Pessach: entre o social e o existencial | Marcelo Spalding | Digestivo Cultural

busca | avançada
22804 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> FÁBRICA DE CALCINHA, PARTE DA MOSTRA CENA SUL, EM TRÊS APRESENTAÇÕES NO SESC BELENZINHO
>>> PROJETO MÚSICA EXTREMA, DO SESC BELENZINHO, TRAZ EM MARÇO A BANDA REFFUGO, DE DEATH METAL
>>> ESPETÁCULO DE DANÇA ENCHENTE, COM DIREÇÃO DE FLAVIA PINHEIRO (PE), EM TRÊS DATAS NO SESC BELENZINHO
>>> EU e MÁRIO DE ANDRADE Livro de Anotações para Viagens Reais e Imagin
>>> Atom Pink Floyd Tribute retorna ao Rio Grande do Sul
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
>>> Um olhar sobre Múcio Teixeira
>>> Algo de sublime numa cabeça pendida entre letras
>>> estar onde eu não estou
Colunistas
Últimos Posts
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Arte da Palavra em Pernambuco
Últimos Posts
>>> Prefácio
>>> Descendências
>>> Nem mais nem menos
>>> Profissão de fé
>>> Direções da véspera III
>>> Mirante
>>> In Albis
>>> Mulher, ontem hoje e sempre
>>> Amor, entre o céu e o fardo
>>> O Estranho Mundo Atual que Julgamos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ana Elisa Ribeiro lança Álbum
>>> Festival da Mantiqueira
>>> Eleições
>>> Portal dos Livreiros: 6 meses!
>>> Por que ler poesia?
>>> Entrevista com Miguel Sanches Neto
>>> Os superestimados da música no Brasil
>>> O pai da menina morta, romance de Tiago Ferro
>>> Quanto custa rechear seu Currículo Lattes
>>> Influências da década de 1980
Mais Recentes
>>> S. O. S Corpo Viagem ao Mundo da Contracepção de Rose Marie Muraro pela Rosa dos Tempos (1991)
>>> Uma Vida Em Alta Velocidade Em Depoimento a Peter Golenbock de Emerson Fittipaldi e Peter Golenbock pela Objetiva (2003)
>>> Uma Mulher Egípcia de Jehan Sadat pela Bibliex (2005)
>>> Econometric Methods de J. Johnston pela Mcgraw Hill (ny) (1972)
>>> O Continente Desaparecido de Gianni Minà pela Record (2007)
>>> Era uma Vez Fh: o Humor na História do Brasil de 1994 a 2002 de Chico Caruso pela Devir (2002)
>>> As Regras do Jogo: o Plano Real, 1997-2000 de Jorge Vianna Monteiro pela Fgv (2000)
>>> As Regras do Jogo: o Plano Real, 1997-2000 (2ª Ed.) de Jorge Vianna Monteiro pela Fgv (2001)
>>> Ciclos de Formação: uma Reorganização do Tempo Escolar de Elvira Souza Lima pela Sobradinho 107 (2002)
>>> Perdão: o Segredo da Cura Total de Roberto Mcalister (2ª Edição) pela Carisma (1982)
>>> A Luz Imortal de Vasco da Gama de João Lyra Filho pela Club de Regatas Vasco da Gama (1969)
>>> A Fartura das Juventudes: Tramas Entre Educação, Mídia e Arte de Aldo Victorio Filho pela Nau (2013)
>>> A Fartura das Juventudes: Tramas Entre Educação, Mídia e Arte de Aldo Victorio Filho e Outros (orgs) pela Nau (2013)
>>> Esquerda no Brasil: uma História Nas Sombras de História Viva, Nº 5 - Temas Brasileiro pela Duetto
>>> Entre sem Bater: o Humor na Imprensa - do Barão de Itararé ao Pas de Luís Cunha Pimentel pela Ediouro (2004)
>>> E Agora, Che? a Revolução das Bananas de Humberto Borges pela Europa (rj) (1980)
>>> Arbeitswert, Mehrwert Und Verteilung: Zur Problematik Von Theorie de Gerhard Himmelmann (em Alemão) pela Westdeutscher Verlag (1974)
>>> El Hombre Ilustrado de Ray Bradbury pela Minotauro (buenos Aires) (1980)
>>> Profissionais de Saúde: Vivendo e Convivendo Com Hivaids de Elaine Gomes e Dalton Luiz de Paula Ramos pela Santos (2002)
>>> Namoros Com a Medicina - 4ª Edição de Mário de Andrade pela Martins e Itatiáia (1980)
>>> Los Pajaros Regresan de La Niebla de Pedro Rivera (dedicatória) pela Ministerio de Educacion Panamá (1970)
>>> Racionalidade Retórica; América Latina; Onda Movimentalista e Açã de Estudos Leopoldinenses Vol 33 Nº 151 de 1997 pela Univ do Vale do Rio dos Sinos (1997)
>>> O Imperador da Fome de Newton Belleza pela Edições o Cruzeiro (1974)
>>> Vocabulário e Texto do Disco de Sons de Curso de Conversação: Alemão pela Linguaphone Institute
>>> Billy Hooten Owlboy: the Girl With the Destructo Touch de Thomas E. Sniegoski pela A Yearling Book (2007)
>>> Brésil, Pays Du Ballon Rond : Essai de Betty Milan pela Laube (frança) (1998)
>>> Taxionomia Contratual de Marcos Cavalcante de Oliveira pela Forense (1981)
>>> Leurope Au Moyen Age de Georges Duby pela Flammarion (1993)
>>> Liturgia, de Coração de Ione Buyst pela Paulus (2003)
>>> Acaso, Necessidade, Acção: Entre Aristóteles e Verdi de Revista Travessias, Nº 2e3 de 2000e01 pela Faperj (2000)
>>> Ill Let You Go: a Novel de Bruce Wagner pela Random House (new York) (2003)
>>> Catálogo da Secção Ivan Lins de Universidade Gama Filho - Biblioteca Central pela Univ Gama Filho (1977)
>>> Las Ruedas de un Alma de Dr Philip S. Berg pela Ci de La Cabala (jerusalem-ny) (1986)
>>> Quien Es y Quien Fue El Conde St Germain: Metafísica 3 de Conde St. Germain pela Ecologic Argentina (1986)
>>> A Idade Média:a Expansão do Oriente e o Nascimento da Civilização Ocid de Édouard Perroy pela Bertrand Brasil (1994)
>>> Ciência Tecnologia Teologia de João Vieira Martins (2ª Edição) pela Marques Saraiva (2000)
>>> O Conselho de Segurança Após a Guerra do Golfo de Antonio de Aguiar Patriota pela Fundação Alexandre de Gusmão (2010)
>>> Castro Alves: Imagens Fragmentadas de um Mito de Edilene Matos pela Fapesp (2001)
>>> Teoria Geral das Obrigações. Parte Geral de Leonardo Pantaleão pela Manole (2007)
>>> Transferências de Impostos aos Estados e Municípios de Aloísio B de Araujo, Maria Helena e Claudio M pela Ipea (rj) (1973)
>>> Alma y Espiritu: Profundo Análisis y Cuidadosa Interpretación Al de Felas Du Richard, S I pela Luis Carmo (1989)
>>> Grammaire de Lespagnol de Bernard Pottier pela Puf (1972)
>>> La Sociologie Du Langage (que Sais-je?) de Pierre Achard pela Puf (1993)
>>> Agricultura e Perestroika de Dados Vol 32 Nº 2 de 1989 (revista) pela Vértice (1989)
>>> Carnaval Brasileiro: da Origem Européia ao Símbolo Nacional de Revista Brasileira para Progresso Ciência, 8 pela Sbpc (1987)
>>> Los Primitivos Reyes de Noruega de Tomás Carlyle pela Espasa (buenos Aires) (1944)
>>> Bunge and Born: Crecimiento y Diversificación de un Grupo Economi de Jorge Schvarzer pela Cisea (1989)
>>> You Can Draw de Adrian Hill pela Hart Publishing (nova Iorque) (1966)
>>> Dicionário de Medicina Natural (capa Dura) de Readers Digest pela Readers Digest (1998)
>>> The Complete Works of O. Henry - Vol. Ii (capa Dura) de O. Henry ; Fareword Harry Hansen pela Doubleday & Company (1953)
COLUNAS

