O fim do papel comparado ao fim da música | Digestivo Cultural

busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
>>> ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES ONLINE DO ESPETÁCULO O DESMONTE
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A poesia concreto-multimídia de Paulo Aquarone
>>> 2007 e os meus CDs - Versão Nacional 2
>>> Between the Acts
>>> O luto e o luto de Valter Hugo Mãe
>>> A PROPÓSITO DE UM POEMA
>>> Como E Por Que Ler O Romance Brasileiro
>>> Jornalista, um bicho de 7 cabeças e 10 chifres
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O amigo do escritor
>>> O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece
Mais Recentes
>>> Balada na praia dos cães de José Cardoso Pires pela Círculo do livro (1987)
>>> Os amantes do ano 3050 de Phillip Jose Farmer pela Francisco Alves (1981)
>>> O Estrangeiro de Albert Camus pela Record (2005)
>>> Dias e noites de amor e de guerra de Eduardo Galeano pela Paz e Terra (1979)
>>> Lutando na Espanha e recordando a Guerra civil de George Orwell pela Globo (1986)
>>> Estética e Política de Oswald de Andrade pela Globo (1992)
>>> O inverno da nossa desesperança de John Steinbeck pela Civilização Brasileira (1972)
>>> História da riqueza do homem de Leo Huberman pela Zahar editores (1978)
>>> O encandalo Modigliani de Ken Follett pela Record (1985)
>>> A noite dos generais de José Meirelles Passos pela Brasiliense (1986)
>>> História da psiquiatria de Franz G. Alexander & Sheldon T. Sellesnick pela Ibrasa (1966)
>>> O cartaginês de Nauaf Hardan pela Edicon (1985)
>>> Marguerite Yourcenar - A invenção de uma vida de Josyane Savigneau pela Nova Fronteira (1991)
>>> A Neblina do Passado de Leonardo Padura pela Benvirá (2012)
>>> O livro de ouro do Carnaval brasileiro de Felipe Ferreira pela Ediouro (2004)
>>> A ilha do dia anterior de Umberto Eco pela Círculo do livro
>>> O despertar dos mágicos de Louis Pauwels & Jacques Bergier pela Círculo do livro (1989)
>>> A utopia antropofágica de Oswald de Andrade pela Globo (1990)
>>> Machenka de Vladimir Nabokov pela Companhia das letras (1995)
>>> Livro do desassossego de Fernando Pessoa pela Brasiliense (1986)
>>> O livro da tradição de Jean-Michel Angebert pela Difel (1976)
>>> Memórias encontradas numa banheira de Stanislaw Lem pela Francisco Alves (1985)
>>> Auto subversão de Albert O. Hirschman pela Companhia das letras (1996)
>>> Estratégias da ilusão - A revolução mundial e o Brasil de Paulo Sérgio Pinheiro pela Companhia das letras (1992)
>>> Uma caixa de curiosidades de Allen Kurzweil pela Companhia das letras (1993)
>>> Um cemitério para lunáticos de Ray Bradbury pela Best Seller (1990)
>>> Liberalismo - Teoria e prática de Theodore Meyer Greene pela Ibrasa (1983)
>>> Cultura e Imperialismo de Edward W. Said pela Companhia das letras (1995)
>>> Os Intérpretes de Wole Soyinka pela Edições 70 (1986)
>>> Roger Bastide de Maria Isaura Pereira de Queiroz pela Ática (1983)
>>> O testamento de Oscar Wilde de Peter Ackroyd pela Globo (1987)
>>> D. Sancho na América Latina de Pedro Álvares Cabral pela Uni Latium (1977)
>>> Ben-Hur Uma História dos Tempos de Cristo Coleção obra prima série Ouro 43 de Lew Wallace pela Martin Claret (2008)
>>> Poemas de Augusto dos Anjos pela Paz e Terra (2002)
>>> O Homem que Amava Mulheres de François Truffaut - Apresentação de Otavio Frias Filho pela Imago (1995)
>>> Fábulas de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Folclore. Entre a Prática e a Teoria, Entre o Fazer e o Poder de Eduardo Antonio Bonzatto pela Ícone (2017)
>>> Um Estranho no Espelho de Sidney Sheldon pela Record (1985)
>>> As Areias do Tempo de Sidney Sheldon pela Record (1989)
>>> O Ditador de Sidney Sheldon pela Record (1998)
>>> A Outra Face de Sidney Sheldon pela Record (1970)
>>> Um Capricho dos Deuses de Sidney Sheldon pela Record (1987)
>>> Lannée Du Tennis 2000 de Jean Couvercelle - Gay Barbier pela Calmann-Lévy (2000)
>>> A Perseguição de Sidney Sheldon pela Record (1994)
>>> O Outro Lado da Meia-Noite de Sidney Sheldon pela Circulo do Livro (1973)
>>> Introdução à Manufatura - Série Tekne de Michael Fitzpatric pela Bookman (2013)
>>> Administração Educacional - Teoria, Pesquisa e Prática - 9ª Ed. de Wayne K. Hoy, Cecil G. Miskel pela Penso (2015)
>>> O Plano Perfeito de Sidney Sheldon pela Record (1997)
>>> Eletrônica II - Série Tekne - 7ª Ed. de Charles Schuler pela Bookman (2013)
>>> Multinacionais Brasileiras de Moacir de Miranda Oliveira Junior pela Bookman (2010)
DIGESTIVOS >>> Notas >>> Imprensa

Sexta-feira, 5/3/2010
O fim do papel comparado ao fim da música
Julio Daio Borges

+ de 14800 Acessos
+ 5 Comentário(s)




Digestivo nº 456 >>> Quem ainda acredita naquele velho papo de que "uma mídia não substitui a outra" (geralmente porque trabalha numa mídia que ameaça ser substituída), deveria ler o relatório E-Books: The Next Killer Application?, de Sampo Timonen, diretor da divisão de papéis gráficos para a Europa, na RISI. Timonen, ao contrário de muita gente que finge que não se abala com as mudanças trazidas pela digitalização, é um representante da indústria do papel, mas anda tão preocupado com o futuro que decidiu, sem rodeios, abordar o assunto. Em seu artigo, parte logo para o "pior cenário" e constrói uma analogia com a combalida indústria musical. Usando dados da própria indústria fonográfica (disponíveis na Wikipedia), Sampo nos conta que, antes da internet, a "canibalização" teve início já com a fita cassete. O LP teve seu auge em 1981, com 1,1 bilhão de unidades vendidas. Ocorre que o walkman (alguém se lembra?) surgiu no horizonte em 1979 e, até 1988, o mercado de fitas cassete foi crescendo 13% a cada ano (mesmo com a qualidade sonora inferior). Enquanto isso, a venda do LPs caiu 39% de 1981 até 1986; 74% até 1991; e 98% até 1996. Lógico que o CD já havia surgido nos mesmos anos 80 — e cresceria, na casa dos dois dígitos anualmente, nos 1990s. Enquanto isso, a fita cassete experimentaria seu auge em 1989 (com 1,54 bilhão de unidades vendidas), para decair 12% até 1994, 45% até 1999 e 76% até 2004. Já o CD chegaria ao topo do mundo no ano simbólico de 2000, com 2,45 bilhões de unidades vendidas. E, com o advento do MP3, o compact disc despencaria, logicamente, 21% até 2005 e 45% até 2008. Hoje, 95% da música que circula ou é distribuída de graça ou é ilegal mesmo. "Isso tudo poderia acontecer com o papel?", Sampo Timonen se pergunta no meio do texto. Para responder que já aconteceu (alô, jornalistas) com a mídia impressa — cuja demanda caiu 16% de 1999 (o pico) até 2004; e 57% (mais da metade) até 2009. Se a analogia realmente funcionar, a demanda por notícias impressas deve cair, segundo Sampo, de 75 a 98% nos próximos 5 anos. E para aqueles que tentam se convencer de que "o papel nunca vai morrer", afirmando que o velho LP triplicou suas vendas nos últimos 3 anos — afinal "uma mídia não substitui a outra" etc. —, Sampo Timonen informa que o long play, em sua gloriosa ressurreição, alcançou exatos 0,8% do que vendia no seu auge (despencando outros exatos 99,2% de 1981 até hoje)...
>>> E-Books: The Next Killer Application?
 
Julio Daio Borges
Editor

Quem leu esta, também leu essa(s):
01. Wrong Way, de Conrado Paulino (Música)
02. Cadernos de Literatura Brasileira: Mario Quintana (Literatura)
03. Final do dia (Música)
04. A última volta do parafuso (Literatura)
05. Amor e cobiça (Imprensa)


