Máfia do Dendê | Digestivo Cultural

busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Dentre Nós Cia de Dança estreia “Sagrado Seja o Caos”
>>> Teatro: Sesc Santo André traz O Ovo de Ouro, espetáculo com Duda Mamberti no elenco
>>> PianOrquestra fecha a temporada musical 2021 da Casa Museu Eva Klabin com o espetáculo online “Colet
>>> Primeira temporada da série feminina “Never Mind” já está completa no Youtube da Ursula Monteiro
>>> Peça em homenagem à Maria Clara Machado estreia em teatro de Cidade Dutra, na periferia de São Paulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> A história de Claudio Galeazzi
>>> Naval, Dixon e Ferriss sobre a Web3
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
Últimos Posts
>>> Entre outros
>>> Corpo e alma
>>> O tempo é imbatível
>>> Consciência
>>> A cor da tarja é de livre escolha
>>> Desigualdades
>>> Novembro está no fim...
>>> Indizível
>>> Programador - Trabalho Remoto que Paga Bem
>>> Oficinas Culturais no Fly Maria, em Campinas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Sem música, a existência seria um erro
>>> O pai tá on: um ano de paternidade
>>> Disciplinas isoladas
>>> Meus encontros e desencontros com Daniel Piza
>>> Pai e Filho
>>> Solaris, o romance do pesadelo da ciência
>>> E o Doria virou político...
>>> A ABSTRATA MARGEM
>>> Salvem os jornais de Portugal
>>> Irmãos Amâncio
Mais Recentes
>>> A Guerra das Rosas (lacrado) de Leila Meacham pela Rocco (2011)
>>> Krum (lacrado) de Hanoch Levin pela Cobogó (2016)
>>> Medeias Latinas de Márcio Meirelles Gouvêa Júnior pela Autêntica (2014)
>>> Metamorfoses Privadas (lacrado) de Rui Xavier pela Nversos (2012)
>>> A Ditadura Militar e os Golpes Dentro do Golpe - 1964-1969 de Carlos Chagas pela Record (2014)
>>> Zagor Nº 50 de Bonelli pela Mythos (2005)
>>> Teen Mate 2 - Resource Book de Vários Autores pela Difusão de Educação e Cultura
>>> Flores do Alimento de Silvetre Silva pela Empresa das Artes (1998)
>>> Zagor Nº 7 de Bonelli pela Mythos (2001)
>>> Cartas a Davi (lacrado) de Fabiano Pereira pela Thesaurus (2014)
>>> Heróis de Verdade 15ª Edição de Roberto Shin pela Gente (2005)
>>> Imperatriz Leopoldina - o Anjo da Independência do Brasil de Monica Buonfiglio pela Companhia dos Anjos (2002)
>>> Hillary Clinton por Ela Mesma de Lisa Rogak pela Alta Books (2015)
>>> Memórias de Aldenham House de Antonio Callado pela Jose Olympio (2015)
>>> Estudo Dirigido de Educação Musical Nº 2 de Irvany Bedaque Ferreira Frias pela Orfeu (1972)
>>> A Dimensão Normativa da Argumentação (lacrado) de Tiago Neu Jardim pela Lumen Juris (2017)
>>> Ragnarok N° 16 de Lee Myung Jin pela Conrad
>>> O Caneco de Prata de João Carlos Marinho Silva pela Obelisco
>>> Das Mädchen Orchidee de Pearl S. Buck pela Bertelsmann Lesering (1960)
>>> Tutela Penal Ambiental de Thiago Jordace pela Lumen Juris (2016)
>>> Temas Essenciais Em Direito Ambiental (lacrado) de Beatriz Souza Costa pela Lumen Juris (2014)
>>> Manual of Accounting Ifrs 2013 Volume 1 de Vários Autores pela Bloomsbury Professional
>>> O Espírito Piagetiano (lacrado) de Olivier Houde pela Penso (2004)
>>> Saga de Beija-flor (lacrado) de Bernardo Marçolla pela Kbr (2015)
>>> Touro de Max Klim pela Nova Era (2001)
BLOG >>> Posts

Domingo, 8/12/2002
Máfia do Dendê

+ de 24900 Acessos

Ditadura invertida

Paulo Francis chamava de Máfia do Dendê "os baianos que gostam de cantar na televisão". É a turma encabeçada por Caetano, disfarçada de liberal e intelectual, que controla a produção de música brasileira e apóia Antonio Carlos Magalhães. Ninguém ousa desafiá-los: não tem espaço, se for músico; e perde o emprego, se for jornalista. É um esquema canalha e corrupto, mas nunca discutido. Um método grotesco de promoção da mediocridade, que afoga a criatividade e cala a resistência. Isso é, em bom português, ditadura. Imposta exatamente pelos metidos a bacanas que, há poucas décadas, brincavam de oposição. E, hoje, lucram com isso, colecionando elogios de celebridades, de Sontag a Almodóvar, e dinheiro fácil, incorporando estilos e reciclando fórmulas. Uma moleza.

Mas não é, na verdade, só de moleza que eles gostam. Caetano, por exemplo. Em 1993, quando um jornalista foi procurá-lo em Londres para uma entrevista, quando comemorava 25 anos de exílio, foi curto e grosso: só concederia em troca de uma coisa. E vocês sabem qual é. O homem saiu correndo. E quase perdeu o emprego por causa disso. É assim que funciona: a Máfia do Dendê também tem os seus métodos próprios de tortura. Que são indiscutivelmente piores do que muitos aplicados pela Ditadura Militar. Uma aplicação de Caetano Veloso é talvez o pior massacre a que um homem pode se submeter. Esta é - reparem no trocadilho - uma ditadura invertida.

Quem conta essa história, com todas as letras, é o premiado jornalista investigativo Cláudio Tognolli, em imperdível conversa com, entre outros, Roberto Freire e Sérgio Martins. E aponta, ainda, os membros da Máfia, que todo mundo sabe qual é: além de Caetano, Gilberto Gil, Maria Betânia, e Gal Costa. Não precisava nem dizer: exatamente os mesmos que, ontem, no Ibirapuera, reuniram mais de cem mil pessoas, embaixo de chuva. E por quê? Porque ninguém resiste à persistente propaganda, há semanas em cadernos culturais, da volta dos Doces Bárbaros. Muito mais bárbaros do que doces, ao que parece.

Essa patrulha nojenta encontra, na imprensa brasileira, um único opositor, segundo Tognolli: Luís Antônio Giron, "o homem que mais entende de música". Mas seu empenho solitário dificilmente será suficiente. A Máfia do Dendê abafa com facilidade ruídos dissonantes. E, com insistente promoção, cativa novas gerações, que mereceriam, em 2002, coisa melhor ou, no mínimo, diferente do que seus pais, há três décadas, tiveram. A doutrinação, que começa na escola - com Caetano elevado a poeta erudito - e passa pela imprensa - como se fossem eles expoentes do bom gosto -, está na hora de acabar. Esta ditadura está longa demais. Cansou.


Postado por Eduardo Carvalho
Em 8/12/2002 às 17h03


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Máscaras de gesso de Julio Daio Borges


Mais Eduardo Carvalho no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Dízimo a Arte de Prosperar
Edson Barros ( Pastor )
Do Autor
(2006)



Deus no pasto
Hermilio Borba Filho
Civilização Brasileira
(1972)



Nas Voragens do Pecado
Yvonne A. Pereira / Espirito Charles
FEB
(2009)



História e Cultura Africana e Afro-brasileira
Nei Lopes
Barsa Planeta
(2008)



Técnicas de Pintura e Desenho Desenho por Computador 1
Vários Autores
Ediciones Genesis
(1992)



O Homem plural
Mário Graciotti
Nova época
(1978)



O Velho Logan 6 Derrotado?
Marvel Panini Comics
Panini Comics
(2017)



Fale Espanhol No Táxi - Taxistas E Passageiros
Importado
Importado
(2021)



Direito Tributário e os Conceitos de Direito Privado
Aldo de Paula Junior e Outros
Noeses
(2010)



Helena e Iaiá Garcia
Machado de Assis
Cultrix





busca | avançada
66255 visitas/dia
1,9 milhão/mês