Um motor na civilização em crise - 2 | Cultura Transversal em Tempo de Mutação, blog de Edvaldo Pereira Lima

busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
>>> Bricksave oferece vistos em troca de investimentos em Portugal
>>> Projeto ‘Benzedeiras, tradição milenar de cura pela fé’ é lançado em multiplataformas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
>>> A pintura do caos, de Kate Manhães
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Breve História do Cinismo Ingênuo
>>> Minha cartomante não curte o Facebook
>>> Geza Vermes, biógrafo de Jesus Cristo
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os olhos brancos de Deus
>>> Alívios diamantinos
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Ser intelectual dói
>>> Simone de Beauvoir: da velhice e da morte
>>> Alice in Chains, Rainier Fog (2018)
Mais Recentes
>>> Almanaque Ilustrado Símbolos de Mark O'Connell & Raje Airey pela Escala (2017)
>>> Francisco Valdomiro Lorenz - Uma Obra com Vida de Waldomiro Lorenz pela Parma (2000)
>>> O Retorno à Origem de Lex Hixon pela Cultrix (1992)
>>> Episódio da Vida de Tibério de Wera Krijanowsky pela Lake (1999)
>>> Uma Breve História do Mundo de Geoffrey Blainey pela Fundamento (2011)
>>> Férias Pagãs - Na Trilha dos Antigos Turistas Romanos de Tony Perrottet pela Rocco (2006)
>>> A Luz que Cura Oração Pelos Doentes de Agnes Sanford pela Loyola (1985)
>>> Doze Passos Para os Cristãos Jornada Espiritual Com Amor-Exigente de Pe Haroldo J Rahm pela Loyola (2000)
>>> A Águia e a Galinha de Leonardo Boff pela Vozes (1997)
>>> Ele andou entre nós Evidências do Jesus Histórico de Josh Mcdowell pela Candeia (1998)
>>> Contabilidade de Custos de Osni Moura Ribeiro pela Saraiva (2013)
>>> Cachaça artesanal. Do alambique à mesa de Atenéia Feijó & Engels Maciel pela Senac Nacional (2001)
>>> Pirâmides E Soberanos Do Egito de Sérgio Pereira Couto pela Escala (2015)
>>> O Velho Monge do Castelo de Lauro Trevisan pela Mente (2010)
>>> Dinâmica do Desejo de Frei Carmelo Surian pela Vozes (1982)
>>> Testemunho Sem Medo Como Partilhar sua Fé com Segurança de Bill Bright pela Candeia (1988)
>>> Cachaça. The Authentic Brazilian Drink de Diversos Autores pela Abrabe (2010)
>>> Natal a Humanidade e a Jovialidade de Nosso Deus de Leonardo Boff pela Vozes (2000)
>>> Blitzkrieg 1940 de Ward Rutherford pela Bison (1985)
>>> Cantores do Rádio. A trajetória de Nora Ney e Jorge Goulart e o meio artístico de seu tempo de Alcir Lenharo pela Unicamp (1995)
>>> Titeres y marionetas en alemania de Hans R. Purshke pela Neue Darmstädter Verlagsanstalt Darmstadt (1957)
>>> Aritmética da Emília de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Caçadas de Pedrinho de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Histórias Diversas de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Emilia no País da Gramática de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Histórias de tia Nastácia de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Saci de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Picapau amarelo de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Os 13 Porquês de Jay Asher pela Ática (2009)
>>> Só o Amor é Real de Brian Weiss pela Sextante (2012)
>>> Memórias Póstumas de Brás Cubas de Machado de Assis pela Ciranda Cultural (2017)
>>> O clamor do Mundo de Oswaldo Smith pela Vida (2009)
>>> DVD Coleção Mazzaropi Tristeza do Jeca vol. 3 de Direção, Amácio Mazzaropi / Milton Amaral pela Pam filmes (1961)
>>> A Cinco Passos de Você de Rachael Lippincott pela Alt (2019)
>>> O Poço do Visconde de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Peter Pan de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Memórias da Emília de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> O Minotauro de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> História do Mundo para Crianças de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Dom Quixote das Crianças de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> As Aventuras de Hans Staden de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> A chave do Tamanho de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> viagem ao Céu de Monteiro Lobato pela Ciranda Cultural (2019)
>>> Serões de dona Benta de Monteiro Lobato pela Ciranda cultural (2019)
>>> Go Down Together The true Untold story of Bonnie and Clyde de Jeff Guinn pela Simon & Schuster (2009)
>>> Fbi--43--o grande golpe--105--41--67 de Monterrey pela Monterrey
>>> Hh--epopeias de guerra--375--furia e odio--6--160--146--153--158-- 23--141 de Peter kapra pela Monterrey
>>> Rpg--29--anjos e demonios--58--temporada de caça. de Trama pela Trama
>>> Egw--100--call of duty--black ops de Tambor pela Tambor
>>> A Saga dos Cristãos Novos de Joseph Eskenazi Pernidji pela Imago (2005)
BLOGS >>> Posts

Domingo, 2/8/2015
Um motor na civilização em crise - 2
Edvaldo Pereira Lima

+ de 1300 Acessos

Olhar rebelde no Brasil

Desde lá atrás na infância paulistana dos anos 1960, o engenheiro brasileiro Carlos César Sóos era um sonhador inveterado, ouvindo da mãe de vez em quando, filho, desce da lua! O pedido da mãe tornou-se impossível de atender quando pela primeira vez o ser humano pousou na dita cuja propriamente, Neil Armstrong e Buzz Aldrin representando toda a espécie no memorável voo da Apollo 11 em julho de 1969.
- Fiquei todo arrepiado ao ver aquelas imagens não muito nítidas, em preto e branco, na nossa televisão Astron. Passei dias imaginando como deveria ser a vida naquele mundo e para muito além dele. Minha admiração foi tanta que aprendi inglês em um ano. Escrevi à NASA pedindo fotos dos astronautas das missões à Lua. Recebi várias delas, três assinadas de próprio punho.
Se a mãe chamava à realidade, o pai apontava um horizonte de caminho possível, no difícil equilíbrio entre a fantasia e a realização. Filho de imigrantes húngaros, Miguel Sóos, apesar de pouca escolaridade formal, admirava imensamente o espírito empreendedor do intelecto humano. Particularmente era interessado em inventos de todos os tipos.
- Filho, seja inventor e cientista!
O estímulo de Miguel não era convencional, daqueles que você pode esperar de qualquer pai fissurado em tecnologia dura e que projeta no seu herdeiro, talvez, o sonho que não pôde realizar. A fala de Miguel tinha um diferencial:

- Quando você for cientista, procure unir ciência e espiritualidade. A ciência tem que ser guiada por cientistas que creem em Deus.
As palavras do pai desciam como melodia harmoniosa pelos ouvidos do menino sonhador:
- Eu ficava deitado à noite sobre a laje da cozinha da minha casa, no bairro Cidade Antônio Estêvão de Carvalho, na Zona Leste de São Paulo, olhando as estrelas. Pedia a Deus que me tornasse um cientista que contribuísse para construir uma ciência ligada a Ele. Nem fazia ideia do que pedia, na verdade, mas pedia de coração, porque gostava muito do meu pai, sabia que ele queria o melhor para mim.
A paixão do garoto pelo infinito aumentou. Passou a estudar tudo o que podia sobre o cosmo, viagens espaciais, ufologia, paranormalidade e física.
- A fascinação pelo não convencional se tornava cada vez mais forte, permanente e influente na minha visão de mundo.

Isso. Visão de mundo. Todos nós temos, consciente ou inconscientemente, um modo de perceber a realidade, conhece-la e com ela agir. Precisamos disso para sobreviver. Se não conhecemos o ambiente à nossa volta, se não traduzimos direito o que significa para nós, se não classificamos se é amigo ou hostil, podemos nos dar mal. O complexo disso tudo é que essa visão resulta dos condicionamentos culturais que recebemos. Existe no nível individual, assim como no plano coletivo dos grupos sociais, na civilização como um todo. A nossa visão de mundo individual resulta da nossa experiência pessoal, assim como dos condicionamentos que recebemos de fora.

Na plataforma mais sofisticada do conhecimento de alto nível, os mega-canais de reprodução, expressão e tentativa de entendimento da realidade que o homem desenvolveu - a arte, a filosofia, a religião, a tradição nativa, a ciência - também acabam configurando suas respectivas visões de mundo. Essas se constroem a partir de modelos de concepção da realidade que terminam por se constituírem em verdades que podem imperar durante muito tempo sobre uma cultura, um povo, formatando o modo como enxergamos a realidade. Mesmo na ciência.
Nela, os modelos mentais que moldam a percepção do cientista são chamados de paradigmas. Os paradigmas predominantes na ciência acabam influenciando toda a sociedade, pelo prestígio e poder que esse campo do conhecimento conquistou na civilização contemporânea. As verdades de um modo predominante de ciência acabam se impondo, arrogantemente, sobre todas as esferas da atividade humana. O problema é que essas verdades podem ser relativas, equivocadas, limitadas e finitas. Pior, podem produzir efeitos nefastos que só com o tempo vamos descobrir, às vezes por causa de sofrimentos e tragédias terríveis que se tornam indefensáveis.

Quando o jovem César Sóos decide fazer engenharia de minas, respondendo à sua vocação onde transitam igualmente o sonhador e o realizador prático, encontra no seu curso na Universidade de São Paulo os paradigmas científicos convencionais. Isto é, as ciências, a partir da mãe de todas elas, a física, estabelecem a verdade de que a realidade é material, objetiva, palpável, mensurável, compreensível pela lógica comum do racionalismo. Apoiada num aproveitamento estreito do filósofo francês René Descartes, que dá origem ao cartesianismo - a abordagem exclusivamente mental rasa da realidade -, simbolizada na sua premissa popularizada de penso, logo existo, essa ciência construída tendo a física clássica coo grande referência é também mecanicista e reducionista. Ou seja, para tentar entender o real, compara tudo a uma máquina.
Essa verdade é que faz a medicina alopática convencional, por exemplo, ver o corpo humano puramente como uma máquina, desprezando a influência dos aspectos subjetivos - a emoção, a atitude mental - do indivíduo sobre seu estado de saúde ou doença. É igualmente isso que faz se estudar o cosmos como se fosse um gigantesco relógio mecânico. Ao mesmo tempo, aliada da escola filosófica do positivismo, essa ciência absorve a verdade de que a Natureza está a serviço do homem e portanto se justifica que seja explorada, aproveitada e condicionada, sem o mínimo respeito aos seus ciclos orgânicos de renovação, sem consideração para com a finitude de determinados recursos. Somos ignorantes da complexidade funcional de muitos dos fenômenos naturais, exatamente porque os paradigmas das ciências conservadoras são demasiadamente míopes, embaçados por lentes que foram preparadas para ver a parte e o concreto, mas são incapazes de captar o lado subjetivo e a dinâmica criativa da Vida.

Essa é a verdade, em síntese, que o jovem César encontrou na sua formação. Felizmente para sua consciência, a avalanche condicionadora da academia convencional não destruiu a vocação sonhadora, muito menos o olhar rebelde.
- Eu estudava para encontrar erros nas teorias convencionais. Tinha anseio por uma teoria mais abrangente e cósmica da ciência.

Ao contrário do discurso convencional que prega uma visão linear e simplista da realidade, onde tudo ocorre de maneira lógica, a vida real orgânica não é nada simples, mas sim complexa. Muitos fatores objetivos e subjetivos combinam-se para as coisas acontecerem, de um modo magistralmente criativo, nas vidas de todos nós. Surpresas acontecem e as de impacto profundo podem causar reviravoltas estonteantes.

- No terceiro ano de faculdade, em agosto de 1983 fui assistir a um simpósio que discutia o tema da Demonologia, no Hilton Hotel, em São Paulo. O assunto muito me intrigava.
No evento, organizado sob o prisma da Trilogia Analítica, um novo campo de conhecimento fundado pelo pensador brasileiro Norberto Keppe, César conheceu a revolucionária proposta da inversão da física, um olhar distorcido que o pesquisador localizou no coração fundamental dessa ciência-mãe em 1977. O olhar vesgo, para Keppe, vem direcionando equivocada, perigosa e limitadamente todo o trabalho da ciência desde as bases estabelecidas pelo idolatrado e reverenciado diácono dessa igreja também repleta de dogmas - mesmo que aparentemente ilustrados - em que se transformou a ciência clássica, Sir Isaac Newton.
- Essa consciência da descoberta da inversão pelo doutor Keppe transformou completamente a minha vida. A partir desses dois dias de simpósio, não fui mais o mesmo. Por alguma razão inexplicável era como seu eu tivesse colocado óculos na minha mente que me permitiam enxergar o que a grande maioria não conseguia: o mundo estava completamente de pernas para o ar! É como se agora eu visse a imagem da realidade em um grande espelho de reflexão perfeita. Percebi que o mundo sensorial era como a imagem deste espelho e não haveria forma de convencer ninguém da inversão através de dados. Somente seria possível isso através de um despertar interior!

CONTINUA


Postado por Edvaldo Pereira Lima
Em 2/8/2015 às 16h12


Mais Cultura Transversal em Tempo de Mutação, blog de Edvaldo Pereira Lima
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O DIREITO PASSADO A LIMPO
SÉRGIO SANTOS RODRIGUES
PERGAMUM
(2012)
R$ 6,90



VALE A PENA RIR DE NOVO
CLÉSIO R. TARDELLI
SULMINAS
(1999)
R$ 10,00



MANET - UM NOVO REALISMO - GRANDES ARTISTAS
DAVID SPENCE
MELHORAMENTOS
(1998)
R$ 7,00



CHINA
FERNANDO PORTELA ARMEN MAMIGONIAM
ATICA
(1988)
R$ 5,00



MEDEIAS LATINAS
MÁRCIO MEIRELLES GOUVÊA, OSÉIAS SILAS FERRAZ
AUTÊNTICA
(2014)
R$ 40,00



A CASA VERDE
MARIO VARGAS LLOSA
NOVA FRONTEIRA
(1971)
R$ 5,00



BRASIL HOLANDÊS: 1624-1654
REVISTA TEMAS BRASILEIROS - EDIÇÃO ESPECIAL
DUETTO
R$ 22,82



PROJETO PENSE RÁPIDO
ROS JAY
MANOLE
(2003)
R$ 12,00



O HERÓI, O MITO E A EPOPÉIA - 3172
LUÍS TOLEDO MACHADO
ALBA
(1962)
R$ 10,00



SER CRIANÇA A ESPERANÇA DE UM NOVO MILÊNIO
ELIANE CARONE
OBRA PRIMA
(2004)
R$ 12,00





busca | avançada
64948 visitas/dia
2,1 milhões/mês