Mais Notas Recentes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/3/2010
18h49min
Tudo passa e ultrapassa e quem não acompanhar as mudanças será atropelado. Quando era criança, assistia Flash Gorgon, e achava uma grande mentira, pessoas falavam com outras através de telas... e aquilo era, na época, considerado ficção. E hoje? Aquilo tudo já está sendo ultrapasado, quem tem um negócio nas mãos precisa ser arrojado e bem informado, acompanhar a evolução. Os jornais já caíram, eu mesmo leio muito pouco, tenho em casa à disposição uma feramenta mais ágil que o papel.
[Leia outros Comentários de Candido Rubim Rios]
7/3/2010
21h50min
Na prática, é imperceptível a mudança física do LP para o CD, a não ser que o segundo pode ser ouvido em aparelhos menores, em vários lugares etc. Mas trata-se de OUVIR, não importa se estamos de olhos fechados, arrumando gavetas ou dirigindo... Do livro para o e-book há uma mudança física e visual, pois o material é manuseado e há uma diferença para os olhos entre ler no papel e numa telinha. Não estou julgando qual dos dois é melhor, apenas dizendo que não se pode comparar ouvir música e ler um livro. Seria o mesmo que comparar uma flor com uma maçã.
[Leia outros Comentários de Maura Maciel]
8/3/2010
10h31min
Realmente, soa um tanto forçada a comparação feita por Timonen. Todo mundo costuma ser tentado a fazer comparações - elas são recusos bastante cômodos para abordar qualquer assunto com seriedade, precisão etc. Além disso, também é cômodo exaltar novidades como se cada uma que surgisse fosse o anúncio de novos tempos, de uma nova vida. James Cameron não saiu por aí dizendo (e sendo ecoado por muita gente) que "Avatar" era o futuro do cinema?... Por outro lado, dá para arriscar uma previsão, digamos, mais ponderada: assim como o LP virou um objeto de luxo, de coleção (e é nessa condição que suas vendas "crescem" hoje), livros, revistas e outras mídias em papel podem estar se tornando objetos para se curtir, manipular, apreciar em termos de design, textura etc., talvez mais do que meios de informação. Além da praticidade e agilidade da internet, dos e-books etc., pesa muito nesse processo, claro, o preço: as pessoas buscam informação e formação, não importa tanto o meio.
[Leia outros Comentários de Paulo Cezar]
13/3/2010
10h33min
No geral, uma mídia não substititui a outra, pelo menos não completamente. Haverá mudanças, adaptações, mas assim como o CD, o jornal impresso, as revistas, e todo o conteúdo de papel relativo a informação, entretenimento etc. Não irá acabar, "morrer". Existe muita gente que valoriza o ato de comprar um CD, ouvir um CD, e também ouve músicas na internet, no iPod. E também quem não abra mão de ler jornais impressos. Isso não quer dizer que não possa também se informar pela internet, TV, rádio e outros meio. Adaptações, sim. "Morte", não. pelo menos não tão imediata quanto alguns preveem.
[Leia outros Comentários de Nathanael]
15/3/2010
18h09min
O texto começa errado pelo título. Papel é meio, música é conteúdo. Não dá pra comparar; e, não, a música não acabou. E o papel não é usado apenas para jornais. Livros, revistas, impressões do que está na tela do computador... enfim, a metonímia entre "imprensa" e "papel" é muito imprecisa. Afora tudo isso, sim, os jornais de papel terão sua demanda reduzida frente às novas mídias de veiculação de notícias. Aqui, até o celular (alô, convergência) entra como "inimigo". Mas, claro, pode ser amigo, se quem hoje vende papel passar a vender conteúdo para as novas mídias. Sem bicho papão, só abrir o olho e se dispor a se adaptar.
[Leia outros Comentários de Paulo Rená]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ELABORAÇÃO E ORIENTAÇÃO DE PROJETOS
NILSON HOLANDA
APEC
R$ 10,00



MONSTRO
JONATHAN KELLERMAN
MANDARIM
(2000)
R$ 9,00



PESCOÇO E BRAÇO
RENE CAILLIET
MANOLE - SP
(1976)
R$ 5,31



HORÓSCOPOS COM PREVISÕES ATÉ O ANO 2001 - LEÃO
LORELEY SOMMA E MARCO NATALI
EDIOURO
R$ 6,90



AS PSICOTERAPIAS HOJE ALGUMAS ABORDAGENS
ALFREDO NAFFAN NETO
SUMMUS
(1982)
R$ 12,00



OUVINDO VOZES: HISTÓRIAS DO HOSPÍCIO E LENDAS DO ENCANTADO
EDMAR OLIVEIRA
VIEIRA & LENT
(2009)
R$ 18,00



CARLOS HEITOR CONY
O PIANO E A ORQUESTRA
COMPANHIA DAS LETRAS
(1996)
R$ 5,90



CUIDANDO DE MIM: ENSINAMENTOS MILENARES E RITOS TIBETANOS
ENEIDA MAGALHÃES CAETANO
LEITURA
(2011)
R$ 15,00



TWIST
TOM GRASS
HARPER COLLINS BR
(2015)
R$ 12,00



BARBIE BUTTERFLY E A PRINCESA FAIRY
CIRANDA
CIRANDA CULTURAL
R$ 5,00





busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês