O fantasma de Nietzsche | Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ

busca | avançada
40060 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> Assim criamos os nossos dois filhos
>>> Compreender para entender
>>> Para meditar
>>> O que há de errado
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 24 Horas: os medos e a fragilidade da América
>>> 18 de Março #digestivo10anos
>>> Entrevista a Juliana Dias
>>> Dez Coisas
>>> A Vida dos Obscuros
>>> Day after day, alone on the hill
>>> Um teatro que foge do óbvio
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Fantasmas do antigo Recife
>>> Luther King sobre os fracos
Mais Recentes
>>> O incrível Multiverso de Magic: The Gathering de Planeta De Agostini pela Planeta De Agostini (2019)
>>> Quem Disse Que Você Pode Liderar Pessoas? de Gareth Jones e Rob Goffee pela Elsevier (2006)
>>> Raizes e Asas 8 - Avaliação e aprendizagem de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 7 - A sala de aula de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 7 - A sala de aula de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 6 - Como ensinar um desafio de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 6 - Como ensinar um desafio de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 5 - Ensinar e aprender de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 5 - Ensinar e aprender de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 4 - Projeto de escola de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 4 - Projeto de escola de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 3 - Trabalho coletivo na escola de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 1 - A escola e sua função social de Vários autores pela Cenpec
>>> Raizes e Asas 1 - A escola e sua função social de Vários autores pela Cenpec
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 3 - Nº 5 de Usp pela Usp (1989)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 11 - Nº 2 de Usp pela Usp (1997)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 9 - Nº 1 de Usp pela Usp (1995)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 8 - Nº 1 de Usp pela Usp (1994)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 8 - Nº 2 de Usp pela Usp (1994)
>>> Revista paulista de educação fisica - Vol. 7 - Nº 1 de Usp pela Usp (1993)
>>> Os Grandes julgamentos - o processo Petain de Claude Bertin pela Otto pierre (1978)
>>> Os Grandes julgamentos - Eichmann - Toquio de Claude Bertin pela Otto pierre (1978)
>>> Os Grandes julgamentos - Sacco-Vanzetti - Lindbergh de Claude Bertin pela Otto pierre (1978)
>>> Os Grandes julgamentos - Os processos de Mosou de Claude Bertin pela Otto pierre (1978)
>>> Os Grandes julgamentos - Galileu Galilei de Franco Massara pela Otto pierre (1978)
BLOGS >>> Posts

Quinta-feira, 7/9/2017
O fantasma de Nietzsche
ANDRÉ LUIZ ALVEZ
+ de 2200 Acessos

No cruzamento da grande Avenida, a visão de um par de tênis enroscado nos fios de alta tensão, chamou a atenção de Nietzsche.

Seus dedos finos se perderam entre o colossal bigode.

A lua refletiu seu rosto mostrando um sorriso que considero ingênuo, mas sei, dentro daquele corpo magro, atrás dos bigodes medonhos, repousa uma fera.

De repente, pergunta: “Consegue ouvir o barulho dos coveiros enterrando Deus?

Finjo que não o compreendo, formo dúvidas na testa, já não sei se ele está falando em português ou se sou eu que compreendo alemão.

Ele insiste: “Gott ist tot! ”“. Ah, meu bom amigo, você não contava com a fé cega dos incautos! - respondo e o fantasma de Nietzsche sorri.

Depois completa, armado numa voz baixa e rouca: “Quando disse Deus, me referia ao homem” ele responde afinal, colocando fim às minhas dúvidas.

Certo é que esse meu amigo sempre teve a vocação dos abismos.

Chegamos enfim à feira central.

Ele assovia “The boxer” do Simon and Garfunkel.

Firmei meus olhos naquele corpo magro no qual se destaca o pomposo bigode.

“Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas” ele diz, me arrancando um suspiro.

Depois dá de ombros e cumprimenta todos os garçons que se postam na frente das barracas armados com cardápios coloridos.

