Quando Regina Casé volta? | Flávio Sanso

busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Minute Media anuncia lançamento da plataforma The Players’ Tribune no Brasil
>>> Leonardo Brant ministra curso gratuito de documentários
>>> ESG como parâmetro do investimento responsável será debatido em evento da Amec em parceria com a CFA
>>> Jornalista e escritor Pedro Doria participa do Dilemas Éticos da CIP
>>> Em espetáculo de Fernando Lyra Jr. cadeira de rodas não é limite para a imaginação na hora do recrei
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
>>> PoloAC retoma temporada de Os Doidivanas
>>> Em um tempo, sem tempo
>>> Eu, tu e eles
>>> Mãos que colhem
>>> Cia. ODU conclui apresentações de Geração#
>>> Geração#: reapresentação será neste sábado, 24
>>> Geração# terá estreia no feriado de 21 de abril
>>> Patrulheiros Campinas recebem a Geração#
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Publicar em papel? Pra quê?
>>> Impressões
>>> A escrita boxeur de Marcelo Mirisola
>>> Desorientação vocacional
>>> Flip 2006: um balanço tardio
>>> Flip 2006: um balanço tardio
>>> Flip 2006: um balanço tardio
>>> Montezano, do BNDES, sobre o marco do saneamento
>>> Leitor bebum começou com um gole
>>> Curtas e Grossas
Mais Recentes
>>> Golem e o Gênio: uma Fábula Eterna de Helene Wecker pela DarkSide (2015)
>>> Os Chakras: e os Campos de Energia Humanos de Shafica Karagulla, M.D. e Dora Van Gelder Kunz pela Pensamento (1991)
>>> O Caminho da Tranquilidade de Dalai Lama pela Sextante (2000)
>>> Perdas & Ganhos de Lya Luft pela Record (2003)
>>> Minecraft Fortaleza Medieval de Mojang pela Abril (1500)
>>> Minecraft Guia de Criação de Mohang pela Abril (2017)
>>> Minecraft Guia de Exploração de Mohang pela Abril (2021)
>>> Salomé de Oscar Wilde pela Principis (2021)
>>> O Mercador de Veneza de William Shakespeare pela Principis (2021)
>>> Do Contrato Social de Jean - Jacques Rousseau pela Principis (2021)
>>> Kilmeny do Pomar de Lucy Maud Montgomery pela Principis (2021)
>>> A Mamãe é Rock de Ana Cardoso pela Principis (2019)
>>> Nos Bastidores Trinta Anos Escrava, Quatro Anos na Casa Branca de Elizabeth Keckley pela Principis (2021)
>>> O Conde de Monte Cristo de Alexandre Dumas pela Principis (2021)
>>> Romeu e Julieta de William Shakespeare pela Principis (2021)
>>> O Condenado de Camilo Castelo Branco pela Principis (2021)
>>> The secret Agent de Joseph Conrad pela Collins Classics (2012)
>>> Vandrad, o Viking a Contenda e o Feitiço de Joseph Storer Clouston pela Principis (2021)
>>> Helena de Machado de Assis pela Principis (2021)
>>> Utopia de Thomas More pela Principis (2021)
>>> Poliana de Eleanor H. Porter pela Tricaju (2021)
>>> Cause of death de Patricia Cornwell pela Warner Books (1997)
>>> Um Inimigo do Povo de Henrik Ibsen pela Principis (2021)
>>> The Da Vinci Code de Dan Brown pela Corgi Books (2004)
>>> Little Woman de Luisa May Alcott pela Signet Classics (2012)
BLOGS >>> Posts

Sexta-feira, 11/9/2015
Quando Regina Casé volta?
Flávio Sanso

+ de 1000 Acessos

Notas sobre o cinema brasileiro: quero que nossos filmes tenham variedade para muito mais do que a intensificação das comédias fáceis, sinto pontinhas de inveja em relação à produção cinematográfica dos hermanos argentinos, comemoro quando me vejo surpreendido com um filme brasileiro sobre o qual não tinha grandes expectativas. Tudo isso significa que torço do fundo do coração para que o cinema nacional deslanche de uma vez por todas.

Mais especialmente quanto a um filme que me tenha feito comemorar, "Que horas ela volta?", de Anna Muylaert, é uma daquelas obras artísticas que nos fazem passar a semana inteira refletindo sobre sua mensagem, e que mensagem!

