Defesa dos Rótulos | Alexandre Soares Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pousada e Recanto dos Pássaros – Sítio Vô Elias Maffei
>>> Coreógrafa carioca Esther Weitzman ministra oficina gratuita de dança no Sesc Santana
>>> Caleidos apresenta “Entrevista” para gestores e professores da rede pública de São Paulo
>>> É HOJE (30/9): Mostra Imaginários no Cine Bijou
>>> Etapa apresenta concerto gratuito da Camerata Fukuda com o violinista Ricardo Herz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 50 anos de Bossa Nova
>>> O humor da Belle Époque
>>> 24 de Março #digestivo10anos
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Kindle DX salvando os jornais?
>>> A Casa de Ramos
>>> Reconhecimento
>>> A hora exata em que me faltaram as palavras
>>> Salão do Livro para crianças
Mais Recentes
>>> Bauen + Wohnen Wohnwelt / Wohnumwelt de Dieter Maukisch pela Bauen+wohnen Gmbh (1974)
>>> A Medicina Que Aprendi Exerci e Ensinei de Polydoro Ernani de São Thiago pela Ufsc (1996)
>>> Numerologia e os Florais do Dr. Bach: Sua Utilização Terapias Alternat de Anny Luz pela Magister (1992)
>>> Moving Into English de Alma Flor Ada pela Harcourt (2013)
>>> Pequeno Dicionário Michaelis - Inglês / Português e Português / Inglês de Michaelis pela Melhoramentos (1986)
>>> Vestibular & Concursos - Testes Preparatórios de Diversos Autores pela Bnl
>>> Código de Processo Civil de Wilson Gianulo pela Juridica (2003)
>>> Desafio Global da Crise a Cooperação Rompendo o Impasse Norte Sul de Comitê da Inrternacional Socialista pela Paz e Terra (1987)
>>> Currículo Moderno de Robert D Fleming Org pela Lidador (1970)
>>> Direito e Legislação - Introdução ao Direito de Gilberto Vieira Cotrim pela Saraiva
>>> Crimes Hediondos Tóxicos Terrorismo Tortura de Victor Eduardo Rios Gonçalves pela Saraiva (2001)
>>> Cela Surda de Maria Lúcia Américo dos Reis pela Expressão e Cultura (2002)
>>> John Constantine Hellblazer - Infernal Vol. 3 Anjos e Demônios de Garth Ennis e Outros pela Panini Comics (2014)
>>> Identidades e Política Locus v 7 N 2 de Universidade Federal de Juiz do Fora pela Ufjf (2001)
>>> Biblioteca Basica Informática Dentro e Fora do Computador de M a Nieto - Dir. pela Seculo (1986)
>>> O Arquipélago Em Chamas de Júlio Verne pela Hemus
>>> 1000 Perguntas Direito Comercial de Jorge de Miranda Magalhães pela Thex (1996)
>>> Dieta para o Coração de Serafina Petrocca pela Media Fashion (2010)
>>> Direito Previdenciário e Administrativo Problemas e Pareceres de Ney da Fontoura Boccanera pela Senado Federal (1988)
>>> Ciência e Cultura - Volume 38 Nº 4 de Diversos Autores pela Sbpc (1986)
>>> O Lugar do Outro de Gary Hill pela Centro Cultural Banco do Brasil (1997)
>>> Nada a Perder 2 de Edir Macedo pela Planeta (2013)
>>> A Game of Soldiers de Stuart Jackman pela Hamish Hamilton (1981)
>>> Assunto do Dia de César Moreira pela Santuário (2005)
>>> Ver Chover de Germán Machado pela Casa Amarelinha (2013)
COLUNAS

