Leitura vertical e leitura horizontal | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
75735 visitas/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Oficina de Objetos de Cena nas redes do Sesc 24 de Maio
>>> Lançamento: livro “A Cultura nos Livros Didáticos”, de Lara Marin
>>> Exposição coletiva 'Encorpadas - Grandes, largos, políticos: corpos gordos'
>>> Clássicos da Literatura Unesp ganha mais cinco títulos
>>> Bertolt Brecht inspira ÉPICO
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 2021, o ano da inveja
>>> Pobre rua do Vale Formoso
>>> O que fazer com este corpo?
>>> Jogando com Cortázar
>>> Os defeitos meus
>>> Confissões pandêmicas
>>> Na translucidez à nossa frente
>>> A Velhice
>>> Casa, poemas de Mário Alex Rosa
>>> Doutor Eugênio (1949-2020)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Gente feliz não escreve humor?
>>> A profissão de fé de um Livreiro
>>> O ar de uma teimosia
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
Últimos Posts
>>> Tonus cristal
>>> Meu avô
>>> Um instante no tempo
>>> Salvem à Família
>>> Jesus de Nazaré
>>> Um ato de amor para quem fica 2020 X 2021
>>> Os preparativos para a popular Festa de Réveillon
>>> Clownstico de Antonio Ginco no YouTube
>>> A Ceia de Natal de Os Doidivanas
>>> Drag Queen Natasha Sahar interpreta Albertina
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Comum como uma tela perfeita
>>> Revista Meio Digital
>>> Do jornalismo como performance
>>> A Nova Revista da Cultura
>>> Aos nossos olhos (e aos de Ernesto)
>>> A Teoria Hipodérmica da Mídia
>>> Os prédios mais feios de SP
>>> Fup, de Jim Dodge
>>> Harry Potter e eu
Mais Recentes
>>> Evolução da Vida - Coleção Prisma Vol 1 de Catherine Jarman pela USP
>>> ELEMENTOS DE GENÉTICA de CRODOWALDO PAVAN & A. BRITO DA CUNHA pela COMPANHIA EDITORA NACIONAL (1966)
>>> Box O Essencial da Filosofia Grega c/ 3 livros - Filosofia de Socrates - Platão e Aristoteles pela Hunter (2017)
>>> Cidades de papel de John Green pela Intrínseca (2014)
>>> BIL GRAHAM APRESENTA MINHA VIDA DENTRO E FORA DO ROCK de BILL GRAHAM pela BARRACUDA
>>> 50 ANOS A MIL de LOBÃO pela NOVA FRONTEIRA (2010)
>>> Box O Essencial da Mitologia c/ 3 livros - Historia de Baby Siqueira Abrao pela Hunter (2016)
>>> VIVE TUA VIDA! COMO? de FRANCISCA PEREIRA NOVIS pela AGIR (1976)
>>> A Magia do Poder Extra-Sensorial de Joseph Murphy pela Record
>>> Cálculo e administração de medicamentos na enfermagem de Marcelo Tardelli da Silva e Sandra Regina L.P.T. Silva pela Martinari (2014)
>>> COLEÇÃO TRABALHOS MARAVILHOSOS - VOL 6 de Editora Abril pela Abril (1969)
>>> COLEÇÃO TRABALHOS MARAVILHOSOS - VOL 5 de Editora Abril pela Abril (1969)
>>> COLEÇÃO TRABALHOS MARAVILHOSOS - VOL 4 de Editora Abril pela Abril (1969)
>>> Cake pops receitas e dicas para mais de 40 minidelícias de Bakerella pela Manole (2011)