Mas eles não o enxergam.

De repente faz o par de sobrancelhas dançar na testa: “como esvaziamos o mar? Como apagamos o horizonte?” Ele pergunta e não sei responder.

Oh senhores do destino, porque não me enviaram Fernando Pessoa?

Uma senhora cruza o nosso caminho armada num rosto de espanto, como se fosse a única a enxergar o fantasma ao meu lado.

A mortalidade de nós humanos estava escancarada no rosto daquela mulher.

A cadeira da banca me aperta, faz lembrar que estou num processo irreversível de obesidade.

Nietzsche não tem esse problema, se encaixa perfeitamente entre o banco e a mesa, faz um sinal em minha direção e sei que quer comer sobá.

Quando a comida chega, seus olhos brilham e ele come com voracidade - a cena do macarrão triturado na boca pequena, avançando sem limites entre os bigodes espessos, jamais haverei de esquecer -.

Acho que Nietzsche, ao menos depois de morto, deveria raspar aquele bigode ridículo.

“Humanos, somos demasiado humanos” afirmou entre uma garfada e outra.

Depois que se fartou, saímos caminhando pela feira.

Seus olhos atentos registravam tudo, quis saber como é que um bolo pode ser chamado de sopa; contei que era coisa dos paraguaios e ele quis saber quem eram os paraguaios.

Um trio armado de harpa, sanfona e viola, no canto final da feira, me salvou e ouvimos, encantados, os acordes e a voz maviosa do senhor grisalho ao centro: “Que dulce encanto tienen tus recuerdos mercedita, aromada florecita, amor mio de una vez...” e meu amigo ficou tão encantado que de seus olhos gotejaram duas pontas de lágrimas: “e aqueles que foram vistos dançando, foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música”.

Caminhamos mais um pouco.

Logo se deteve diante de uma garrafa de cachaça exposta num balcão do corredor. “vamos beber” ele disse.

Nem quis lhe contar daquela bebida, tão forte que queimava a garganta, sabedor que meu amigo bebia litros de absinto quando era vivo.

Depois do susto inicial, bebeu mais três ou quatro goles e seus olhos ficaram vermelhos.

Na saída, uma chuva fina compunha o ritual de despedida.

Acompanhei seus passos indo se perder no brilho fosco dos trilhos mortos, desaparecendo aos poucos no poço ao centro da rotunda.

E lá se foi, feliz, e eu fiquei esfregando os olhos com as duas mãos, absorto na imagem final daquele indecifrável delírio.


Postado por ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Em 7/9/2017 às 15h27

Mais Blog de ANDRÉ LUIZ ALVEZ
Mais Digestivo Blogs
Ative seu Blog no Digestivo Cultural!

* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Uma Fraternidade e Seus Princípios Básicos
Dorival Sortino
Casa dos Discípulos
(1995)



Toninho e Seu Tesouro
Anna Campos Borowski
Scipione
(1993)



Livro - Judy Moody Quer a Fama
Isa Mara Lando, Megan Mcdonald, Peter H Reynolds
Salamandra
(2004)



Díario de Raquel
Marcos Rey
Companhia das Letrinhas
(2005)



O Tatu Garimpeiro
Carlos Queiroz Telles
Ftd
(1992)



Livro - Queda para o Alto
Herzer
Circulo do Livro
(1982)



Muitos Textos... Tantas Palavras 1ºano Sesi 6ªimpressão
Vários Autores
Sesi-sp
(2012)



Guia Fuja de Casa Com as Crianças 2ªed(2001)
Publifolha
Publifolha
(2001)



O Grande Livro do Congelamento 9ªed
Ellis Audrey
Melhoramentos
(1995)



Escola do Terror Histórias Horripilantes de Mais para Se Contar
Tom B. Stone
Rocco
(2003)





busca | avançada
40060 visitas/dia
1,4 milhão/mês