Vida ou arte em Zuzu Angel | Marcelo Miranda | Digestivo Cultural

busca | avançada
41560 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Segunda-feira, 14/8/2006
Vida ou arte em Zuzu Angel
Marcelo Miranda

+ de 20800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Os apelos conjuntos da história de uma mãe em busca do filho perdido e do contexto reunindo o regime militar e todas as barbaridades cometidas nos porões da ditadura conseguiram fazer com que Zuzu Angel, novo longa-metragem de Sérgio Rezende, se tornasse o mais recente sucesso do cinema brasileiro - ao menos nos seus primeiros dias de exibição. O filme estreou em 7 de agosto e acumulou 136 mil espectadores no seu primeiro final de semana de exibição, segundo dados do Filme B. É a segunda maior abertura nacional do ano e o vislumbre de um projeto que pode salvar as produções do país da mais pura invisibilidade.

No primeiro semestre de 2006, apenas um filme conseguiu resultado de destaque. A comédia Se eu fosse você, de Daniel Filho, já passou dos 3,5 milhões de espectadores. Os que vêm a seguir passam longe dessa marca. Didi - O Caçador de Tesouros fez pouco mais de um milhão em público; Xuxinha e Guto contra os monstros do espaço está na casa dos 500 mil; em seguida vem Irma Vap - O Retorno, com quase 300 mil; e depois, apenas filmes que não chegaram à casa dos 100 mil espectadores, casos do badalado A Máquina (55 mil) e de obras significativas como Crime Delicado (20,5 mil) e Bens Confiscados (3,7 mil).

Os números não significam que os filmes tenham sido apenas ignorados. Pesa na quantidade de espectadores o número de cópias a serem distribuídas e a própria política de distribuição, algo, hoje, extremamente influente no resultado final de uma produção - o drama de terceira idade Depois daquele baile, de Roberto Bomtempo, está em cartaz há meses e encontrando um público cativo e interessado em saber a história de três idosos às voltas com o fim da vida.

Mas não se quer aqui discutir o contexto atual do mercado de cinema realizado no Brasil. Para isso, o interessado pode (ou melhor: deve) ler a edição 81 da revista eletrônica Contracampo e a série de artigos "Cinema brasileiro para quem?", de Leonardo Mecchi e Eduardo Valente, na Cinética. O que este articulista pretende colocar em questão é justamente Zuzu Angel. Pensando no potencial de bilheteria que o filme possui, vem sempre à mente se o público estará exposto a um trabalho de qualidade. "Exposto", aliás, é palavra apropriada, visto que, para qualquer lado que se olhe na Rede Globo, há alguma referência ao filme de Rezende. A Globo Filmes já propiciou entrevistas da estrela Patrícia Pillar e de parte do elenco desde nos tradicionais jornais da emissora e Vídeo Show até comentários nada naturais de personagens de novela.

Zuzu
Zuzu Angel: estilista mineira contra a ditadura

E voltamos à questão: como fica o filme? A vida de Zuzu fascina, comove, choca. Nascida na pequena Curvelo (MG), Zuzu morou no Rio de Janeiro de 1947 até o fim da vida, em 1971. Foi ainda em Minas Gerais que começou a trajetória como estilista. Criava roupas para as primas e tornou-se costureira na década de 50. Nos anos 70, abriu loja em Ipanema e levou sua moda ao exterior, onde foi recebida como inovadora. Os figurinos criados por Zuzu tinham como principais traços a feminilidade, com delicadeza e graça, e o tropicalismo do Hemisfério Sul. Ela se preocupava não apenas em vestir a alta sociedade, mas também a gente comum, em vestimentas cotidianas e do dia-a-dia. Foi a partir de 1970 que a estilista se engajou na luta contra os militares, após a captura, tortura e morte de seu filho Stuart Angel - ele era membro de um grupo guerrilheiro liderado por Carlos Lamarca. Zuzu buscou desesperadamente o corpo de Stuart por cinco anos e mobilizou clientes famosos de fora do Brasil - Joan Crawford, Kim Novak e Liza Minelli, entre outras. Jamais o encontrou. Em 1976, a batalha foi perdida: Zuzu morreu em um inexplicado acidente de carro no centro do Rio. O túnel onde ela possivelmente foi atacada ganhou seu nome.

Uma vida dessa é naturalmente cinematográfica. Daí a render um filme bom, vai longa distância. No caso de Zuzu Angel, o resultado está razoavelmente afastado da grandiosidade possível de ser. Seria exagero, claro, dizer que existem grandes semelhanças com Olga, este um trabalho de voltagem máxima no quesito "detestável". Se há alguma coisa em comum entre a biografia filmada das duas mulheres, é simplesmente isso: serem duas biografias filmadas de mulheres que partiram de peito aberto contra regimes ditatoriais.

Filme morto
Sempre que um filme é taxado de televisivo, a impressão é de se estar dizendo que a TV é inferior ao cinema. O que se deve dizer, de fato, é que o filme possui elementos televisivos muitas vezes desagregadores da grandiosidade que a linguagem cinematográfica pode proporcionar. Zuzu Angel cai nessa armadilha ao pasteurizar e simplificar a saga da personagem-título. O que se vê no filme de Sérgio Rezende é uma história de amor materno travestida da mais pura ingenuidade quando trata da complexidade de temas que o enredo levanta.

Ditadura, repressão, tortura, crimes misteriosos. Estão lá todas as características de filmes ambientados no regime militar brasileiro. O longa de Rezende consegue, inclusive, evocar em determinados momentos o precursor Pra Frente Brasil, de Roberto Farias, que mostrava a saga de um homem em busca do irmão desaparecido nos porões da repressão - e as seqüências de tortura protagonizadas por Daniel de Oliveira como Stuart Angel bem lembram os horrores sofridos por Reginaldo Faria na produção de 1982.

Zuzu
Patrícia Pillar encarna Zuzu em interpretação intensa

Mas se origina essa positiva recordação, Zuzu Angel também é capaz de assumir estereótipos típicos de produções que tentaram tornar o período retratado um momento mais aventuresco, como foi a visão distorcida de Bruno Barreto em O que é isso, companheiro?, ou mesmo Lamarca, do próprio Sérgio Rezende e que tem um eco neste seu novo trabalho (Paulo Betti ressurge rapidamente em cena na pele do personagem real que já interpretara).

A visão do diretor para a saga de Zuzu não tem, de fato, embates ou conflitos legítimos. Há, sim, a tentativa de colocar a protagonista sempre correndo (ora correndo atrás de ajuda, ora correndo perigo) sem nunca deixar de estar encaixada no que o roteiro previamente estabeleceu. Desde o clichê do revolucionário abatido pelo Exército durante um assalto até as falas pomposas dos personagens, Zuzu Angel apenas gira ao redor da ferida sem apertá-la. Atrapalha (e muito) o roteiro discursivo, que deixa à mostra, na voz dos atores, o artifício de um moralismo envelhecido. Esse texto - sim, texto, esta palavra ruim para definir um roteiro, mas a mais apropriada no caso em questão - ganha ares de ridículo quando declamado por um Daniel de Oliveira cheio da afetação típica dos jovens revolucionários que o cinema brasileiro por vezes insiste em apresentar como patéticas encarnações de ideologias.

Zuzu
Moda da mineira revolucionou passarelas no mundo todo

A vontade do filme de colocar Zuzu dentro de uma engrenagem é tamanha que o longa começa em ritmo de thriller de suspense e logo a apresenta falando fora da tela, com o único propósito de narrar toda a sua trajetória pessoal até o ponto que Rezende pretende retratar. A falta de crença no espectador (ou a crença de que é necessário reconstituir, como numa minissérie, o que aconteceu nos capítulos anteriores) tira o brilho do que poderia ser um trabalho sobre angústia e solidão, perdas e esperança.

O esforço de Patrícia Pillar em soar autêntica e a paixão com que se entrega ao papel são explícitos, mas não o suficiente para abafar o contexto de fraquezas que rodeia a atriz. Zuzu Angel, realizado por um cineasta que, mal ou bem, tem experiência de décadas (e é um especialista em abordar figuras históricas semi-solitárias, como o fez em O Homem da Capa Preta, Lamarca, Mauá e Guerra de Canudos), aparenta ser um projeto amador na sua falta de habilidade ao tratar da imagem e na fragilidade com que lida e pensa a linguagem de cinema. É, basicamente, um filme que parece ter nascido já morto para a tela grande.


Marcelo Miranda
Juiz de Fora, 14/8/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Paris branca de neve de Renato Alessandro dos Santos
02. Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição de Ana Elisa Ribeiro
03. Como medir a pretensão de um livro de Ana Elisa Ribeiro
04. De volta à antiga roda rosa de Elisa Andrade Buzzo
05. Os Doze Trabalhos de Mónika. Epílogo. Ambaíba de Heloisa Pait


Mais Marcelo Miranda
Mais Acessadas de Marcelo Miranda em 2006
01. Tabus do Orkut - 6/2/2006
02. Filmes extremos e filmes extremistas - 6/3/2006
03. Vida ou arte em Zuzu Angel - 14/8/2006
04. Caso Richthofen: uma história de amor - 31/7/2006
05. Eu vejo gente morta - 11/9/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
13/8/2006
01h58min
Eu nem ia assistir esse filme, pra falar a verdade. Mas agora, mesmo com a crítica "não positiva" do Marcelo, resolvi assistir ainda essa semana. Pra corroborar aquela máxima de que até a crítica negativa desperta interesse. Sobre o texto em si, muito bem escrito, por quem entende mesmo de cinema.
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PODER, POLÍTICA, PUEBLO
C. WRIGHT MILLS
FONDO DE CULTURA ECONOMICA
(1973)
R$ 62,28



DESCUBRA SUA PERSONALIDADE FINANCEIRA
JORDAN E. GOODMAN
BEST SELLER
(2008)
R$ 15,00



AS DORES DA ALMA (PELO ESPÍRITO HAMMED)
FRANCISCO DO ESPÍRITO SANTO NETO
BOA NOVA
(2001)
R$ 12,00



O PODER DA TV
JOSÉ ARBEX
SCIPIONE
(2002)
R$ 12,89



SETE HISTÓRIAS DA HISTÓRIA
DANIEL FRESNOT
MELHORAMENTOS
(1994)
R$ 7,90



TRATAMENTOS NATURAIS, SAÚDE E BEM-ESTAR COMBATER O STRESS 2° PARTE
READERS DIGEST
READERS DIGEST
(1997)
R$ 5,00



O GUIA DOS CURIOSOS
MARCELO DUARTE
CIA DAS LETRAS
(1995)
R$ 8,00



REGRAS DE ULPIANO - RESUMO DE DIREITO ROMANO
GAETANO SCIASCIA
NÃO CONSTA
(1952)
R$ 50,00



PARASITOLOGIA HUMANA - 6ª EDIÇÃO
DAVID PEREIRA NEVES
ATHENEU
(1985)
R$ 44,91



A CERIMÔNIA DO ADEUS
SIMONE DE BEAUVOIR
NOVA FRONTEIRA
(2015)
R$ 25,00





busca | avançada
41560 visitas/dia
1,3 milhão/mês