Sobre cafés e diversão 0800 | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
74821 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 11/1/2006
Sobre cafés e diversão 0800
Ana Elisa Ribeiro

+ de 6300 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Em Minas Gerais, às sextas-feiras, a maior parte dos jornais traz um caderno com sugestões de bares, filmes, restaurantes e exposições. Estão ali, também, as opções de shows e peças de teatro. Gente famosa e gente nem tanto aparece naquelas páginas para convidar para o sarau, a degustação ou a festinha.

Em geral, abro o caderno à procura de um filme. Não sou muito dada às visitas às salas de shopping. Irrito-me facilmente com as filas imensas, a multidão apinhada na sala, o cheiro morto de ar-condicionado. Prefiro, quando vou, as salinhas pequenas, em cinemas que são também livrarias, cafés, bar e até lojinha de bijouteria e artesanato. Delícia. Divirto-me muito mais a procurar calendários e colares de artistas plásticos do que ao comprar pipocões na entrada lotada. Gosto não se discute.

Dia desses, estava lá, no caderno, o show do Lenine. A imensa preguiça de sair numa noite de chuva me fez manter a inércia das samambaias. Deixa pra lá. Enquanto prefiro a estagnação de um cacto, meu marido corre léguas, de ônibus, para assistir a um show no Rio. Tem gosto para tudo.

Há algumas semanas que namoro o filme Jogos Mortais 2. Quando decidi encarar, descobri que ele já havia saído de cartaz dos cinemais mais centrais e estava no afastado shopping Norte. Só pelo nome do lugar já é possível imaginar que esteja ele localizado numa ponta da cidade, das mais extremas. Deixa pra lá.

Decidi, então, convidar o marido para uma noite no Café com Letras, na verdade, além da companhia dele, eu queria era pedir a maravilhosa salada de rúcula e o petit gateau mais delicioso da capital mineira.

Belo Horizonte, de uns tempos para cá, parece ter aberto cafés no lugar dos bares de todas as esquinas. Se antes era conhecida como a capital dos botequins, agora se parece com uma cafeteria gigante. Qualquer birosca em que se sirva café e uma rosquinha mais requintada ganhou o nome cult de café. Mas o charme dos primeiros cafés-livrarias é imbatível e inabalável.

Para quem não teve o prazer de conhecer esta capital, vale a pena seguir este mini-roteiro que vou rascunhar aqui:

1. Primeiro, vale visitar o Café Book, na Avenida Brasil com Padre Rolim. Trata-se do primeiro café livraria autêntico da cidade. E está lá, do mesmo jeito, até hoje. O dono chama-se Álvaro e costuma atender, ele mesmo, os clientes fiéis. A história do lugar é tão deliciosa quanto o ambiente. O Álvaro veio do interior para Belo Horizonte com mil reais no bolso e um imenso amor pelos livros. Ao passar na porta de uma lanchonete, reparou que a parede dos fundos estava vazia, morta, e que poderia pôr ali livros à venda. Na cara de pau, Álvato perguntou à dona da lanchonete se poderia expor uns livros naquele lugar, e ela topou. Nasceu aí o Café Book. Os livros? Foram comprados com os únicos mil reais do Álvaro.

O Café Book tem aquele cheiro de livraria de verdade, onde o atendente sabe exatamente o que está fazendo ali e que tipo de produto ele está vendendo. O próprio Álvaro atendia as pessoas há uns três anos atrás.

2. A Travessa é a livraria mais charmosa da cidade. No coração da Savassi, nosso bairro de seriado americano, a livraria tem, além dos livros, as mesinhas do quarteirão fechado, os garçons simpáticos e o café no segundo andar. Sábado de manhã a Travessa parece um filme. Não se troca aquele clima por mais nada neste mundo.

3. A Status era uma banca de jornais, dessas que são apenas um fino e fundo corredor. Da rua a gente quase não a via. Um dia, a galeria sofreu uma reforma e abriu-se no lugar uma grande livraria e café, o Café Status. Lá dentro, além de um corredor imenso cheio de livros, jornais e revistas, há shows de rock, jazz, chorinho e outros sons, além do café mais cheiroso da cidade.

4. O Café com Letras existe há pelo menos uma década, quando ainda era uma casa de paredes cor de vinho e tinha, no andar de baixo, uma chocolateria. Com o tempo, ganhou a cara que tem hoje. Já teve fama de ambiente GLS, vez ou outra a fama volta, mas o público mais fiel da cidade deve estar ali. Na década de 90, o Café era um bar que tinha uma livraria coadjuvante. Tanto é assim que os livros têm 25% de desconto. A especialidade da casa é o pão de queijo com mussarela de búfala e tomate seco. Delícia. Mas o espaço também faz as vezes de galeria de arte, festival de gastronomia, é palco para apresentação de DJs famosos, música eletrônica, jazz e lançamentos de livros. A diferença entre o Café com Letras e os outros lugares citados é que enquanto eles são livrarias-cafés, o Café é um bar com livraria. Isso se reflete nos horários de atendimento. Enquanto o Café funciona à noite, os demais abrem no horário comercial.

Mas não é necessário gastar dinheiro para ver uma coisa bacana na cidade. O café do Cine Belas Artes também é muito agradável e também conta com uma livraria e uma loja de bijouterias (lindas, por sinal). No entanto, a boa mesmo é topar com alguma coisa 0800, bem no meio da cidade, e sair de lá feliz da vida...

Exemplo fantástico dessa alegria foi ver a exposição dos quadrinhos do artista plástico Marcelo Xavier dando sopa nas paredes da entrada do cinema.

A degustação visual, por Marcelo Xavier

Para quem não sabe, Marcelo Xavier é um artista mineiro que trabalha, especial e principalmente, com massinhas coloridas. Marcelo é premiado em vários lugares do mundo por diversos livros. Alguns trabalhos dele são Asa de Papel e Festas. E não há quem não se divirta olhando aqueles bonecos cheios de detalhes e expressões.

Marcelo Xavier projeta personagens e ambientes com perfeição. Enquanto a criançada ama os livros, os pais ficam loucos pelo trabalho criativo e perfeito do autor.

A exposição CineDegustação é formada por 24 quadrinhos de mesmo tamanho. Todos eles estão expostos, na altura dos olhos, na parede da entrada do Cine Belas Artes, de graça. É só entrar lá e olhar. E a reação das pessoas é fantástica: não há quem não sorria e não queira ver mais de pertinho.

Marcelo Xavier criou cenas relacionadas ao cinema, aos nomes de filmes famosos ou a expressões do mundo cinéfilo. É brilhante como ele recria as relações de, por exemplo, "cenas picantes" e "filme cabeça" com humor e ironia.

Também são especialmente graciosos os quadrinhos de "Fila de cinema", "Tapete mágico" e "Desanimação".

Por que eu estou dizendo isso? Ah, para concluir que os cadernos de jornal trazem as sugestões mais bacanas, pagas e conduzidas, muitas vezes, pela crítica. Mas é particularmente divertido e gostoso topar com uma exposição tão deliciosa quanto a de Xavier, bem no meio da cidade, no meio da tarde e, o melhor, de graça.

Alguém tem que lembrar à cidade que diversão pode ser a liberdade. Essa é a desculpa do ano para sair de casa à procura de boas experiências, sem precisar gastar dinheiro.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 11/1/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Concerto Campestre, um clássico contemporâneo de Gabriela Vargas
02. Nem tente evitar Philip Glass de Arcano9
03. Mistério à americana de Gian Danton
04. Do Luxo ao Lixo de Rennata Airoldi


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Ex-míope ou ficção científica? - 20/12/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/1/2006
10h01min
Ana Elisa, como belo-horizontino, não poderia deixar de comentar a sua crônica mais recente. Gostei, como mineiro, "dimais"!!! É incrível como as pessoas que gostam de livros, cinemas, etc., se identificam com determinados lugares. Realmente, a Travessa é um lugar ímpar. Também freqüento a Status, principalmente nas noites de jazz. Só não conheço o Café Book, por conseqüência, o Álvaro. Mas agora, com sua indicação, vou baixar lá. Além dos lugares que você mencionou, acho interessante também os sebos da cidade (acho que você já escreveu sobre isso). Em especial, a Livraria Páginas Antigas, na rua Fernandes Tourinho (pertinho da Travessa). Como você indicou o Álvaro, eu indico o Antônio (Toninho), o proprietário da Páginas Antigas. Ele também arriscou tudo o que tinha na livraria (lá se vão 15 anos). A livraria tem também CDs e vinis de ótima qualidade (musical e de conservação). O Toninho tem muito zelo pelas mercadorias que vende. Além de ser um cara ético e bem educado.
[Leia outros Comentários de Wellington Machado]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LIRA DOS VINTE ANOS
ÁLVARES DE AZEVEDO
GARNIER
(1994)
R$ 5,00



SURGERY
RICHARD WARREN
W B SAUNDERS
(1963)
R$ 23,52



ANJOS E DEMÔNIOS
DAN BROWN; MARIA LUIZA NEWLANDS
ARQUEIRO
(2004)
R$ 14,90



NOVO CÓDIGO CIVIL ALFATEMÁTICO
WILSON GIANULO
JURÍDICA BRASILEIRA
(2002)
R$ 100,00



UM ANJO CUIDA DE VOCE
EDDIE VAN FEU
ESCALA
(2020)
R$ 10,00



CUADERNOS DE PSICOTERAPIA
GENITOR
GENITOR
(1970)
R$ 14,00



A NAU DAS ILUSOES
LAURA SIMON
NOVA CULTURAL
(1986)
R$ 5,00



PINÓQUIO
NÃO MENCIONADO
ICA PRESS
(1982)
R$ 5,00



POR QUEM MORREU GETÚLIO VARGAS
WLADIMIR DE TOLEDO PIZA
AMPERSAND
(1998)
R$ 25,00



THE INCARNATIONS
SUSAM BARKER
TOUCHSTONE
(2015)
R$ 12,00





busca | avançada
74821 visitas/dia
1,8 milhão/mês