Trema, sentirei saudades | Digestivo Cultural

busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> ZapMusic, primeiro streaming de músicos brasileiros, abre inscrições para violonistas
>>> Espetáculo de dança em homenagem à Villa-Lobos estreia nesta sexta
>>> Filó Machado comemora 70 anos de vida e 60 de carreira em show inédito com sexteto
>>> Série 8X HILDA tem sessões com leitura das peças As Aves da Noite e O Novo Sistema
>>> Festival Digital Curta Campos do Jordão chega a todo o território nacional com 564 filmes inscritos
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
Colunistas
Últimos Posts
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
>>> Mehmari, Salmaso e Milton Nascimento
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
Últimos Posts
>>> A TETRALOGIA BUARQUEANA
>>> Bom de bico
>>> Diário oxigenado
>>> Canção corações separados
>>> Relógio de pulso
>>> Centopéia perambulante
>>> Fio desemcapado
>>> Verbo a(fiado)
>>> Janelário
>>> A vida é
Blogueiros
Mais Recentes
>>> À propos de Nice (1930)
>>> Sonhos olímpicos nos Lençóis Maranhenses
>>> Lifestyle Media
>>> A voz de Svetlana em Paraty
>>> São João del-Rei
>>> Convite para as coisas que não aconteceram
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Where I End and You Begin
>>> Nós, os afogados, de Carsten Jensen
>>> Dias de Luta, de Ricardo Alexandre
Mais Recentes
>>> Amêndoa de Nedjma pela Objetiva (2004)
>>> Tatu - Balão de Sônia Barros pela Alegria (2014)
>>> Papai! (Livro infantil) de Philippe Corentin pela Cosac Naify (2014)
>>> Documentos historicos municipais de Valeria agra pela C E H m (2011)
>>> Jurisdição Comunitária de Marcelino Meleu pela Lumen Juris (2014)
>>> O Estado e a Revolução de Lenin pela Expressão Popular (2007)
>>> Pedagogia e estética do teatro do oprimido: Marcas da arte teatral na gestão pública de Dodi Leal pela Hucitec (2015)
>>> Constitucionalismo Latino-Americano: Tendências Contemporâneas de Antonio Carlos Wolkmer , Milena Petters Melo pela Juruá (2013)
>>> Qu'est-ce que la démocratie? de Alain Touraine pela Le Livre de Poche (1997)
>>> Sobre a questão judaica de Karl Marx pela Boitempo (2010)
>>> O direito dos oprimidos de Boaventura de Sousa Santos pela Cortez (2015)
>>> La domination masculine de Pierre Bourdieu pela Éditions du Seuil (2002)
>>> Le citoyen de Marie Gaille (Apres.) pela Flammarion (1998)
>>> Le langage silencieux de Edward T. Hall pela Éditions du Seuil (2000)
>>> O 18 Brumário de Luis Bonaparte de Karl Marx pela Escriba (1968)
>>> Citoyenneté et politiques sociales de Annick Madec; Numa Murard pela Flammarion (1995)
>>> Sociologie de la vie politique française de Michel Offerlé pela La Découverte (2004)
>>> Du contrat social de Jean-Jacques Rousseau pela Le Livre de Poche (1996)
>>> Brasil: Uma Biografia de Lília Schwarcz , Heloisa Starling pela Cia das Letras (2015)
>>> Origens do totalitarismo: anti-semitismo, imperialismo, totalitarismo de Hannah Arendt pela Cia das Letras (2012)
>>> Gramatologia de Jacques Derrida pela Perspectiva (2011)
>>> O Espaço Dividido: os Dois Circuitos da Economia Urbana dos Países Subdesenvolvidos de Milton Santos pela Edusp (2008)
>>> Repensando a Pesquisa Jurídica. de Miracy Barbosa de Sousa Gustin pela Del Rey (2014)
>>> Cavaleiros do zodíaco Saint seiya volume 8 de Masami Kurumada pela Conrad (1997)
>>> samurai x volume 3 Rurouni Kenshin de Nobuhiro Watsuki pela Jbc (1997)
BLOG >>> Posts

Sábado, 1/11/2008
Trema, sentirei saudades

+ de 6100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

O porquê de se mudar a ortografia de uma língua que já é difícil de aprender (segundo o senso comum), talvez tornando-a ainda mais complicada, está na intenção de padronizar a forma como se escreve o português nos oito países que o tem como idioma oficial.

Um dos resultados esperados é o maior intercâmbio de publicações entre os países, já que uma só ortografia facilita, por exemplo, o processo de edição. Não será necessário adaptar obras portuguesas para leitores do Brasil, ou o contrário. Entre outros possíveis ganhos, haveria uma maior aproximação entre as culturas lusófonas.

Os defensores da idéia têm ainda outros motivos na lista de benefícios, mas os argumentos dos opositores não ficam para trás em quantidade. Dentre os aspectos negativos está a percepção de que as mudanças são relativamente suaves ― ou seja, será que não poderíamos continuar bem como estamos? ― e a constatação de que algumas novas regras não estão muito claras, o que mantém, em vez de diminuir, os problemas com a ortografia da língua.

Por mais que você veja reportagens sobre o Acordo na mídia, dificilmente vai ter acesso a essas questões de fundo. Para entender um pouco mais, uma opção é o livro O novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa: o que muda, o que não muda (Editora Contexto, 2008, 96 páginas), de Maurício Silva. Por módicos R$ 19,90 (preço de venda no site da editora), você pode ter à mão as novas regras e saber que, a partir de sua vigência, a palavra "assembléia" não terá mais acento agudo na letra "e".

O portal iG também preparou um conteúdo especial sobre o Acordo, com a vantagem de ser gratuito e multimídia (mas com a desvantagem de você precisar fazer download das regras e ter que mudar de tela para consultar palavras, enquanto que o livro pode estar no seu colo enquanto você escreve). No texto do iG também é possível observar na prática a aplicação das mudanças, já que o portal adotou a nova forma desde 7 de setembro último. O especial do iG sobre o Acordo é muito bacana e vale a pena consultá-lo.

As mudanças começam agora, em 2009, e se tornam obrigatórias a partir de 2012. Imagino que, nesse período de transição, haverá um pouco de confusão. No caso de grandes produtores de texto, como jornais, revistas, portais, editoras, cada entidade irá definir um momento para iniciar a padronização. As agências de publicidade e assessoria de imprensa também já devem estar discutindo o fato. Afinal, a revisão vai passar a considerar as regras a partir de 1º de janeiro de 2009? Poderá haver algum estranhamento entre as pessoas do público-alvo que ainda não estão bem informadas sobre o "novo" português?

O Acordo simplifica a ortografia de muitas palavras e legitima formas mais simples e elegantes de escrever. Por exemplo, os meses do ano não precisam ter letra maiúscula no início. Eu nunca usei, mas já tive que argumentar que a forma com minúscula era mais simpática, menos pomposa. Agora, basta esfregar o Acordo na cara.

Outra mudança que me agradou bastante foi a simplificação das regras do hífen. Decorei apenas o necessário para passar no vestibular e depois fui assimilando o jeito certo por intuição, por bom senso ou pelo contato freqüente com as palavras através da leitura. Agora ficou bem mais fácil. Só vai hífen quando a primeira palavra termina com a mesma vogal com a qual começa a segunda palavra (contra-ataque); quando a segunda palavra começa com "h"(anti-higiênico); quando o final da primeira e o início da segunda são com a mesma consoante (inter-racial) e alguns outros casos específicos. Nos demais, as palavras se tornam uma só, como em "autoescola".

Mas não gostei das mudanças nos acentos. Palavras lindas como "vôo" ficarão "voo". Geléia vai perder seu acento agudo. E a pior de todas: não vai mais se usar o trema. Acho uma lástima. Aqueles dois pontinhos, já tão esquecidos e ignorados na escrita dos dias de hoje, serão para sempre eliminados. Vou aproveitando os últimos meses de 2008 para curtir bastante meus queridos tremas e assimilar com calma a dor dessa despedida.

Nota do Editor
Leia também o Especial "Reforma Ortográfica".


Postado por Adriana Baggio
Em 1/11/2008 à 00h11


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Mino Carta 2010 de Julio Daio Borges
02. O futuro do cinema de Yuri Vieira
03. 8 de Agosto #digestivo10anos de Julio Daio Borges
04. 12 de Novembro #digestivo10anos de Julio Daio Borges
05. Seu cartão de visita do Google de Julio Daio Borges


Mais Adriana Baggio no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
5/11/2008
10h36min
Eu acho que, embora bonitinho, o trema não serve para nada. Mesmo sabendo-me errado, nunca usei, a não ser em provas. Ele serviria para diferenciar o quê do quê? Alguém confundiria a pronúncia de linguiça, aguentar, tranquilo, consequência, aguerrido, querido? Não acho. Já as palavras duplas, com hífen no meio, acho-as muito mais bonitas do que sem o hífen. Uma pena. Ó que coisa feia: agronegócio. Assim também a eliminação dos acentos em epopéia, assembléia, enjôo. Parece que acinzentou tudo. Bom, a gente se acostuma com cada coisa, não será diferente com isso.
[Leia outros Comentários de José Bueno F. Neto]
5/11/2008
11h24min
O acordo ortográfico é um atalho para a mediocrização, uma espécie de pacto entre o mundo globalizado e suas conseqüentes perdas localizadas e a necessidade de que tudo venha mais simplificado, não de uma maneira simples, porém comodista e deselegante. Além do quê, sofrerá a prosódia com a retirada do trema e sofrerão e tremerão os professores para fazer com que os alunos separem o joio do trigo. Não precisava. Coisa de gente que não tinha o que fazer... Pena.
[Leia outros Comentários de isa fonseca]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Juventude e Rumos Sociais
Carlos Frederico Vaz de Carvalho
Do Autor
(2013)
R$ 5,00



Cinquenta Tons de Prazer
Marisa Bennett
Best Seller
(2012)
R$ 21,30
+ frete grátis



The Mobile Wave
Michael Saylor
Vanguard Press
(2012)
R$ 15,00



Quem Matou Nola Payne? 1ª Reimpressão
Walter Mosley
Landscape
(2005)
R$ 23,00



Revelação e Diálogo Intercultural: Nas Pegadas do Vaticano II
Afonso Maria Ligorio Soares
Paulus
(2015)
R$ 17,00



Razão do Poema: Ensaios de crítica e de estética
José Guilherme Merquior
É Realizações
(2014)
R$ 40,00



Lide Cautelar
Luciano Caseiro
Leud
(1996)
R$ 9,42



Mera Fotografia
Carlos Eduardo de Magalhães
Rocco
(1998)
R$ 5,00



21 Contos Inéditos
Carlos Lacerda
Unb
(2003)
R$ 11,00



Aristofanes Las Nubes Lisistrata Dinero
Elsa García Novo
Alianza Editorial
(1987)
R$ 407,95
+ frete grátis





busca | avançada
86234 visitas/dia
2,1 milhões/mês