Um álbum que eu queria ter feito | Rafael Lima | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
Mais Recentes
>>> O Homem Eterno de G. K. Chesterton pela Mundo Cristão (2010)
>>> O Observador no Escritório de Carlos Drummond de Andrade pela Record (1985)
>>> Verde e Branco Ano 1 Número 1 Abril de 2004 de Eduardo Del Claro Jornalista pela Sulminas (2004)
>>> Verde e Branco Ano 1 Número 1 Abril de 2004 de Eduardo Del Claro Jornalista pela Sulminas (2019)
>>> Nada a perder volume 3 de Edir Macedo pela Planeta (2014)
>>> Campinas no início do século 20: percursos do olhar de Suzana Barretto Ribeiro pela Annablume (2006)
>>> A privataria tucana de Amaury Ribeiro Júnior pela Geração Editorial (2012)
>>> Campinas: visões de sua história de Lília Inés Zanotti de Medrano pela Átomo (2006)
>>> Direito Romano - Vol. II de José Carlos Moreira Alves pela Forense (2003)
>>> Divinas Desventuras: Outras Histórias da Mitologia Grega de Heloisa Prieto pela Companhia das Letrinhas (2011)
>>> Le Nouveau Sans Frontières 1 - Méthode de Français de Philippe Dominique e Jacky Girardet e Michele Verdelhan e Michel Verdelhan pela Clé International (1988)
>>> Sobrevivência de Gordon Korman pela Arx Jovem (2001)
>>> Ética Geral e Profissional de José Renato Nalini pela Revista dos Tribunais (2001)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Abril (1982)
>>> O Menino no Espelho de Fernando Sabino pela Record (2016)
>>> Labirintos do Incesto: O Relato de uma Sobrevivente de Fabiana Peereira de Andrade pela Escrituras-Lacri (2004)
>>> Mas Não se Mata Cavalos ? de Horace McCoy pela Círculo do Livro (1975)
>>> Ponte para Terabítia de Katherine Patersin pela Salamandra (2006)
>>> O Desafio da Nova Era de José M. Vegas pela Ave-Maria (1997)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1970)
>>> Trabalho a Serviço da Humanidade de Escola Internacional da Rosa Cruz Áurea pela Rosacruz (2000)
>>> Casa sem Dono Encadernado de Heinrich Boll pela Círculo do Livro (1976)
>>> Ensinando a Cuidar da Criança de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Ensinando a Cuidar da Mulher, do Homem e do Recém-nascido de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Luxúria Encadernado de Judith Krantz pela Círculo do Livro (1978)
>>> Fundamentos, Conceitos, Situações e Exercícios de Nébia Maria Almeida de Figueiredo (org.) pela Difusão (2004)
>>> Personality: How to Unleash your Hidden Strengths de Dr. Rob Yeung pela Pearson (2009)
>>> Um Mês Só de Domingos de John Updike pela Record (1975)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Um Mês Só de Domingos Encadernado de John Updike pela Círculo do Livro (1980)
>>> Caravanas de James Michener pela Record (1976)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> A Terra Ainda é Jovem de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1981)
>>> Deus Protege os Que Amam de J.M. Simmel pela Nova Fronteira (1977)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> Um Ônibus do Tamanho do Mundo de J. M. Simmel pela Nova Fronteira (1976)
>>> O Quarto das Senhoras de Jeanne Bourin pela Difel (1980)
>>> Beco sem Saída de John Wainwright pela José Olympio (1984)
>>> Casais Trocados de John Updike pela Abril (1982)
>>> O Hotel New Hampshire Encadernado de John Irving pela Círculo do Livro (1981)
>>> As Moças de Azul de Janet Dailey pela Record (1985)
>>> Amante Indócil Encadernado de Janet Dailey pela Círculo do Livro (1987)
>>> A Rebelde Apaixonada de Frank G. Slaughter pela Nova Cultural (1986)
>>> Escândalo de Médicos de Charles Knickerbocker pela Record (1970)
>>> A Turma do Meet de Annie Piagetti Muller pela Target Preview (2005)
>>> O Roteiro da Morte de Marc Avril pela Abril (1973)
>>> Luz de Esperança de Lloyd Douglas pela José Olympio (1956)
>>> Confissões de Duas Garotas de Aluguel de Linda Tracey e Julie Nelson pela Golfinho (1973)
>>> Propósitos do Acaso de Ronaldo Wrobel pela Nova Fronteira (1998)
>>> Olho Vermelho de Richard Aellen pela Record (1988)
COLUNAS

Terça-feira, 6/11/2001
Um álbum que eu queria ter feito
Rafael Lima

+ de 12600 Acessos
+ 1 Comentário(s)



Maurício de Souza meio que desmoralizou a expressão quando disse, na orelha do álbum Quadrinhos em Fúria, que Luiz Gê fez as histórias que ele gostaria de ter feito, afinal, até hoje ninguém conseguiu entender direito por que alguém que queria fazer histórias adultas de vanguarda em preto e branco acaba desenhando gibis coloridos para crianças. Mesmo assim, acredito que ela ainda esteja no prazo de validade para que eu possa utilizá-la aqui de novo: Jano fez o álbum que eu gostaria de ter feito.

Acho que a maneira mais fácil de apresentar Jano é simplesmente dizer que ele é o ídolo do Angeli. Não, o Angeli nunca reconheceu isso, mas já o vi numa entrevista na Tv listando as semelhanças: são da mesma geração, têm influência do underground norte-americano, fazem quadrinhos como se fosse rock'n'roll. A diferença, que ele não disse, conto eu aqui: Jano é francês, enquanto Angeli é paulista. Motivo suficiente para dar a uma história ares de mito, que troco de parágrafo para contar.

Diz que um belo dia Jano abriu o jogo com seu editor: andava insatisfeito com suas histórias em quadrinhos, estava precisando de uma reciclagem, seria bom dar uma parada. O editor achou razoável e enviou-o para uma viagem de férias de 6 meses na África. Ao fim dos quais, Jano retornou à França, criou um personagem novo, Keubla, pequeno contrabandista envolvido nas vicissitudes da sobrevivência entre as miseráveis aldeias alfricanas, e, mais importante: fez uma série de pranchas em aquarela captando paisagens humanas observadas em sua viagem, que acabou sendo publicado como o primeiro dos Carnets de Voyage de Jano: Carnet d'Afrique. Vendeu, foi um sucesso, e acabou transformando-o num desenhista globe-trotter, que passa parte de sua vida caçando imagens para seus cadernos de viagem (Hugo Pratt já fizera coisa semelhante muitos anos antes para compor as aventuras de Corto Maltese, primeira referência quando se fala em viagens e quadrinhos). E o Angeli? Teve que se resignar em não desgrudar a bunda da prancheta por mais de uma semana, que dirá seis meses na África, porque o mercado brasileiro de quadrinhos nem de perto se compara ao francês...

Acelerando um pouco a história, depois da África Jano veio a passar 3 meses viajando pela Índia, em companhia dos também cartunistas Dodo e Ben Radis, com quem criou Bonjour Les Indes, contendo texto e tiras em quadrinhos, ao invés de apenas ilustrações, no final dos anos 80. Por volta dessa época, seus únicos trabalhos publicadas no Brasil eram as primeiras histórias curtas de Kebra (de 78 a 82), ainda em parceria com Tramber, pela revista Animal. Apenas em 1991, com o lançamento de Wallaye! - que reúne as principais histórias de Keubla - pela editora Abril e a lindíssima exposição Ça, C'est la France en Bande Dessineé, por ocasião da 1ª Bienal Internacional de Quadrinhos, é que vim a conhecer direito o trabalho de Jean Leguay, dito Jano. Dois anos depois, a embaixada francesa traria uma exposição deslumbrante ainda que pequena, com alguns originais dos Carnets africano e indiano. Foi ali que eu fiquei particularmente impressionado com a imagem tocante de um pequeno povoado africano assistindo a televisão, e uma assustadora uma estação de trem indiana apinhada de pessoas dormindo, às vistas de dois impotentes policiais. Até um burro tinha na estação.

Durante os quase dez anos que se seguiram, pouco ouvi falar em Jano; soube que ele esteve na 2ª Bienal, em 93, quando podia ser encontrado mais facilmente no boteco em frente do que no pavilhão principal; soube que ele voltou para a terceira edição, já em Belo Horizonte, 1997, e mais nada. Mal sabia que, nesse meio tempo, os Carnets continuaram com Paname, um álbum completo sobre a cidade em cujo subúribio mora: Paris, provando que na sua casa de ferreiro o espeto não era de pau.

Em Paname ele consegue a difícil tarefa de conjugar recantos inesperados com palcos mais tradicionais de Paris: tem crianças brigando em frente ao laguinho do Jardim de Luxemburgo num domingo de sol, tem uma tentativa de rave numa catacumba, tem namorados fazendo piquenique no extremo da Îlle da la Cité, tem os engolidores de fogo que ficam na frente do Centro Georges Pompidou, tem as bancas que vendem livros antigos na Rive Gauche do Sena.
Depois, do nada, ouvi dizer que Jano estava vindo para o Rio de Janeiro registrar imagens da cidade para um álbum, com patrocínio da prefeitura. Seria possível que justo a minha cidade natal viraria mais um Carnet de Voyage? Notícias perdidas na imprensa, ao longo de 2000, avisavam que Jano tinha efetivamente se mudado para um casarão em Santa Teresa, onde ele moraria por algum tempo... Qual não foi minha surpresa quando vi, agora em outubro, numa livraria em Paris, o álbum Les Carnets de Voyage de Jano - Rio de Janeiro. Ele tinha feito.

Morro da Mangueira Não é preciso mais do que a capa da edição francesa para ver o estilo adotado: ao enquadrar o Pão de Açúcar no pôr do sol visto da praia do Flamengo, não deixou de fora a imundice que os banhistas deixam na areia, o catador de latas assediando aquele restinho de cerveja já quente tomado por uma mulher enrolada na bandeira do Brasil. Existe uma característica criticável nesse estilo que é um jeito meio Sebastião Salgado de ficar glamourizando o lado mais pobre das cidades - raros são os cartões postais que ele reproduz, e ainda assim, os que aparecem vêm sob ótica inusitada: pescadores noturnos se rendendo à poluição no bruxuleante cenário noturno da Lagoa Rodrigo de Freitas. E dá-lhe desenho de populares em Madureira, "le banlieu profonde", das favelas de São Carlos e do Vidigal, do Morro da Mangueira (visitado pela primeira vez ainda em 93). Até para o Burro-sem-rabo, catador de papéis, e Sem teto uma das 30 imagens foi reservada.

Mas há coisas inacreditáveis ali, e não falo do plano do anel interno do Maracanã a partir da torcida do Flamengo em dia de decisão. É quando ele captura certo tipo de riquíssima cena cotidiana que pode passar despercebida ao turista mais desatento (ou mais preocupado com as paisagens de cartão postal), fotografando o que talvez seja o espírito das ruas do Rio de Janeiro: a vitrine de uma loja em Madureira, no melhor estilo dos comerciantes do Saara; um engarrafamento no centro da cidade - onde se nota o nome do Ota, um de seus principais anfitriões em 93, pichado em um muro - onde a quantidade de vezes que os motoristas faziam o sinal de "tudo bem" com o polegar levantado o impressionou; um autêntico botequim pé sujo, refúgio da madrugada; os recantos de Pedra de Guaratiba e da Floresta da Tijuca; uma Paquetá irreal, que parece parada no tempo; os antigos prédios em estilo colonial português do Catete; o bonde de Santa Teresa, sobre cujos trilhos os bêbados voltam a cantar após uma festança; a feira de São Cristóvão. A propriedade com que Jano seleciona e reproduz os detalhes de cada uma dessas paisagens é de surpreender os nativos da cidade.

Luminária em Santa Teresa Na introdução, Wolinski, o Jaguar francês, que veio ao Rio com Jano em 93, conta como começou a história toda, fazendo um apelo: "É genial ter uma amigo que 'aquareliza' suntuosamente seus souvenirs confusos. Não me deixe jamais em todas as minhas viagens para imortalizar minhas lembranças e minhas emoções". Nem as nossas, nativos e moradores dos lugares que você visita, Jean.









Para ir além



Les Carnets de Voyage de Jano - Rio de Janeiro - edição francesa (Albin Michel)
Rio de Janeiro - Cadernos de Viagem - edição nacional (Casa 21 e Sinapse)



A edição nacional (capa acima) recebeu recursos do consulado da França, do Hospital Pró-Cardíaco e da prefeitura da cidade; o quadro escolhido para a capa foi o do calçadão de Copacabana. Foi do editor Roberto Ribeiro a iniciativa de produzir o álbum sobre o Rio, que acabou sendo publicado também pela Albin Michel na França.

O projeto Cadernos de Viagem visa retratar cidades brasileiras por diversos artistas; ao álbum de Jano devem se seguir o do catalão Miguelanxo Prado sobre Belo Horizonte; o do português Luís Louro sobre São Paulo, e o do niteroiense Marcelo Gaú sobre Salvador.


Rafael Lima
Rio de Janeiro, 6/11/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A pérola do cinema sul-americano de Guilherme Carvalhal
02. Alice in Chains, por David De Sola de Luís Fernando Amâncio
03. Existe na cidade alguém, assim como você... de Elisa Andrade Buzzo
04. Um DJ no mundo comunista de Celso A. Uequed Pitol
05. A Escolha de Alice de Marilia Mota Silva


Mais Rafael Lima
Mais Acessadas de Rafael Lima em 2001
01. Charge, Cartum e Caricatura - 23/10/2001
02. A diferença entre baixa cultura e alta cultura - 24/7/2001
03. Sobre o ato de fumar - 7/5/2001
04. Um álbum que eu queria ter feito - 6/11/2001
05. Vendem-se explicações do Planeta dos Macacos - 4/9/2001


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
21/12/2001
19h31min
Olá Rafael, Tudo bem? Parabéns, a matéria é excelente, bem documentada, recheada de links e em perfeito acordo com o que deve ser um texto para Internet. Eu sou o editor brasileiro do Cadernos de Viagem - Rio de Janeiro, do Jano. Eu fui um dos criadores da Bienal Internacional de Quadrinhos, realizada na cidade do Rio de Janeiro, em 1991. Atualmente, organizo um Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) na cidade de Belo Horizonte. A últiva versão do Festival aconteceu em outubro de 2001. Nós desenvolvemos o projeto "Cadernos de Viagem". O próximo álbum retratará a cidade de Belo Horizonte e será a vez do desenhista espanhol, Miguelanxo Prado e estamos em negociações com Will Eisner para desenhar São Paulo. Há muitos outros desenhistas previstos para esta coleção. O livro do Jano foi um tal sucesso que a primeira edição de 2.000 exemplares já foi esgotada. Na verdade, fomos nós que convidamos Jano e com os patrocínios conseguidos, financiamos toda a operação. Neste caso, a Albin Michel só pegou 'carona', assim como a editora do Miguelanxo Prado também o fará. O livro será igualmente editado na Espanha. Um abraço e, de novo, parabéns pelo artigo. Roberto Ribeiro Casa 21 Ltda
[Leia outros Comentários de Roberto Ribeiro]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A VINGANÇA DE MARX
SÉRGIO BATH; MEGHNAD DESAI
CONEX
(2004)
R$ 14,00



ENQUANTO ESTAMOS CRESCENDO
VALÉRIA PIASSA POLIZZI
ÁTICA
(2003)
R$ 14,00



NEGRINHA
OBRAS COMPLETAS DE MONTEIRO LOBATO
BRASILIENSE
(1951)
R$ 35,00
+ frete grátis



MACHADO E JUCA
LUIZ ANTONIO AGUIAR
SARAIVA
(2008)
R$ 12,00



HISTÓRIAS EM POESIAS
ANA DE VITO
TEXTO NOVO
(2012)
R$ 32,00



ENSINO DA LÍNGUA ENSINO DA LITERATURA DISCURSOS VOL 2 OUTUBRO EST
CARLOS REIS DIRETOR E OUTROS AUTORES
UNIVERSIDADE ABERTA
(1992)
R$ 22,33



TUDO AO MESMO TEMPO AGORA
ANA MARIA MACHADO
ATICA
(2004)
R$ 15,00



LIMPÔT PROGRESSIF EN THÉORIE ET EN PRATIQUE 8339
EDWIN R A SELIGMAN
V GIARD
(1909)
R$ 167,00



THE BANKING REGULATION REVIEW
JAN PUTNIS
LAW BUSINESS RESEARCH
(2011)
R$ 100,00



DIE GESELLSCHAFTLICHEN LEIDEN UND DAS LEIDEN AN DER GESELLSCHAFT
H P DREITZEL
FERDINAND EIKE
(1972)
R$ 17,28





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês