Digestivo nº 290 | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
32426 visitas/dia
955 mil/mês
Mais Recentes
>>> MANU LAFER APRESENTA SHOW NOBODY BUT YOU - TRIBUTO A KIKA SAMPAIO
>>> Sesc Belenzinho recebe a banda E a Terra Nunca me Pareceu Tão Distante
>>> Sesc Belenzinho recebe a atriz e cantora Zezé Motta
>>> Psicólogo lança livro de preparação para concurseiros usando a Terapia Cognitiva-Comportamental
>>> O Sertão na Canção: Guimarães Rosa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
Colunistas
Últimos Posts
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
Últimos Posts
>>> Kleber Mendonça volta a Cannes com 'Bacurau'
>>> Nem só de ilusão vive o Cinema
>>> As Expectativas de um Recrutador e um Desempregado
>>> A Independência Angolana além de Pepetela
>>> Porque dizer adeus?
>>> Direções da véspera IV
>>> Direções da véspera IV
>>> A pílula da felicidade
>>> Dispendioso
>>> O mês do Cinemão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O físico que era médico
>>> O historiador das idéias
>>> Maria Antonieta, a última rainha da França
>>> Gentili sobre o 7 a 1
>>> Convivendo com a Gazeta e o Fim de Semana
>>> Uma pirueta, duas piruetas, bravo, bravo!
>>> O petista relutante
>>> Discurso de Isaac B. Singer
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A Vida e o Veneno de Wilson Simonal, por Ricardo Alexandre
Mais Recentes
>>> Inelegibilidades no Direito Brasileiro de Joel J. Cândido pela Edipro (2003)
>>> Recursos em matéria eleitoral de Tito Costa pela Revista dos Tribunais (2004)
>>> Direito Eleitoral & Questões Controvertidas de Antônio Carlos Martins Soares pela Lumen Juris (2008)
>>> Langage et pouvoir symbolique de Pierre Bourdieu pela Editions Fayard (2001)
>>> Les Règles de l'art de Pierre Bourdieu pela Editions du Seuil (1998)
>>> Princípios Estruturantes das Agências Reguladoras e os Mecanismos de Controle de Alexandra da Silva Amaral pela Lumen Juris (2008)
>>> Homo Academicus de Pierre Bourdieu pela Les Editions de Minuit (2005)
>>> A criança e a mídia: imagem, educação, participação de Cecilia Von Feilitzen; Ulla Carlsson pela Cortez (2002)
>>> Circulação internacional e formação intelectual das elites brasileiras de Ana Maria Almeida; Letícia Canêdo, Afrânio Garcia; Agueda Bittencourt pela Unicamp (2019)
>>> Crimes eleitorais de Suzana de Camargo Gomes pela Revista dos Tribunais (2008)
>>> Delegação e Avocação Administrativas de Regis Fernandes de Oliveira pela Revista dos Tribunais (2005)
>>> Probidade administrativa. Comentários à Lei 8.429/92 e legislação complementar de Marcelo Figueiredo pela Malheiros (2004)
>>> Inquérito Policial & Competências e Nulidades de Atos de Polícia Judiciária de Anderson Souza Daura pela Juruá (2008)
>>> Agora e Para Sempre Lara Jean de Jenny Han pela Intrínseca (2017)
>>> Michael Kohlhaas de Heinrich Von Kleist pela Grua (2014)
>>> Perícias judiciais de engenharia. Doutrina. Prática. Jurisprudência de Francisco Maia Neto pela Del Rey (1999)
>>> A Lição do Mestre de Henry James pela Grua (2014)
>>> Chega de Plástico de Varios Autores pela Sextante (2019)
>>> Os Doze Mandamentos de Sidney Sheldon pela Record (2011)
>>> O Outro de Bernhard Schlink pela Record (2009)
>>> Até Eu Te Encontrar de Graciela Mayrink pela Novas Páginas (2013)
>>> Abaixo de Zero de Bret Easton Ellis pela Rocco (1987)
>>> Suítes imperiais de Bret Easton Ellis pela Rocco (2011)
>>> Porto Seguro de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2013)
>>> Ação de Impugnação de Mandato Eletivo de José Rubens Costa pela Del Rey (2004)
>>> O Milagre de Nicholas Sparks pela Agir (2010)
>>> Zona de Perigo de Shirley Palmer pela Best Seller (2003)
>>> Da anulação ex officio do ato administrativo de João Antunes dos Santos Neto pela Fórum (2004)
>>> O Misterioso Caso de Styles de Agatha Christie pela Abril Cultural (1983)
>>> Conexões de Varios Autores pela Abril (2016)
>>> A Quarta Vítima de Théo Iemma pela Scortecci (2005)
>>> Crianças da Noite de Juliano Sasseron pela Novo Século (2011)
>>> Macunaíma de Mário de Andrade pela Ciranda Cultural (2016)
>>> Noite na Taverna de Álvares de Azevedo pela Avenida (2005)
>>> Financiamento de campanhas eleitorais de Denise Goulart Schlickmann pela Juruá (2007)
>>> Terra de Sombras de Alyson Noel pela Intrínseca (2013)
>>> Os Degraus do Pentágono de Norman Mailer pela Expressão e Cultura (1968)
>>> Infinito de Alyson Noel pela Intrínseca (2013)
>>> Serena de Ian McEwan pela Cia das Letras (2012)
>>> Comentáros à Lei de Responsabilidade Fiscal de Ives Gandra da Silva Martins & Carlos Valder do Nascimento & Organizadores pela Saraiva (2009)
>>> Estrela da Noite de Alyson Noel pela Intrínseca (2013)
>>> Reflexo de Antonio José pela Grafica da Bahia (1979)
>>> O Sol da Liberdade de Giselda L. Nicolelis pela Atual (1988)
>>> Procedimento Administrativo nos Tribunais de Contas e Câmaras Municipais de Rodrigo Valgas dos Santos pela Del Rey (2006)
>>> Vito Grandam de Ziraldo pela Melhoramentos (2005)
>>> Lei Eleitoral Comentada (lei 9. 504, de 30 de Setembro de 1997) de Renato Ventura Ribeiro pela Quartier Latin (2006)
>>> Manual de Direito Civil - Vol 3 Contratos e Declarações Unilaterais de Roberto Senise Lisboa pela Revista dos Tribunais (2005)
>>> Processo Civil. Técnicas e Procedimentos de Misael Montenegro Filho pela Atlas (2006)
>>> Código Civil Comentado IX Artigos 818 a 886. Direito das Obrigações de Carlos Fernando Mathias pela Atlas (2004)
>>> Direito Civil. Parte Geral de Guilherme Calmon Nogueira da Gama pela Atlas (2006)
DIGESTIVOS

