Wilson Simonal: o rei do Pa-tro-pi | Mônica Herculano | Digestivo Cultural

busca | avançada
29939 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
>>> Em busca de cristãos e especiarias
>>> Fim dos jornais? Desconfie
>>> O gênesis na argila
>>> Desejo de Status
>>> Até você se recompor
>>> Lobão e Olavo de Carvalho
>>> Sabemos pensar o diferente?
Mais Recentes
>>> O Método Viscott: Um Famoso Médico...Ensina como Voce Pode Ser oSeu Próprio Psicanalista de Dr. David Viscott pela Record
>>> Obras Completas ( Vol. Xxx IX - 1912 - Tomo 2): Trabalhos Jurídicos de Rui Barbosa pela Dep. Imprensa Nacional/ RJ (1963)
>>> Para Abrir o Coração: Treinamento para a Paz de Chagdud Tulku (compilado Por: Lama Shenpen Drolma) pela Makara (2007)
>>> Astrologia, o Cosmo e Voce: o Elo de Ligação Entre o Homem e Univerno de Alan Oken pela Nova Fronteira/ Rj. (1988)
>>> Astrologia, o Cosmo e Voce: o Elo de Ligação Entre o Homem e Univerno de Alan Oken pela Nova Fronteira/ Rj. (1988)
>>> Fábulas de La Fontaine (02 Volumes/ Encaderndos) de Jean de La Fontaine (Ilustrações de): Gustave Doré/ Trad. M. Amado pela Itatiaia/Belo Horizonte (1989)
>>> Profiles Students Book (3) + Workbook de Nick Beare/ Jeanette Greenwell/ Terry Phillips pela Macmillan Education (2003)
>>> Profiles Students Book (3) + Workbook +... de Nick Beare/ Jeanette Greenwell/ Terry Phillips pela Macmillan Education (2003)
>>> Inteligência emocional de Sophie Martineaud e dominique Engelhart pela Ediouro (1997)
>>> O grande Gatsby - série grandes sucessos de F. Scott Fitzgerald pela Rio gráfica (1980)
>>> O dia do Chacal de Frederick Forsyth pela Rio gráfica (1980)
>>> O colecionador de John Fowles pela Rio gráfica (1980)
>>> Horizonte perdido de James Hilton pela Abril cultural (1980)
>>> A sangue frio de Truman Capote pela Nova Frnteira (1980)
>>> A mulher só de Harold Robbins pela Abril cultural (1985)
>>> Os insaciáveis de Harold Robbins pela Rio gráfica (1985)
>>> O Inconsciente, a Magia e o Diabo no Século Xx (Encadernado de Alberto Lyra pela Record/ RJ.
>>> A filha de mistral de Judith Krantz pela Rio gráfica (1985)
>>> A mulher do viajante do tempo de Audrey Niffenegger pela Objetiva (2009)
>>> Perdida de Carina Rissi pela Verus (2013)
>>> A farsa de Cristopher Reich pela Sextante (2008)
>>> O trono de diamante - Trilogia Elenium - Livro 1 de David Eddings pela Aleph (2015)
>>> Leave Your Language Alone! (encadernado) de Robert A. Hall- Jr. pela Ithaca/ N. Y. (1950)
>>> Água para elefantes de Sara Gruen pela Arqueiro (2007)
>>> Louco para Amar de Sam Shepard pela L&pm, Porto Alegre (1985)
>>> Gossip Girl - É você que eu quero- vol 6 de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Gossip Girl - Ninguém faz melhor - vol 7 de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Gossip Girl - do jeito que eu gosto - vol 5 de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Gossip Girl - Nunca mais - vol 8 de Cecily von Ziegesar pela Record (2007)
>>> Épico de conor Kostick pela Galera (2007)
>>> Na décima nuvem de Hugo rodrigues pela Record (2019)
>>> Vida! Reflexões sobre sua jornada de Louise \L. Hay pela Madras2012 (2019)
>>> Adobe Photoshop de MarceloGino Pereira pela Viena (2005)
>>> Preparações Ocultas para uma Nova Era de Dane Rudhyar pela Pensamento (1995)
>>> Memórias dos Profetas (Incritos no Lixo) de Pedro Figueiredo pela Univ. Federal Rgs. (2015)
>>> Poços de Caldas Preparada para o Futuro - Dicas -nº 7 de Victor de Carvalho pela Sulminas (1996)
>>> Memorial da Companhia Geral de Minas - Subsid. da Alcoa Alumínio S/a de Alex Prado - Texto Central pela Alcoa (2001)
>>> Um É o Outro: Relações Entre Homens e Mulheres de Elizabeth Badinter pela Nova Fronteira/ Rj. (2019)
>>> Explorador - insetos de Jonh Woodward pela Ciranda cultural (2012)
>>> História Meio Ao Contrário de Ana Maria Machado pela Ática (1977)
>>> Le Grand Voyage - Roman de Jorge Semprun pela Éd. Gallimard/ Paris: France (1963)
>>> Physiological Psichology de Morgan (clifford T) pela McGraw- hill: Usa/ Kógakusha Co./ Tokio (1965)
>>> Quadribol através dos séculos de Kennilworthy Whisp pela Rocco (2001)
>>> Amor além da vida de Richard Matheson pela Buttefly (2016)
>>> O Congado Em Oliveira - Tributo a Leonídio João dos Santos de Hugo Pontes Autografado pela Sulminas (2003)
>>> Tudo que eu queria te dizer de Martha Medeiros pela Objetiva (2007)
>>> Invocações da Virgem Maria no Brasil de Nilza Botelho Megale Autografado pela Vozes (1998)
>>> Depois daquela viagem de Valéria Piassa Polizzi pela Ática (2015)
>>> Querido John de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Ramsés Sob a Acácia do Ocidente de Christian Jacq pela Berttrand Brasil (1999)
COLUNAS >>> Especial 1964-2004

Segunda-feira, 26/4/2004
Wilson Simonal: o rei do Pa-tro-pi
Mônica Herculano

+ de 9200 Acessos
+ 5 Comentário(s)

Nascido numa quarta-feira de Cinzas, ainda em tempo de pegar o finzinho do Carnaval de 38, como o próprio narrou numa entrevista em 1967, Wilson Simonal de Castro parece mesmo ter chegado ao mundo ouvindo o som dos tamborins e vendo os passos da mulata. E com o gingado carioca que o recebeu, viveu e levou uma vida mais alegre a milhares de pessoas, que lotavam estádios repetindo seus refrões.

Simonal venceu as barreiras da pobreza e transformou-se num dos artistas mais populares e bem pagos do Brasil. No final da década de 60, em plena ditadura militar, época de fortes manifestações políticas e culturais e com o país tomado por um maniqueísmo desenfreado, ele era como um rei, acima de qualquer luta entre o bem e o mal.

Ruy Castro contou em seu livro Chega de Saudade que, quando surgiu no Beco das Garrafas, Simonal "provocou uma sensação que é hoje indescritível e talvez inacreditável". Ele definiu o cantor como "o máximo para seu tempo": "grande voz, um senso de divisão igual ao dos melhores cantores americanos e uma capacidade de fazer gato e sapato do ritmo, sem se afastar da melodia ou sem apelar para os scats fáceis".

Para o amigo César Camargo Mariano, Simonal tinha um talento singular. "Trabalhar com ele foi uma grande escola para todos nós. Fazia uma música pop, de boa penetração em todas as camadas sociais, leve, alegre e de uma qualidade absurda. O disco tinha o mesmo cuidado que era passado para o palco. Simonal sempre soube muito bem o que queria fazer e tinha um tino artístico e profissional muito forte."

Tanto talento pedia um espaço nobre para ser apresentado. E qual seria melhor naqueles tempos do que as noites da TV Record? O primeiro negro a apresentar sozinho um programa de televisão no país pôde levar para o seu "Show em Si...Monal" os músicos e o diretor com quem mais se identificava: César Camargo Mariano, Sabá e Toninho, que formavam o Som 3, e Carlos Imperial.

A convivência diária de Simonal, Imperial e Mariano fez surgir um estilo popular, mas novo e diferente de tudo o que estava acontecendo. Enquanto bossa nova, tropicália e artistas como Roberto Carlos dividiam a cena musical da época, o que estava "deixando cair" mesmo era a "pilantragem". E era apenas uma etapa da sensacional loucura causada pelo artista e descrita pelo jornalista Mylton Severiano na revista Realidade, em 1969.

Contratado para fechar a parte inicial do show de Sérgio Mendes no Maracanãzinho, para uma platéia de 30 mil pessoas, Simonal acabou sendo a atração principal. Severiano contou: "Nunca se havia visto coisa igual. Por trás do palco, enquanto lá nas arquibancadas a multidão rugia e assobiava, exigindo mais Simonal, e enquanto ele mesmo era socorrido, após desmaiar de emoção, havia um sobressalto de homens agitados. 'Isso só acontece uma vez na vida', murmuravam."

Mas aconteceram muitas outras. Simonal continuava comandando milhares de pessoas todas as noites no Canecão e em qualquer casa que se apresentasse, e ainda em 1969 assinou com a Shell o que o Jornal da Tarde noticiou como "o mais fabuloso contrato de publicidade já assinado no Brasil".

Em 1970, o cantor foi escolhido para acompanhar a seleção brasileira de futebol à Copa do Mundo. A atuação dos maiores artistas das duas grandes especialidades brasileiras - música e futebol - foi vitoriosa: Simonal em campanha de sucesso e Brasil tricampeão. Na volta do México, porém, descobriu um grande desfalque em sua empresa de produções artísticas e despediu o contador, contratado cerca de um ano antes.

A partir daí, viu seu castelo desmoronar. Uma série de acusações feitas pelo ex-empregado e por alguns policiais levou o cantor a ser apontado como informante do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS). "Aquele 'cara' que todo mundo queria ser", como descreveu o Jornal do Brasil em 1970, transformou-se em um grande rejeitado pela sociedade. Abolido da mídia, das vitrolas e dos palcos.

Até hoje duas coisas não foram esclarecidas: o envolvimento ou não de Wilson Simonal com a polícia política da época e o tratamento que a imprensa deu a ele nos anos seguintes. Se até 1971 só se via elogios a ele nos jornais, a partir daí as notícias passaram a ser cada mais raras e negativas.

Era como se o "dedo-duro" que o jornal O Pasquim publicou estivesse gravado na memória de cada um dos repórteres que iriam falar dele ou com ele. Tomaram como verdade absoluta seu suposto envolvimento com o Serviço Nacional de Informação e nem após a anistia concedida a presos políticos e torturadores, voltaram a tratá-lo como o showman que, não havia dúvidas, ele era.

O terror repreendido imposto pelo regime militar pode, como muitos alegam, ter levado os jornalistas do período a tomar Simonal como "bode expiatório". Mas a imprensa errou em condenar sem provas. Também é bom lembrar que pode ter havido uma grande armação contra o cantor. Afinal, ninguém sabe dizer de onde vinham as pessoas que o acusaram e podiam estar perfeitamente, por intrigas pessoais, tentando derrubá-lo. Ninguém procurou investigar isso.

A verdade é que a vaidade e o gosto que Simonal tinha em falar do sucesso incomodavam. Para algumas pessoas podia causar mais transtorno do que admiração ver um negro vindo do morro chegar num restaurante fino, pagar a mais cara champagne para dezenas de pessoas, sentar com toda a pose e dizer, com o sorriso mais maroto, que iria fazer o lado direito da platéia cantar uma nota e o esquerdo cantar outra, e realmente fazê-lo.

A história, realmente, envolve aspectos próprios da época, envolve política, mas o resgate da carreira de Wilson Simonal deve ser tratado com seriedade e urgência. Afinal, um rei nunca perde a majestade, e o brilhantismo de Simonal sempre permanecerá em nosso "Pa-tro-pi".


