Só a macarronada justifica o casamento | Marcelo Guedes Nunes | Digestivo Cultural

busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS

Quarta-feira, 15/8/2001
Só a macarronada justifica o casamento
Marcelo Guedes Nunes

+ de 3600 Acessos

Sou um homem solteiro. Moro sozinho e não sei cozinhar. Não saber cozinhar torna um homem vulnerável. Lembro de minha vó me dizendo que era fácil conquistar alguém pelo estômago. Do alto de meus doze anos, idade em que o máximo da gastronomia reside em uma festa de aniversário boca-livre no Mc Donald´s, eu ria. Impossível fisgar um homem pelo estômago. Como um ser humano em sã consciência seria capaz de tomar uma decisão tão importante, como casar, por causa de uma macarronada à bolonhesa? Impossível. Mas na época eu não era nem solteiro, nem morava sozinho e, o que é mais ingênuo, achava que casar era uma decisão importante.

Já tive desde esse último encontro com minha vó algumas dezenas de experiências gastronômicas memoráveis. A primeira, em Milão, em um restaurante chamado Biffi Scalla, foi um prenúncio do que estaria por vir. Descobri que os melhores prazeres são resultantes da satisfação de um impulso instintivo, de uma necessidade animal. Melhor que qualquer prazer intelectual ou estético, a saciação da fome é capaz de dar a uma pessoa uma completa sensação de satisfação, momentânea e fugaz, porém completa. Um quadro ou peça pode no máximo te distrair com a beleza das formas e cores, com uma ou duas frases que, com um esforço hercúleo de memória, poderemos nos lembrar no dia seguinte. A grande arte, por melhor que seja, é completamente superficial, um consolo inútil. Já a refeição não. A refeição, na sua essencialidade animal, te pega pelas entranhas, pelas suas necessidades mais básicas e, quando é grandiosa, te traz uma incomparável felicidade, espontânea e natural. Uma boa refeição é sinônimo de alegria.

Não à toa, toda civilização tem uma culinária, com exceção dos EUA, que ninguém explica. Talvez eles só sejam mesmo ricos, e não civilizados. Já a Itália, a França, o Japão, a Grécia, a Índia e a China têm excelentes receitas para exportar ao mundo, misturando suas melhores ervas, carnes e vegetais. Sem grande cozinha não há grande nação, o que também explica o subdesenvolvimento do nosso Brasil, que até hoje só foi capaz de criar o quindim de ovo. Os inventores do foie gras, do champagne, do camembert, do ravioli, do sashimi e do azeite de oliva são incomparavelmente mais importantes para a humanidade que qualquer artista, seja Shakespeare, Rodin, Vermeer ou Bach, que qualquer filósofo e que qualquer cientista. É para eles, os chefs, que eu rezo todas as noites.

Tive também experiências desastrosas, é verdade, ânsias, dores no abdômen, queda de pressão, sem mencionar os efeitos colaterais mais humilhantes, como, por exemplo, os que um peixe estragado ou um cachorro quente de van podem causar. Mas nada que abalasse minha convicção de que a vida é, realmente, aquele espaço aborrecido entre as refeições (provérbio italiano). Na verdade, essas experiências serviram mais para confirmar, pela força do contraste, as maravilhas que uma verdadeira grande refeição pode te proporcionar.

O fato de um homem ficar solteirão e ir morar sozinho aumenta a sua vulnerabilidade às fisgadas culinárias. Vulnerabilidade é um belo eufemismo que encontrei para ocultar a verdade: nós, homens, somos venais. Vendemos nossa liberdade por um prato de lentilhas, desde que bem temperado, claro. Conheço um caso (vou omitir os nomes) de um amigo que pediu a mulher em casamento por causa de um misto quente. Podem acreditar. É o cúmulo da humilhação e eu tentei impedir a cerimônia, mas ele argumentou que o sanduíche vinha com uma fatia de tomate caqui e que, portanto, tratava-se de um Bauru Completo, com maiúsculas. Um Bauru Completo, quentinho, com queijo derretido, eqüivalia, segundo ele - que vivia há mais de três anos em uma república, dividindo o quarto e o miojo com o Alemão Maluco, o Fuinha e o Maurão - à ambrosia mitológica. Se eu o considerava banal, para ele aquele Sanduíche, carinhosamente preparado e entregue em seu colo sobre a cama, tinha algo de maravilhoso, além do fato de ser de graça. Estava justificada a cerimônia.

Graças à providência divina e aos meus pais nunca morei em república e acho que é por isso que não me casei. No fim das contas, hoje penso exatamente o contrário do que pensava lá atrás, quando mantive com minha vó aquele memorável diálogo: apenas uma grande refeição é sublime o suficiente para convencer um homem a casar, um preço alto o bastante para pagar todas as privações que o matrimônio traz ao longo dos anos. Nós, homens, somos venais, tão venais que trocamos sem arrependimentos nossa liberdade, nossa integridade moral, e, acima de tudo, nosso sossego por uma macarronada à bolonhesa. Desde que bem temperada, claro.

Para ir além

Macarrão Chiarini

Ponto Chic (no Guia SP)



Marcelo Guedes Nunes
São Paulo, 15/8/2001


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Não quero ser Capitu de Cassionei Niches Petry
02. José de Alencar revisitado de Gian Danton


Mais Marcelo Guedes Nunes
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O TRONCO DO IPÊ
JOSÉ DE ALENCAR
SARAIVA
R$ 4,00



CLASH ROYALE
GUILHERME ATHAIDE
PANDA BOOKS
(2016)
R$ 15,00



EDUCAÇÃO E TRANSIÇÃO DEMOCRÁTICA
GUIOMAR N. MELLO
CORTEZ
R$ 5,00



O CAVALO VERDE - CAUSOS GAÚCHOS E RELATOS INTERIORANOS
LUIZ CORONEL
MECENAS
(2002)
R$ 24,00



O PENSAMENTO ANTIGO (2 VOLUMES) RODOLFO MANDOLFO (FILOSOFIA)
RODOLFO MANDOLFO
MESTRE JOU
(1964)
R$ 30,00



SELEÇÃO E COLOCAÇÃO DE PESSOAL
MARVIN D. DUNNETTE
ATLAS
(1973)
R$ 10,00



CARLOS VERGARA: PINTURAS
PAULO SERGIO DUARTE
AUTOMÁTICA
(2011)
R$ 60,00



THAT WAS THAT! CONSONANT DIGRAPHS TH
SUZANNE BARCHERS
LEAP FROG
(2010)
R$ 20,28



ANTOLOGIA POÉTICA
MAIACOVSKI
MAX LIMONAD
(1984)
R$ 35,00



ESTA MENINA ESTÁ FICANDO IGREJA
PE. ZEZINHO
PAULINAS
(1984)
R$ 4,84





busca | avançada
49568 visitas/dia
1,2 milhão/mês