Sexta-feira, 4/8/2006
Digestivo nº 290
Julio Daio Borges

+ de 3600 Acessos
+ 5 Comentário(s)




Artes >>> Yada yada yada
Toda cidade grande é implacável com seus moradores. Mas algumas são mais que outras. Por exemplo, Nova York. Segundo Hugh MacLeod, é uma cidade de onde as pessoas vão tirar, procuram obter ou, mesmo, arrancar à força. Nunca dar. Soa familiar para quem mora em São Paulo. Para quem veio de outra cidade menor? MacLeod tentou ser feliz em Nova York, tentou amar, obter sucesso e dinheiro. Mas não obteve pelas vias normais. Hugh MacLeod, originalmente um profissional do marketing, enquanto aguardava o atendimento em restaurantes e bares, para não se entediar, rabiscava o verso de cartões de visita. Seus ou de outras pessoas. Era uma brincadeira para passar o tempo, mas acabou se transformando numa coisa séria. Arte. E ele não recomenda isso a mais ninguém... (“An artist is quite a fucked-up thing to be.”) O fato é que MacLeod se acostumou ao formato e se consagrou, na internet e fora dela, como o cartunista por trás do gapingvoid – mais que um blog ou um site, uma marca registrada. MacLeod não sabe até hoje se conseguiu se salvar da insanidade em Nova York. Por via das dúvidas, não mora mais lá. Mesmo assim diz que a cidade grande, e seus fantasmas, não o abandonam jamais. (Tanto que é ainda sua principal fonte de inspiração.) Guardadas as devidas proporções, suas obras são comentários ácidos, ilustrados com um "padrão" que mistura Pollock, Miró e Mondrian – sem as cores. Um padrão. É igualmente afiado com as palavras, mas desistiu de escrever por não considerar sua prosa suficientemente boa. Foi desenhar então. É o artista símbolo da Web 2.0 – merece, e vai conseguir, muito mais. [Comente esta Nota]
>>> gapingvoid
 



Internet >>> Unsigned and independent
Se o blog revelou o vulgo e, agora na nova Web, as tags são a taxonomia do homem comum, faltava um podcast para os alternativos fora do mainstream. Pois ele existe, é o KCRW's Morning Becomes Eclectic, com cara de mainstream, sim, mas, na escolha das bandas e dos artistas, beeem alternativo. Roqueiro, claro – mas será que a vanguarda tem de ser só ruído, fragmentação sonora e palavreado descontínuo? Como todo podcast de estúdio, com locução de FM, mostra uma qualidade de áudio que compensa tudo – muito embora os novatos digam, como os jogadores de futebol, sempre a mesma coisa e o locutor às vezes enjoe um pouco, com essa mania de terminar as frases em vogais e de boca aberta. Todo mundo está careca de saber, inclusive os executivos das majors, que as novidades não vêm mais das gravadoras. Uma fonte nova, para quem quer experimentar, portanto, são iniciativas como o Morning Becomes Eclectic. O problema, depois, é encontrar esses artistas em algum lugar – pois, em CD, muitos ainda não existem (não na loja da esquina); ou então só serão encontráveis em sites obscuros que não vendem música em português (ou para quem mora no Brasil). Resta guardar os episódios do programa. Os sets, bem constituídos, com poucas interrupções, e um mínimo de blablablá, felizmente, se prestam a isso. Quando alguém vai fazer alguma coisa parecida no Brasil? Sem que seja, apenas, uma ação entre amigos? Sem a ambição de ser uma nova MTV (nem um novo Trama Virtual)? Alguns jornalistas até já fazem por escrito. Era o caso de transformar isso em áudio, com uma pequena apresentação, a performance em si e uma entrevistinha. O KCRW's Morning Becomes Eclectic está aí. E aqui, alguém se habilita? [Comente esta Nota]
>>> KCRW's Morning Becomes Eclectic
 



Música >>> Chica Chica Bom Chic
Quem leu o Ruy Castro, ficou naturalmente com vontade de ver Carmen Miranda. Em vídeo, até existe. Em CD... Mas o que poderia ser, talvez, um pouco mais que isso (mesmo sendo um risco)? Marília Pêra cantando Carmen Miranda. Por incrível que pareça, foi o que se viu em São Paulo (depois de ter passado pelo Rio), no Tom Brasil Nações Unidas, há algumas semanas. Muito provavelmente por conta do livro, Marília Pêra e seu diretor ressuscitaram a montagem dos anos 70, suprimindo justamente a biografia e focando nos números musicais. Ao contrário do que quase sempre acontece com Carmen Miranda, a Carmen de Marília saiu autêntica – não caricata e nem com cara de “ícone gay” (para usar a expressão de Mario Sergio Conti). Marília rendeu uma Carmen inteira. Não a Carmen original (até porque seria difícil aferir, ela morreu há mais de cinqüenta anos), mas uma Carmen convincente para quem está devidamente informado e coerente com o resto do espetáculo. Se o show não começou com aquele estrondo que se poderia esperar da verdadeira Carmen Miranda, segundo as fontes que nos chegaram, a apresentação foi ganhando corpo e, com um pouquinho de esforço, poderíamos até imaginar como foram aqueles anos no rádio, nos cassinos, pré-Broadway e pré-Hollywood. Marília Pêra, inteligentemente, se valeu do fato de que, mais do que intérprete, Carmen era uma grande performer. Foi o que sobressaiu. E, mais do que uma cantora dos dramas humanos, Carmen foi veículo da alegria e da brejeirice à brasileira – Marília percebeu isso e fez dos duplos sentidos e dos esquetes cômicos os pontos altos. Fora os figurinos, espalhafatosos na medida; e os músicos, compassados como deve ser uma banda de apoio. Meio apagados, apenas, os rapazes do Bando da Lua, que quase sumiram nas cenas em que desembarcou Carlinhos de Jesus... Carmen Miranda, claro, não é a descoberta da América – para quem já conhecia. Mas Marília Pêra fez-lhe justiça. [Comente esta Nota]
>>> Marília Pêra volta a viver Carmen Miranda
 



Imprensa >>> Além do bem e do mal
A filosofia sempre foi um campo espinhoso do conhecimento humano. E quando se queria dizer, pejorativamente, que um sujeito não dava pra nada, vivia "nas nuvens", suas idéias não tinham nenhuma aplicação prática, diziam logo: É meio filósofo. Pois os tempos mudaram... Para pior? Para melhor? Ainda não sabemos, estamos na transição. O fato é que desenterraram a filosofia, deram nela um banho de loja e hoje ela passou a freqüentar as mais altas rodas. Como se, de repente, o high society se cansasse da repetição da auto-ajuda, dos mantras dos gurus do marketing e das fábulas dos guerreiros (ou seriam cavaleiros?) de luz. Alguém nesse meio, subitamente, sentiu que estava sendo enganado: afinal, auto-ajuda, marquetagem e religiosidade barata, mesmo na sua superficialidade, vêm de algum lugar. Foram procurar as fontes, os manuscritos do Mar Morto, a origem das verdades reveladas... E trombaram com Nietzsche, Schopenhauer, Kant, esse povo todo. Agora, o que é melhor: pseudofilosofia de segunda mão ou filosofia diluída de primeira mão? Você escolhe. Eu acho que, entre mortos e feridos, salvaram-se muitos. Tudo bem, é só mais uma moda que vai passar e não vai sair, daí, nenhum fi-lóóó-sofo. Ainda assim, não custa tentar. Ou custa? A editora Escala está nessa aposta. Depois de editar pensadores em edições baratas, como nunca se viu antes, em banca, agora lança uma revista de filosofia de grande circulação. Abre com entrevista de Osvaldo Giacoia Junior, do badaladíssimo curso Nietzsche contra Kant, da Casa do Saber. Com matérias que tentam aproximar a filosofia do cotidiano, cada tema busca sua aplicabilidade, e é recheado com citações dos grandes homens. Fora isso, um bom esforço de conciliação entre Oriente e Ocidente... O que diria Platão? Talvez não visse mais tanta necessidade de nascer grego, homem e no século de Péricles. No Brasil, dos anos 2000, já estaria bom. [Comente esta Nota]
>>> Filosofia Ciência & Vida
 



Além do Mais >>> Tell me all about it
Sabe quando você entra numa loja e a música te envolve como uma nuvem? E imediatamente você quer levar essa música pra fora da loja – pra sua casa? Então, fora do Brasil, era comum, para quem tinha essa sensação, passar no caixa e adquirir a trilha sonora do ambiente, mesmo que aquela marca não lhe dissesse absolutamente nada. Fora dali, era meio doce, tinha um pouco o gosto da Casa Cor, mas, por um tempo, era legal. Nem que fosse apenas para lembrar. Nem que fosse apenas para lembrar daquela sensação inicial. Pois bem, você sabia que isso existe no Brasil? Claro que existe, você vai dizer, não é nenhuma novidade. Sim, claro. A diferença, fora tudo isso, é um CD que sobrevive e que se sustenta para além da loja. (Mesmo sem você ter estado lá...) Esse CD é o da Bob Store, by – conforme indicação na capa – William Ribeiro, no caso, DJ e produtor. O título é Bob Store Fast Dream e foi prensado no ano passado com selo da Lua Music – mas, como se dizia aqui antes, não envelheceu. Puxando faixas de 1991 até 2004, Ribeiro captou o zeitgeist de uma raça de consumidores meio sofisticados, mas também um pouco aéreos; menos fixados na moda e mais nos modelos; adotando um físico além de uma peça de roupa. É uma perfeição dentro daquele estilo que não incomoda, mas que, ao mesmo tempo, não compromete. Lounge? É a mesma pessoa do começo ao fim? Não. São os mesmos músicos? Não; presta atenção. Da loja pra pista de dança, sinta as vibrações (vibe?), sinta as faixas se acelerando... Um toque étnico aqui, um acento robótico acolá. E, para encerrar, um “reality check”. É sério! Bob Store Fast Dream: se você não gostar do gênero, vale, ao menos, como curiosidade antropológica. [Comente esta Nota]
>>> Bob Store Fast Dream - William Ribeiro - Lua Music
 
>>> O CONSELHEIRO TAMBÉM PUBLICA NA GV-EXECUTIVO

Confira, nas bancas, a nova edição da revista GV-executivo, com artigo inédito de Julio Daio Borges sobre Seth Godin.

>>> EVENTOS QUE O DIGESTIVO RECOMENDA



>>> Palestras
* Estratégia de conservação ambiental na Amazônia
Fernando Vasconcelos e Marcelo Ivan Pantoja Creão
(Seg., 07/08, 19h30, MP)
* Vinhos do novo mundo
Sommelière Anna Rita Zanier
(Ter., 08/08, 19h00, VL)
* A mulher e seus hormônios... Enfim em paz!
Malcolm Montgomery e Içami Tiba
(Qua., 09/08, 19h00, CN)

>>> Autógrafos
* O legado de Renata - Gabriel Bolaffi
(Seg., 07/08, 18h30, CN)
* Meu pai, o comandante
Jean-Michel Cousteau
(Seg., 07/08, 19h00, CN)
* Longe daqui, aqui mesmo
Antonio Bivar
(Ter., 08/08, 18h30, CN)
* Questão de equilíbrio
Dr. Sergio Klepacz
(Qui., 10/08, 18h30, VL)

>>> Shows
* 250 anos de Mozart - Quarteto Portinari
(Seg., 07/08, 20h00, VL)
* Aos mestres com carinho - Izzy Gordon
(Qui., 10/08, 19h00, MP)
* King Oliver e Louis Armstrong
Traditional Jazz Band
(Sex., 11/08, 20h00, VL)
* Lados B - Duo Arco da Velha
(Dom., 13/08, 18h00, VL)

* Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (VL): Av. Nações Unidas, nº 4777
** Livraria Cultura Conjunto Nacional (CN): Av. Paulista, nº 2073
*** Livraria Cultura Market Place Shopping Center (MP): Av. Chucri Zaidan, nº 902
**** a Livraria Cultura é parceira do Digestivo Cultural

 
Julio Daio Borges
Editor

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/7/2006
15h18min
Quem estiver na última fronteira do jornalismo, obviamente deveria estar no contexto da atualidade, a fronteira significa estar com o pé nos dois lados do processo cultural, é estar entendendo, antenado, com as transformação de um dos lados e estar atualizadíssimo com tudo que rola no outro lado. A fronteira significa na divisa. E quem está na divisa de um pensamento tem que entender e desconstruir os dois pensamentos, é mesmo que ter a tese versus antítese, e daí surgir com uma síntese, como na antiga teoria marxista, quando Karl Marx virava as teses da dialética do seu ex-professor Friedrich Engels. Embora isto seja uma loucura.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias]
31/7/2006
20h01min
primeiramente, devido aos desenvolvimentos das escritas, com evolução do computador; esse mundo de infinitas oportunidades de comunicação. este site devia entrar para o seleto grupo dos que divertem e nos fazem um bem...
[Leia outros Comentários de elder g freitas]
1/8/2006
01h28min
Filósofos, como diz um conhecido, são aqueles caras que te enchem de dúvidas até sobre o fato de você beber água quando está com sede. O texto do Julio resume tudo: o lixo da auto-ajuda ou o bicho do deus-nos-acuda, diluído, da filosofia? Essa dúvida (filosófica, sem dúvida) é a questão dessas editoras. A pergunta final do texto é muito pertinente: o que diria Platão dessa multiplicidade filosófica e pseudo-filosófica que anda por aí? Não sei, mas a gente poderia avisá-lo: cuidado, nesse mato tem (paulo) coelho.
[Leia outros Comentários de Guga Schultze]
1/8/2006
20h49min
A filosofia é uma ciência, e como tal deve produzir conceitos. O filoso não é nada mais que, um produtor de conceitos. E criar conceitos é para qualquer um que desejar.
[Leia outros Comentários de Michel ]
2/8/2006
18h02min
E a revista ainda fala de uma tal de filosofia clínica, da qual eu às vezes desconfio e na qual eu às vezes confio... vai entender. Segue a linha do Mais Platão, Menos Prozac, que eu já folheei, folheei, mas nunca li meeeesmo. Talvez seja a tal da desconfiança falando mais alto. A questão é que eu ando ficando curiosa com isso. Afinal, se não conseguirmos aplicar a filosofia à vida, que raios de ciência é essa?
[Leia outros Comentários de Ana Claudia]

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PENSANDO O BRASIL
PAULO NOGUEIRA BATISTA
FUNDAÇÃO ALEXANDRE GUSMÃO
(2009)
R$ 10,00



O MOVIMENTO ASSOCIATIVO DE PAIS E A CONSTRUÇÃO DA ESCOLA PÚBLICA
FERNANDO MELO LIMA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 412,00



CADERNOS DE CIÊNCIAS PENAIS - REFLEXÕES SOBRE AS TEORIAS DO TIPO
ALEXIS COUTO DE BRITO, HUMBERTO B. FABRETTI UND GIANPAOLO P. SMANIO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 272,00



PEQUENO PRÍNCIPE - LIVRO DE ADESIVOS
ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY
ONLINE
(2014)
R$ 11,90



ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR E FISIOTERAPÊUTICA EM MULHERES CLIMATÉRICAS
RAQUEL PRISCILA UND DANIELE SERVA SPRESSÃO
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



OBRAS POÉTICAS COMPLETAS - RAMON DE CAMPOAMOR
RAMON DE CAMPOAMOR
AGUILLAR
(1951)
R$ 35,00



QUERO COLO!
STELA BARBIERI; FERNANDO VILELA
SM
(2016)
R$ 10,00



FAMÍLIA DO DOENTE COM CÂNCER
JULIANA STOPPA MENEZES RODRIGUES
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



O HOMEM-PLURAL.
MARIO GRACIOTTI
NOVA EPOCA
R$ 12,00



MENDEL: O PAI DA BIOLOGIA GENÉTICA
REVISTA DE CULTURA VOZES Nº 7 SETEMBRO
VOZES (PETRÓPOLIS RJ)
(1984)
R$ 32,82





busca | avançada
32426 visitas/dia
955 mil/mês