O economista que virou pop | Digestivo Cultural

busca | avançada
64349 visitas/dia
2,9 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Arsenal da Esperança faz ensaios de teatro com moradores em situação de rua
>>> Vem pra Feira do Pimp Estoque: Economia Circular com catadoras, catadores e artistas!
>>> Companhia de Danças de Diadema apresenta Nas Águas do Imaginar no Brincando na Praça
>>> Projeto cultural ensina adolescentes de Uberlândia sobre alimentação saudável
>>> MAS.SP exibe mostras de Presépios em comemoração ao Período Natalino
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
>>> O tipógrafo-artista Flávio Vignoli: entrevista
>>> Deixe-me ir, preciso andar, vou por aí a procurar
>>> Olimpíada de Matemática com a Catarina
>>> Mas sem só trapaças: sobre Sequências
>>> Insônia e lantanas na estreia de Rafael Martins
Colunistas
Últimos Posts
>>> Temer fala... (2023)
>>> George Prochnik sobre Stefan Zweig (2014)
>>> Hoffmann e Khosla sobre inteligência artificial
>>> Tucker Carlson no All-In
>>> Keleti: de engenheiro a gestor
>>> LeCun, Bubeck, Harris e a inteligência artificial
>>> Joe Satriani tocando Van Halen (2023)
>>> Linger by IMY2
>>> How Soon Is Now by Johnny Marr (2021)
>>> Jealous Guy by Kevin Parker (2020)
Últimos Posts
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Culpa não tem rima
>>> As duas faces de Janus
>>> Universos paralelos
>>> A caixa de Pandora do século XX
>>> Adão não pediu desculpas
>>> No meu tempo
>>> Caixa da Invisibilidade ou Pasme (depois do Enem)
>>> CHUVA
>>> DECISÃO
Blogueiros
Mais Recentes
>>> É Julio mesmo, sem acento
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O que não me mata, me fortalece
>>> A Caixa de Confeitos
>>> Não é assim um smartphone
>>> Cavernas e Concubinas
>>> A universalidade de Anish Kapoor
>>> Um texto com esmalte vermelho
>>> Como esquecer um grande amor
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (III)
Mais Recentes
>>> Livro Literatura Brasileira As Pessoas Lá De Fora de Gladston Mamede pela Longarina (2018)
>>> Livro Auto Ajuda A Vida do Bebê Cuidados e Medicamentos de Rinaldo de Lamare pela Ediouro (2006)
>>> Livro Didático Geração Alpha Matemática 9 de Carlos N. C. de Oliveira e Felipe Fugita pela Sm (2019)
>>> Cartografia Sentimental de Suely Rolnik pela Estação Liberdade (1989)
>>> Livro Infanto Juvenis O Passeio de Ciça pela Nova Fronteira (2003)
>>> Livro Didático História Conexões Parte I Das Origens do Homem à Conquista do Novo Mundo Moderna Plus de Alexandre Alves; Leticia Fagundes de Oliveira pela Moderna (2010)
>>> Livro Didático História Conexões Caderno do Estudante Parte III Moderna Plus Da Expansão Imperialista aos Dias Atuais de Alexandre Alves - Leticia Fagundes de Oliveira pela Moderna
>>> Logística Empresarial de Martin Christopher pela Cengage (2009)
>>> A Marca De Uma Lagrima de Pedro Bandeira pela Moderna (2013)
>>> Livro Capa Dura Infanto Juvenis Ver, Tocar E Sentir Dinossauros! de Mammoth World pela Happy Books (2020)
>>> Uma Introdução Às Equações Diferenciais Parciais de G. Stephenson pela Edgard Blucher (1975)
>>> Livro Infanto Juvenis Viagem ao Céu de Monteiro Lobato pela Globinho (2016)
>>> Livro Cinema Manual Do Roteiro O Desenvolvimento de Histórias, a Criação e Definição de Personagens, a Estrutura da Ação. Os Fundamentos do Texto. Das Cena de Abertura ao Roteiro Final. As Linhas Mestras para Tornar o Texto de Cinema e TV Acessível a Todo de Syd Field pela Objetiva (2001)
>>> Livro Infanto Juvenis Depois Que Papai Se Foi... de Júlio Emílio Braz pela Ftd
>>> Livro Comunicação em Prosa Moderna de Othon M. Garcia pela Fundação Getulio Vargas (1997)
>>> Anatomia Esotérica de Douglas Baker pela Mercuryo (1993)
>>> Planejamento e controle da produção de Idalberto Chiavenato pela Manole (2008)
>>> Livro Infanto Juvenis João e Maria Coleção As Sobrinhas da Bruxa Onilda de M. Company e R. Capdevila pela Scipione (2002)
>>> Livro Didático Moderna Plus História Conexões Parte II Caderno do Estudante Da Colonização da América ao Século XIX de Alexandre Alves e Letícia Fagundes de Oliveira pela Moderna
>>> O Misterio Da Casa Verde de Moacyr Scliar pela Ática (2005)
>>> Livro Capa Dura Infanto Juvenis Le Livre de la Jungle de Walt Disney pela France Loisirs (1979)
>>> Livro Literatura Estrangeira Marcador de Robin Cook pela Record (2007)
>>> Livro Didático História Conexões Parte III Da Expansão Imperialista aos Dias Atuais Moderna Plus de Alexandre Alves e Outros pela Moderna
>>> Nova História Crítica (Volume Único) de Mario Furley Schmidt pela Nova Geração (2005)
>>> A Linguagem Cinematográfica de Marcel Martin pela Brasiliense (2003)
BLOG >>> Posts

Quinta-feira, 6/7/2006
O economista que virou pop
+ de 1600 Acessos

Foi enterrado essa semana Arif Mardin, um dos mais premiados produtores musicais do pop. Mardin morreu em 25 de junho, devido a um câncer pancreático, diagnosticado há 18 meses. Só pelos números da carreira de Mardin já se desenha o impacto da perda: 12 prêmios Grammy - dois deles de melhor produtor do ano - e mais de 40 discos de ouro ou platina. Entre 30 de junho e 15 de julho, o festival de jazz de Montreux desse ano irá homenageá-lo com um tributo - vale lembrar que a carreira de Mardin, embora tenha se consagrado pelo pop, começou com o jazz.

Arif Mardin desembarcou no Logan Airport em janeiro de 1958, vindo de Istambul, na Turquia. Eram quatro da manhã de uma madrugada gelada do inverno de Boston e o arranjador de 26 anos decidiu virar a madrugada no hall do aeroporto, à base de coca-cola e chocolates, para economizar o dinheiro da diária do hotel. Ele tinha sido indicado como bolsista para a Berklee College of Music, por Quincy Jones, que estava em turnê em Istambul dois anos antes, com Dizzie Gillespie, e ficou impressionado com as composições do rapaz. Embora fosse fanático por jazz, Mardin já era graduado em economia pela Universidade de Istambul e pela London School of Economics e, até aquele momento, nem pensava em se tornar músico profissional.

Logo que se formou na Berklee, Mardin começou a trabalhar para a Atlantic Records Passou décadas como um dos maiores hit makers da gravadora, até se tornar vice-presidente sênior. Só saiu de lá mesmo porque chegou ao limite de anos para aposentadoria compulsória. Nesse momento, figuras-chave na indústria fonográfica norte-americana como Bruce Lundvall, presidente da Blue Note, e Roy Lott, presidente da EMI, ofereceram a Mardin e a outro veterano do mercado fonográfico, Ian Ralfini, os cargos recém-criados de vice-presidentes de um novo selo, o Manhatan Records, vindo da EMI.

Pelo Manhattan, a missão era produzir cabaret music e pop para adultos. Nada a ver com o perfil jovem que o fez explodir na Atlantic, com hit "Good Lovin", dos Young Rascals, de 1965. O sucesso que veio na seqüência foi "Respect", de Aretha Franklin. A música faz parte do álbum I Never Loved a Man (The Way I Love You) , que é considerado uma obra-prima do soul. Ao longo da carreira do produtor, a lista de artistas que trabalhou com ele não é apenas grande, mas bem eclética; vai de Bee Gees a Cher, passando por Phil Collins, Stevie Wonder, Smashing Pumpkins, Eric Clapton, Diana Ross, James Taylor, Barbra Streisand, Jewel e Queen, entre dezenas de nomes.

Num modelo como o do pop, em que o marketing é feito principalmente pelas rádios e pela MTV, um homem com esse faro para produzir sucessos comerciais acaba se tornando uma pessoa-chave. Não é comum resistir a esse mercado por quatro décadas. Mardin, numa aula magna do Berklee College of Music, deixou o seguinte conselho: "Quando você sentir nostalgia, tente resistir a ela e sem rejeitar a música do passado, olhe para o futuro".

Mardin trabalhava de forma bastante autônoma criativamente. Quando recebia material de um artista, preferia demos simples, em que apenas a linha melódica sobressaísse, em vez de trabalhos quase finalizados, cheios de idéias de outros produtores e arranjadores. Com apenas o essencial da música em mãos, podia criar com mais liberdade em cima das letras e melodias.

O último trabalho de repercussão em que o produtor esteve envolvido foi Come Away with Me, de Norah Jones, lançado pelo Manhattan. Mais delicado e limpo - bem diferente do estilo de Mardin na Atlantic -, lhe rendeu o segundo Grammy de melhor produtor. Latife, esposa de Mardin, disse ele estava envolvido com música até seus últimos dias. Mardin faleceu aos 74 anos, em Nova York.


Postado por Verônica Mambrini
Em 6/7/2006 às 09h48

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Evgeny Kissin no Virtual Verbier Festival de Julio Daio Borges
02. Palestra e lançamento em BH de Ana Elisa Ribeiro
03. Homenagem a Pipol de Julio Daio Borges
04. Em branco de Julio Daio Borges
05. V de Vingança (filme completo) de Julio Daio Borges


Mais Verônica Mambrini no Blog
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Quatro vidas de um cachorro
W. Bruce Cameron
Haper Collins
(2016)



Gramática normativa da língua portuguesa
Francisco Silveira Bueno
Saraiva
(1958)



American Indian Basketry
Otis Tufton Mason
Dover
(1988)



Folha de Corte
Lucia Romeu
Cátedra
(1988)



Respiração e Circulação
José A. Gaiarsa
Brasiliense
(1987)



Vidya Ano 5 N° 9
Ffclic
Ffclic
(1980)



Til
José de Alencar
Melhoramentos
(2012)



Chama Fatal
Lisa Jackson
Bertrand Brasil
(2009)



Os Remédios Florais do Dr. Bach Passo a Passo
Judy Howard
Pensamento



A Psiquiatria no Mundo Moderno
E. B. Strauss
Herder
(1962)





busca | avançada
64349 visitas/dia
2,9 milhões/mês