Tapa na pantera e a casa do lago | Marcelo Miranda | Digestivo Cultural

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Por que as velhas redações se tornaram insustentáveis on-line
>>> Ação Social
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Reflexões para um mundo em crise
Mais Recentes
>>> Um mundo só meu de Robin Knox Johnston pela Edições Marítimas ltda (1990)
>>> História da Sexualidade 1 - A Vontade de Saber de Michel Foucault pela Paz & Terra (2017)
>>> Você pode curar sua vida de Louise L. Hay pela Best Seller
>>> Relatos de um projetor extrafísico de Geraldo Medeiros Júnior pela Petit (1990)
>>> Os Meninos e o Trem de Ferro de E. Nesbit (Ind. Editorial): Ana Maria Machado pela Moderna/ SP. (1998)
>>> No reino do gelo: A incrível viagem de um navio na conquista do Polo Norte de Hampton Sides pela Intrínseca (2016)
>>> Horizontes Antropológicos 52 - A religião no espaço público de Ari Pedro oro e Marcelo Ayres Camurça orgs. pela Ufgs (2018)
>>> A Ditadura Acabada de Elio Gaspari pela Intrínseca (2016)
>>> Echos de Paris de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1927)
>>> Abarat de Clive Barker pela Companhia das Letras (2003)
>>> Prosas barbaras de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> O Livro dos Peixes de William Gould de Richard Flanagan pela Companhia das Letras (2003)
>>> A capital de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1929)
>>> Comando Tribulação/ Deixados para Trás - o Drama Continua de Tim Lahaye/ Jerry B. Jenkins pela United Press (2009)
>>> Últimas páginas - manuscriptos ineditos de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1938)
>>> Cartas Perto do Coração de Fernando Sabino, Clarice Lispector pela Record (2001)
>>> O Mandarim de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1934)
>>> Cartas familiares e bilhetes de Paris de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1922)
>>> A Colheita: a Escolha Está Feita de Tim Lahaye - Jerry B. Jenkins pela United Press (2009)
>>> O Egypto - notas de viagem de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1938)
>>> O Possuído(Deixados Para Trás...) de Tim Lahaye - Jerry B. Jenkins pela United Press (2001)
>>> Nicolae: o Anticristo Chega ao Poder de Tim Lahaye - Jerry B. Jenkins pela United Press (1999)
>>> Toda Poesia de Paulo Leminski pela Companhia das Letras (2013)
>>> Comando Tribulação/ Deixados para Trás - o Drama Continua de Tim Lahaye - Jerry B. Jenkins pela United Press (1999)
>>> O primo Bazilio de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> Filosofia Política e Liberdade de Roland Corbisier pela Paz & Terra (1978)
>>> A Marca - a Besta Controla o Mundo de Tim Lahaye/ Jerry B. Jenkins pela United Press (2002)
>>> Marcha Soldado, Cabeça de Miguel de Rita Espeschit (ilustr): Raquel Lourenço Abreu pela Ed. Lê/ Belo Hte. (2019)
>>> O Senhor do Tempo de Liberato Póva (desemb. de Tj. Tocantins) pela Ed. Lê/ Belo Horizonte (2019)
>>> O Beijo da Cabrita de Guilherme Cunha Pinto(Ilustr): Regina Coeli Rennó pela Ed. Lê/ Belo Horizonte (1991)
>>> Marx e a Superação do Estado de Ademar Bogo pela Expressão Popular (2018)
>>> Ivan Serpa de Hélio Márcio Dias Frerreira (Org.) pela Funarte (2004)
>>> A Viúva Cliquot de Tilar J. Mazzeo pela Rocco (2007)
>>> O Que É uma Revolução? de Álvaro García Linera pela Expressão Popular (2017)
>>> Réquiem para o Sonho Americano de Noam Chomsky pela Bertrand Brasil (2017)
>>> História da Sexualidade 3 - O Cuidado de Si de Michel Foucault pela Paz & Terra (2017)
>>> História da Sexualidade 2 - O Uso dos Prazeres de Michel Foucault pela Paz & Terra (2017)
>>> O Hobbit: A desolação de Smaug : guia ilustrado de Jude Fisher pela WMF Martins Fontes (2013)
>>> Contos Novos de Mário de Andrade pela Nova Fronteira (2015)
>>> Alex Vallauri - Da Gravura ao Grafite de Beatriz Rota-Rossi pela Olhares (2013)
>>> Pornografia de Witold Gombrowicz pela Companhia das Letras (2009)
>>> O Belo Perigo de Michel Foucault pela Autêntica (2016)
>>> A Grande Estrangeira - Sobre Literatura de Michel Foucault pela Autêntica (2016)
>>> Dicionário de Sinais e Sintomas no Diagnóstico de Ismar Chaves da Silveira pela Epub (2002)
>>> Contos e Poemas (seleção) de Mário de Andrade pela Expressão Popular (2017)
>>> Origem de Thomas Bernhard pela Companhia das Letras (2006)
>>> Amor Ao Pé Da Letra de Melissa Pimentel pela Paralela (2015)
>>> Plantas de Cobertura do Solo Caracteristicas e Manejo Em Pequenas . de Claudino Monegal pela Autor (1991)
>>> Os Honorários Advocatícios na Justiça do Trabalho - de Carlos Roberto Ramos pela : Conceito (2013)
>>> 1985 - o Autor de Laranha Mecânica Contesta o 1984 de Orwell e Mostra de Anthony Burgess pela Lpm (1980)
COLUNAS

Segunda-feira, 25/9/2006
Tapa na pantera e a casa do lago
Marcelo Miranda

+ de 10400 Acessos
+ 1 Comentário(s)

1.
O amigo e editor Julio Daio Borges já disse uma vez: ainda é cedo pra analisar o YouTube. Realmente, um portal surgido há um ano não pode ser pensado e pesado quanto ao seu verdadeiro impacto neste exato momento. Estamos vivenciando-o, sentindo-o, participando de seu processo de desenvolvimento. Mas isso não impede que pequenos (e grandes) fenômenos do site sejam comentados. Talvez um dos mais notórios seja o caso Tapa na Pantera. Trata-se de um vídeo em que a atriz teatral Maria Alice Vergueiro aparece num único ângulo descrevendo sua relação com a maconha. Muito engraçado e estranho, o vídeo virou febre virtual, já teve mais de dois milhões de acessos e tornou Vergueiro, conhecida quase apenas em São Paulo, em ídolo.

O que poucos sabem é que, por trás de Tapa na Pantera, está um rapazinho muito talentoso. O vídeo, que é ficcional a partir de uma criação de personagem da própria Maria Alice, tem três autores: Esmir Filho, Mariana Bastos e Rafael Gomes. Eles são sócios na produtora Ioiô Filmes. É Esmir o mais prolífico e "atuante" deles. O ano de 2006, por exemplo, está sendo um ótimo período para o rapaz de 23 anos. Em maio, ele estreou seu terceiro curta-metragem, Alguma Coisa Assim, no Festival de Cannes, na França. Saiu de lá com um prêmio para o roteiro. Em agosto, levou o filme ao Festival de Gramado (RS). Venceu os Kikitos de melhor curta em 35 mm, direção e atriz (Carolaine Abras). No mesmo mês, veio o Tapa na Pantera. "Um dia decidimos ir até à casa da Maria Alice Vergueiro fazer algumas gravações sem compromisso. Apenas telefonamos e marcamos. Quando ela abriu a porta, já estava com a roupa meio largada, o cachimbo na mão e falando daquele jeito chapado. A gente ligou a câmera e deixou rolar, enquanto íamos sugerindo algumas piadas", disse Esmir numa entrevista que fiz com ele recentemente. A idéia não era exatamente transformar o vídeo num trabalho a ser exibido. Porém, dias depois das gravações, ele recebeu um e-mail contendo um endereço no YouTube. E para onde o link levava? Justamente a Tapa na Pantera. Esmir jura que não faz idéia de como a gravação foi parar na rede. Nem de que forma ela ficou tão popularizada - só na primeira semana, foram 600 mil visualizações.

Interessante que Esmir não é um cara deslumbrado por esse sucesso absolutamente espontâneo. Tem plena consciência de que a Internet é, por definição, um meio efêmero. E mais: tem noção de que trata-se de um espaço em que tudo pode circular, mas nem tudo deveria circular. "É preciso muita responsabilidade para se colocar algum trabalho na Internet. Eu nunca lançaria, por exemplo, um curta-metragem meu diretamente na rede. Algumas produções são feitas para serem vistas na tela do cinema. Até acho que devam passar na web depois de rodar pelos festivais, mas tem que ter um certo cuidado". Palavras de quem teve (tem) no YouTube um espaço de rei.

2.
Bom quebrar a cara no cinema. Mesmo quando se tem como atividade escrever sobre filmes, alguns trabalhos desanimam o crítico. Foi o que aconteceu comigo recentemente, quando do lançamento de A Casa do Lago. Romance aparentemente água-com-açúcar protagonizado por Sandra Bullock e Keanu Reeves e direção do argentino Alejandro Agresti. A dobradinha Reeves-Bullock me parecia, desde o começo, forçada - tentativa de simplesmente reunir os queridinhos protagonistas de Velocidade Máxima e dar ao público nova oportunidade de vê-los lado a lado. O diretor Agresti realizou Valentin, filminho simpático que não me agrada tanto, em especial por "abusar" do garoto protagonista e seu talento de parecer adulto. E o fato de A Casa do Lago ser uma refilmagem de um longa coreano também não era fator motivador - não pela Coréia do Sul, berço de muito do que de melhor se faz em cinema hoje, mas sim por Hollywood e sua mania de buscar idéias em terras alheias.

Casa

Porém, eis que, ao final de A Casa do Lago, tudo isso se dissipou. Bullock e Reeves estão perfeitos e emanam melancolia e paixão; Agresti dirige com elegância invejável, constrói cenas a partir de elementos do cenário, poucas palavras e movimentação dos atores; e a história, apesar de mastigada, tem desenvolvimento suficiente para não deixar perder a atenção. Todos estes elementos aliados uns aos outros tornaram A Casa do Lago um belíssimo filme aos meus olhos, um trabalho feito com ardor e sinceridade por todos os envolvidos, um projeto de respeito e qualidade como poucas vezes se vê no cinema romântico.

O filme trata do amor impossível de duas pessoas moradoras da mesma casa. Eles vivem em épocas diferentes (ela está dois anos à frente dele), mas conseguem se comunicar através de cartas enfiadas numa caixa postal de frente à tal casa do lago. Há duas coisas muito bonitas nessa premissa que, nas mãos de um cineasta menor, seriam mal trabalhadas, mas ficam sublimes sob o olhar de Agresti. Uma é o uso de cartas escritas à mão numa época virtual. O roteiro mantém o poder da palavra registrada em papel, da emoção de se esperar a correspondência, do valor de se guardar a carta como um documento a registrar momentos do passado. A outra coisa a se destacar é a não-preocupação em revelar a mágica que é estopim do filme.

Pouco importa como as cartas vão de uma época a outra. O que interessa é o efeito delas na vida de duas pessoas solitárias, com conflitos muito particulares e que encontram alento nas palavras de uma alma gêmea que não está apenas distante, mas simplesmente ausente do seu universo. Não ausente fisicamente (o rapaz chega a se encontrar com a moça em sua própria época, mas não pode revelar o segredo), mas espiritualmente. Ambos sentem a presença do outro e não podem se ver nem se tocar. Se esse conflito foi mastigado à exaustão pelas artes em geral, aqui é trabalhado de forma diferenciada, em especial por conta dessa crença na palavra.

Aliás, nesse sentido, é oportuno relacionar A Casa do Lago a outro filme recente, A Dama na Água, do indiano M. Night Shyamalan. Ambos acreditam intensamente no poder da palavra - escrita, no caso do primeiro; falada, no caso do segundo. Em ambos, a idéia de que o registro é fundamental à salvação e redenção está ligado à própria encenação de seus filmes. Shyamalan coloca seus personagens a falar e falar sem parar para que desvendem o mistério que vai proteger toda a humanidade, num processo que, dentro da tela, enfoca a necessidade de ser criativo e, fora da tela, questiona a crença dos espectadores na fabulação; Agresti mostra os protagonistas a escrever e escrever um ao outro, retratando isso em narrações off que conjugam a fala e a escrita. Dois diretores estrangeiros (o que é emblemático) que conseguem ousadias na realização ao se apoderarem das formas devidamente consagradas e reutilizadas sem parar pela máquina de Hollywood.

Queimei a língua e faço aqui o mea culpa: A Casa do Lago é um grande (e belo) filme.


Marcelo Miranda
Juiz de Fora, 25/9/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O Abismo e a Riqueza da Coadjuvância de Duanne Ribeiro
02. Amy Winehouse: uma pintura de Jardel Dias Cavalcanti
03. Fazendo a coisa certa de Fabio Gomes
04. Kleztival: celebrando a música judaica de Heloisa Pait
05. Leblon de Marta Barcellos


Mais Marcelo Miranda
Mais Acessadas de Marcelo Miranda em 2006
01. Tabus do Orkut - 6/2/2006
02. Filmes extremos e filmes extremistas - 6/3/2006
03. Vida ou arte em Zuzu Angel - 14/8/2006
04. Caso Richthofen: uma história de amor - 31/7/2006
05. Eu vejo gente morta - 11/9/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
16/10/2006
20h20min
Muito interessante ter lido esta crítica da casa do lago porque não estava colocando nenhuma fé no filme. Agora me animou. Bom ter lido isso. Vou aproveitar!
[Leia outros Comentários de flávia cocate]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PASSWORD ENGLISH 1
AMADEU MARQUES
ÁTICA
(1995)
R$ 29,90
+ frete grátis



CURSO DE DIREITO COMERCIAL VOL. 1 - DIREITO DE EMPRESA
FÁBIO ULHOA COELHO
SARAIVA
(2008)
R$ 14,00



VOCÊ É TÃO JOVEM QUANTO A SUA ESPINHA.
EDITHA L. HEARN
PIONEIRA
(1987)
R$ 10,00



REPENSANDO A LEITURA NA ESCOLA
MAURÍCIO DA SILVA
EDUFF
(1995)
R$ 7,98



OS ENDEREÇOS CURIOSOS DE SÃO PAULO
MARCELO DUARTE / ILUSTRAÇÕES MARIA EUGÊNIA
PANDA BOOKS
(1999)
R$ 4,00



AGORA EU SEI! CIÊNCIAS 4 ANO
MARIA TERESA E MARIA ELISABETE ARMANDO COELHO
SCIPIONE
(2013)
R$ 48,00



LA IMAGEN INCONSCIENTE DEL CUERPO
FRANÇOISE DOLTO
PAIDÓS
(1986)
R$ 52,50



O ARQUITETO E O IMPERADOR DA ASSÍRIA - TEATRO VIVO
FERNANDO ARRABAL
ABRIL CULTURAL
(1976)
R$ 10,00



DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE HIPOCONDRÍACO
DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE HIPOCONDRÍACO
34
(1993)
R$ 7,00



OPTIONS, FUTURES, AND OTHERS DERIVATIVES
JOHN C HULL
PRENTICE HALL
(1999)
R$ 250,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês