Caso Richthofen: uma história de amor | Marcelo Miranda | Digestivo Cultural

busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> TOGETHER WE RISE TRAZ UMA HOMENAGEM ÀS PESSOAS QUE FIZERAM PARTE DA HISTÓRIA DO GREEN VALLEY
>>> Instituto Vox realiza debate aberto sobre o livro O Discurso da Estupidez'
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> Estrelas Tortas - Infanto Juvenil de Walcyr Carrasco pela Moderna (2003)
>>> O Anjo Rouco - Infanto Juvenil de Paulo Venturelli pela Positivo (2010)
>>> Comunicação Global - Aumentando Sua Inteligência Interpessoal de Lair Ribeiro pela Rosa dos Tempos (1992)
>>> Dívida Externa, Recessão e Ajuste Estrutural de Diversos pela Paz e terra (1983)
>>> Apostila de Direito Comercial de Curso OAB pela Marcato (2005)
>>> A Cura Quântica de Deepak Chopra pela Best Seller (1989)
>>> Curso Teórico Prático do Processo Civil de José da Silva Pacheco pela Borsoi (1962)
>>> Lei dos registros públicos - Comentada de Walter Ceneviva pela Saraiva
>>> Petroladrões: a História do Saque à Petrobrás de Ivo Patarra pela Vide Editorial (2016)
>>> Novo - Código Civil Brasileiro de Auriverde pela Do Autor (2003)
>>> Tdd - Desenvolvimento Guiado Por Testes de Kent Beck pela Bookman (2010)
>>> O Canto do Dodô de David Quammen pela Companhia das Letras (2008)
>>> Financiamentos de Empresas - 25 princípios para captar dinheiro e crescer de Dileep Rao/Richard Cardozo pela Folha de S. Paulo (2003)
>>> Direito Administrativo e Ciência da Administração Direito vol. 3 l. 1 de J.G.Menengale pela Borsoi (1950)
>>> Direito Administrativo e Ciência da Administração Direitovol. 1 de J.G.Menengale pela Borsoi (1950)
>>> O andar do bêbado de Leonard Mlodinow pela Zahar (2009)
>>> A Ponte - Vida e Ascensão de Barack Obama de David Remnick pela Companhia das Letras (2010)
>>> Instituições de Direito Civil de Roberto de Ruggiero pela Saraiva (1958)
>>> Trabalho, Capital Mundial e Formação dos Trabalhadores de Antônia de Abreu e Sousa e Outros (org.) pela Ufc (2008)
>>> Feng Shui Para Harmonizar Seu Lar e Sua Vida de Pier Campadello pela Madras (1998)
>>> Mil Nomes de Deus de Eknath Easwaran pela Ece (1999)
>>> A Antiga Ciência e a Arte da Psicoterapia Prânica de Choa Kok Sui pela Ground (1991)
>>> Sexo, Drogas e Economia de Diane Coyle pela Futura (2003)
>>> Adventure Story de L. G. Alexander pela Longman (1987)
>>> terceiro Setor e Questão social Crítica ao Padrão emergente de intervenção social de Carlos Montaño pela Cortez (2008)
>>> Adventures With a Microscope de Richard Headstrom pela Dover (1977)
>>> O pensamento de Che Guevara de Michael Löwy pela Expressão Popular (1999)
>>> Dom Casmurro de Machado de Assis pela Record (1998)
>>> A Assustadora História da Medicina de Richard Gordon pela Prestígio (2002)
>>> Terapia Floral Bach Aplicada à Psicologia de Victor Kripper pela Gente (1992)
>>> Nova Adventures in Science de John Mansfield pela Addison Wesley (1983)
>>> Parsifal - Um Intelectual na Política de Luís Sérgio Santos pela Escrituras (2017)
>>> L'Adolescence Premier Livre de M. Delapalme pela Hachette (1914)
>>> Tardes de um Pintor Ou as Intrigas de um Jesuíta de Teixeira e Sousa pela Foco Letras (2020)
>>> Comunique-se melhor e Desenvolva sua memória de Jorge Luiz Brand pela Berthier (1999)
>>> Súmulas e Orientações Jurisprudenciais do TST Comentadas e organizadas por assunto de Élison Miessa dos Santos/Henrique Corrfeia pela Juspodivm (2012)
>>> ABZ do Amor de Inge e Sten Heleger pela Artenova (1979)
>>> Escala reduzida do Autoconceito - E.R.A. - de Lúcia Cerne G. Corona pela Cepa
>>> 150 Ways to Play Solitaire de Alphonse Moyse pela U S Playing Card Company
>>> Você tem Personalidade? de Pedro Bloch pela Bloch (1968)
>>> Saiba porque os cristãos devem guardar o sábado! de Antonio E.Marcondes pela Bfi
>>> 101 Segredos de Medicina Natural de Peron Autret pela Europa America (1975)
>>> 10 Anos Con Mafalda de Quino pela Lumen (1973)
>>> Globo Rural--Ele faz a terra dar de tudo de Editora globo pela Globo (1989)
>>> Lady gaga de Brandon hurst pela Madras (2010)
>>> Orientaçoes curriculares para o ensino medio--1--linguagens,codigos e tecnologias. de Mec pela Mec
>>> Vida silvestre:o estreito limiar entre preservaçao e destruiçao. de Coordenadora angela maria branco pela Dupligrafica (2007)
>>> Grandes imperios e civilizaçoes--frança--volumes:1 e 2. de Delprado pela Delprado
>>> Cerrado e pantanal--areas e açoes prioritarias para conservaçao da biodiversidade. de Ministerio do meio ambiente pela Mma (2007)
>>> Contabilidade - Escola de Administração Fazendária - ESAF de Ricardo J. Ferreira pela Ferreira (2014)
COLUNAS

Segunda-feira, 31/7/2006
Caso Richthofen: uma história de amor
Marcelo Miranda

+ de 20800 Acessos
+ 7 Comentário(s)

"Você acha que a Suzane deve pegar quantos anos?". A pergunta sexualmente ambígua foi feita no domingo, 23 de julho, no Pânico na TV. Os malucos do programa estiveram na porta do tribunal em São Paulo onde aconteceu o julgamento de Suzane von Richthofen e dos irmãos Cravinhos. Sobre o caso, todo mundo já está cansado de saber. Quando ele vira chacota num programa de humor, aí a coisa é funda mesmo. Afinal, como fazer piada a respeito do brutal assassinato de um casal indefeso, num plano arquitetado pela filha deles junto com o namorado dela?

Isso apenas atesta que o caso Richthofen tem uma força descomunal no imaginário brasileiro. Não bastassem os detalhes macabros do acontecimento, a espetacularização do crime se torna muito maior quando se sabe que Suzane é jovem, bonita, estudiosa e, até então, herdeira de uma fortuna avaliada em R$ 2 milhões. Impossível não tentar entender o que se passa (passou) na cabeça dessa loirinha aparentemente tão dócil, tão meiga, para dar cabo dos pais e destruir a própria vida no processo - a dela e a do homem que ela dizia amar, o então namorado Daniel Cravinhos, que levou junto o irmão Cristian. Sem falar em Andreas, irmão de Suzane, deixado alheio à situação e agora literalmente a peça que sobrou do esquema todo.

Percebam a cadeia familiar. Um apaixonado puxa o outro - Suzane ou Daniel, que seja, convencem-se de eliminar os pais da moça. O rapaz coloca o parente mais próximo no meio, enquanto a garota ignora os sentimentos do caçula em casa e simplesmente some com ele enquanto a trama é tecida numa noite de outubro de 2002. É fantástico demais, rico em sutilezas, em sensibilidades, em pura paixão. É, talvez, um dos crimes mais passionais de que se tem notícia no país - e isso não é espetacularizar o fato, mas dar a ele o seu real significado.

X-Men
Suzane von Richthofen em foto publicada na revista Época

Citemos um exemplo: ao mesmo tempo em que Suzane e os Cravinhos iam a julgamento, também sentavam no banco dos réus três acusados de matarem o casal Liana Friedenbach e Felipe Caffé no meio de uma mata em Embu-Guaçu (SP), há quase três anos. Objetivamente falando, o crime que acabou com a vida do casal (ele com 19, ela com 16 anos) foi muito mais brutal e covarde do que no caso Richthofen: Liana e Felipe foram seqüestrados por cinco homens enquanto acampavam. Ficaram à mercê dos algozes por quase dez dias - o rapaz recebeu um tiro na nuca que o matou na hora; a moça, nos dias seguintes, sofreu estupro e violência das mais sórdidas. Ao menos quatro dos cinco seqüestradores a curraram para, em seguida, matarem-na a facadas.

Então, por que este caso não foi tão fartamente noticiado ou gerou interesse por parte da opinião pública (e nem mereceu receber a equipe do Pânico...)? Ora, a resposta é tão óbvia quanto é estúpida a pergunta: porque Suzane tramou o assassinato dos próprios pais. Cometeu, ao mesmo tempo, matricídio e parricídio. Liana e Felipe foram vítimas de selvagens. Os matadores eram monstros sem "justificativas". Buscavam o prazer mórbido do estupro e assassinato. Não existe a menor dúvida quanto à questão: eles levaram o casal para se divertirem às custas do sofrimento deles. Sem paixão, sem sentimentos. Simples assim.

No caso Richthofen, nem tudo é tão absoluto. Todos tinham seus motivos, e sem aspas aqui. Suzane queria liberdade para namorar quem bem entendesse. Daniel desejava estar com a amada quando e como quisesse. Cristian se uniu ao irmão para ajudá-lo a ser feliz. Os motivos eram justos. O que choca na história toda é a forma como essa literal busca pelo amor terminou. O caso tem todos os ingredientes do mais absurdo folhetim melodramático: paixão, tesão, desejo. Mas tem também características de um autêntico Hitchcock: suspense, morte, suspeitas, mistérios.

Durante o julgamento, novos elementos foram acrescentados ao roteiro já devidamente rico. Houve quem dissesse que Suzane fora violentada diversas vezes pelo pai e que sua mãe era lésbica e mantinha amantes. Ou então a principal linha da defesa, a de colocar a culpa do crime num suposto domínio sexual exercido por Daniel em cima da garota - ela teria perdido a virgindade com ele, o que a teria tornado uma "bonequinha" a mando do rapaz. Ou seja, quando se acha que a trama macabra (roubando aqui um título de filme do já citado Hitchcock, que, no original, é oportunamente chamado Family Plot) estaria finalizada, eis que depoimentos surgem, testemunhas são descobertas e mais sentimentos vêm à tona.

Vai ser difícil, um dia, alguém entender o que realmente aconteceu na noite de 31 de outubro (Dia das Bruxas, aliás) de 2002 no bairro do Brooklin, em São Paulo. São tantas a versões, tantas as mudanças de foco, tantas as opiniões, que tudo parece provável e improvável ao mesmo tempo. A confusão é tamanha que enrolou até o júri responsável por definir a sentença dos três acusados. Num questionário distribuído a cada jurado, eles deviam marcar uma opção que perguntava se Suzane tinha sido influenciada por Daniel a matar o pai e a mãe. No caso da mãe, o júri considerou que ela foi totalmente responsável, sem subterfúgio algum. Já para o pai, a decisão da maioria foi que ela sofreu, sim, coação do namorado. Em resumo: ambos foram mortos na mesma noite. Para um, a moça foi forçada a cometer o crime; para outro, não. E ela nem estava no quarto na hora das pauladas desferidas pelos irmãos.

Tal complexidade gerou o livro O Quinto Mandamento, da jornalista Ilana Casoy, lançado recentemente pela ARX. Num minucioso trabalho de apuração (que lembra, na comparação com o cinema, o documentário Ônibus 174, de José Padilha), ela resgata toda a trajetória de Suzane e dos Cravinhos da noite do assassinato até a confissão. Reproduz depoimentos de familiares, policiais e reconstitui as investigações que levaram à prisão do trio. Provavelmente um livro não esgota o assunto. Nem uma coluna no Digestivo. A fascinação do caso Richthofen vai além de produtos culturais. Ela atinge o âmago do seio familiar, os questionamentos morais e éticos que todos temos sobre até onde ir para realizar nossos desejos. Na melhor das hipóteses, Suzane, Daniel e Cristian podem ter dado uma lição ao país. Tudo por amor.

Para ir além






Marcelo Miranda
Belo Horizonte, 31/7/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Stabat Mater, de Giovanni Battista Pergolesi de Ricardo de Mattos
02. Entrevista com o poeta Régis Bonvicino de Jardel Dias Cavalcanti
03. Filosofia de boteco de Adriana Baggio


Mais Marcelo Miranda
Mais Acessadas de Marcelo Miranda em 2006
01. Tabus do Orkut - 6/2/2006
02. Filmes extremos e filmes extremistas - 6/3/2006
03. Vida ou arte em Zuzu Angel - 14/8/2006
04. Caso Richthofen: uma história de amor - 31/7/2006
05. Eu vejo gente morta - 11/9/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
29/7/2006
23h35min
Sinceramente? Não acredito que houvesse amor verdadeiro entre Suzane e o Daniel. Se existisse, eles não tentariam empurrar a culpa um para o outro. Ambos queriam, na verdade, o dinheiro dela. Ela se deixou levar por um namoro que, acredito eu, era um daqueles namoros que duram até um se encher do outro, e acabou tramando esse absurdo com ele. Pra mim, os dois deveriam receber a pena máxima, e sem direito a essas regalias absurdas que nossa lei disponibiliza - essa coisa de em 4 anos eles poderem ser libertados.
[Leia outros Comentários de Rafael Rodrigues]
31/7/2006
11h18min
Marcelo, é uma pena que seu artigo tenha finalizado com uma frase tão absurda: "Suzane, Daniel e Cristian podem ter dado uma lição ao país. Tudo por amor." É muito óbvio que Suzane e Daniel não se amavam, caso contrário não estariam, como disse o Rafael Rodrigues, empurrando a culpa um para o outro. Na realidade, acho que essa garota, a Suzane, é incapaz de amar quem quer que seja.
[Leia outros Comentários de Janethe Fontes]
31/7/2006
17h10min
Se a Suzane era menor de idade quando cometeu o crime, ela deveria ser julgada como uma juvenil delinquente e nao como uma adulta. O fato dela estar envolvida emocionalmente com um rapaz e terem juntos criado o crime contra os pais somente mostra que ela nao estava bem da cabeca e foi induzida a cometer o crime. Todos precisam de tratamento, e acredito que prisao longa nao vai ajudar em nada. Ela vai pagar pela vida todinha o que fez e sera' a pessoa mais infeliz do mundo so' em imaginar o que ela fez. Nenhum rapaz vai quere-la seriamente, e a vida dela afundou. Isso em si ja' e' uma grande pena. Ela matou os pais dela, e agora tera' que viver sem os pais e sentir na pele o que fez. Quanto 'a justica ser maleavel, isso e' de se esperar devido ao fato de nao haver termos no Brasil nenhuma facilidade de reabilitacao, mas somente de correcao... Foi tudo por amor sim, ou por falta do amor.
[Leia outros Comentários de milton laene araujo]
2/8/2006
17h07min
Você romanceou o caso, como vários outros jornalistas e veículos de imprensa fizeram - para vender jornal. Eu acredito que esse assassinato chama a atenção popular por ser um crime familiar e hediondo, não pelo suposto "romance". É preciso uma certa dose de ingenuidade e romantismo para acreditar que a menina que dava risadas ao ser presa possa ter tantos sentimentos idealizados ao planejar matar o pais. De fato, em algumas publicações vi entrevistas com psiquiatras sobre a possibilidade dela ser psicopata e nada sentir, nem pelos pais, nem pelo irmão, nem pelo namorado. Questão de enfoque, questão de interpretação. Essa história em nada me parece diferente do assassinato do jovem casal. Quem coloca como se fossem muito diferentes é a imprensa.
[Leia outros Comentários de Daniela Castilho]
3/8/2006
09h01min
Com relaração ao caso de Suzane e os irmãos, só consigo pensar que o ser "humano" não é tão humano quanto parece ou quanto deveria ser. Não, apenas, por este crime, mas por tantos outros mais brutais do que esse ou não, que revelam o quão selvagem o homem pode ser, "sem estar com fome".
[Leia outros Comentários de Marcelo Telles]
6/8/2006
16h14min
Muitos podem discordar de mim. Mas acho que o irmão dela não é inocente. Talvez não tenha agido diretamente no crime, mas para ele está tudo muito bom. Brigas por herança não mostram desinteresse por dinheiro. Não acham? Nesse mundo capitalista, ninguém escapa. Esse negócio de caso de amor de Daniel e Suzane é tudo mentira. O que daria mais ibope: crime premeditado por casal ou crime premeditado por um casal apaixonado?
[Leia outros Comentários de Marina de Amorim]
24/8/2006
22h15min
Eu tenho 11 anos de idade, e estou fazendo um trabalho de Geografia que é um noticiário e eu acrescentei nele o "Caso Richthofen", eu irei representar a Suzane neste noticiário. Fico pensando como eu posso representar uma garota tão fria a ponto de matar os próprios pais e depois fingir que ela tentou impedir o assasinato. Fico indignada quando vejo crimes no país e da pior qualidade. Acho que ela deveria pegar prisão perpétua por esse assasinato!
[Leia outros Comentários de Carina Britto]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CAN - CRIANDO ALGO NOVO
DAIMLER CHRYSLER
RECURSOS HUMANOS
R$ 49,16



PORTOS E COMERCIO EXTERIOR
EDUARDO MARIO DIAS
FGV
(2016)
R$ 24,90



PROJETO ARARIBÁ HISTÓRIA 8º ANO
MARIA RAQUEL APOLINÁRIO
MODERNA
(2007)
R$ 6,00



REVISTA SEMANAL DE EDIFÍCIOS E MONUMENTOS 6
DIVERSOS AUTORES
DIREÇÃO-GERAL DOS EDIFÍCIOS
(1997)
R$ 55,83



O EXAME DE LATIM (EDIÇÃO B - SEM PONTOS)
NICOLAU FIRMINO
SIMÕES LOPES E OUTRAS
(1941)
R$ 32,28



UMA AUTOBIOGRAFIA - BIOGRAFIA
RITA LEE
GLOBO LIVROS
R$ 30,00



PORTUGUÊS COM AÇÚCAR
VICTOR COSTA
EDP
R$ 33,49



SINOPSES JURÍDICAS: PROCESSOS PENAL - PROCEDIMENTOS, NULIDADES E RECURSOS- VOL. 15
ALEXANDRE CEBRIAN ARAÚJO REIS E VICTOR RIOS GONÇALVES
SARAIVA
(2000)
R$ 7,00



ESQUIZOFRENIA REFRATÁRIA - 2ª EDIÇÃO
RODRIGO A. BRESSAN; HELIO ELKIS
SEGMENTO FARMA
(2007)
R$ 11,90



REVISTA DOS VEGETARIANOS - EDIÇÃO 160
EUROPA
EUROPA
(2020)
R$ 13,00





busca | avançada
49722 visitas/dia
2,6 milhões/mês