Val mora no quartinho dos fundos da mansão em que trabalha como empregada doméstica, mantendo com seus patrões relação de verdadeira vassalagem. Descontada a diferença de cento e poucos anos, é como se Val fosse a aia da família, nisso incluindo a condição de ter substituído as funções da patroa na criação do rebento da casa. Nem sequer um copo d´água, Zé Carlos, o patrão em crise existencial, é capaz de tomar sem que tenha sido servido por Val. E aí está o ponto sensível do filme. A telona nos convida a verificar no que se tornou o país em cuja maior parte da existência adotou a escravidão como força produtiva. Sim, é uma cicatriz que não se cura de uma hora para outra, é um prejuízo social e moral difícil de contornar. A escravidão nos deixou como herança o costume do servilismo. Não à toa ainda há quem faça cara feia para a regulamentação dos direitos da profissão de empregada doméstica, não à toa persiste a invisibilidade atribuída a certo tipo de trabalhadores, não à toa nossos governantes se encastelam em palácios, entupindo-se de regalias que os mantenham em seus pedestais de gente diferenciada.

Há alguma perspectiva de evolução para uma sociedade tão problemática? Quem nos traz a resposta é Jéssica, o elemento modificador da trama. Jéssica é filha de Val com quem não convive há muito tempo. Para prestar o vestibular, hospeda-se no quartinho dos fundos da mansão, passando a questionar a relação de intensa subserviência suportada pela mãe. Emblemática é a cena em que se depara com o quarto de hóspedes amplo, decorado e ocioso. O que lhe vem à mente é instantâneo: se há na casa um quarto confortável e ocioso, por que ela e sua mãe não estão ali em vez de estarem alojadas no quartinho apertado dos fundos? Contudo, para Val, essa é uma hipótese que nunca lhe poderia ter ocorrido, considerando a ideia consolidada de sua inflexível submissão. O fato é que Jéssica é de um tempo em que quartinhos de empregada começam a não fazer mais sentido, assim como não faz mais sentido qualquer relação servil. Se quisermos chegar ao patamar de países que já alcançaram equilíbrio social, é fundamental, primeiro, admitirmos o tanto que ainda temos, sim, de espólio dos tempos escravocratas. O olhar questionador de Jéssica é o mesmo olhar que o filme pretende que o espectador tenha.

A atuação de Regina Casé como a empregada doméstica Val merece parágrafo à parte. É um personagem difícil, a começar pelo sotaque que ao menor descuido pode resvalar na caricatura típica das novelas. Mas tamanha entrega e tanto capricho fazem Regina Casé superar esse detalhe. É uma atriz que se desloca brilhantemente entre nuances de humor e drama. Desde o filme "Eu, Tu e Eles" não se tinha a oportunidade de apreciar um papel que lhe exijisse o melhor de sua atuação. Regina Casé é imprescindível ao cinema, impondo-se perguntar: quando ela volta?

Pois então ainda dá tempo de assistir ao belo filme de Anna Muylaert. Corra, vá antes que o próximo super-herói tome de assalto todas as nossas salas.



Texto originalmente publicado no site reticencia.com


Postado por Flávio Sanso
Em 11/9/2015 às 11h35


Mais Flávio Sanso
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Amor Sexo e Erotismo
Dr Galdino Nunes Vieira
Casa Publicadora Brasileira
(1978)



Sql Fundamentos
John J Patrick
Berkeley
(2002)



Dissertando Sobre Voz - Volume 2. Série Interfaces
Leslie Piccolotto Ferreira
Pró-fono
(1998)



Restituição
Robson Rodovalho
Sara Brasil
(2014)



História Universal Terceiro Volume
H. G. Wells
Livros do Brasil



A Coruja Sabida e o Caso do Bichinho-chorão
W. L. Ducca
Nacional
(1986)



A Titularidade dos Direitos Fundamentais na Constituição Federal
Anelise Coelho Nunes
Livraria do Advogado
(2007)



We Remember: Women Born At the Turn of the Century Tell the Stori
Jeanne Marie Laskas; Lynn Johnson
William Morrow
(1999)



Farda Fardão Camisola de Dormir
Jorge Amado
Círculo do Livro



Vivendo o Mais Além
Antonio Baduy Filho
Ide
(2017)





busca | avançada
73422 visitas/dia
2,5 milhões/mês