Eu não me importo com a Copa | Marcelo Miranda | Digestivo Cultural

busca | avançada
67475 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
COLUNAS >>> Especial Copa 2006

Segunda-feira, 19/6/2006
Eu não me importo com a Copa
Marcelo Miranda

+ de 4800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Ando pelas ruas e vejo verde-e-amarelo por todo lado. A TV só fala no assunto. A internet publica qualquer coisa sobre o tema. As lojas vendem todo tipo de artigo, desde pulseirinha a colar de diamantes em forma de bandeira brasileira. Até livrarias criaram seções especiais apenas com livros que falam sobre o campeonato mundial de futebol. Na sexta-feira, dia 9, a festa começou com uma supercerimônia de abertura em Munique, na Alemanha.

Em meio a esse sufocamento, eu paro e pergunto a mim mesmo: e daí?

Pois é. Sou uma anomalia dentro do universo porque simplesmente não consigo ser seduzido pela Copa. Isso começa no meu desinteresse em futebol. Ou seja, já não tenho paciência em acompanhar um bando de jogadores tentando marcar gol no campo adversário. Mas minha mãe também não gosta de futebol e, em época de Copa, pára em frente à televisão e acompanha todos os jogos - bom, exagero: não todos, mas ao menos os da seleção brasileira. A empolgação da minha mãe, e de tantas outras mães que não sabem dizer o que é um zagueiro ou um impedimento, dá a entender que ela é expert no esporte.

Então, o que acontece comigo?

Confesso que gostaria de me empolgar com a Copa. Vejo meu melhor amigo, o Ricardo (abraços pra você!), se desdobrar no trabalho para publicar textos e mais textos sobre a Copa, empolgadíssimo com a chegada do campeonato, todo preparado para ver cada um dos times, sabendo o nome de cada um dos jogadores, citando e recitando cada uma das estratégias que entrarão em campo - vejam o especial que ele preparou no portal onde trabalha, clicando aqui. Poucos conteúdos na rede estão tão completos. Chego a invejar o Ricardo (no bom sentido) e pensar no quanto eu também poderia curtir esse momento.

Na verdade, já curti esse momento.

Foi em 1994. Estava com uns 12 ou 13 anos e fiquei absolutamente fissurado com a disputa nos gramados norte-americanos. Sabia sem gaguejar cada integrante da nossa seleção, desde os titulares aos reservas, e suas posições em campo. Falava com facilidade de Parreira, Zagallo, dos times adversários, do número de vezes que cada um estivera numa Copa e se tinha sido campeão. Comprei álbum de figurinhas, me exaltei com o Galvão, berrei nos pênaltis contra a Itália, vibrei com o chute torto do Baggio que nos deu o título.

Mas agora, nada disso parece voltar.

Acho que, em 1994, tudo era mais inocente e gostoso de acompanhar. Passados esses doze anos, nunca mais consegui me ligar em Copa do Mundo. Na verdade, essa é uma época essencialmente hipócrita. O país pode estar no fundo do poço, com denúncias pra todo lado, corrupção em alto grau, desfalques e desvios em hospitais, creches e escolas primárias, mas se a seleção é favorita, então viva o Brasil. Até irônico que, na mesma semana em que um bando de radicais sem-terra invade o Congresso e destrói patrimônio público, a Copa tenha sua abertura e os brasileiros estejam vidrados contando as horas para ver sua pátria os representando. Será que os mesmos sem-terra que agrediram a integridade de seu país vão sentar e torcer pelo próprio Brasil? Não tenho a menor dúvida.

É época em que tudo é pretexto para exaltar a bandeira. O hino nacional é ouvido e arranca lágrimas. Falar qualquer palavra negativa contra o país - ou melhor, contra a seleção - é pecado sem direito a perdão. Gente que enxerga o futebol como algo secundário (ou terciário) começa a achar cult seguir os desdobramentos da Copa. Escolas e faculdades dispensam seus alunos para verem os jogos. O Congresso agiliza as votações para testemunhar em paz e sem o incômodo dos eleitores e da mídia o desempenho da seleção. O comércio fecha as portas por duas ou três horas em nome dos jogos.

É demais pra mim. Sim, não consigo me sensibilizar com essa mobilização toda.