Mônica Herculano
São Paulo, 26/4/2004


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Dilapidare de Elisa Andrade Buzzo
02. As sobras completas, poesias de Jovino Machado de Jardel Dias Cavalcanti
03. Quando amor e terra quase se confundem de Elisa Andrade Buzzo
04. A maldição da internet no celular de Gian Danton
05. Como Passar Um Ano Sem Facebook de Dani Arrais


Mais Mônica Herculano
Mais Especial 1964-2004
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
3/5/2004
16h32min
Parabéns pela iniciativa de resgatar a memória desse ídolo que pagou caro e injustamente.
[Leia outros Comentários de Mirthes]
4/5/2004
18h12min
parabens pela realização de ter ressuscitado esse mito injustiçado... palmas e + palmas para esse homem rico, riquissimo, de nossa da musica brasileira... eterno negro Simonal..
[Leia outros Comentários de sergio luiz f.]
27/2/2005
13h29min
Excelente a oportunidade de resgatar a memória de Simonal. Pode ter incomodado muita gente, e por certo incomodou, e foi, no final dos anos 60, um fenômeno, basta ver a apresentação no Maracanãzinho, onde regeu um publico de mais de 20.000 pessoas. Quando será que publicarão um livro sobre Simonal, se ninguém se candidata, de repente, eu vou tentar.
[Leia outros Comentários de Marco Antonio]
6/9/2006
21h13min
Um negro, de origem humilde, fazendo sucesso. Era muito para a elite branca que sempre dominou este país. Wilson Simonal foi o bode expiatório que procuravam não só regime militar mas a sociedade como um todo, para expor as mazelas deste país. Anistiemos o Wilson Simonal.
[Leia outros Comentários de jose williams alves ]
13/9/2008
16h44min
Pois é, e o Brasil ainda se diz livre de racismo... Por que essa injustiça aconteceu justo com um negro? Tanto músico por aí... Wilson Simonal foi O cara. Nasci bem depois do sucesso dele, mas venho descobrindo o seu talento a cada dia, e me revolta muito saber da injustiça que ele sofreu... Ele sim foi, e sempre será, o nosso rei! Talento puro no suingue e na alegria! Parabéns pela matéria!
[Leia outros Comentários de Lud]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




UMA QUESTÃO DE EQUILÍBRIO
RAFAEL KOFF ACORDI
AGE
(2002)
R$ 4,50



NA DÚVIDA, ULTRAPASSE ORIENTAÇÃO VOCACIONAL
BEATRIZ MONTEIRO DA CUNHA
DO AUTOR
(1997)
R$ 4,50



DIÁRIO DE UM CUCARACHA
HENFIL
RECORD
(1984)
R$ 15,00



JORNADA DE HIRO A CAMINHO DO FOGO
TRACEY WEST
FUNDAMENTO
(2015)
R$ 16,70



ALFRED HITCHCOCKS MYSTERY MAGAZINE JULY 1968
ALFRED HITCHCOCKS E OUTROS
RICHARD DECKER
(1968)
R$ 31,28



PSICOLOGIA DA CRINAÇA 4 DESENVOLVIMENTO COGNITIVO I
P. H. MUSSEN
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
(1975)
R$ 7,50



MANUAL DE LOGOPEDIA
PIALOUX VALTAT Y OTROS
TORAY-MASSON
(1978)
R$ 18,00



MARIO BOTTA
EMILIO PIZZI
MARTINS FONTES
(1994)
R$ 15,00



ESCOLHER A PROFISSÃO
ELIANE ARBEX RODRIGUES
SCIPIONE
(1995)
R$ 16,50



APROVEITAMENTO ENERGÉTICO A PARTIR DO BIOGÁS GERADO DE DEJETOS SUÍNOS
GABRIEL SANTOS BOLACELL
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00





busca | avançada
29939 visitas/dia
1,1 milhão/mês