema" e não decepcionar ninguém. Na família, certa vez, ganhei uma carteira (dessas de pôr dinheiro e cartões) vermelha. Era dessas de couro, bem bonitas, mas tinha o estilo daquelas carteiras de senhora. O pior da festa, para mim, sempre foi abrir o presente. Um incrível medo de saber o que há dentro do embrulho me tira o controle dos movimentos do rosto, especialmente daqueles músculos ao redor da boca. Mal consigo rir por educação e agradecer por impulso. A carteira vermelha foi um constrangimento. Peguei logo e guardei o cartão de troca. Meu pai usava algo assim, acho que se chama "capanga", não me lembro, sei que é horrível. Tanto na bolsa quanto na carteira sou uma mulher objetiva. Há lá dentro o necessário. Nenhum pente, nem espelho, nem batom. Apenas documentos, dinheiro e chaves. A carteira, sendo vermelha, só aumentaria meu constrangimento.

De outra vez, eu havia acabado de entrar na empresa e não queria decepcionar o staff dando uma de anti-social. Saí com uma moça desconhecida e fiquei ansiosa para ler a lista em que todos sugeriam os presentes que gostariam de ganhar. Minha "amiga secreta", para meu desespero, pediu uma samambaia chorona de verdade. A segunda opção era ainda pior: um passarinho com gaiola, não me lembro de que raça. Um terror. E ainda havia problemas: não encontrei a tal samambaia e comprei uma comum, dessas que não choram. Eu e meus amigos, companheiros para os momentos de infortúnio, imprimimos uma carinha vertendo lágrimas e colamos no vaso da planta. A moça recebeu o presente com alegria que não pareceu falsa. Mas a espécie da samambaia não correspondeu ao pedido.

Em outra empresa do mesmo ramo, o editorial, nova festa, mais um "amigo secreto" em que entrei de gaiata. Saí com outro desconhecido e tinha a tarefa de dar a ele um presente de, no máximo, 20 reais. Sabia quem era o rapaz, de vista, e que era jovem. Comprei dois suportes com blocos de papel colorido, desses de escritório, que parecem um arco-íris. A cara de decepção do moço pôde ser vista à distância. Nunca me identifiquei. Deixa pra lá, nem todo assistente de contabilidade precisa de blocos para recado.

Nota do Editor
Leia também "Sua empresa faz festa de Natal?"


Ana Elisa Ribeiro
Campos dos Goytacazes, 3/1/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O pior cego de Luís Fernando Amâncio
02. Primavera ao ar livre de Elisa Andrade Buzzo
03. Eleições 2014: intrigas, infâmias, alucinações de Jardel Dias Cavalcanti
04. Arte que não parece arte de Gian Danton
05. Só uma descrição de Eugenia Zerbini


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2007
01. Dar títulos aos textos, dar nome aos bois - 27/7/2007
02. Leituras, leitores e livros – Final - 30/3/2007
03. Leituras, leitores e livros – Parte I - 9/2/2007
04. Chicletes - 14/9/2007
05. Leituras, leitores e livros — Parte II - 23/2/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
23/2/2007
15h50min
Essa da "capanga" foi demais! Eu também já tive uma e acho que foi minha primeira carteira de verdade. Ela era enorme! Toda preta e com um zíper, que ficava meio metro pra dentro de sobra! Eu a comprei em uma barraca de feira livre. Caramba, mas como foi difícil consegui-la! Como "ralei" para juntar o dinheiro que desse para adquiri-la! Mas, depois que a possui, a coisa que mais gostava de fazer era sair com ela pendurada no punho da mão direita! E ainda fazia inveja para os meus amigos, que não podiam ter uma igual. Ah, a velha e boa "capanga". Puxa, Ana, de que você foi lembrar!
[Leia outros Comentários de Américo Leal Viana]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CIÊNCIA E ESPIRITUALIDADE O CAMINHO DA LIBERTAÇÃO
RINALDO RONDINO
INGRAF
(1992)
R$ 6,28



OLD ENGLISH SHEEPDOG
JOAN MACDONALD BREARLEY
TFH PUBLICATIONS
(1989)
R$ 19,90



O EMBAIXADOR
MORRIS WEST
CIRCULO DO LIVRO
(1966)
R$ 10,00



INTRODUÇÃO AO MUNDO DO VINHO ( AUTOGRAFADO )
CIRO LILLA
MARTINS FONTES
(2004)
R$ 20,00



NORTHSTAR 4 READING AND WRITING FOURTH EDITION
ANDREW E LAURA MONAHON ENGLISH
PEARSON EDUCATION ESL
(2015)
R$ 45,00



O IMPÉRIO DO SENTIDO - A HUMANIZAÇÃO DAS CIÊNCIAS HUMANAS
FRANÇOIS DOSSE
EDUSC
(1997)
R$ 80,00



O LIVRO DOS HOMENS
CHARLES KIEFER (ORG)
ARTES E OFICIOS
(2000)
R$ 22,82



CURSO COMPLETO DE TARO
NEI NAIFF
BESTBOLSO
(2011)
R$ 27,00



PROCESSO PENAL
NORBERTO CLÁUDIO PÂNCARO AVENA
MÁTODO
(2005)
R$ 24,82



TIA ZULMIRA E EU
STANISLAW PONTE PRETA
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1975)
R$ 9,00





busca | avançada
37685 visitas/dia
1,3 milhão/mês