Melhor que muito casamento | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
82307 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> CONTOS DE AXÉ - 18 histórias inspiradas nos arquétipos dos orixás
>>> Feriado em família no Shopping Granja
>>> Casa Flutuar apresenta agenda cultural com grandes nomes da música eletrônica brasileira
>>> Sarau do Vale participa do projeto de 10 anos do Grupo Rosas Periféricas
>>> Cia Linhas Aéreas serve aperitivo para a temporada presencial de 2022
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Max Chafkin sobre Peter Thiel
>>> Jimmy Page no Brasil
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Píramo e Tisbe
>>> A Última Ceia de Leonardo da Vinci
>>> O Desprezo de Alberto Moravia e Jean-Luc Godard
>>> Cuba E O Direito de Amar (2)
>>> A Velhice
>>> I know you
>>> Vanguarda e Ditadura Militar
>>> Na Campus Party 2009 II
>>> Um piano pela estrada
>>> The Good Wife visita Private Practice
Mais Recentes
>>> Venda Mais - Os 14 mitos do Marketing - Ano 6 - Nº77 de Vários pela Quantum (2000)
>>> Venda Mais - Por que as empresas quebram? - Ano 6 - Nº80 de Vários pela Quantum (2000)
>>> Venda Mais - Você pode realizar seus sonhos - Ano 6 - Nº 75 de Vários pela Quantum (2021)
>>> Venda Mais - Porque você é do jeito que é - Ano 6 - Nº 78 de Vários pela Quantum (2000)
>>> Venda Mais - Edição aniversário - 7 anos - Vendendo mais e melhor de Vários pela Quantum (2001)
>>> Venda Mais - Negociando para ganhar - Ano 6 Nº 81 de Vários pela Quantum (2000)
>>> Venda Mais - Venda Mais! Venda para nichos de Mercado de Vários pela Quantum (2001)
>>> Torto arado de Itamar Vieira Junior pela Todavia (2020)
>>> O Investidor Inteligente de Benjamin Graham; Lourdes Sette pela Harper Collins (2017)
>>> O Profeta de Gibran Khalil Gibran pela Acigi
>>> Duna 1 - Edição Especial de Neil Gaiman; Frank Herbert; Maria Do Carmo Zanini pela Aleph (2017)
>>> Duna 1 - Edição Especial de Neil Gaiman; Frank Herbert; Maria Do Carmo Zanini pela Aleph (2017)
>>> Quando o Amor Triunfa de Giseti Marques pela Boa Nova (2016)
>>> Baía da Esperança de Jojo Moyes pela Intrinseca (2016)
>>> Milena de Denise Corrêa de Macedo pelo espírito Milena pela Eme (2019)
>>> Episódio da Vida de Tibério de J.W.Rochester Vera Kryzhanovskaia pela Eme (2018)
>>> Técnicas de Venda - Vendas X Produção de Vários pela Quantum (2000)
>>> O Livro da Verdadeira Cruz de Caravaca de Naasson Vieira Peixoto pela Eco
>>> Música, Ídolos e Poder: do Vinil ao Download de Andre Midani pela Nova Fronteira (2008)
>>> La Grande Aventure de La Criminologie de Jurgen Thorwaldo pela Albin Michel (1967)
>>> Português no Ginásio - Gramática e Antologia para 3ª Série de Raul Moreira Lêllis pela Companhia Nacional (1960)
>>> Tipos e Aspectos do Brasil de Sem Autor pela Ibge (1966)
>>> Historia Gráfica del Arte de Joseph Gauthier pela Victor Leru (1944)
>>> Garibaldi una Grande Vita in Breve de Denis Mack Smith pela Lerici (1959)
>>> Arte de Ensinar e Arte de Aprender de Varios pela Fundação Getúlio Vargas (1974)
COLUNAS

Sexta-feira, 22/11/2019
Melhor que muito casamento
Ana Elisa Ribeiro

+ de 2500 Acessos

Estou aqui há 16 anos. Aqui, sim, nesta coluna. Nem sempre na sexta-feira, mas talvez mais nela do que em outros dias da semana. Sim, há 16 anos escrevo "crônicas" para o Digestivo, a convite do Julio Daio Borges, ou simplesmente Jui, atingindo leitores/as que raramente se revelam. De vez em quando se manifestam e ficam amigos, em raríssimos mas existentes casos.