>>> Mano descobre a Ecologia -Infanto Juvenil de Heloisa Prieto e Gilberto Dimenstein pela Atica (2002)
>>> A Ladeira da Saudade - Infanto Juvenil de Ganymedes Jose pela Moderna (2012)
>>> COLEÇÃO TRABALHOS MARAVILHOSOS - VOL 2 de Editora Abril pela Abril (1969)
>>> COLEÇÃO TRABALHOS MARAVILHOSOS - VOL 1 de Editora Abril pela Abril (1969)
>>> Pizza 50 das melhores receitas de Academia Barilla pela Manole (2014)
>>> Renoir de Pierre Auguste pela Record
>>> PINTANDO FLORES A LA ACUARELA de JOSÉ M. PARRAMÓN pela PARRAMÓN (1992)
>>> Mortos de Fama -Os Cientistas e seus experimentos de arromba - Infanto Juvenil de Dr. Mike Goldsmitc pela Cia das Letras (2014)
>>> Ouro Preto e Mariana de Tarquínio J. B. De Oliveira & Tom Maia & Theresa Regina Maia pela Berlendis & Vertecchia LTDA
>>> Mortos de Fama -Isaac Newton e sua maça - Infanto Juvenil de Kjartan Poskitt pela Cia das Letras (2021)
>>> Michelangelo de Paolo Occhipinti pela Electa
>>> As famosas receitas do Ana Maria brogui de Caio novaes pela Sextante (2014)
>>> Vende-se Uma Familia - Infanto juvenil de Socorro Acioli pela Democrito Rocha (2015)
>>> Mortos de Fama - Leonardo da Vinci e seus supercerebro - Infanto Juvenil de Michel Cox pela Cia das Letras (2011)
>>> COLEÇÃO MÃOS DE OURO - VOL 5 de Editora Abril pela Abril (1968)
>>> Vendo Poesia - Infanto Juvenil de Leo Cunha pela Ftd (2010)
>>> O Cachorinho Samba - Infanto Juvenil de Maria Jose Dupre pela Atica (1982)
>>> COLEÇÃO MÃOS DE OURO - VOL 4 de Editora Abril pela Abril (1968)
>>> COLEÇÃO MÃOS DE OURO - VOL 3 de Editora Abril pela Abril (1968)
>>> Deu a Louca No Guarda Roupa - Infanto Juvenil de Jonas Ribeiro pela Paulinas (2000)
>>> COLEÇÃO MÃOS DE OURO - VOL 1 de Editora Abril pela Abril (1968)
>>> Coleção História Mundial da Arte - Vol 4-Do Barroco ao Romantismo de Upjohn,Mahler,Wingert pela Editora Difel SA
>>> Coleção História Mundial da Arte - Vol 3- O Renascimento de Upjohn,Mahler,Wingert pela Editora Difel SA
>>> Coleção História Mundial da Arte - Vol 1- Da Pré História à Grécia Antiga de Upjohn,Mahler,Wingert pela Editora Difel SA
>>> HISTÓRIA E TÉCNICA DOS TAPETES DE ARRAIOLOS de Fernando Baptista de Oliveira pela Fundação Calouste Goulbenkian (1991)
>>> História da Pintura Moderna de Herbert Read pela Zahar Editores
>>> Amar se Aprende Amando de Carlos Drummond de Andrade pela Record (1986)
>>> ENCICLOPÉDIA DE AGULHAS E LINHAS - VOL 2 de JUDY BRITTAIN pela Circulo do Livro S A (1979)
>>> Anjos á mesa de Debbie Macomber pela Novo conceito (2013)
>>> DIMENSÕES OCULTAS de DAN DYCKMAN pela ROCCO (1995)
>>> 3º Grau de James Patterson; Andrew Gross pela Rocco (2010)
>>> DESENHO E SUA TÉCNICA de JOÃO MEDEIROS pela PARMA (1980)
>>> DESENHO E ANATOMIA de VICTOR PERARD pela EDIOURO
>>> CULTURA de ALVORADA pela ALVORADA (1979)
>>> CÓMO DIBUJAR EN PERSPECTIVA de JOSÉ M. PARRAMÓN pela PARRAMÓN (1982)
>>> O Menino e o Bruxo - Infanto Juvenil de Moacyr Scliar pela Atica (2007)
COLUNAS

