YouTube, lá vou eu | Adriane Pasa | Digestivo Cultural

busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exuberância - Moisés Patrício
>>> Missão à China
>>> Universidade do Livro desvenda os caminhos da preparação e revisão de texto
>>> Mississippi Delta Blues Festival será On-line
>>> Tykhe realiza encontro com Mauro Mendes Dias sobre O Discurso da Estupidez
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Alameda de água e lava
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Exército de Pedro
>>> Doida pra escrever
>>> Alguns momentos com Daniel Piza
>>> Desonra, por J.M. Coetzee
>>> Cisne Negro
>>> Burguesinha, burguesinha, burguesinha, burguesinha
>>> O dinossauro de Augusto Monterroso
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Micronarrativa e pornografia
Mais Recentes
>>> Dicionário Inglês Português / Português Inglês de Amanda Marques & David Draper pela Ática (1988)
>>> Francês Para Viagem e Dicionário de Vários Autores pela Berlitz (1991)
>>> No Giro do Mundo os Periódicos do Real Gabinete Português de Leitura 1 de Eduardo da Cruz ( Org. ) pela Real Gabinete Português de Leitura (2014)
>>> Dicionário Espanhol Português / Português Espanhol de Vários Autores pela Dcl
>>> RL - Uma Autobiografia de Rita Lee pela Globo Livros (2016)
>>> Minidicionário Ruth Rocha de Ruth Rocha & Hindenburg da Silva Pires pela Scipione (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1994)
>>> Dicionário Júnior da Língua Portuguesa de Geraldo Mattos pela Ftd (1996)
>>> Bá, Tchê! – Dicionário Temático de Luis Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (2001)
>>> Mecânica Vetorial para Engenheiros 1 - Estática de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1977)
>>> Dicionário de Porto-Alegrês de Luís Augusto Fischer pela Artes e Ofícios (1999)
>>> Resistência dos Materiais de Ferdinand P. Beer e E. Russell Johnston Jr pela McGraw-Hill (1982)
>>> O Constitucionalismo democrático latino-americano em debate de Leonardo Avritzer/Lilian Cristina Bernardo Gomes (Org) pela Autêntica (2017)
>>> Reiki - Medicina Energética de Libby Barnett e Magie Chambers pela Nova Era (1999)
>>> Revista do Livro Ano V Número 20 Dezembro de 1960 de Lêdo Ivo, Mário de Andrade, Heitor Lyra e outros pela Instituto Nacional do Livro (1960)
>>> The Argumentative Indian - Writings on Indian History, Culture de Amartya Sen pela Picador (2005)
>>> O Encanto da Montanha & Caminho ao Lar de Linda Howard pela Harlequin Books (2010)
>>> Afrodiáspora 6 e 7 - Revista de estudos do mundo negro de Vários Autores pela Ipeafro (1985)
>>> Aventura Ardente de Diana Palmer pela Harlequin Books (2013)
>>> Indiscreta de Candace Camp pela Harlequin Books (2005)
>>> Meu Anjo de Sherryl Woods pela Harlequin Books (2005)
>>> Pido la Paz y la Palabra de Blas de Otero pela Cantalapiedra (1955)
>>> Steve Jobs de Walter Isaacson pela Companhia das Letras (2011)
>>> Sem Perdão de Frederick Forsyth pela Abril Cultural (1985)
>>> Comunidades imaginadas de Benedict Anderson pela Companhia Das Letras (2019)
>>> A Segunda Vitória de Morris West pela Abril Cultural (1985)
>>> Os Insaciáveis de Harold Robbins pela Rio Gráfica (1985)
>>> O Fã Clube de Irving Wallace pela Abril Cultural (1985)
>>> Palavra Desordem de Arnaldo Antunes pela Iluminuras (2002)
>>> A Filha Pródiga de Jeffrey Archer pela Nova Cultural (1986)
>>> Escritos Sobre o Racismo, Igualdade e Direitos de André Costa pela Inst. Afirmação de Direitos (2009)
>>> A Origem da Família, Da Propriedade Privada e do Estado de Friedrich Engels pela Boitempo (2019)
>>> Romântico, sedutor e anarquista -Como e por que ler Jorge Amado de Ana Maria Machado pela Companhia Das Letras (2014)
>>> Easy English - Book One - 6a Edição de Nelsi M. de Jesus pela Eden
>>> Dieta das 8 horas de David Zinczenko - Peter Moore pela Sextante (2014)
>>> Law And Ecology The Rise of The Ecosystem Regime de Richard O. Broks/Ross Jones/Ross A.Virgínia pela Asgate Publishing (2002)
>>> Perguntas Perfeitas, Respostas Perfeitas de A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupãda e Bob Cohen pela Bbt (1999)
>>> The Book Thief de Markus Zusak pela Knopf (2007)
>>> O processo civilizador 2: formação do estado e civilização de Norbert Elias pela Zahar (2019)
>>> O Livro das Coisas Perdidas de John Connolly pela Bertrand Brasil (2006)
>>> O Avesso e o Direito de Albert Camus pela Record (1996)
>>> A Encantadora de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2006)
>>> A Semiologia de Pierre Guiraud pela Editorial Presença (1973)
>>> Os Segredos de Uma Encantado de Bebês de Tracy Hogg; Melinda Brau pela Manole (2020)
>>> Alta Fidelidade de Nick Hornby pela Rocco (1995)
>>> Fonte Viva de Francisco Cândido Xavier pela Feb (2003)
>>> Cozinha de Estar - Receitas Práticas para Receber de Rita Lobo pela Paralela (2012)
>>> Uma janela em Copacabana de Luiz Alfredo Garcia-Roza pela Companhia das letras (2001)
>>> O ateneu de Raul Pompéia pela Estadão (1999)
>>> Deserto de Luis S. Krausz pela Benvirá (2013)
COLUNAS

Segunda-feira, 5/9/2016
YouTube, lá vou eu
Adriane Pasa

+ de 23900 Acessos

Não é novidade para ninguém que o YouTube é um fenômeno. É o quarto site mais acessado do Brasil. E cada vez mais está se tornando um canal onde as pessoas passam muito tempo. Mesmo não estando no YouTube, vemos os vídeos postados lá por meio de outras redes o tempo todo. Em 2015, pela primeira vez, a revista norte-americana Forbes publicou uma lista onde mostrou quais os "Youtubers" que ganham mais dinheiro produzindo vídeos. Entre os jovens milionários (sim, as pessoas ganham dinheiro com isso) está um rapaz que joga games com os amigos, uma violinista que dança, uma maquiadora, dois ex-engenheiros, comediantes de stand-up, entre outros.

Eu acho que esse termo "YouTuber" (antes era só vlogger) é um pouco limitador, mas ok, vai, se os jovens criaram, deve fazer sentido. Afinal, eles entendem melhor disso que eu, que já estou na casa dos quarenta. Para mim, o YouTube é um canal. Tem o cara que é especialista em culinária, o psicólogo, o comediante, o fofoqueiro, a "fashionista" e muitos outros que usam esse canal para comunicar seu conteúdo. Mas hoje, se alguém tem um canal no Youtube, é um "YouTuber". Tá bem. Não vamos discutir. A célebre expressão do canadense Marshall McLuhan - grande estudioso e teórico da comunicação, que previu a internet mesmo antes de ela existir - "o meio é a mensagem", parece fazer mais sentido ainda.

No Brasil, a profissão de "YouTuber" teve uma explosão há uns três anos e hoje tem muitos canais populares que fazem sucesso entre todas as idades, como o Porta dos Fundos, por exemplo, canal de comédia que além de conquistar o Brasil, agora está conquistando o mundo. O Porta dos Fundos é o primeiro no ranking dos canais brasileiros. Com 12 milhões de inscritos (até o dia de hoje), é um fenômeno. Em segundo lugar, vem o comediante Whindersson Nunes, que cresceu extremamente rápido e hoje é o segundo maior canal do Brasil com 11.580.070 inscritos. E é considerado o segundo canal mais influente do mundo. O “Lampião do YouTube” é sucesso na rede e também nos palcos de teatro com suas paródias pelo Brasil todo. Menino de origem pobre nascido no Piauí, conquistou seu público com seu jeito simples e engraçado, com uma fórmula certeira e inteligente. Em terceiro vem a famosa Kéfera (de Curitiba, minha cidade natal) que é sucesso no YouTube, nas livrarias e a agora também nos cinemas. O seu canal, o 5 Minutos tem a terceira posição da lista, com mais de 9,2 milhões de inscritos.

Há alguns canais que eu gosto bastante, como o da Júlia Tolenzano, conhecida como Jout Jout, que começou postando vídeos em seu canal de uma maneira muito simples e despretensiosa. Com o vídeo "Não tira o batom vermelho!" ela ganhou milhares de visualizações. Jout Jout fala sobre vários assuntos e criou um estilo tão próprio que conquistou muita gente.

Um canal que me impressionou muito nos últimos meses foi o Hel Mother, de uma mãe que fala sobre os desafios da maternidade de uma forma muito autêntica e franca e hoje já conta com 19.633 inscritos. Ela é tão criativa e carismática que mesmo eu - que não tenho filhos - assisto só para ver suas sacadas inteligentes e seu humor original. Eu acho que tem Youtuber que acaba ficando maior que o seu tema, com o tempo acaba virando uma figura querida e assistida independente do que diga ou faça.

O YouTube não para de crescer. É a nova televisão dos jovens, que cada vez menos assistem a "televisão normal". É um lugar que podemos escolher tudo o que quisermos ver e quando quisermos. É uma miscelânea cultural que veio para ficar. O tipo de coisa que não tem mais volta. Não sei o que será no futuro, mas com certeza tem um belo futuro. E como é interessante observar o que acontece agora com a TV aberta. Eles "chamam" as celebridades do YouTube para captar audiência em seus programas tradicionais, além de entrevistas e participações, agora tem YouTuber apresentando programa diário, como o famoso Fábio Porchat, por exemplo, que está na Rede Record com seu Programa do Porchat, sendo vice-líder em audiência. O programa dele é "quebrado" em alguns pedaços e postado no YouTube na sequência. E ele continua também com seus trabalhos na internet. É uma loucura.

Eu sempre tive vontade de fazer algo para a TV ou para o cinema. Até me aventurei fazendo uns documentários de forma amadora e foi uma das coisas mais bacanas que já fiz na vida. Gosto de contar histórias. Só que para alcançar o público fazendo cinema ou TV, você precisa de tanta, mas tanta coisa, de tanto dinheiro, que só de pensar já dá mil tipos de cansaço. Admiro muito quem está nesses ramos, porque é para poucos persistentes e talentosos.

O YouTube é mais simples. É aberto a todos. É democrático e moderno, eficiente porque permite que cada um encontre seu público de forma rápida e fácil. Permite que talentos anônimos possam se expressar e mostrar seu trabalho sem precisar de uma parafernália de coisas e investimentos altos ou intermediadores. A famosa frase de Andy Warhol ― "um dia, todos terão direito a 15 minutos de fama" ―, que ele usou para descrever o futuro das celebridades instantâneas, nunca foi tão real como agora.

Há um ano me mudei para o Canadá e hoje moro em Vancouver. Nesse meio tempo morando aqui, resolvi recomeçar e fazer algo totalmente diferente na minha vida, aí um dia resolvi tirar umas ideias do baú e criei um canal no YouTube. Chama-se BFF Canadá. Best Friend Forever. O canal tem quatro meses.

Lá eu conto um pouco das minhas experiências como imigrante, falo um pouco da vida, de aspectos da sociedade que eu percebo aqui no Canadá, de coisas que eu gosto, falo umas besteiras, mostro alguns lugares e pessoas, principalmente brasileiros. Coloco em prática um lado que estava meio guardado e escondido atrás de uma mesa de escritório no mundo corporativo.

É fácil? Não, não é fácil. Qualquer um pode ter um canal no YouTube? Verdade. Qualquer um. Agora, ter audiência, aí já são outros quinhentos. Ter um público engajado, também. E não é fácil administrar redes sociais e fazer tudo funcionar ao mesmo tempo, dando atenção às pessoas e interagindo com elas. Porque a internet exige interação, de preferência, em tempo real.

Mesmo não sendo fácil, sigo tentando. Tem sido uma experiência ótima. Acho que um dos maiores desafios de fazer algo no YouTube é seguir em frente, não desistir. Esses dias assisti a um vídeo do Escola para Youtubers (ótimo canal, por sinal) cujo tema era exatamente "como não desistir de ser YouTuber". Pelo jeito muitos desanimam.

Porque a coisa começa despretensiosa e de repente fica séria, você tem um público fiel e tem um conteúdo a produzir, tem prazos para cumprir e parceiros para administrar. Tem dinheiro envolvido também. Uma renda que vem por meio do Google Adsense e também possíveis contratos com anunciantes que vão surgindo.

Mas a grana no começo é pouca, beeeeeem pouca. Então, você não pode largar tudo e fazer só isso da vida. Daí o tempo aperta. Daí você desanima, às vezes. Aí, de "YouTuber" a gente passa a ser empreendedor ou seja lá que nome vocês queiram dar, mas o canal acaba virando uma "marca" a ser administrada. E mesmo quem não gosta dessa área de empreendedorismo, administração, negócios, tem que se virar e entrar nessa porque ninguém vai cuidar disso pra gente. Pelo menos não no começo. É um trabalho de uma pessoa só, sem equipe, sem quase nada.

E o YouTube hoje é um grande negócio, tanto para criadores quanto para anunciantes. Você pode escolher exatamente o público da sua marca e ela pode ser divulgada por quem seu público ama, ou seja, endossada por alguém que as pessoas assistem e adoram. Além do fato do número de views dos vídeos crescerem a cada dia e atingirem cada vez mais pessoas.

Além de ser uma incrível experiência na interação com o público ― engajamento que só se consegue na internet ― é interessante observar o comportamento das pessoas no canal do YouTube e nas redes sociais que o envolvem. Os comentários, os posts, os e-mails, tudo é muito curioso. Acaba sendo até uma boa pesquisa de comportamento nas redes sociais em determinados assuntos.

Outra coisa fantástica são as ferramentas que o YouTube disponibiliza para que o dono ou a dona do canal administre os comentários ― e principalmente gente sem educação. Existe um recurso chamado "ocultar os comentários deste utilizador neste canal", que é simplesmente fantástico! Você clica nele e os comentários daquele ser indesejado e inconveniente simplesmente são ocultados e ninguém pode ver. Só que a pessoa não sabe que foi "ocultada". Ou seja, ela continua achando que está lá, e pode continuar falando mas vai falar sozinha. Ninguém poderá ver nem interagir com ela. Ou seja, uma espécie de "limbo" para qualquer um que o YouTuber considere ofensivo ou até mesmo chato. O mais bacana disso é que é algo silencioso, neutraliza totalmente a pessoa. O bom é que esse tipo de gente desocupada e mal intencionada é só uma minoria de vândalos. Graças a Deus.

Não seria o máximo se pudéssemos ter uma ferramenta dessas na vida real? Tipo, deixar certos políticos lá, falando sozinhos? Ou aquele chato pretensioso ou mal educado que sempre dá uns pitacos idiotas no trabalho? Aquele que ninguém escuta e é conhecido como "café com leite", mas é o filho do dono ou o sobrinho do gerente? Neutralizar esse povo dá um trabalho...É, no "mundo real", não tem esse botão. Infelizmente.

Convido vocês para assistirem ao meu vídeo e ao meu canal. Para quem se interessa pelo Canadá, por histórias de imigrantes, para quem gosta de canais de entretenimento ou para quem simplesmente quiser acompanhar a vida de uma nova YouTuber, que... sabe Deus o que vai dar. Thanks for watching me ;)



Adriane Pasa
Vancouver, 5/9/2016


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A redoma de vidro de Sylvia Plath de Renato Alessandro dos Santos
02. Vandalizar e destituir uma imagem de estátua de Elisa Andrade Buzzo
03. Um Furto de Ricardo de Mattos
04. Submissão, oportuno, mas não perene de Guilherme Carvalhal
05. Quem destruiu Anita Malfatti? de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Adriane Pasa
Mais Acessadas de Adriane Pasa
01. YouTube, lá vou eu - 5/9/2016
02. Carta aberta a quem leu Uma Carta Aberta ao Brasil - 15/2/2016
03. Quando morre uma paixão - 22/9/2014
04. Casamento atrás da porta - 3/2/2014
05. Saia curta, liberdade longa. - 23/2/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CRIANÇA E MISÉRIA - VIDA OU MORTE? - COLEÇÃO POLÊMICA
JOHN DREXEL E LEILA RENTROIA IANNONE
MODERNA
(1993)
R$ 5,00



O CASTELO BRANCO
ORHAN PAMUK; SERGIO FLAKSMAN
COMPANHIA DAS LETRAS
(2007)
R$ 24,90



THE ORDEAL OF TOTAL WAR 1939 - 1945
GORDON WRIGHT
HARPER
R$ 27,60



O PAPEL DA JURISPRUDÊNCIA NO STJ
ISABEL GALLOTTI
REVISTA DOS TRIBUNAIS
(2014)
R$ 110,00



SATIUSFAÇÃO DO CLIENTE - A OUTRA PARTE DO SEU TRABALHO
DRU SCOTT , PHD
QUALITYMARK
(2000)
R$ 12,00



IDEIAS DE LACAN - 2ª EDIÇÃO
OSCAR CESAROTTO ( ORGANIZADOR )
ILUMINURAS
(2016)
R$ 40,95



A AVENTURA DA REPORTAGEM
GILBERTO DIMENSTEIN/ RICARDO KOTSCHO
SUNMUS EDITORIAL
(1990)
R$ 9,98



AMEI, PERDI, FIZ ESPAGUETE
GIULIA MELUCCI
RECORD
(2010)
R$ 40,00



VIDA COM ESPERANÇA
MARK FINLEY; PETER LANDLEES
DO AUTOR
(2014)
R$ 5,00



O REI DA MADISON AVENUE
KENNETH ROMAN
CULTRIX
(2011)
R$ 30,00





busca | avançada
59182 visitas/dia
2,1 milhões/mês