Digite seu nome no Google | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
32662 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Vocalista da banda Big Mountain, Quino apresenta-se no Sesc Belenzinho dia 15 de dezembro
>>> Sesc Belenzinho apresenta show que celebra Declaração Universal do Direitos Humanos
>>> Mosteiro de São Bento: 50 anos da morte de Thomas Merton
>>> Residência Artística FAAP: espaço democrático onde os artistas de todo o mundo se encontram
>>> Última Terça Aberta do ano apresenta dois solos no Kasulo
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As palmeiras da Politécnica
>>> Como eu escrevo
>>> Goeldi, o Brasil sombrio
>>> Do canto ao silêncio das sereias
>>> Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela
>>> A barata na cozinha
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O Voto de Meu Pai
>>> Inferno em digestão
>>> Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos
Colunistas
Últimos Posts
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
>>> Conceição Evaristo em BH
>>> Regina Dalcastagné em BH
>>> Leitores e cibercultura
Últimos Posts
>>> A verdade? É isso, meme!
>>> Ser pai, sendo filho - poema
>>> A massa não entende
>>> ARCHITECTURA
>>> Os Efeitos Colaterais do Ano no Mundo
>>> A Claustrofobia em Edgar Allan Poe - Parte I
>>> Casa de couro V
>>> Heróis improváveis telefonam...
>>> Um lance de escadas
>>> No tinir dos metais
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O estilo de Freddie Hubbard
>>> Cartas a um jovem escritor
>>> Livros, brinquedos, bichos de estimação e imagens
>>> 8º Cordas na Mantiqueira, em São Francisco Xavier
>>> Corpo é matéria, corpo é sociedade, corpo é ideia
>>> Mostra SP: EUA Contra Lennon
>>> Cores Paulistas e os Quatro Anos da IQ Art Gallery
>>> Ensaio.Hamlet e a arte de se desconstruir quimeras
>>> nem tanto assim
>>> Sob o domínio do Mal
Mais Recentes
>>> Conjugação dos Verbos Em Português de Maria Aparecida Ryan pela Ática (2012)
>>> Em Busca do Sonho, Vinte Anos de Aventuras da Família Schurmann de Heloisa Schurmann pela Record (2006)
>>> As Cidades do Brasil - Florianópolis de José Geraldo Couto e Caio Vilela pela PubliFolha (2006)
>>> Recursos Pesqueiros Estuarinos e Marinhos do Brasil de Melquíades Pinto Paiva (Coord.) pela Ufc (1997)
>>> La Nausée de Jean-Paul Sartre pela Le Livre de Poche (1966)
>>> A Fishkeeper's Guide to Marine Fishes de Dick Mills pela Salamander (1985)
>>> Nada de Novo no Front de Erich Maria Remarque pela Edibolso (1977)
>>> O Médico e o Monstro de Robert Luis Stevenson pela Bup (1963)
>>> Teoria e Prática em Aquarismo Marinho de W. Naccarato pela Direkta (1983)
>>> Cristo Minha Vida de Clarence J. Enzler pela Paulinas (1974)
>>> Princípios de Filosofia de René Descartes pela Guimarães (1984)
>>> Problemática de Estética e Estética Fenomenológica de Moritz Geiger pela Progresso (1958)
>>> O Papel da Violência na História de Friedrich Engels pela Poveira
>>> Le Nouveau Roman de Jean Ricardou pela Editions du Seuil (1973)
>>> Quints 1, 2, 3, 4, 5 - The Cleanup de Little Golden Book pela A Golden Book (1990)
>>> Winnie the Pooh and the Missing Bullhorn de Walt Disney's pela A Golden Book (1991)
>>> Mickey's Christmas Carol de Walt Disney Productions pela A Golden Book (1991)
>>> The Little Mermaid de Walt Disney Pictures pela A Golden Book (1991)
>>> Lady and the Tramp de Walt Disney's pela A Golden Book (1991)
>>> Geografia Interativa 8º Ano: A estrutura do Poder: América e África de Luís Roberto Halama e Sandra Lessa da Silva Ferreira pela Casa Publicadora Brasileira (2011)
>>> História Interativa: 9º Ano: Integrada de Ubirajara F. Prestes Filho e Edson Xavier pela Casa Publicadora Brasileira (2012)
>>> Geografia Interativa 9º Ano: Recursos Naturais, Europa, Ásia e Oceania de Luís Roberto Halama e Sandra Lessa da Silva Ferreira pela Casa Publicadora Brasileira (2012)
>>> Ensino Religioso: Conexão Essencial: 8ª Série - 9º Ano de Adolfo S. Suárez e Marcos De Benedicto e Rodrigo P. Silva pela Casa Publicadora Brasileira (2012)
>>> O caso Oppenheimer de Heimar Kipphardt pela Brasiliense (1966)
>>> Renato Russo - O filho da Revolução - Edição especial de Carlos Marcelo pela Agir (2009)
>>> Renato Russo - O filho da Revolução de Carlos Marcelo pela Agir (2013)
>>> A Fera de Macabu (A História e o Romance de Um Condenado à Morte) de Carlos Marchi pela Record (1998)
>>> Foklore fondano de Insegnante Dario Lo Sordo pela Associazione maestri Cattolici
>>> A Assombração da Casa da Colina de Shirley Jackson pela Suma (2018)
>>> A Assombração da Casa da Colina de Shirley Jackson pela Suma (2018)
>>> O Demônio do Meio Dia um Anonimato da Depressão de Andrew Solomon pela Companhia das Letras (2018)
>>> O Demônio do Meio Dia um Anonimato da Depressão de Andrew Solomon pela Companhia das Letras (2018)
>>> O Demônio do Meio Dia um Anonimato da Depressão de Andrew Solomon pela Companhia das Letras (2018)
>>> Fogo & Sangue - Volume 1 de George R. R. Martin pela Suma (2018)
>>> Fogo & Sangue - Volume 1 de George R. R. Martin pela Suma (2018)
>>> Apontamentos De Viagem de Moraes, Joaquim De Almeida Leite pela Penguin Companhia (2011)
>>> Apontamentos De Viagem de Moraes, Joaquim De Almeida Leite pela Penguin Companhia (2011)
>>> Apontamentos De Viagem de Moraes, Joaquim De Almeida Leite pela Penguin Companhia (2011)
>>> Apontamentos De Viagem de Moraes, Joaquim De Almeida Leite pela Penguin Companhia (2011)
>>> Apontamentos De Viagem de Moraes, Joaquim De Almeida Leite pela Penguin Companhia (2011)
>>> Apontamentos De Viagem de Moraes, Joaquim De Almeida Leite pela Penguin Companhia (2011)
>>> Apontamentos De Viagem de Moraes, Joaquim De Almeida Leite pela Penguin Companhia (2011)
>>> Norte de Soldan, Edmundo Paz pela Companhia Das Letras (2013)
>>> Norte de Soldan, Edmundo Paz pela Companhia Das Letras (2013)
>>> Norte de Soldan, Edmundo Paz pela Companhia Das Letras (2013)
>>> Norte de Soldan, Edmundo Paz pela Companhia Das Letras (2013)
>>> Norte de Soldan, Edmundo Paz pela Companhia Das Letras (2013)
>>> Norte de Soldan, Edmundo Paz pela Companhia Das Letras (2013)
>>> Norte de Soldan, Edmundo Paz pela Companhia Das Letras (2013)
>>> Raylan de Leonard, Elmore pela Companhia Das Letras (2013)
COLUNAS >>> Especial Google

Quarta-feira, 8/3/2006
Digite seu nome no Google
Ana Elisa Ribeiro

+ de 30800 Acessos
+ 3 Comentário(s)

O que é Google?

Se você der uma passadinha no site da empresa Google, vai ver que há explicação para esse nome. Segundo eles, Google provém de "Googol", um termo da matemática que designa o 1 seguido de 100 zeros. Essa gracinha verbal tem a ver com a missão da empresa: organizar o montalhão de informações dando sopa pela Rede.

Considerada a maior empresa internacinoal de busca na Internet, a Google fez uma visitinha ao Brasil no final do ano passado para comprar mais tecnologia. Os executivos Larry Page, presidente de produtos, e Sergey Brin, presidente de tecnologia, foram bater papo presencial com professores e pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais. E isso não é à-toa.

O Google foi criado em 1998 e tem, hoje, 3.482 funcionários espalhados pelo mundo, a maioria na sede, em Mountain View, na Califórnia. A empresa oferece mais ou menos 8 bilhões de URLs na Web. Na América Latina, o Brasil é o país de localização do Google. A visita a Belo Horizonte foi para comprar a Akwan, uma empresa mineira criada em 2000 por um grupo de professores da UFMG.

Funcionamento e virtude

Ainda me lembro de quando pesquisava pelo Yahoo. A Universidade Federal de Minas Gerais desenvolveu o Miner, que foi comprado pelo UOL. Achei o máximo. Depois fiz pesquisa pelo TodoBR, também da UFMG. Mas quando o Google apareceu, ah, não teve pra mais ninguém.

O Google funciona ajeitando tudo o que existe na Rede por freqüência de palavras e/ou de acessos. Se alguém pesquisa Carmen Miranda, a chance de cair em um site oficial é muito grande, porque ele é o mais acessado, mostra mais credibilidade e é onde o nome da artista aparece mais vezes. E assim por diante, vai-se pesquisando tudo.

Se eu quiser saber sobre bruxas e escrever "bruxa" no campo de pesquisa do Google, ele me mostrará todos os sites da Rede em que aparece a palavra "bruxa". Imagine que tragédia! Explosão de informação. Impossível pesquisar com um mínimo de precisão. Navegar não é preciso, desse jeito. Mas se eu apuser ali várias palavras relativas a bruxa, além de "bruxa", de maneira a especificar mais minha intenção, o resultado da pesquisa ficará mais próximo do que eu preciso. Capiscou?

Se eu quiser uma letra de música e escrever "estrada", apenas isso, vão aparecer todas as estradas do mundo digital na minha frente. Impossível trafegar por todas elas. Mas se eu fechar o cerco, posso colocar a frase inteira: "entre no meu carro, na estrada de Santos", aí, sim, a letra do Rei me aparece inteira. Posso copiar, colar no Word, planejar uma aula ou cantarolar. As chances de essa combinação inteira ("entre no meu carro, na estrada de Santos") aparecer em outro lugar é mínima. É por essas e outras que o Google é tão extraordinário. E mesmo assim, há quem consiga enganar o motor para ser mostrado em primeiro lugar na lista de procurados.

O que é uma "googada"

"Espera aí, vou dar uma googada aqui e te falo". Era assim que eu falava quando ficava devendo a resposta de algo a alguém. O Google era sempre a ferramenta de busca que me dava a esperança de encontrar algo sobre aquele assunto misterioso. No entanto, procurar não é coisa de máquina. Mesmo com um motor fabulosamente construído como este, quem manda na busca ainda é o leitor-usuário. Há algumas competências que não foram transferidas para a máquina e parece que não serão, ao menos ao longo do meu tempo de vida.

Quando uso o Google, antes de entrar na Internet, preciso querer algo, ter um objetivo, ter uma tarefa para cumprir. Isso é da alçada do leitor. A partir do meu objetivo, inicio uma procura com a ferramenta, mas isso também não resolve todos os meus problemas. É necessário saber procurar. Caso contrário, o Google, minha Mãe Dinah digital, voltará de mãozinhas abanando. Ou pior: responderá que existem milhões de páginas sobre aquele tema na Rede. Ai, meu Deus, e por onde começar? Daí vem aquela preguiça de vasculhar site por site, link por link, atrás de alguma coisa tão vaga quanto comum.

Recapitulando: o motor de busca é um espetáculo, mas tem que saber usar. Meu pai, sábio fazedor de filhos, já dizia: "sabendo usar não vai faltar". Essa frase jamais saiu da minha cabeça. Aliás, é dela que saem também as palavras-chave que ajudarão a encontrar meu site de pesquisa. Sigam meus passos:

1. Primeiro eu preciso saber o que quero procurar. A motivação pode ser qualquer uma: curiosidade infantil, pesquisa escolar, doutoramento, cantada, vontade de ajuntar páginas sobre qualquer coisa. Sei lá.

2. Depois eu preciso preencher o campo do Google com uma ou mais palavras e clicar em "pesquisar".

3. Quando ele vier com a resposta, trará uma lista de links por ordem de freqüência. Como assim? Bem, este é outro caso.

Gmail

Eu tinha um domínio na Internet. Era o patife.art.br. Foi meu lote na Lua desde 2001, quando eu e Lucas Junqueira resolvemos construir um site para publicar bobagens. O Patife foi desativado em 2006, agorinha mesmo. Junto com ele, foi-se meu endereço eletrônico mais conhecido. É claro que deu dó, mas eu tinha boas razões para abandonar o domínio.

Para começar, nosso serviço de hospedagem estava muito caro. Havia outros tão bons quanto, cobrando um terço do preço. Mas minha preguiça de manter o site não me deixava tomar a iniciativa de mudá-lo de lugar. Além disso, migrar meus e-mails armazenados daria muito trabalho.

Nossa hospedagem era um serviço prestado em São Paulo, por uma empresa bacana. Atendimento vip, para fazer jus ao preço, 0800, tira-dúvidas eficiente. Até que um dia a empresa foi comprada por outra, bem maior, e os serviços pioraram em razão inversamente proporcional. Uma lástima. A interface do e-mail ficou tão esquisita que passei a ter preguiça de ler minhas mensagens. Muito importante falar em interfaces gráficas, minha gente. Não basta enfeitar, tem que atender. Fui ficando chateada com a coisa, webmail fora do ar, manutenção toda hora, 0800 ineficiente, atendimento fraco. Para que pagar mais caro? No serviço antigo, a interface do webmail era simples, até feia, mas muito funcional. Neste, bombadão, a interface era bonitinha, mas ordinária. No entanto, o que mais me irritou não foi isso, foi a piora extraordinária do serviço de busca interna do e-mail. Eu já não conseguia mais encontrar as mensagens e os endereços das pessoas. Foi quando me apresentaram o Gmail. Primeiro me deu uma preguiça imensa de mudar de endereço, mas quando me disseram que esta conta era do Google, ah, tudo mudou em minha vida. Logo que recebi o convite, pesquisei um login bonitinho e mandei brasa. Em poucos minutos, transferia meus dados para lá, tinha espaço para nadar de braçada, podia importar dados de todos os tamanhos e cores, meus contatos entravam automaticamente, eu começava a digitar um nome e o navegador apresentava o resto sozinho. Minha avó, assustada, diria que "isso é coisa do capeta".

Bem, melhor mesmo foi o motor de busca. Qualquer mensagem que eu quisesse aparecia em fração de segundo. Tudo à mão. Era a velha e boa sensação de trabalhar numa mesa com tudo ao alcance dos dedos. Coisa de sistema inteligente. Fiquei fã do Google e de tudo o que eles fazem. Meu próximo passo é instalar o desktop. Minha máquina vai ficar dos infernos!

Importância

Li em algum lugar que encontrar alguém no Google, especialmente entre os primeiros links, é boa medida da importância que se tem na Rede. Há quem exagere e pense até em importância no mundo. Não vamos adiantar as coisas. O fato é que vale a pena matar a curiosidade e digitar o nome na pesquisa do Google.

Fiz isso a primeira vez há alguns anos. Apareci lá no topo no Blocos Online, site de poesia da escritora carioca Leila Míccolis. Foi uma sensação gostosa. Pensei: "ótimo, estou fácil, extremamente fácil". E isso foi boa medida de como andava minha vida digital.

Atualmente, me digito no Google e o Digestivo Cultural aparece em primeiro lugar. Bom para nós dois. Depois vem meu blog, semidesativado; o Blocos Online, o Jornal de Poesia, o Portal Literal; eventos importantes: Seminário sobre o livro e a história editorial (Rio de Janeiro, Casa de Rui Barbosa), Revolução dos Cravos (com endereços portugueses), Salão do Livro (Belo Horizonte), Primavera do Livro (Rio de Janeiro), entre outros quitutes. Também me vejo perambulando pela Plataforma Lattes, pelas entrevistas do Paralelos e em blogs que nem conheço. Em todo caso, sempre com referência explícita. Bom, não? Sim, é bom.

Digite seu nome no Google e veja no que dá. Aprovação em concursos, lista de colégio, blogs amigos. Veja lá por onde seu nome anda. O Google costuma ser preciso. É um jeito divertido de ser ubíquo. Eis uma característica mirabolante do mundo digital: você está em todos os lugares e não desgasta, não tem cheiro e não solta tiras por aí.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 8/3/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Eu, personagens de mim de Carina Destempero
02. A vida sem assento de Elisa Andrade Buzzo
03. Expurgo, de Sofi Oksanen de Ricardo de Mattos
04. Tua melhor palavra ou teu melhor silêncio de Verônica Papoula Mendes
05. Confissões do homem invisível, de Alexandre Plosk de Ricardo de Mattos


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Ex-míope ou ficção científica? - 20/12/2006


Mais Especial Google
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
9/3/2006
00h16min
Gostei muito do relato da Ana, tinha coisas que nao sabia e nem imaginava... mas, afinal, sobre o google nao tem o que comentar, é incomparavel.
[Leia outros Comentários de Laercio Silva]
18/4/2006
09h59min
Grato, Ana Elisa, pelas preciosas informações sobre o Google. O Google é para a Web o que a Microsoft é para o computador: não tem para ninguém. Freqüentemente, sirvo-me do Google para saber se meus artigos tiveram alguma repercussão na Rede. A propósito: alguém já batizou seu filho com o nome de "Google"? Tem louco pra tudo...
[Leia outros Comentários de Félix Maier]
27/9/2010
14h56min
Ainda bem que não saio soltando meu último nome por aí... A propósito, é bom lembrar que é diferente, pelo menos comigo, digitar Nome Sobrenome de Último Nome e digitar "Nome Sobrenome..." (com aspas).
[Leia outros Comentários de Alexandre Maia]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DEMOLIDOR E BATMAN
CHICHESTERE MCDANIELE FISHERE WRIGHT
ABRIL JOVEM
R$ 14,80



LA VOZ DE DIOS
CINDY JACOBS
BETÂNIA
(1996)
R$ 50,00



RODA DA FORTUNA
MARTIN SCHULMAN
ÁGORA
(1988)
R$ 20,00



WICCA Nº 25 - ORÁCULOS II - NOSTRADAMUS - BOLA DE CRISTAL - TAROT
EDDIE VAN FEU
MODUS
R$ 15,00



HISTÓRIAS DE UM CANTO DO MUNDO: MEMÓRIAS DE PORTO ALEGRE E DO RIO GRANDE DO SUL
DEBORAH FINOCCHIARO, ROSINA DUARTE
TOMO EDITORIAL
(2008)
R$ 30,00



O VELHO E O MAR
ERNEST HEMINGWAY
FOLHA
(2003)
R$ 10,00



POESIA CHINESA CONTEMPORÂNEA; POESIA CHINESA CLÁSSICA
REVISTA POESIA SEMPRE, CHINA N°27 ANO 14
FBN
(2007)
R$ 29,82



REVISTA NINTENDO WORLD--187--CAPTAIN TOAD TREASURE TRACKER
CASE
CASE
R$ 18,00



NADA É IMPOSSÍVEL PARA DEUS
JOCYMAR FONSECA
CASA NAZARENO DE PUBLICAÇÕES
(2003)
R$ 18,00



DONNIE DARKO - EDITORA DARKSIDE
EDITORA DARKSIDE
DARKSIDE
(2016)
R$ 25,00





busca | avançada
32662 visitas/dia
1,1 milhão/mês