Sexta-feira, 26/5/2006
Leitura vertical e leitura horizontal
Julio Daio Borges

+ de 19100 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Quanto à nomenclatura, acho que foi a expressão "blogs verticais" aplicada a portais como Weblogs, Inc., de Jason Calacanis, nos Estados Unidos, e Weblogs SL, de Julio Alonso, na Espanha, que me fez pensar nos dois tipos de leitura que apresento aqui. Na realidade, não tem nada a ver em termos de conceito. "Blogs verticais", se você quer saber, são blogs hiperespecializados, de nicho, que acabam se tornando referência no assunto. Quanto às minhas "leituras", vamos começar pelo começo...

Desde que comecei a ler mais a internet - algo que sempre recomendo -, através dos feeds, descobri que minha percepção, da própria leitura, começou a mudar. Antes do Digestivo, apenas para exemplificar, eu, como leitor, ia onde meus interesses me levavam. Até sofria interferência da mídia, mas acho que conseguia dividir 50% para cada lado. Quando você se torna um "profissional de mídia", porém, a indústria cultural, e a indústria de releases (principalmente), acaba te afetando, não adianta. Inconscientemente, você adota o ritmo deles e embarca nas novidades que eles te apontam...

Como jornalista, ao me desligar momentaneamente dos releases, para me concentrar nos feeds, me dei conta de como nós, leitores, somos o que lemos. (Atenção, se você não está entendendo as expressões, siga para os links: "blogs", "feeds", "releases" - e depois volte.) Como naquele ditado, "somos o que comemos", acredito que, mais do que nunca, nossa cabeça é também produto do que mentalmente processamos. Por mais que sempre nos desculpemos - acostumados que estamos a digerir informação trash (música trash, televisão trash, internet trash) - dizendo que todo mundo está sujeito à sua cota de fast-food, temos de reconhecer que a sabedoria oriental ainda funciona: quanto mais bobagem você ouve, mais bobagem você vai falar.

Quem me acompanha aqui, sabe que, por minha própria conta e risco, embarquei numa pesquisa sobre Web 2.0 (pára-quedista, olhe o link) e descobri que existe um outro mundo na internet do qual a mídia daqui nem desconfia. Me "ausentei", como leitor, dos releases-nossos-de-cada-dia, e, de repente, comecei a reportar o que acontecia nessa nova Web, o que me indicavam os meus feeds: no Blog, nos Digestivos e nas Colunas. Se vocês prestaram atenção, vocês viram...

O fato é que quando saí dos feeds e voltei para os releases (tradução: saí da pesquisa sobre Web 2.0 e regressei para a indústria cultural daqui), notei o quanto estava condicionado às informações que os blogs me passavam. Eles eram as minhas novas "fontes"! Eles sem querer, ou querendo, como um todo orgânico, estavam orientando meus passos, minhas leituras, minha percepção do mundo. Foi um choque.

No fundo, eu sempre fui um leitor bastante exigente da mídia tupiniquim e sempre impliquei com a informação que dela provinha. E sabia, obviamente, que esses mecanismos - de informação e de formação - estavam em jogo o tempo todo. Mas, com a internet, eu nunca havia sentido isso: eu nunca havia sentido que, mais do que a velha mídia, ela pode ser, sim, um instrumento poderoso para formar nossa percepção das coisas, das pessoas, do mundo enfim.

Conclui, dessa viagem toda, que existem, basicamente, dois tipos de leitura. A horizontal que você faz, dia a dia, caçando as mesmas notícias em diferentes veículos; e a vertical que você faz, mais eventualmente, sobretudo na internet, quando mergulha num tópico e quer explorar - ao longo do tempo - tudo o que puder sobre ele. Digamos: você faz uma leitura horizontal quando tenta acompanhar a semana do "terror em São Paulo", por conta dos ataques do PCC; e você faz uma leitura vertical quando consulta a internet para se aprofundar sobre determinado tema (pode até ser o "PCC" de novo, mas, desta vez, você entra em arquivos e não segue atrás da novidade mais fresquinha...).

É a mudança que Seth Godin, paralelamente, apontou do Yahoo para o Google. Pense nos antigos portais de informação (quase todos os do Brasil): muita coisa na tela, algumas fotos, uma pancada de links e quase sempre, em destaque, as últimas notícias. Agora pense no Google (outro portal, quer queira, quer não): uma tela quase toda em branco, com meia dúzia (literalmente) de links e uma caixa onde você deve indicar o assunto, o tema, da sua busca, ou poderíamos sugestivamente dizer, da sua pesquisa.

Você percebe que são duas propostas completamente distintas? Uma é o "hoje", com suas urgências, seus erros e seus atropelos (leitura horizontal). E outra é atemporal, com erros também, claro, mas com uma dose talvez maior de acertos (leitura vertical). Num caso, você está à mercê do bombardeio da mídia e vai absorver, dizer e sentir o que a imprensa te indicar (vide o clima da semana passada nesta nossa capital...). No outro caso, você vai possivelmente se descolar da realidade, vivendo, quem sabe, um outro tempo que não, historicamente, o seu.

Até aí, você pode dizer - velho profissional de mídia - que essa dualidade sempre existiu. As bibliotecas sempre conviveram com o jornal diário, por exemplo. Quem queria ir para a pesquisa, dirigia-se às primeiras; quem preferia o dia-a-dia, atinha-se ao embrulha-peixe e às bancas de revista. Acontece, porém, que na internet uma coisa está ao lado da outra: você pula do livro (em PDF) para a notícia (em HTML); do blog para a Wikipédia; do podcast para o acervo da Amazon. E isso - esse salto tão perto assim - antes não existia.

A novidade também está, creio, no fato de a internet caminhar cada vez mais para a sua vocação de biblioteca. Nos exemplos que eu citei, das empresas mais bem-sucedidas na WWW, isso é nítido: o Google, embora se diga, não é tradicionalmente uma "empresa de mídia"; a Wikipédia sofre mais atualizações do que qualquer outra enciclopédia, mas vive, evidentemente, da acumulação de conhecimento; e a Amazon, por mais que tenha diversificado seu portfolio, é a biblioteca de Alexandria do presente, nem aí para as notícias...

O que eu acho, também, -e esse é o aspecto mais radical do meu texto- é que a mídia -apesar de, a princípio, não ser "biblioteca" ou não ter essa vocação- caminha igualmente para isso. Eu vejo no Digestivo. Os colaboradores notam as milhares de visitas por dia e me perguntam para onde vão essas pessoas: pois sabem que elas não vão necessariamente para as primeiras páginas do site, para a homepage; elas vão, majoritariamente, para o nosso arquivo. O que pode ser esquisito para uma revista eletrônica, mas é o que tem acontecido.

Não sei se por influência do Google, mas nós, profissionais de mídia, temos de abrir os olhos para isso: o leitor está fazendo muito mais "leituras verticais" do que "horizontais", hoje em dia. Por que o Google é o Google? Porque, em tese, ele possui o arquivo de toda a internet. Você já pensou nisso? O Google replica, em seus servidores, a internet inteira - e foi a empresa (ou iniciativa) mais eficiente, até agora, no sentido de colocar ordem no caos. (E não é uma empresa de mídia!)

Aqui no Digestivo, desde o nosso segundo layout, em 2002, eu passei a orientar a estrutura do site para o aspecto "biblioteca" da internet, de modo que o leitor pára-quedista se sentisse também confortável, e "se encontrasse", em qualquer página do Digestivo Cultural. O leitor novo, raramente, vai começar pela homepage. Ele vem quase que direto do Google, de acordo com a palavra-chave que digitou, e que o Google associou a alguma página interna do Digestivo. Então, ele precisa encontrar um "logo", um título, um "autor", uma forma de contato, um "menu" e o caminho de volta. E ele precisa encontrar, fundamentalmente, mais subsídio ("arquivo"), se precisar de mais informação - se aquela da página não for suficiente.

Isso - se a minha viagem aqui ainda comporta - vai induzir os produtores de conteúdo a trabalhar uma "forma" mais perene. Justamente ao contrário da mídia hoje estabelecida: apoiada em releases descartáveis, em informações que estão velhas já no outro dia, em nada que prenda a atenção por mais de... 24 horas. E vai obrigar todo mundo a organizar melhor o conteúdo que disponibiliza - para que ele sempre seja "encontrável" por quem realmente interessa. Caso contrário, terá sido inútil - e nem merecerá registro.

Eu, como convivi muito com ficção científica, gosto bastante da metáfora do "fim do mundo", depois de uma guerra nuclear. Aquele monte de escombros da civilização, e os sobreviventes caminhando, pisando, tropeçando... à procura de vestígios que expliquem o que houve antes da hecatombe, quem eram aquelas pessoas, como elas viviam? Às vezes penso que podemos estar produzindo informação para esse leitor completamente perdido lá no infinito... Informação que vai ter de parar em pé sozinha; informação que vai ter de se encadear não só numa seqüência de "leituras horizontais", mas numa série de "leituras verticais" também!

Alô, leitor do futuro: "Você consegue me ouvir?".


Julio Daio Borges
São Paulo, 26/5/2006


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2006
01. Novos Melhores Blogs - 17/3/2006
02. O Gmail (e o E-mail) - 3/3/2006
03. Por que os blogs de jornalistas não funcionam - 22/9/2006
04. Desconstruindo o Russo - 21/7/2006
05. The Search, John Battelle e a história do Google - 6/1/2006


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
27/5/2006
13h51min
Antigamente, para se montar uma cena era preciso passar 4 folhas explicando como era uma esquina em Lion, já que as pessoas não tinham como saber senão por fotos e que não ajudavam muito. Quando ouvimos falar da Estátua da Liberdade, parece uma coisa óbvia graças ao nivel de informação de hoje (basta procurar fotos no Google, digamos), mas a idéia de uma mulher gigante segurando uma tocha não parece muito coerente. Sem dúvida a informação modificou a literatura. Não sei se para melhor ou pior. Sem precisar ser detalhista, o escritor pode se aprofundar no tema, mas talvez, como você disse, um dia esses detalhes podem ser necessários.
[Leia outros Comentários de Edward Bloom]
13/2/2007
16h04min
julio, sem querer me repetir muito mas vc é fera, rapah. uma profundida e visão de longa distância raras. megatexto! pati
[Leia outros Comentários de pati ]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O RESTAURANTE NO FIM DO UNIVERSO - VOLUME DOIS O MOCHILEIRO DAS GALÁXIAS
DOUGLAS ADAMS
ARQUEIRO
(2004)
R$ 10,00



CAETANO VELOSO
MABEL VELLOSO
MODERNA
(2002)
R$ 10,00



O QUE E HOMEOPATIA
FLAVIO DANTAS
BRASILIENSE
(1989)
R$ 10,00



LAGOA SANTA, VIDAS E OSSADAS - 9200
HENRIK STANGERUP
NÓRDICA
(1983)
R$ 10,00



O DIA DO CHACAL
FREDERICK FORSYTH
ABRIL
R$ 10,00



A GOVERNANTA DE PORCELANA
MARGERY ALLINGHAM
FRANCISCO ALVES
(1977)
R$ 10,00



O GALINHO QUIRIQUIQUI
EUNICE SAES M. VALVERDE
VICENTINO DE EDUCAÇÃO
R$ 10,00



ABRINDO O JOGO COM O ADOLESCENTE
JAMIEL DE OLIVEIRA LOPES
CANDEIA
(1997)
R$ 10,00



QUERIDO DIÁRIO OTÁRIO: NÃO É MINHA CULPA SE EU SEI DE TUDO
JIM BENTON
FUNDAMENTO EDUCACIONAL
(2009)
R$ 10,00



CURSO DE DIREITO PREVIDENCIARIO
SEBASTIAO FAUSTINO DE PAULA
VESTCON
(2011)
R$ 10,00





busca | avançada
75735 visitas/dia
2,4 milhões/mês