Vocês, que não os verei mais | Elisa Andrade Buzzo | Digestivo Cultural

busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FAAP discute Semana de Arte Moderna de 22
>>> Toda Quinta retoma 1ª edição no Teatro Vivo com menção a Dominguinhos
>>> ENSINAR A FAZER - MARCENARIA
>>> O Peso do Pássaro Morto faz duas sessões online dias 30 e 31/10
>>> Exposição recupera a memória da ditadura brasileira
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Michael Dell on Play Nice But Win
>>> A história de José Galló
>>> Discoteca Básica por Ricardo Alexandre
>>> Marc Andreessen em 1995
>>> Cris Correa, empreendedores e empreendedorismo
>>> Uma história do Mosaic
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
Últimos Posts
>>> Mundo Brasil
>>> Anônimos
>>> Eu tu eles
>>> Brasileira muda paisagens de Veneza com exposição
>>> Os inocentes do crepúsculo
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Meu primeiro computador pessoal
>>> Um homem de Oz
>>> 12 de Junho #digestivo10anos
>>> crônica - ou ensaio - à la hatoum
>>> Prenda-me se for capaz
>>> Sobre futebol e hinos nacionais
>>> Zeitgeist
>>> Capacidade de expressão X capacidade linguística
>>> Silêncio e grito
>>> Sejam Bem-Vindos
Mais Recentes
>>> Os fundamentos Históricos da Pedagogia Espírita de Pinheiro Martins pela Léon Denis (1967)
>>> Esculpindo o próprio destino de André Luiz Ruiz pela Ide (2008)
>>> Seara Vermelha de Jorge Amado pela Martins (1968)
>>> Espiritualismo cientifico a vida fora da matéria de Espiritualismo cientifico a vida fora da matéria pela Sem
>>> Manual de Direito dos Homossexuais de Cláudia Thomé Toni pela Srs (2008)
>>> Os Segredos da Grande Pirâmide de João Medeiros pela Ediouro (1986)
>>> Os Segredos da Grande Pirâmide de João Medeiros pela Ediouro (1986)
>>> Heróis de verdade de Roberto T. Shinyashiki pela Gente (2005)
>>> Almas gêmeas reecarnação de Luanda kaly pela Madras
>>> Espiritismo básico de Pedro Franco Barbosa pela Feb (1987)
>>> Em busca do mestre de Vinícius pela Feesp
>>> O Sistema de Pietro Ubaldi pela Fundapu (1984)
>>> Exilados por amor de Sandra Carneiro pela VivaLuz (2010)
>>> Os homens sempre voltam de Penélope parker pela L&Pm Editores (2008)
>>> A pessoa certa de Kathy Freston pela Fontanar (2010)
>>> Malungos na Escola Questões Sobre Culturas Afrodescendentes e Educação de Edmilson de Almeida Pereira pela Paulinas (2007)
>>> Desenvolvimento e crise no brasil 1930 1983 de Luiz carlos bresser pereira pela Brasiliense (1968)
>>> Observações sobre Édipo e observações sobre Antígona de Hölderkin & Beaufret pela Zahar (2008)
>>> Quem tem medo de envelhecer de Magdalena léa pela Record (1983)
>>> A coragem de mudar de José augusto de morais pela Record (1996)
>>> de Lynette Lucas pela Record (1989)
>>> Um só coração de Oneida terra pela Boa Nova (1999)
>>> Reflexões de Conversando com Deus de Neale Donald Walsch pela Ediouro (2006)
>>> A lei da atração para a vida o amor e a felicidade de Debbie frank pela Larousse (2008)
>>> Auto da barca do inferno de Gil Vicente pela Ateliê Editorial (2014)
COLUNAS

Quinta-feira, 2/2/2017
Vocês, que não os verei mais
Elisa Andrade Buzzo

+ de 3400 Acessos

Uma noite você se lembrará de uma sensação, de um fato, talvez até de uma pessoa a eles relacionada. E assim, num jorro veloz de pensamentos, irá demorar alguns segundos para reunir as pontas conhecidas do décor de uma história. O local exato dos acontecimentos não fará mais importância, apenas a sensação evocada pelas lembranças. E as paisagens exteriores, os cenários interiores, serão todos alçados gradativamente, como um livro que se abre subindo em maravilhosas dobraduras, como paredes cenográficas que teimam em se grudar com a realidade.

Você se recordará até mesmo da lembrança da recordação, sugestões insinuantes, souvernirs, reminiscências guardadas em alguma caixa de papelão decorada. Há postais coloridos, em seu verso algo com bonita e pensada caligrafia. São imagens de locais que você nunca imaginou estar, mas que um dia lá esteve, como se tivesse entrado numa foto antiga e feito parte dela, atuando perigosamente num mundo que não fora o seu. Isso porque você forçou a entrada em uma outra dimensão, tão diversa da sua realidade. E agora, nada mais justo do que ter sido expulso do paraíso, e tudo estar longe, muito longe, em dessincronia, quase sem nunca um dia haver acontecido, dentro de espaços tão obscuros; são caminhos da perda e de infortúnio do despertencimento.

Nesses lugares perdidos há peixe, mãos e carpete quentes, prédios baixos avarandados em avenidas calmas, retilíneas, com fileiras de plátanos de caule descascado e folhas de tom esmaecido e formas recortadas. Ao longe, quem sabe onde a Terra se delimita de outros espaços, uma cadeia montanhosa se ergue com seus picos nevados. Esse ambiente antigo, refinado, só poderia estar no passado, mas ainda hoje você sabe que ele é como essa imagem esmorecida, um inverno amarronzado, galerias muito antigas com perfumes e objetos sempre num descompasso temporal com o primeiro mundo, lojas com roupas antiquadas expostas e abertas como se fantasmas a vestissem, nas vitrines de iluminação amarelecida.

E, com o susto, mas com a devida calma das almas pelo tempo serenadas, entorna para dentro toda aquela água negra e estrondosa, que deve ser represada, para então acordar sabendo que algo é iminente, prosseguindo na construção de outros embaraços. Tudo isso talvez porque hoje te chamaram por sua bebida no Starbucks, com um nome que na verdade não é o seu, mas de outro, dessa recordação macabra que me estende os dedos com um veneno.


Elisa Andrade Buzzo
São Paulo, 2/2/2017


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Educação divertida e diversão educativa de Carla Ceres
02. Por que os livros paradidáticos hoje são assim? de Gian Danton
03. Clássicos para a Juventude de Ricardo de Mattos
04. TV Infinita de Rafael Fernandes
05. Orgulho e preconceito, de Jane Austen de Fabio Silvestre Cardoso


Mais Elisa Andrade Buzzo
Mais Acessadas de Elisa Andrade Buzzo em 2017
01. A vida dos pardais e outros esquisitos pássaros - 14/12/2017
02. Vocês, que não os verei mais - 2/2/2017
03. Bruta manutenção urbana - 7/12/2017
04. Minha finada TV analógica - 6/4/2017
05. Da varanda, este mundo - 10/8/2017


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Como Eu era Antes de Voce
Jojo Moyes
Intrinseca
(2013)



Seis Razões para Amar a Natureza
Nílson José Machado; Silmara Rascalha Casadei
Escrituras
(2011)



Dicionário de Eletrônica e Física do Estado Sólido
Ronaldo Sérgio de Biasi
Record
(1980)



O Farol
P. D. James
Companhia das Letras
(2006)



Arpas Eternas -Volumes 1/2/3 - Espanhol - Esoterico
Josefa Rosalia Luque Alvarez
Kier
(1980)



Convite
Roque Jacintho
Luz no Lar
(1991)



A Mulher Só
Harold Robbins
Record
(1976)



Sua Santità. Le Carte Segrete Di Benedetto Xvi
Gianluigi Nuzzi
Chiarelettere
(2012)



Power Pixels
Miguel Chevalier
Aeroplano
(2011)



Desejo de Pintar e Outros Poemas Em Prosa: de Charles Baudelaire
Charles Baudelaire
Noovha America
(2008)





busca | avançada
56607 visitas/dia
1,8 milhão/mês