Sexta-feira, 30/5/2003
Defesa dos Rótulos
Alexandre Soares Silva

+ de 25900 Acessos

O ódio à simplificação é uma forma de imbecilidade. Você chama um esquerdista de esquerdista e logo aparece alguém para dizer, isso é um reducionismo, ele é muito mais do que uma pessoa de esquerda, ele faz macramé também, aos sábados, e é muito boa pessoa. São pessoas tão sutis que (insistem) não são nem de esquerda, nem de direita, nem de centro; não são crentes em Deus, nem ateus, nem agnósticos; e se calhar não são nem homens, nem mulheres, nem hermafroditas. Isso são rótulos! E eles foram ensinados que rótulos são feios. Devem tirar os rótulos dos potes de maionese, achando isso um reducionismo absurdo, a maionese é muito mais do que uma maionese, é uma coisa muito complexa, ao mesmo tempo gosma e alimento.

Olha, rótulos existem por um motivo. Há pessoas de esquerda. Há pessoas de direita. Há pessoas de centro. Uma pessoa só pode não ser nem de esquerda, nem de direita, nem de centro, se estiver em coma, ou for uma menininha linda de nove anos fazendo desenhos de pôneis num caderno. Uma outra possibilidade ainda é que a pessoa mude tão rapidamente de opinião política, que nunca possa ser flagrada na esquerda, na direita ou no centro - algo como um elétron ideológico. Para o resto da humanidade, rótulos são ok, pare com essa frescura. E me deixe dizer, a expressão ficar rotulando (você fica rotulando, ou pior ainda, você fica aí rotulando) é quase sempre dita por idiotas (outro rótulo mui útil).

Mas passa a simplicidade por burra, sempre, sempre. Esse é o mal de aprender a sutileza muito tarde na vida, que se passa a ficar fanático por ela; de tal forma que qualquer constatação simples, como a de que aquele homem ali é japonês, passa a ser encarada com desprezo. Não é bem assim, diz o amante da sutileza, arqueando os lábios com desdém; você acha mesmo que a vida é simples assim, que ela cabe nos seus parâmetros simplórios? Mas ué, aquele homem é japonês. Japonês como? Ele nasceu no Japão? Liv Ullman nasceu no Japão, você sabia? Você diria que Liv Ullman nasceu no Japão? Ou você quer dizer que aquele homem ali é filho de japoneses? É isso? Mas como você sabe que é filho e não neto? Em que sentido você usou o rótulo "japonês"? Não é simples assim, percebe? Você tem que ver a vida de modo mais inteligente, mais aberto. Não existem japoneses, Alexandre.

Atribuo o ódio aos rótulos ao descobrimento repentino de que nem todos os rótulos foram colocados no vidro certo; e daí a pessoa, toda empolgada, passa a tentar tirar os rótulos de todos os vidros do mundo. Ah, Alexandre, mas você acha mesmo que as pessoas são potes de maionese, para merecer rótulos? Ué, acho. Noto que ninguém reclama de ser rotulado de ser humano, por exemplo. Ninguém reclama de ser rotulado de alto. As pessoas reclamam sobretudo dos rótulos que consideram ruins, como impotente ou fanho. No caso político, especificamente, a pessoa reclama do rótulo que colamos nele porque o rótulo que ela quer ter, o mais cobiçado de todos, é o rótulo de complexo. De esquerda? De direita? De centro? Acha mesmo que eu sou tão simplório? Eu sou muito complexo.

O que a literatura não é: séria
O que escritores não querem dizer, sobretudo os mais pomposos, é que o que fazem é uma variante de moleques brincando com bonequinhos, fazendo o som do soco, pshhhhh; as histórias podem ter ficado mais complexas e menos físicas, os bonequinhos passaram a existir só mentalmente, pode ser que não haja soco, mas é isso. Ana Karênina era um bonequinho que se atirou debaixo de um trem, piuiiiii, tchrammm...., fez Tolstoi na sua escrivaninha, só que de modo mais sutil; e é isso, escritores vestem ternos e enchem o peito e falam em simpósios, e se metem a falar de política, mas basicamente são brincadores de bonequinhos internacionais, que brincam tão bem que foram arrastados de seus quartos em Trinidad Tobago ou de Mensk ou de Tatuí, e se tornaram conhecidos; mas por mais fátuos e pomposos que sejam, por mais que falem da identidade européia ou da narrativa metalingüística, ainda têm os bolsos cheios de bonequinhos. Durante os simpósios intermináveis, em que homens solenes se caceteiam em tcheco, os melhores metem as mãos nos bolsos para sentir que os bonequinhos ainda estão ali, e dizem olá.

Antipatiquices
1) Me parece haver algo de moralmente errado nessas pessoas que vão ao supermercado e fazem amizades no corredor de laticínios. São pessoas simpáticas que não colocam cercas no próprio espírito; e a qualquer momento você encontra dois jardineiros, uma manicure e dois borracheiros dormindo na cozinha de sua psique. Ser simpático é bom, mas respeitar o próprio mistério é melhor ainda. Cada pessoa devia ser reservada e misteriosa como uma mulher de véu. Era para isso que o véu existia; uma lembrança de que as pessoas devem ser sociedades secretas, não clubes de bingo. Coloque cercas. Coloque muros.

2) No paisagismo (li não sei onde) se busca um elemento de surpresa: que depois de um caminho despretensioso de cascalho, ao virar uma curva se veja, de repente, um lago. O charme perfeito devia ser assim: você conhece uma mulher, e ela é antipática; dias depois, ela é gentil, mas fria; e meses depois ela sorri quando você se aproxima, e só quando você se aproxima. O contraste entre a frieza com que ela trata os outros e a alegria que ela reserva para você é o charme mais intenso que existe. Antipatia é necessária; a antipatia é o vison do charme.

3) Um sotaque leve é charminho; pesado é boçalidade. Paulistas ouvem certos atores cariocas com nojo; cariocas ouvem certos apresentadores paulistas com nojo; e todos têm razão. Não é xenofobia - é o reconhecimento instintivo da boçalidade alheia. Ninguém que tenha lido mais de cem livros tem sotaque forte.

Nota do Editor
Alexandre Soares Silva assina hoje o soaressilva.wunderblogs.com, ondes estes textos foram originalmente publicados.


Alexandre Soares Silva
São Paulo, 30/5/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Das construções todas do sentir de Elisa Andrade Buzzo
02. O Vendedor de Passados de Marilia Mota Silva
03. Thoreau, Mariátegui e a experiência americana de Celso A. Uequed Pitol
04. O holismo conformado de David Butter
05. Cuidar, cogitar, tratar, amar de Ana Elisa Ribeiro


Mais Alexandre Soares Silva
Mais Acessadas de Alexandre Soares Silva em 2003
01. Defesa dos Rótulos - 30/5/2003
02. Que espécie de argumento é uma bunda? - 2/5/2003
03. Breve História do Cinismo Ingênuo - 11/4/2003
04. A Mente dos Outros - 23/5/2003
05. As Quatro Salas - 9/5/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Anticristo: Texto Integral
Friedrich Nietzsche
Martin Claret
(2000)



Os Ritos e Mistérios de Elêusis
Dudley Wright
Madras
(2021)



Entradas e Bandeiras
Fernando Gabeira
Codecri
(1981)



Livro - Assassinato no Expresso do Oriente: Coleção Agatha Christie
Agatha Christie
Record
(1933)



Inserção Internacional - Formação dos Conceitos Brasileiros
Amado Luiz Cervo
saraiva
(2008)



O Cérebro Emocional
Gilberto Ururahy e Éric Albert
rocco
(2005)



O elefante infante
Rudyard Kipling
Musa
(2007)



Crepúsculo
Stephenie Meyer
Intrínseca
(2008)



Os Espiões
Luis Fernando Verissimo
Alfaguara
(2009)



Morte e Vida de Charlie St. Cloud
Ben Sherwood
Novo Conceito
(2010)





busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês