Desvirtualização no Itaú Cultural | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dá-lhe, Villa!
>>> forças infernais
>>> 20 de Abril #digestivo10anos
>>> Pensando sozinho
>>> Minha casa, minha cama, minha mesa
>>> Aranhas e missangas na Moçambique de Mia Couto
>>> Novos Melhores Blogs
>>> Reflexões para um mundo em crise
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> A volta de Steve Jobs à Apple
Mais Recentes
>>> Plantas de Cobertura do Solo Caracteristicas e Manejo Em Pequenas . de Claudino Monegal pela Autor (1991)
>>> Os Honorários Advocatícios na Justiça do Trabalho - de Carlos Roberto Ramos pela : Conceito (2013)
>>> 1985 - o Autor de Laranha Mecânica Contesta o 1984 de Orwell e Mostra de Anthony Burgess pela Lpm (1980)
>>> Ciencias Criminais - Articulacoes Criticas Em Torno dos 20 Anos da Con de Ana C. B. de Pinho pela Lumenjuris (2009)
>>> Manual de Anestesia Em Pequenos Animais - de Paddleford pela Roca (2001)
>>> Las Investigaciones de Alvirah y Willy de Mary Higgins Clark pela Plaza & Janes (1998)
>>> Manual de Direito Constitucional - Volume Único de Marcelo Novelino pela Metodo (2014)
>>> Surfing and Health: Expert, Medial and Advice de Joel Steinman pela Meyer (2019)
>>> Competition in Global Industries de Michael E. Porter pela : Harvard Business School (1986)
>>> 22/11/63 - Novela de Stephen King pela Plaza Janés (2012)
>>> Guia Autorizado Adobe Photoshop 7. 0 - Com Cd - Livro de Treinamento de O mesmo pela Makron Books (2003)
>>> Instrumentos Musicales Precortesianos de Samuel Marti pela Inah (1968)
>>> Lo Mejor de La Siesta Inolvidable de Jorge Halperín pela Aguilar (2005)
>>> Novo Comentário Bíblico Contemporâneo - Lucas de Graig A. Evans pela Vida (1996)
>>> Etiquette For Outlaws de Rob Cohen pela Harper Entertainment (2001)
>>> Caixa de Pássaros de Josh Malerman pela Intrinseca (2015)
>>> Retratos e Fotogramas: Isabelle Huppert de Sesc SP pela Sesc (2009)
>>> As minas de Salomão de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Sim Não de Jussara Braga pela do Brasil (1987)
>>> Alves & C.a de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1928)
>>> Fogo no Céu! de Mary França - Eliardo França pela Ática (1991)
>>> Contos de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1934)
>>> An Amazing Story de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1996)
>>> O crime do Padre Amaro de Eça de Queiroz pela Livraria Lello (1935)
>>> Codorna - Criação - Instalação - Manejo de Irineu Fabichak pela Nobel (1987)
>>> Guerras Secretas -Super-Heróis Marvel de Alex Irvine pela Novo Século (2016)
>>> Cartas de Inglaterra de Eça de Queiroz pela Livraria Lello
>>> Cem Anos de Iberê de Luiz Camillo Osorio pela Cosac Naify (2014)
>>> Dia de Aninha de Ciça Alves Pinto pela Global (1996)
>>> Lasar Segall Un Expresionista Brasileño de Ivo Mesquita, Jorge Schwartz e outros pela Takano (2002)
>>> The White Mountains de John Christopher pela Longman (1974)
>>> Laje de Santos, Laje dos Sonhos de Guilherme Kodja Tebecherani, Ana Paula Pinto e outros pela Globo (2009)
>>> Ulster Story de Michael Villeneuve pela Longman (1977)
>>> Marco Giannotti de Nelson Brissac Peixoto pela Cosac Naify (2007)
>>> Morri para Viver de Andressa Urach pela Planeta (2015)
>>> Esio Trot de Roald Dahl pela Puffin Books (2001)
>>> Laura Belém de Laura Belém e outros pela Cosac Naify (2013)
>>> Brave New World de Aldous Huxley pela Longman (1978)
>>> Favela, um Bairro de Cristiane Rose Duarte e Outros (org.) pela Pro (1996)
>>> 1/3 da Vida de Wanderley Oliveira e Ermance Dufaux pela Dufaux (2016)
>>> Quê ?! de Tião Carneiro pela Autor
>>> Conheça a Verdade de Bruce Milne pela Abu (1987)
>>> Para uma Nova Era, Poesia & Prosa de Remisson Aniceto pela Patuá (2019)
>>> Mentes perigosas de Ana Beatriz Barbosa Silva pela Fontanar (2008)
>>> Meu menino vadio de Luiz Fernando Vianna pela Intrínsica (2017)
>>> Correndo com tesouras de Augusten Burroughs pela Ediouro (2002)
>>> Supernova - A Estrela dos Mortos de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Supernova - O Encantador de Flechas de Renan Carvalho pela Novo Conceito (2015)
>>> Segregação e Gentrificação: Os conjuntos habitacionais em Natal de Sara Raquel Fernandes Queiroz de Medeiros pela Edufrn (2018)
>>> Repensar as Familias de Fiona Williams pela Principia (2004)
COLUNAS

Quarta-feira, 1/12/2004
Desvirtualização no Itaú Cultural
Ana Elisa Ribeiro

+ de 3500 Acessos


Ana Elisa Ribeiro em new look nos
Encontros de Interrogação do Itaú Cultural
(foto de César Ferreira no Patife)

Terminou dia 23, terça-feira, o evento do Itaú Cultural que reuniu mais de 90 escritores de todo o país, e não apenas os novos, da geração Internet, mas os da geração datilografia, mimeógrafo e até os que escreviam em paredes de caverna.

O Encontros de Interrogação foi concebido por Claudiney Ferreira, apresentador do programa Jogo de Idéias, transmitido pela TV Educativa. No entanto, foi necessário escolher um time de curadores para que a idéia saísse do papel. Foram convocados, então, os agitadores Marcelino Freire e Nelson de Oliveira, para coordenar os eventos relativos à literatura em prosa, e Frederico Barbosa e Cláudio Daniel, para promover o ajuntamento dos poetas do país inteiro.

Estiveram nos mesmos aviões, hotéis e salas da sede do Itaú Cultural as "embaixadas literárias" mineira, gaúcha, paulista, baiana, pernambucana e paranaense. Entre os primeiros, Ricardo Aleixo, Fabrício Marques e Sebastião Nunes. Como estou puxando a sardinha para o meu lado, cito os demais em desordem patronímica: Fabrício Carpinejar, Greta Benitez, Cláudia Roquette-Pinto, Ivana, João Paulo Cuenca, Daniel Galera, Daniel Pellizzari, entre muitos outros, não menos expressivos.

Algumas oficinas foram ministradas ao longo dos dois dias, com participação maciça de aspirantes a escritores e até mesmo de gente que tem intimidade com a escrita. No entanto, as mesas-redondas chamaram a atenção pelos temas e pela participação inflamada do público (é verdade, formado por muitos escritores). Afora a impressão de que o evento formou mesas e platéias homogêneas, foi interessante discutir a narrativa de invenção, a "literatura feminina", as relações entre literatura e Internet e a hipermídia.

O comentário geral era de que os temas não traziam grande contribuição (embora provocassem debates de mais de duas horas de duração) e que se andou falando grandemente sobre o óbvio ululante, no entanto, a sinfonia de sotaques deixava no ar uma sensação boa de diversidade e o mais importante: a desvirtualização das pessoas que se conheciam apenas pela Internet. A alegria de encontros de certa forma esperados, a decepção de outros, a coincidência de outros tantos.

