As Quatro Salas | Alexandre Soares Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
68461 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Liberdade Só - A Sombra da Montanha é a Montanha: A Reflexão de Marisa Nunes na ART LAB Gallery
>>> Evento beneficente celebra as memórias de pais e filhos com menu de Neka M. Barreto e Martin Casilli
>>> Tião Carvalho participa de Terreiros Nômades Encontro com a Comunidade que reúne escola, família e c
>>> Inscrições abertas para 4ª Residência Artística Virtual Compartilhada
>>> Exposição 'Mundo Sensível dos Mitos' abre dia 29 de julho em Porto Alegre
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Marcelo Mirisola e o açougue virtual do Tinder
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
Colunistas
Últimos Posts
>>> A melhor análise da Nucoin (2024)
>>> Dario Amodei da Anthropic no In Good Company
>>> A história do PyTorch
>>> Leif Ove Andsnes na casa de Mozart em Viena
>>> O passado e o futuro da inteligência artificial
>>> Marcio Appel no Stock Pickers (2024)
>>> Jensen Huang aos formandos do Caltech
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
Últimos Posts
>>> Cortando despesas
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A memória vegetal
>>> VergonhaBrasil
>>> Juditha Triumphans, de António Vivaldi
>>> A trilogia Qatsi
>>> A pata da gazela transviada
>>> dinosonic
>>> Entrevista com Claudio Willer
>>> E assim se passaram dez anos...
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> Sermão ao cadáver de Amy
Mais Recentes
>>> Livro Mulheres Dos Anos Dourados de Carla Bassanezi Pinsky pela Contexto (2014)
>>> Liveo Eclipse - Série Crespúslo de Stephenie Meyer pela Intrinseca (2009)
>>> 100 Camisas Que Contam As Historias De Todas As Copas de Marcelo Duarte pela Panda Books (2024)
>>> Speakout Advanced 2nd Edition Students' Book With Dvd-rom And Myenglishlab Access Code Pack de Antonia Clare, Jj Wilson pela Pearson Education (2018)
>>> Traits Writing Student Handbook Grade 4 de Ruth Culham pela Ruth (2024)
>>> Livro Do Queijo de Juliet Harbutt (org. ) pela Globo (2010)
>>> Scooby Doo And The Weird Water Park (scooby-doo 8x8) de Jesse Leon Mccann pela Scholastic Paperbacks (2000)
>>> Spider-man 2: Hurry Up, Spider-man! de Kate Egan pela Festival (2004)
>>> Spider-man 3: Meet The Heroes And Villains (i Can Read: Level 2) de Harry Lime pela Harper Trophy (2024)
>>> Bakugan: Finding Drago de Tracey West pela Scholastic Inc. (2009)
>>> Medicina Integrativa: A Cura Pelo Equilibrio de Lima pela Mg (2024)
>>> Bem-vindo, Doutor: A Construção De Uma Carreira Baseada Em Credibilidade E Confiança de Renato Gregorio pela 62608 (2024)
>>> Problemas Atuais De Bioética de Leocir Pessini pela Edições Loyola (2020)
>>> À Meia Noite Levarei Sua Alma - O Estranho Mundo do Zé do Caixão de Laudo pela Nova Sampa (1995)
>>> Inglês Em Medicina de Vários Autores pela Manole (2024)
>>> Firestone de Roberto, Firestone Tire And Rubber Company Bascchera pela Dezembro Editorial (2024)
>>> Guia Josimar Melo 2004 de Josimar Melo pela Dba Dória Books And Art (2024)
>>> O Que Todo Médico Deve Saber Sobre Impostos, Taxas E Contribuições de Fábio K. Ejchel pela Edgard Blücher (2009)
>>> Compass American Guides: California Wine Country, 5th Edition (full-color Travel Guide) de John Doerper, Constance Jones, Sharron Wood Fodor's pela Compass America Guides (2007)
>>> Professoras Na Cozinha. Pra Você Que Não Tem Tempo Nem Muita Experiencia de Laura De Souza Chaui pela Senac (2024)
>>> The Penguin Good Australian Wine Guide 2007 de Huon Hooke pela Penguin Books Australia (2007)
>>> Guia Ilustrado Zahar: Azeite - Eyewitness Companio de Charles Quest-ritson pela Jorge Zahar (2011)
>>> Vinho Sem Segredos de Patricio Tapia pela Planeta (2024)
>>> Sentidos Do Vinho, Os de Kramer pela Conrad (2024)
>>> Buyer's Guide To New Zealand Wines 2007 de Michael Cooper pela Michael (2024)
COLUNAS

Sexta-feira, 9/5/2003
As Quatro Salas
Alexandre Soares Silva
+ de 6000 Acessos

Todos os assuntos do mundo são discutidos em quatro salas: a dos chatos burros, a dos chatos inteligentes, a dos divertidos burros e a dos divertidos inteligentes.

Sempre foi assim. Quatro salas, ao longo de milhares de anos.

Por vaidade, acho que estou na dos divertidos inteligentes. Todo mundo acha que está na dos divertidos inteligentes. Menos os chatos burros, que se orgulham da própria chatice; mas esses também se enganam ao achar que estão na sala dos chatos inteligentes.

Uma coisa sobre a hierarquia das salas: a mais respeitada é a dos chatos inteligentes. Porque os chatos fundamentam tudo o que dizem, e fundam sistemas e são coerentes.

Freqüentemente, nesta que eu acho que é a sala dos divertidos inteligentes, digo casualmente alguma coisa sobre, digamos, a lei. Não fundamento nada, porque não quero ser chato. Uma regra para não ser chato: chute. Nenhum chato chuta o que diz. E ninguém que chuta é chato.

Mas daí aparece alguém e diz: lá na sala dos chatos inteligentes já refutaram isso que você disse faz tempo, ó.

Entro na sala dos chatos inteligentes para perguntar se é verdade. Um grupinho de homens (homens são mais chatos que mulheres. São mesmo) estão conversando, digo, monologando em turnos, com vozes lentas e pastosas. Espero por uma pausa para poder fazer a minha pergunta, mas não há pausa. Alguém me faz um gesto para que eu sente; eu sento.

Por acaso, o sujeito gordo que está falando (canetas no bolso. Chatos têm canetas no bolso) está falando exatamente sobre lei. Está se aproximando do exato tópico em que supostamente fui refutado. Mas ele fala pau-sa-da-men-te, entre uma palavra e outra engole e dá para ouvir o som do ventilador e de um carro passando na rua, e eu tiro um cochilo, e acordo, e ele ainda está no mesmo período começado lá atrás com um outrossim.

Todo debate sério é feito nessa sala. São inteligentes, mas me fazem dormir. Pessoas caídas nos cantos acordam de vez em quando e prestam atenção no que está sendo dito, e comentam: "Ah, você ouviu o que o gordinho disse?" E você só é respeitado intelectualmente se passar por esse ritual, e ficar anos e anos estirado ali no chão, lutando contra a narcolepsia como Dostoiévski lutando contra um ataque epiléptico.

Voltei para a minha sala, seja ela qual for, porque não quero ficar ali estirado no chão dormindo. Quer saber? Ninguém está certo por ser chato. Ninguém está errado por ser divertido. E acima de tudo, ninguém está certo porque é tão chato que ninguém ficou acordado tempo suficiente para refutá-lo.

Aborígenes na Blockbuster
Considerando-se os quadros hediondos que as pessoas colocam em suas casas, até que elas se vestem bem.

Aliás, é surpreendente que pessoas que se vestem razoavelmente bem ouçam as músicas que ouvem, por exemplo, ou leiam os livros que lêem. Se alguém usasse roupas tão ruins quanto a ruindade de Deepak Chopra e Celine Dion, à sua passagem cavalos sangrariam pelos narizes e hidrantes estourariam.

Você vê um casal jovem e bem vestido na locadora, e nem suspeita que estão iniciando o filho na parafilia de gostar de Martin Lawrence. E eles te convidam para jantar, e você não percebe que não está falando com pessoas cililizadas até o momento em que você vê os móveis deles, ou até que vê os exatos quinze livros na estante - os habituais dois dicionários, um guia de praias, um livro sobre "Como Falar em Público", dois best-sellers históricos que vieram de presente, mais cinco livros que sobraram do colégio, e quatro revistas Playboys americanas (edição especial de aniversário, deluxe edition for the tasteful collector).

O retrato em tons pastéis do collie da família dá uma certa dica. Ou a estátua dourada de mulher pelada, sustentando o tampo de vidro da mesinha central com o traseiro e as omoplatas.

Eu realmente não sei como essa gente consegue encontrar o caminho para fora da cama de manhã, ou dar um nó numa gravata.

Aventura
Se a aventura é a vida nos momentos em que deixou de ser chata, só se pode escrever sobre isso, sob o risco de ser chato. Existe uma poesia da aventura, só as crianças percebem, e as pessoas muito muito imaturas.

Uma vez vi (ou sonhei que vi) o finalzinho de um filme em preto e branco, no qual DArtagnan estava morrendo de velhice, na cama. Dava pena de ver DArtagnan tão velhinho, com a filha e netos chorando em volta dele.

Daí ele morre. Seu espírito sai do corpo, jovem e pimpão. Vai até a janela, e lá embaixo, perto de um chafariz, vê Athos, Porthos e Aramis. Estão jovens também. Ele dá uma última olhada no quarto, lança um beijo para a filha e os netos, tirando o chapéu e fazendo uma vênia, e salta da janela para o cascalho. O filme termina com a imagem dos quatro amigos vistos de costas, de braços dados, rindo e indo embora. Estão andando, quase correndo, mas sobem na direção do céu noturno.

Suponho que para gostar de aventura, como gênero, é preciso acreditar que a masculinidade é um jogo, é realmente um jogo. Ela lhe foi dada justamente para isso, para que você a use. Fala-se tanto nos mistérios da feminilidade - por que não acreditar nos mistérios da masculinidade?

Pode-se ser um virtuose da masculinidade, como se pode ser um virtuose do violino. E é isso que é um herói, não? Um gênio da masculinidade?

Que aliás é uma vocação mais ou menos frustrada em todos nós. Não há moleque que não tenha uma certa convicção de que vai ser parecido com James Bond quando crescer. Mas cresce e vira um gerente de marketing que faz rappel nos sábados.

Nos filmes de Hitchcock ou nos romances de Eric Ambler, um homem pacato se vê envolvido etc. Nos romances de Eric Ambler chega a ser um homem meio fora de forma, que subitamente tem que lutar contra um traficante de armas turco adepto do fitness. É sublime, porque se trata da vida despertando uma vocação adormecida, como se Isaac Stern nunca tivesse encostado num violino, nem soubesse o que é um violino, ou tivesse medo de violino, e de repente a vida o forçasse.

A vocação de todo homem é ser o deus Marte.

Nota do Editor
Alexandre Soares Silva assina hoje o soaressilva.wunderblogs.com, ondes estes textos foram originalmente publicados.


Alexandre Soares Silva
São Paulo, 9/5/2003

Quem leu este, tambm leu esse(s):
01. Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest) de Renato Alessandro dos Santos
02. Texto Otimista de Fim de Ano de Duanne Ribeiro
03. A poesia concreto-multimídia de Paulo Aquarone de Marcelo Spalding
04. 'Linha de montagem', um filme a ser 'revisto' de Humberto Pereira da Silva
05. O Menino que Morre, ou: Joe, o Bárbaro de Duanne Ribeiro


Mais Alexandre Soares Silva
Mais Acessadas de Alexandre Soares Silva em 2003
01. Defesa dos Rótulos - 30/5/2003
02. Que espécie de argumento é uma bunda? - 2/5/2003
03. Breve História do Cinismo Ingênuo - 11/4/2003
04. A Mente dos Outros - 23/5/2003
05. As Quatro Salas - 9/5/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Vida Amorosa
Zeruya Shalev
Imago
(2002)



100 Dicas infalíveis para emagrecer e se manter em forma
Fred A. Stutman
Sextante
(2010)



A oração no Islam
Sheikh Taleb Hussein Sl-Khazraji
Centro islâmico no Brasil
(2004)



Anatomia - Perguntas e Respostas Comentadas - 9ªedição
Ernest W. April
Manole
(2000)



A Assustadora História Da Medicina
Richard Gordon
Ediouro
(1996)



Opçoes Estudos de Gestao
Rogério Fernandes Ferreira
Notícias
(1994)



A Desintegração do Leste Urss Iugoslavia Europa Oriental
Nelson Bacic Olic
Moderna
(1998)



Livro Psicologia Mãe De Uti Amor Incondicional
Maria Julia Miele
Terceiro Nome
(2004)



Amor de Perdição
Camilo Castelo Branco
Publifolha



Livro Economia The World is Flat
Thomas L Friedman
Farrar, Straus and Giroux
(2005)





busca | avançada
68461 visitas/dia
2,1 milhões/mês