Divisões históricas | Blog do Carvalhal

busca | avançada
62220 visitas/dia
1,6 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FESTIVAL DE ORQUESTRAS JUVENIS
>>> XIII Festival de Cinema da Fronteira divulga Programação
>>> Centro em Concerto: ¡Navidad Nuestra!
>>> Edital Retomada Cultural apresenta Conexão Brasil-Portugal: podcast produzido pelo Coletivo Corpos p
>>> CANTORA E ATRIZ SANDRA PÊRA NO SESC BELENZINHO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> O segredo para não brigar por política
>>> Endereços antigos, enganos atuais
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Nosotros
>>> Berço de lembranças
>>> Não sou eterno, meus atos são
>>> Meu orgulho, brava gente
>>> Sem chance
>>> Imcomparável
>>> Saudade indomável
>>> Às avessas
>>> Amigo do tempo
>>> Desapega, só um pouquinho.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Frases de Drummond
>>> Luciano do Valle (1947-2014)
>>> 28 de Junho #digestivo10anos
>>> 19 de Julho #digestivo10anos
>>> Citizen Kane
>>> Gal Costa (1945-2022)
>>> Vida conjugal
>>> Querem acabar com as livrarias
>>> Cisne Negro
>>> Avassalador
Mais Recentes
>>> Livro - Euzébia Zanza de Camila Fillinger / Suppa pela Girafinha (2006)
>>> Tao-Te King O Livro que revela Deus 346 de Lao-Tse pela Alvorada
>>> Livro - Bichos de Angela Lago; Ronaldo Simões Coelho pela Aletria (2009)
>>> Quando me descobri negra 346 de Bianca Santana pela Sesi-SP
>>> A Tartaruga E A Lebre de Jean de La Fontaine pela Melhoramentos (2006)
>>> Iracema 346 de José de Alencar pela Paulus (2005)
>>> O ano da morte de Ricardo Reis de José Saramago pela Companhia Das Letras (1988)
>>> Livro - Mini Larousse dos Bombeiros de Larousse Júnior pela Larousse Júnior (2005)
>>> Une Fois Dans Ma Vie de Gilles Lagardinier pela J'ai Lu (2018)
>>> Reiki Harmonia Universal 346 de Joel Cardoso pela Tipo
>>> Livro - Hollywood Dream Cars: Museu de Automóveis Clássicos e Antigos de Não Específicado pela Não Específicado
>>> Frases, Dicas e Histórias Maravilhosas 08 346 de Orlando Nussi pela Gravadora Anjos (2009)
>>> Fausto: uma tragédia I de Johann Wolfgang von Goethe pela 34 (2016)
>>> Livro - Onde Esta Wally? - Especial De Natal - Atividades, buscas e centenas de adesivos incríveis! de Martin Handford pela Martins Fontes (2013)
>>> A Mediunidade sem Lágrimas 346 de Eliseu Rigonatti pela Pensamento
>>> Minha Vida de Menina 346 de Helena Morley pela Companhia de Bolso (2017)
>>> Pilly Winks de Lauren I. Zinn pela Aristoplay (2022)
>>> Livro - Festa no Céu / Festa no Mar / Livro Vira-Vira - Conto Popular do Brasil / Conto Popular do Japão de Lúcia Hiratsuka pela Dcl (2007)
>>> Uma sensação estranha de Orhan Pamuk pela Companhia Das Letras (2017)
>>> Antologia Poética de Cecília Meireles pela Nova Fronteira (2001)
>>> Aliviando a Bagagem para Mães 346 de Max Lucado pela Cpad (2006)
>>> Charlotte street de Danny Wallace pela Novo Conceito (2012)
>>> Livro - Hollywood Dream Cars - Museu de Automóveis Clássicos e Antigos de Hollywood Dream Cars pela Não Especificada
>>> Diário de uma Jovem 346 de Anne Frank pela Itatiaia Limitada (1972)
>>> O menino que queria ser prefeito de Manuel Filho (Autor), Thais Linhares (Ilustrador) pela Do Brasil (2020)
BLOGS >>> Posts

Sexta-feira, 4/12/2015
Divisões históricas
Guilherme Carvalhal

+ de 3300 Acessos

Uma notícia em um portal sobre a adaptação do livro Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil, de Leandro Narloch, para a emissora History Channel, provocou um debate estranho. De um lado aqueles que se dizem de esquerda atacaram a proposta pelo fato do autor ser ligado à Veja e que seria paradoxal realizar uma produção financiada com dinheiro público. Já os ditos de direita apoiaram, pois seria uso de verba pública para a divulgação de um ponto de vista que não seja o da esquerda.

Esse debate é fruto de um momento singular que vivemos no Brasil atualmente, de uma divisão cada vez mais acentuada entre aqueles que se dizem de esquerda e aqueles que se dizem de direita. E, como não poderia ser diferente, é uma divisão altamente temperada pela alienação com relação a política, economia, e com baixíssimo nível de dialética. Dificilmente um grupo se presta a entender o ponto de vista do outro, sem contar os termos tão rasos usados para rebaixar o outro (coxinha, fascista, esquerda caviar, comunista).

É curioso como esse tipo de abordagem é utilizada de maneira um tanto quanto estranha ou até equivocada. Nesse caso específico, pega-se a história, que é uma ciência com toda uma base metodológica de estudos, e se transforma em mera disputa de poder entre um grupo ou outro. Isso mostra como popularmente as ciências sociais ainda são vistas como mero achismo, como se um pesquisador produzisse apenas embasado por convicções políticas. Não se tacham físicos, engenheiros, matemáticos, biólogos ou astrônomos como esquerda ou direita. Mas economista, historiadores, geógrafos, sociólogos, esses sim são de direita ou de esquerda.

Um dos fatos que envolvem esse pensamento é a diferenciação entre produção acadêmica e a posição política de muitos estudiosos. O fato de um economista, um historiador ou outro acadêmico considerar que medida X ou Y seja melhor para o país o coloca logo em descrédito pelo grupo que detém o ponto de vista oposto. O nível de divisão na qual o país se encontra atualmente leva essa definição a ser cada vez maior.

Eric Hobsbawn, ao escrever A Era dos Extremos, explica como é difícil produzir estudos sobre história de uma época em que o historiador viveu, justamente pela paixão que os fatos contemporâneos geram. O ideal é que se estude aquilo que aconteceu antes mesmo do nascimento do pesquisador, de maneira fria. Tanto é que discutir Ditadura Militar ainda gera muitos dissabores, mas a Proclamação da República é fato menos movido a sentimentalismos ou saudosismo (apesar de ter surgido um movimento pedindo a volta da monarquia no Brasil).

As divisões políticas que vivemos no Brasil são fruto de uma complexa série de fatores históricos. Essa dualidade entre esquerda e direita nasce da Guerra Fria, que apesar de finalizada com a queda do muro de Berlim, ainda reverbera pela América Latina. As propostas do Consenso de Washington, que firmaram as premissas do neoliberalismo, se misturam a uma herança de imperialismo e acabam sendo consideradas como uma falta de patriotismo e entreguismo. Por outro lado, essa mesma herança de imperialismo gera uma esquerda com toda faceta de populismo, sustentada em muita retórica e simbologia, com uma visão agravada pela lembrança de tomadas de poder através de um exército popular, o que na América só ocorreu em Cuba e na Nicarágua, tendo todas as outras iniciativas fracassado. Enquanto Estados Unidos e Cuba voltam a se relacionar e Samuel Huntington em seu Choque de Civilizações afirmou que a nova ordem mundial se baseia em questões culturais e não mais na dualidade entre capitalismo e comunismo, no Brasil temos uma divisão que remete a décadas passadas.

Temos um misto de memórias que se confundem junto a uma forte dificuldade de compreender o presente, agravado pelo baixo processo de dialética, o que impede que se analise o próprio pensamento de maneira crítica. Vejo muitas opiniões em oposição a Marx, Gramsci, Mises, Friedman, e tenho uma forte impressão de que a quantidade de críticas não é proporcional à leitura de textos desses pensadores. Na poesia acontece um processo de mudança de sentido: pega-se uma frase de um determinado escritor, tira de contexto e se tem um autor de autoajuda, sem contar na imensa quantidade de frases inventadas - nesse quesito Clarice Lispector sofre imensamente. Algo similar acontece nesses autores que tangem economia, história, política, etc: frases soltas para se tentar criticar, fora de seu contexto e, assim, sem causar uma reflexão maior.

É natural que em uma sociedade venham a ocorrer os mais diversos choques de opinião. É isso o que move uma democracia. Porém, retomando a ideia do método socrático, da tese e da antítese é preciso surgir uma síntese. No caso do Brasil, é por vezes assustador que esse processo não ocorra, dando uma impressão de que a sociedade cada vez mais se divide e que a continuidade democrática possa entrar em choque.


Postado por Guilherme Carvalhal
Em 4/12/2015 às 13h57


Mais Blog do Carvalhal
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Dicionario Websters Ingles Portugues
Folha
Folha
(1997)



Vivo e Conto
Varios
Vivo e Conto
(2002)



A Dieta de South Beach
Arthur Agatston
sextante
(2003)



Educação Corporativa em Xeque
Claudio Starec
Senac
(2009)



O Sequestro
Isolina Bresolin Vianna
Oclarim
(2000)



The Wholehearted Marriage
Dr. Greg Smalley and Dr. Shawn Stoever
Howard Books
(2009)



A Vaca e o Hipogrifo - Coleção Folha Grandes Escritores Brasileiros 19
Mario Quintana - Capa Dura / 1ª Ed
Folha de São Paulo
(2008)



O Lado Bom da Vida
Matthew Quick
Intrínseca
(2012)



The Little Monster
Sue Arengo
Oxford
(1996)



Inverno Em Biquíni Cronicas
Henrique Pongetti
Record
(1964)





busca | avançada
62220 visitas/dia
1,6 milhão/mês