Fazia anos que Greta Benitez (Curitiba) e eu nos falávamos pela Rede, até mesmo assuntos pessoais. Também era assim com Frederico Barbosa em relação a muitos dos convidados. O enigma Micheliny Verunschk (uma entre os finalistas do prêmio Portugal Telecom) realizou-se na figura de uma jovem pernambucana recém-chegada à capital paulista, quiçá pela facilidade de ver decolar sua produção literária já quase premiada e ainda em processo de criação. No mínimo foi excelente a oportunidade de ver as pessoas, tocar-lhes as mãos e ouvir os sotaques (anulados pela escrita nos e-mails). A força das vogais de Micheliny assolava a sala vermelha numa intervenção à mesa onde se explicavam João Paulo Cuenca (em carioquês) e Cardoso (em gauchês). A mineiridade da voz de Ricardo Aleixo ressoava junto com a platéia paulista formada por Joca Terron e Nelson de Oliveira.

Também foram proveitosas as conversas no café, quando se encontravam todas as culturas regionais e todas as literaturas possíveis no horizonte nacional atual. E as conversas no hotel (que, aliás, se sofresse um atentado terrorista, veria parar parte da produção literária brasileira) e as de corredor.

Uma das mesas, muito comentada, questionava onde estão a nova Clarice e o novo Rosa. Muito mais interessante foi o comentário alegre de um escritor experiente: "Pra quê isso, minha gente? Parece mais uma sessão espírita!". Também nas mesas sobre a suposta "literatura feminina", as moças chegavam à conclusão de que isso não existe, e terminavam afirmando que Chico Buarque consegue escrever como uma mulher. Fico pensando o que diria o Macaco Simão.

Afora as críticas ao evento, faladas em voz baixa, e a falta que fizeram outros escritores que não puderam ser convidados, o principal no Encontros de Interrogação não foi concluir que a Internet ajuda a escoar a nova produção literária ou que há novos talentos espalhados pelo país (mesmo longe dos grandes centros ou do paulistocentrismo reinante), mas foi tornar reais as conversas e os contatos que tiveram seu primeiro tempo na Internet, em forma de bits. O evento do Itaú parece ter sido o disparador do que poderá acontecer em 2005. Quem sabe os próximos livros serão frutos dos encontros desvirtualizantes?


Ivana Arruda Leite com cara de... ?
(foto de César Ferreira no Patife)

Por que o cérebro falha e a mente também
Você já pensou na sua pele hoje? Teve a sensação de frio, calor, queimadura, chicote, ardência, frescor? Quando toca alguém, o que costuma sentir?

Quando fiz o ensino médio, lembro-me das lições de Biologia, em que aprendíamos que as celulas são delimitadas por uma membrana suficientemente forte para dar unidade e proteção à célula, e suficientemente porosa para deixar entrar o que era necessário e deixar sair o excremento.

Antes de ontem, lia um livro interessante, O Erro de Descartes. Emoção, razão e o cérebro humano (Companhia das Letras, do dr. António Damásio (neurologista chefe do Depto. de Neurologia da Universidade de Iowa), e me dava conta dos meus limites, ao menos dos físicos.

A pele é o maior órgão do corpo, mais extenso e mais enervado. É por ela que a interação com o meio ambiente se faz sensível pelo cérebro. E, em contrapartida, ele devolve uns impulsos, uns algoritmos, umas substâncias que me fazem agir, deixar de agir, preceber, sentir, apurar, passar a mão, cair, correr.

O dr. Damásio fala na pele como uma víscera, embora tenhamos a impressão de que para ser víscera tem que estar por dentro. Não é assim? Pois pensando que a pele é a interface entre o que me vai dentro e o que há do lado de fora, imagino que a expressão "à flor da pele" tenha sido cunhada para não dizer que estou predisposta a ter reações físicas e químicas a qualquer coisa que interagir comigo no meio ambiente.

É assim que me sinto. E assim que as pessoas se sentem quando vêem cenas terríveis, quando vêem ataques terroristas, quando assistem a assaltos no meio da rua, quando têem suas economias confiscadas, quando vêem filmes pornôs, quando são traídas, quando traem, quando matam. Ainda que essas interações surtam emoções completamente diferentes no corpo.

O que é emoção? Não apenas no sentido positivo, mas a emoção no sentido original... algo que me move. O que produz emoção? O que costuma me levar a sensações boas ou ruins? Como meu corpo reage? Como minha mente recebe? Como eu sentiria emoções se não tivesse um corpo com mente? Onde estão as suas emoções? No cérebro ou no coração? Pois eu digo que as minhas estão em meu corpo todo. Elas aparecem nos olhos, na pele, nos joelhos e na saliva. São reações químicas e fisiológicas que me vêem a partir de um disparador sentido e emocionado.

Essa discussão vem dos tempos de Descartes, mas sempre importunou a filosofia. A tentativa de explicar a mente e sua relação com o corpo persiste. Muitos cientistas, de várias áreas, escreveram sobre o assunto, alguns com a ironia fina de quem se acha superior. Digno de nota um artigo da década de 50 ou 60, "Por que a mente está na cabeça", respondido por outros cientistas da seguinte forma: "Por que a mente não está na cabeça". Ou textos como "O que o olho do sapo diz para o cérebro do sapo". Além de diálogos memoráveis, especialmente na lingüística, intitulados: "Como fazer coisas com palavras", escrito por Austin, respondido por Fish: "Como fazer coisas com Austin".

Deixando a literatura um pouco de lado, pode ser bom parar para pensar sobre o corpo, a mente, o pensamento. E contribuir para as ciências cognitivas com um público-leitor pensante.

Para ir além






Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 1/12/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Tem fim do mundo para todo mundo de Alexandre Ramos


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2004
01. Ler muito e as posições do Kama Sutra - 2/6/2004
02. Autor não é narrador, poeta não é eu lírico - 24/3/2004
03. Em defesa dos cursos de Letras - 6/10/2004
04. Literatura como arte - 25/8/2004
05. Mulheres de cérebro leve - 13/2/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CASA DO POETA BRASILEIRO DE PRAIA GRANDE-SP
VARIOS AUTORES
FOLHA DA BAIXADA
(2009)
R$ 25,00



TESTEMUNHOS E ENSINAMENTOS
MILTON CAMPOS
JOSÉ OLYMPIO
(1972)
R$ 20,00



LIMITES DO PODER DE REFORMA DA CONSTITUIÇÃO
ARMENIO DE OLIVEIRA DOS SANTOS
CONCEITO
(2009)
R$ 13,00



KIT CARSON - COLEÇÃO SARAIVA
RALPH MOODY
SARAIVA
(1957)
R$ 10,00



LAZARILLO DE TORMES - COLEÇÃO CLÁSSICOS INFANTIS
LÉA E. PASSALACQUA TRADUÇÃO
MALTESE (SP)
(1992)
R$ 24,00



MILLE MIGLIA 2005
1000 MIGLIA
LA MILLE MIGLIA EDITRICE
(2005)
R$ 190,00



SEBASTIANA QUEBRA-GALHO
NENZINHA MACHADO SALLES
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1996)
R$ 19,83



O QUE OS EXECUTIVOS PRECISAM SABER SOBRE GERENCIAMENTO DE PROJETOS
HAROLD KERZNER, FRANK P. SALADIS
BOOKMAN
(2011)
R$ 79,00



SELEÇÕES DO READERS DIGEST DE SETEMBRO DE 1961
TITO LEITE REDATOR CHEFE
YPIRANGA
(1961)
R$ 7,00



VAMPIRISMO
J. HERCULANO PIRES
PAIDEIA
(1987)
R$ 12,00





busca | avançada
37900 visitas/dia
1,3 milhão/mês