Poesia para os ouvidos e futebol de perebas | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> A Arte de Amar: curso online desvenda o amor a partir de sua representação na arte e filosofia
>>> Consuelo de Paula e João Arruda lançam o CD Beira de Folha
>>> Festival Folclórico de Etnias realiza sua primeira edição online
>>> Câmara Brasil-Israel realiza live com especialistas sobre “O Mundo da Arte”
>>> Misturando música, filosofia e psicanálise, Poisé lança seu primeiro single
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A desgraça de ser escritor
>>> Um nu “escandaloso” de Eduardo Sívori
>>> Um grande romance para leitores de... poesia
>>> Filmes de guerra, de outro jeito
>>> Meu reino por uma webcam
>>> Quincas Borba: um dia de cão (Fuvest)
>>> Pílulas Poéticas para uma quarentena
>>> Ficção e previsões para um futuro qualquer
>>> Freud explica
>>> Alma indígena minha
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma aula com Thiago Salomão do Stock Pickers
>>> MercadoLivre, a maior empresa da América Latina
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> Philip Glass tocando Mad Rush
>>> Elena Landau e o liberalismo à brasileira
>>> O autoritarismo de Bolsonaro avança
>>> Prelúdio e Fuga em Mi Menor, BWV 855
>>> Blooks Resiste
>>> Ambulante teve 3 mil livros queimados
>>> Paul Lewis e a Sonata ao Luar
Últimos Posts
>>> Coincidência?
>>> Gabbeh
>>> Dos segredos do pão
>>> Diário de um desenhista
>>> Uma pedra no caminho...
>>> Sustentar-se
>>> Spiritus sanus
>>> Num piscar de olhos
>>> Sexy Shop
>>> Assinatura
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Nelson Freire em DVD e Celso Furtado na Amazônia
>>> Um caos de informações inúteis
>>> Asia de volta ao mapa
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Parei de fumar
>>> Ford e Eastwood: cineastas da (re)conciliação
>>> Amor à segunda vista
>>> O Gmail (e o E-mail)
>>> Diogo Salles no podcast Guide
Mais Recentes
>>> O Maior Sucesso do Mundo de Og Mandino pela Record (1994)
>>> O Céus e o Inferno de Allan Kardec pela Feb (1989)
>>> Amor, medicina e milagres - A Cura espontânea de doentes graves de Bernie S. Siegel pela BestSeller (1989)
>>> Mayombe de Pepetela pela Leya (2019)
>>> Os Segredos Para o Sucesso e a Felicidade de Og Mandino pela Record (1997)
>>> Para Viver Sem Sofrer de Gasparetto pela Vida E Consciencia (2002)
>>> Guía Rápida del Museo Nacional de Bellas Artes de Vários pela Mnba (1996)
>>> A profecia celestina de James Redfield pela Objetiva (2001)
>>> The Forecast Magazine January 2020 - 2020 de Diversos pela Monocle (2020)
>>> O Diário da Princesa de Meg Cabot pela Record (2002)
>>> The Forecast Magazine January 2017 - Time to Talk? de Diversos pela Monocle (2017)
>>> Mojo December 2018 de Led Zeppelin pela Mojo (2018)
>>> Mojo 300 November 2018 The Legends de Diversos pela Mojo (2018)
>>> Mojo 299 October 2018 de Paul McCartney pela Mojo (2018)
>>> Mojo 297 August 2018 de David Bowie pela Mojo (2018)
>>> Mojo 307 June 2019 de Bob Dylan pela Mojo (2019)
>>> Mojo 296 July 2018 de Pink Floyd pela Mojo (2018)
>>> Mojo April 2018 de Arctic Monkeys pela Mojo (2018)
>>> Mojo 294 May 2018 de Roger Daltley pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 April 2018 de Neil Young pela Mojo (2018)
>>> Mojo 292 March 2018 de Nick Drake pela Mojo (2018)
>>> Mojo 291 February 2018 de The Rolling Stones pela Mojo (2018)
>>> Mojo 290 January 2018 de The Jam pela Mojo (2018)
>>> Mojo 289 December 2017 de Bob Dylan pela Mojo (2017)
>>> Mojo 286 September 2017 de Allman Brothers pela Mojo (2017)
>>> Mojo 310 September 2019 de Tom Waits pela Mojo (2019)
>>> Mojo 309 August 2019 de Bruce Springsteen pela Mojo (2019)
>>> Mojo 304 March 2019 de Joni Mitchell pela Mojo (2019)
>>> Como cuidar do seu automóvel de Ruy Geraldo Vaz pela Ediouro (1979)
>>> Mojo 236 July 2013 de The Rolling Stones pela Mojo (2013)
>>> Mojo 250 January 2014 de Crosby, Still, Nash & Young pela Mojo (2014)
>>> Gilets Brodés - Modèles Du XVIII - Musée des Tissus - Lyon de Várioa pela Musee des Tíssus (1993)
>>> Mojo 249 August 2014 de Jack White pela Mojo (2014)
>>> Mojo 252 October 2014 de Siouxsie And The Banshees pela Mojo (2014)
>>> Mojo 251 October 2014 de Kate Bush pela Mojo (2014)
>>> Mojo 302 January 2019 de Kate Bush pela Mojo (2019)
>>> Mojo 274 September 2016 de Bob Marley pela Mojo (2016)
>>> Universo baldio de Nei Duclós pela Francis (2004)
>>> Mojo 245 April 2014 de Prince pela Mojo (2014)
>>> Mojo 256 March 2015 de Madonna pela Mojo (2015)
>>> Musée de La Ceramique - Visit Guide de Vários pela Cidev (1969)
>>> Mojo 159 February 2007 de Joy Division pela Mojo (2007)
>>> Mojo 170 January 2008 de Amy Whinehouse pela Mojo (2008)
>>> Mojo 229 December 2012 de Led Zeppelin pela Mojo (2012)
>>> Retrato do Artista Quando Velho de Joseph Heller pela Cosac & Naify (2002)
>>> No Tempo das Catástrofes de Isabelle Stengers; Eloisa Araújo pela Cosac & Naify (2015)
>>> Manual de esquemas de Klöckner- Moeller pela Do autor (1971)
>>> Inesgotáveis Enigmas do Passado de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Evidências dos Ovnis - As Ciências Proibidas de Vários pela Século Futuro (1987)
>>> Características de Deus que chamam a nossa atenção. de Silas Malafaia pela Central Gospel (2012)
COLUNAS >>> Especial Copa 2006

Quarta-feira, 7/6/2006
Poesia para os ouvidos e futebol de perebas
Ana Elisa Ribeiro

+ de 8900 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Os grandes poetas brasileiros nem sempre foram reconhecidos em vida. Embora alguns casos sejam memoráveis, na maioria das vezes autor e obra ficam para a garimpagem de gerações futuras. Talvez esse panorama tenha sido modificado pela difusão da informação por meio de várias mídias. Certamente, a invenção do rádio e da televisão acelerou a chegada de acontecimentos que demorariam a ser noticiados em épocas anteriores e, assim, também possa ter ajudado a divulgar a obra de escritores em vida, numa espécie de transmissão on-line. E ainda bem que é assim.

A internet também faz parte dessas possibilidades. Na atualidade, é razoavelmente fácil encontrar um escritor vagando pelas listas de discussão virtuais. E foi pela Internet que tive contato com Mônica de Aquino, ou melhor, com alguns de seus textos. Depois, pude conhecê-la pessoalmente em uma das edições do Salão do Livro, em Belo Horizonte. Agora, tenho em mãos o primeiro livro da autora.

Não sei exatamente como, mas quando se encontra poesia há um clique diferente. Não são apenas palavras amontoadas ou imagens empilhadas por metáforas. Não são sentidos distraídos de suas formas e nem as formas fazendo contas entre si. Quando é poesia, há preocupação com a linguagem. Ao mesmo tempo que há domínio, há a língua pregando peças num autor que se finge de desligado. Assim é com Mônica de Aquino.

A poeta nasceu em Belo Horizonte no último ano da década de 1970. A geração dos vinte e poucos anos acontece em forma de livros, e não apenas Mônica. O livro de estréia, Sístole, pela editora Bem-te-vi, do Rio de Janeiro, traz 35 poemas divididos nas partes "Ponto-cego", "Extra-sístole", "Fibrilação" e "Refluxo". Em cada uma delas, a poeta mostra a que veio com versos sensíveis e, principalmente, domados pela música. Neste caso, não a música do ritmo ou, necessariamente, da rima, mas a preocupação bastante evidente com o som, a combinação de palavras, a repetição de sílabas, como neste trecho quase Cruz e Sousa: "vagas no plágio/ do teu gosto/ plagas de areia/ búzio surdo -/ sumo -/ fresta (ferida)/ fundida/ em teu fogo-fátuo".

Mônica de Aquino não deixa de passear pela concisão, mas parece preferir toadas mais longas e vagas, assim como se deixasse o leitor com a sensação de navegar um mar calmo. Em alguns casos, soa leve, mas sem deixar de fazer sua incursão pela descrição poética de uma imagem. Em outros momentos, aparece com uma espécie de auto-retrato: "O que alcanço/ agarro./ E o excesso é cansaço/ mas sigo cega e não paro". Mais adiante, Mônica sugere uma brincadeira distraída com fonemas e planeja florações e amores distraídos. Basicamente, a poesia da autora é feita de silêncios e sensibilidade. Não se pode dizer que seja completamente madura. Também não se pode omitir que alguns textos precisassem de umas aparas em determinados trechos excessivamente assonantes ou em aliterações alongadíssimas. No entanto, neste primeiro livro, a poeta nasce forte e apaixonada. Resta preocupar-se mais com a linguagem exata, daquela que deixa no leitor a sensação de que não poderia ter sido de outro jeito.

Pelada Poética

Uma semana antes da Copa do Mundo, os poetas da capital mineira foram convocados para uma pelada no meio da rua. E olha que a rua era movimentada. O jogão aconteceu no meio da Savassi, nosso coração comercial mais bonito. Estávamos lá 22 escritores e seus textos sobre futebol. Parece piada? Parece, porque eu não sei nada sobre o riscado. Mas até que entendo de outros jogos, então dei a minha contribuição. Estão aqui a foto em que eu e Reinaldo batíamos uma bola e o texto que li lá. E é gol!

Tática para o seu time fazer gol no meu

meu quarto-zagueiro
mineiro
maneiro

deixa a defesa
e vem pro ataque

não dá moleza
banca o craque

faz um charme
toca a bola pelo meio

centro-avante
atirado, sem floreio

tá na minha área
com a canhota
nem me importa

bate firme
não me solta
nem relaxa

toca forte
e entra rasteiro

mira a rede
gol de placa
sem goleiro

Para ir além






Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 7/6/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. 'Hysteria' Revisitada de Duanne Ribeiro
02. Alice in Chains, por David De Sola de Luís Fernando Amâncio
03. O problema é com o assédio, não com os homens de Adriana Baggio
04. Um alucinante encontro com Lula de Elisa Andrade Buzzo
05. Impressões do jovem Engels de Celso A. Uequed Pitol


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2006
01. Digite seu nome no Google - 8/3/2006
02. Eu não uso brincos - 27/9/2006
03. Não quero encontrar você no Orkut - 8/2/2006
04. Poesia para os ouvidos e futebol de perebas - 7/6/2006
05. Ex-míope ou ficção científica? - 20/12/2006


Mais Especial Copa 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
19/4/2010
00h22min
Gostei muito desse texto. Não escrevo muito bem, mas consigo admirar algo bem escrito. Sobre a trajetória de grandes escritores, o texto relata uma verdade. Muitos obtiveram a glória após a morte, e isso me soa um tanto triste. Pois, lutaram muito pelo que buscavam, até morreram com esse empenho, sem ao menos ver ou obter a tão sonhada glória. Parabéns...
[Leia outros Comentários de Ronaldo Bernardes]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ACT MATH FOR DUMMIES
MARK ZEGARELLI
FOR DUMMIES
(2011)
R$ 17,50



PERSPEKTIVLEHRE
ERHARD GULL
ND
R$ 58,36



GÊMEOS NÃO SE AMAM
ROBERT LUDLUM
RECORD
(1976)
R$ 5,00



A REPÚBLICA BRASILEIRA 1964- 1984
EVALDO VIEIRA
MODERNA
R$ 5,00



SERESTA MINEIRA
LAR DE PAULA
LAR DE PAULA
R$ 40,00



É PROIBIDO CHORAR
J. M. SIMMEL
NOVA FRONTEIRA
R$ 5,00



REUNIAO DE PAIS: SOFRIMENTO OU PRAZER? - 2ª ED.
BEATE G. ALTHUON / CORINNA H. ESSLE / ISA S. STOEB
CASA DO PSICÓLOGO
R$ 11,00



VALA CLANDESTINA DE PERUS
VARIOS AUTORES
INSTITUTO MACUCO
(2012)
R$ 5,12



AÇÕES INSTITUCIONAIS DE AVALIAÇÃO E DISSEMINAÇÃO DE TECNOLOGIAS EDUCAC
RICARDO AZAMBUJA SILVEIRA
DO AUTOR
R$ 5,00



O CARNÊ DOURADO
DORIS LESSING (A MAIOR ESCRITORA VIVA DE LÍNGUA INGLESA)
CÍRCULO DO LIVRO
(1985)
R$ 25,00
+ frete grátis





busca | avançada
50801 visitas/dia
2,6 milhões/mês