O painel do Digestivo conta diferente de mim. Aqui nos bastidores, eu consigo saber que foram 1.347.069 acessos desde novembro de 2002, o que deve corresponder ao primeiro momento em que postei um texto neste template. Tal texto só deve ter ido ao ar duas semanas depois ou é justo aquele texto inaugural que traz a data do meu aniversário. Talvez seja isso. O fato é que se eu e o Digestivo Cultural namorássemos, teríamos de negociar a data de aniversário do consórcio. Ou cada um faria seu jantar solo à luz de velas.

Cada um, cada um

Cada colunista aqui tem sua história. Como 16 anos não são 16 dias, vi muitos nomes virem, sumirem, voltarem ou não, nesta listinha à esquerda. Alguns desses nomes conheci pessoalmente, mas bem poucos. Outros se transformaram em colegas de coluna, com algum sentimento de proximidade, mesmo não nos tendo visto de perto jamais. Aliás, encontrei o próprio editor pouquíssimas vezes, nos telefonamos mais algumas raras, em especial em momentos de crises pessoais aqui e lá, mantendo sempre um sentimento de amizade que independeu da presença física.

No início...

Júlio Daio Borges sempre foi um cara antenado. Lá nos idos de 2001, 2002, ele recebeu um jornal impresso de uma faculdade de Comunicação aqui das Gerais. E era nesse número que eu figurava como poeta, numa matéria até grandinha, com uma foto de impor respeito. O editor do DC me procurou na internet (ainda sem Google) e topou com meu finado blog, o Estante de Livros, que fazia relativo sucesso no jurássico internético. Nesse blog, eu me atrevia a escrever contos curtos, resenhas de livros muito contemporâneos e a publicar entrevistas com autores em começo de trajetória (a maioria hoje bem badalada).

Não foi difícil estabelecer um contato mais firme. Júlio me enviou, talvez, um e-mail (provavelmente no Hotmail ou na conta de um outro site que eu tinha, o Patife) e me perguntou se eu gostaria de escrever semanalmente para o Digestivo. Bom, eu adoro um desafio, ainda mais se for na escrita.

O DC não era desconhecido para mim. Meu amigo e colega de trabalho Lucas Junqueira já havia defendido uma monografia de especialização sobre o site do Júlio. Eu sabia um pouco da história do Digestivo e da vibe que rolava por aqui, à época. O site não tinha uma cara muito diferente do que tem hoje e eu espiava o que era escrito, quem circulava por aqui, etc. Minha experiência com colunas periódicas era curtíssima (uma passagem rápida pela Carta Maior), mas eu morria de vontade de ter um espaço virtual onde aprender e exercitar este lance intenso de escrever sempre.

Só impus uma condição ao Júlio: escrever o que eu quisesse. Sem pautas, sem comandos autoritários, etc. E ele topou. Me entregou o pedaço de terra sem pestanejar. Mas avisou: de vez em quando, conforme a ocasião ou a oportunidade, posso te pedir que escreva algo mais temático, a fim de que você participe de algum especial, mas nada demais. E você só vai se quiser. E várias vezes eu quis.

Liberdade

Lidar com a liberdade: sonho desde menina. Coisa ótima compor o elenco do site, angariando assunto onde quer que fosse. Um motivo a mais para estar sempre atenta a tudo, à conversa alheia, às leituras sempre sem inocência, ao dia a dia, aos discursos e aos silêncios. Uma beleza. De semana em semana eu precisava preencher, com no mínimo 5 mil caracteres, esta folha em branco que se abria, inclusive com alguns códigos html.

E o tempo passou. Os assuntos às vezes se repetiam, mas foi possível escrever, por mais de década e meia, sobre muita coisa, para muita gente que teve a paciência e a generosidade de ler. Deixei de ser semanal para ser quinzenal, lá pelas tantas. E depois fui ficando frouxa, espaçando mais os textos, mas sem abandonar o posto. É uma conquista, não uma obrigação.