O grande Armando Nogueira comentou, durante a transmissão de abertura da Copa, no dia 9, pelo SportTV, que o campeonato tem a particularidade de inverter os efeitos da globalização. Significa que, enquanto a tendência do mundo global é acabar com as identidades nacionais, vem a Copa para reafirmar e reforçar essas mesmas identidades nacionais. "Cada país entra com a sua língua, a sua bandeira, a sua cultura, a sua forma de pensar", disse Nogueira. É um belo raciocínio. Tão belo quanto o pensamento de que a Copa é o momento máximo de confraternização entre os povos, momento em que as Coréias não fazem guerra, os países africanos são camaradas, a China é democrática e a rivalidade em campo é saudável, e não mortífera como normalmente é em outras instâncias.

E volto a perguntar: e daí?

Porque quando a Copa acabar, tudo volta a ser como antes. Quando a Copa acabar, as ditaduras da África serão as mesmas, a Coréia do Norte continuará fechada, a França seguirá ideologicamente contrária aos EUA. E o Brasil se manterá em direção ao fundo do poço, e talvez ainda mais, porque vêm aí eleições presidenciais. O que a Copa "esconde" por um mês é reaberto pelos próximos três anos e onze meses. De nada adianta patriotismo exacerbado por trinta dias se, quando a festa termina, precisamos encarar feridas profundas e dolorosas, bater de frente com desilusões que insistem em fazer parte do nosso cotidiano.

Não é ser pessimista. É simplesmente não ver motivos pra se empolgar com a Copa.

É uma posição radicalmente particular. Longe de mim fazer apologia anti-Copa. Como disse, invejo meu amigo Ricardo e tantos mais que se animam nesse período mundialmente confraternizante. Juro que vou tentar ver alguns jogos do Brasil, pelo menos. Obviamente vou torcer pelos nossos irmãos em campo. Mas daí a pedir que eu me anime, assopre apitos, compre bandeirinhas, é querer demais. Prefiro ficar na minha discreta e egoísta melancolia, sem expor isso a quem estiver do meu lado, porque nada é mais chato que gente reclamona e rabugenta. Se algo me alegra muito na Copa, é ver as pessoas alegres. Afinal, alguém precisa aproveitar o momento.


Marcelo Miranda
Juiz de Fora, 19/6/2006


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Elis vive de Fabio Gomes
02. Agonia de Daniel Bushatsky
03. Telemarketing, o anti-marketing dos idiotas de Diogo Salles
04. Retrato 3X4 de um velho jornalismo de Guga Schultze
05. Barba e bigode de Guga Schultze


Mais Marcelo Miranda
Mais Acessadas de Marcelo Miranda em 2006
01. Tabus do Orkut - 6/2/2006
02. Filmes extremos e filmes extremistas - 6/3/2006
03. Vida ou arte em Zuzu Angel - 14/8/2006
04. Caso Richthofen: uma história de amor - 31/7/2006
05. Eu vejo gente morta - 11/9/2006


Mais Especial Copa 2006
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
6/7/2006
11h10min
O texto é bastante interessante, e até passível de análise. Todos precisam de um motivo para sorrir, a Copa talvez seja um... quem sabe? Só não concordo que o país está no fundo do poço... se é que chegou lá, penso que ele está saindo.... (só para constar: não sou político e muito menos petista).
[Leia outros Comentários de Marcelo R. Telles]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O FANTASMA DA MASCARA - COL. ESCOLA EM CENA - TEATRO INFANTIL
VICTOR LOUIS STUTZ
FORMATO
(2009)
R$ 8,00



PODERES DE CURA - MISTÉRIOS DO DESCONHECIDO
VÁRIOS AUTORES
ABRIL LIVROS- TIME LIFE
(1993)
R$ 5,00



DEUSES E HERÓIS
MARY RENAULT
NOVA FRONTEIRA
(1984)
R$ 6,99



RETRATO NUM ESPELHO - 1948
CHARLES MORGAN
GLOBO
(1948)
R$ 8,00



QUERO ENTENDER TUDO SOBRE ÁLCOOL, CIGARRO E DROGAS
JAIRO BAUER
MELHORAMENTOS
(2006)
R$ 7,93



DESCOMPLICANDO A VIDA
MICHAEL J. ROADS
PENSAMENTO
(1995)
R$ 5,00



O AMOR ME TROUXE DE VOLTA
CAROL BOWMAN
SESTANTE
(2005)
R$ 5,00



OS ALICERCES DA FÍSICA - MECÂNICA 1
KAZUHITO, FUKE E CARLOS
SARAIVA
(2005)
R$ 20,00



O ATENEU
RAUL POMPÉIA
EDIOURO
(1995)
R$ 5,00



NOVELÁRIO DE DONGA NOVAIS
AUTRAN DOURADO
DIFEL
(1976)
R$ 5,00





busca | avançada
67475 visitas/dia
2,6 milhões/mês