Livros

Desta vida de 16 anos no DC, fiz brotarem dois livros de crônicas: Chicletes, Lambidinha e outras crônicas e Meus Segredos com Capitu, ambos no aniversário de dez anos da empreitada, pela maravilhosa Jovens Escribas, editora pequena e corajosa de Natal, RN. Belos livros, que fizeram relativo sucesso com leitores/as, esgotando-se as duas tiragens, sendo uma vez reimpressos e, no caso do Capitu, aparecendo de gaiato numa semifinal do prêmio Portugal Telecom, antecessor do atual Oceanos.

Sem estresse

Atravessar 16 anos foi também atravessar algumas fases do país, emitir discursos, provocando ou evitando. Em momentos mais polarizados, jamais senti qualquer tipo de restrição ou constrangimento neste espaço. E isso me deixou tão à vontade, sempre, quanto estar em casa.

Mulheres na área

Outra coisa que o Digestivo faz como poucos: convocar mulheres cronistas para suas fileiras. Não pesquisei detidamente, não fiz as contas, mas muitas cronistas ou "colunistas" passaram por aqui, segurando uma onda que ainda é hegemonicamente masculina. São, infelizmente, poucas as cronistas muito conhecidas. E se forem de humor então... quase nenhuma. Uma grande porcaria, mas esperado para o contexto geral.

Colunista?

Cronista ou colunista? Pois então implico com isso. Considero-me, desde os inícios, cronista. E isso porque, embora nem sempre eu consiga, pretendo sempre que meu texto aqui tenha um jeitinho literário e um lance atemporal; que dure mais que os fatos; que possa ser lido longe e adiante; que seja mais generalista que específico. Muitos outros colunistas escrevem comentários, textos muito presentes, com data de validade bem curta, coisa que nunca me interessou como escritora. Vez ou outra, publiquei aqui resenhas de livros ou teci comentários a certos fatos, mas a tônica não era essa. E não será.

Votos renovados

Pretendo fazer aniversário de 20 anos aqui. Pretendo arrancar deste terreno mais pelo menos um livro, por outra editora legal, que talvez me leve a mais leitores/as, noutro tipo de circulação. E provavelmente continuarei uma quase anônima na seara mapeada dos cronistas (impressionante, deveras, como nos esquecem ou nos ignoram). Mas... 20 anos não serão 20 dias, e minha gratidão, meu respeito e meu carinho pelo DC e pelo Júlio só confirmarão nossos votos de parceria e cumplicidade, tudo mais duradouro que muito casamento, oras. E tenho provas: já troquei e lancei ao mar algumas alianças; o DC, como veem, continua firme.

LeP



Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 22/11/2019


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Moro no Morumbi, mas voto em Moema de Julio Daio Borges
02. O retalho, de Philippe Lançon de Wellington Machado
03. A cidade e o que se espera dela de Luís Fernando Amâncio
04. Os Doze Trabalhos de Mónika. 4. Museu Paleológico de Heloisa Pait
05. Afinidade, maestria e demanda de Fabio Gomes


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2019
01. Treliças bem trançadas - 26/7/2019
02. Outros cantos, de Maria Valéria Rezende - 13/9/2019
03. Manual para revisores novatos - 21/6/2019
04. 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis - 22/3/2019
05. Crônica em sustenido - 5/7/2019


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Metodologia do trabalho científico.
Antonio Joaquim Severino
Cortez
(2000)



Histórias da Turma
Marcia Kupstas
Atual
(1991)



Sociologia e Sociedade - Leituras de introdução á Sociologia.
José de Souza Martins
Livros Tecnicos
(1977)



Textos Anarquistas
Zilá Bernd e Outros
L&pm Editores
(1999)
+ frete grátis



Crônicas de Frenelda
Fernanda do Valle
Clio
(2017)



Imagem Impresa y Conocimiento - Análisis de La Imagem Prefotográfica
W. M. Ivins Jr.
Gustavo Gili
(1975)



Coment Devenir Une Vraie Parisienne
Héléne et Iréne Lurçat
Parigramme



Espumas Flutuantes
Castro Alves
Ediouro
(1997)



La Ideologia Alemana
Marx; Engels
Pueblos Unidos
(1973)



Você é Insubstituível Pocket
Augusto Cury
Sextante
(2002)





busca | avançada
82307 visitas/dia
1,8 milhão/mês