Quinta-feira, 1/11/2007
Pessach: entre o social e o existencial
Marcelo Spalding

+ de 3000 Acessos
+ 1 Comentário(s)

A maioria de nossos romances de hoje poderia ter sido escrita na Suíça. Não que isso seja um defeito por si só, apenas sinal dos tempos, onde as criações artísticas não precisam, e nem querem, apoiar-se em temas pontuais, polêmicos, políticos. Há quarenta anos era bem diferente: vivíamos entre a ditadura envergonhada e a ditadura escancarada, anos de medo e esperança da contra-revolução, anos agitados e artisticamente bastante produtivos.

Pessach: A Travessia (Alfaguara, 2007, 336 págs.), de Carlos Heitor Cony, é dos melhores exemplares desse período, romance de qualidade que não ignora a grave cisão política do país, mas foge do panfletarismo opondo no próprio romance as questões sociais e existenciais. Publicado em 1967, registra um momento chave da contra-revolução, dos movimentos guerrilheiros de esquerda, representando-o de dentro a partir do olhar desconfiado de um narrador que vê-se primeiro prisioneiro, depois seduzido pela causa.

Paulo Simões inaugura a narrativa na manhã do dia 14 de março de 1966, data dos seus 40 anos, comemorando o fato de não ter amigos nem dívidas, "duas coisas que me incomodam". Aos poucos descobre-se que Paulo é um escritor de relativo sucesso, separado e avesso a qualquer posicionamento político, mas que acabará sendo envolvido na guerrilha de esquerda.

Sem abrir mão de um enredo eletrizante, Cony costura um romance de múltiplas teses, valendo-se da polifonia para representar desde as postulações anarquistas e burguesas da acomodada classe média carioca até os ideários de esquerda e suas fatais contradições. Dessa forma há espaço no romance tanto para analogias entre a passagem de Paulo e a fuga do povo judeu do Antigo Egito (a Pessach) quanto para questões político-partidárias bastante reveladoras dos bastidores da resistência armada da época.

"O Partido já não é o mesmo, desde que a União Soviética abandonou a América Latina à própria sorte. Foi pouco depois do episódio de Cuba, quando Kennedy ia invadir a ilha. A União Soviética dividiu o mundo com os Estados Unidos, metade para cada um, o Tratado de Tordesilhas, de novo. O Brasil, como a América Latina toda, coube aos Estados Unidos. A União Soviética não quer mais nada com a gente. Até ajudar a esta ditadura já ajudou: outro dia, o embaixador soviético firmou acordo com os militares, cem milhões de dólares. Que que você acha? Nós aqui dando duro para varrer essa cambada do poder e os nossos amigos socialistas enterrando com dólares para que os militares nos torturem e matem."

Mas a questão que parece-nos, neste momento, quarenta anos depois da publicação de Pessach e já superada, aparentemente, a dicotomia militares capitalistas versus revolucionários comunistas é o embate que se dá na arte entre as problemáticas sociais e existenciais. A literatura no Brasil deve manter-se preocupada estritamente com as questões estéticas ou é seu dever olhar também para as questões éticas? Haverá prejuízo literário em uma obra que ignore as questões sociais, desde que esteticamente bem realizada? Tal debate não deve se resumir a um riso sarcástico ou a um sacudir de ombros; de certa forma é o embate histórico da literatura brasileira desde romantismo versus realismo, modernismo versus romance de 30, debate este que volta com força nos anos sessenta e ganha os bancos acadêmicos (formalistas versus materialistas, por exemplo). Em Pessach há um diálogo entre Paulo e seu editor que resume bem essa dicotomia:

"- Você permanece fiel a essa problemática existencial, esquecido da problemática que realmente conta: a social. Em todo caso, o problema é seu. Eu apenas edito livros, e o faço com prazer, você sabe disso. Mas teria orgulho de você se...
- Mande o seu orgulho às favas. Eu não escrevo nem para o meu orgulho, quanto mais para o orgulho dos outros.
- Mesmo assim, eu teria muito orgulho em saber que você se rende à vida e aceita o homem. Negá-lo, como você vem fazendo até agora, pode ser cômodo, comercial, mas não ajuda a ninguém.
- Não escrevo para ajudar a ninguém.
- Então mande o bidê, tire o dinheiro na caixa, fornique bastante e me mande depois um bom romance. Seria um bom aliado na luta de nossa época. Mas essa luta não aceita mercenários. Tudo tem de ser na base do voluntariado."

E se no romance, aos poucos, Paulo torna-se cada vez mais um ser social, a ponto de receber a notícia do duplo suicídio dos velhos pais quase com indiferença, as personagens que compõem a causa revolucionária evidenciam-se cada vez mais sujeitos complexos e com profundas crises existenciais, embaralhando as relações e motivações de cada um.

O que Pessach nos evidencia, de dentro, é a impossibilidade de separar-se as questões existenciais e sociais sem mutilarmos uma obra. Não seria este o grande romance de Cony e nem Cony um grande nome de sua geração não fosse a coragem de lidar com temas pontuais, polêmicos, políticos, mas também não estaria sendo Pessach editado quarenta anos depois - e lido com interesse por este jovem resenhista - não fosse a problematização das causas políticas, o mergulho psicológico que o romance faz nas personagens. Paulo não conseguirá salvar o Brasil das garras da ditadura, mas confessará, em dado momento, que seu olhar sobre o mundo foi definitivamente alterado, e isso basta para que se concretize a travessia:

"Ando pelas ruas e descubro que estou odiando aquela cidade, aquela gente comportada e vestida que vai para os escritórios, para as repartições, para os cinemas. Uma carneirada que nem sequer fedia. Homens de testículos inquietos - e passivos na rotina incolor, na cadeia imbecil de compromissos ridículos, mesquinhos. Aquela gente andando na cidade, parando nos cruzamentos, atravessando as ruas nas faixas de segurança - ah, a segurança! -, pedindo desculpas quando esbarra em outras pessoas. Aquela gente com idéias assentadas e tranqüilas nas cabeças penteadas e dignas é justamente a humanidade dos meus romances. Sou cúmplice daquela humanidade, cúmplice e escavo ao mesmo tempo: parava nos cruzamentos, ia sempre a algum lugar fazer alguma coisa que eu não queria nem precisava realmente fazer. A última vez que estive em São Paulo, há sete meses, compareci ao jantar em homenagem a um poeta que eu desprezava e todos desprezavam mas que era bom homem, pagava os impostos, penteava-se, escovava os dentes, enviava cartões de boas-festas pelo fim do ano - um homem digno, merecia ser jantado."

Queiramos ou não, somos um ser social.

Para ir além






Marcelo Spalding
Porto Alegre, 1/11/2007


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Do inconveniente de ter escrito de Cassionei Niches Petry
02. Isto não é um trote de Marta Barcellos
03. Billy Wilder: o mestre do cinema, parte I de Gian Danton
04. De tinta e fio é feito o homem de Elisa Andrade Buzzo
05. 50 anos a mil, a vida de Lobão de Jorge Wagner


Mais Marcelo Spalding
Mais Acessadas de Marcelo Spalding em 2007
01. Sexo, drogas e rock’n’roll - 27/3/2007
02. Vestibular, Dois Irmãos e Milton Hatoum - 31/7/2007
03. Com a palavra, as gordas, feias e mal amadas - 30/1/2007
04. O dinossauro de Augusto Monterroso - 10/4/2007
05. Estrangeirismos, empréstimos ou neocolonialismo? - 1/5/2007


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
1/11/2007
21h30min
A arte transcende a realidade, a arte vai além de nosso pensar e do nosso agir. A realidade social às vezes imita a arte que nasce de uma ficção, mas com o desejo de mudança ou de reestruturar o que é real.
[Leia outros Comentários de Manoel Messias perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




SONATA DE OUTONO - INGMAR BERGMAN
INGMAR BERGMAN
NORDICA
(1978)
R$ 12,00



A UTOPIA - UM CONVITE À FILOSOFIA
JEAN-YVES LACROIX
JORGE ZAHAR RIO DE JANEIRO
(1996)
R$ 12,00



LYGIA PAPE, INTRINSECAMENTE ANARQUISTA
DENISE MATTAR
RELUME DUMARÁ
(2003)
R$ 13,00



OS ANOS 80: CONTAGEM REGRESSIVA PARA O JUÍZO FINAL
HAL LINDSEY
MUNDO CRISTÃO
(1981)
R$ 9,00



DESCOBERTA DE INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS COM MINERAÇÃO DE DADOS
FELIPE FERRÉ
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 524,00



SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE OVINOS NO BRASIL
MARCOS ANTONIO DE OLIVEIRA, FABRÍCIO E. ARAÚJO UND ALEXANDRE A. MEXIA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



POPE JOAN
LAWRENCE DURRELL
SPHERE BOOKS
(1971)
R$ 27,28



RABISCADO NO TEATRO
STÉPHANE MALLARMÉ
AUTÊNTICA
(2010)
R$ 41,83



PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS
PEDRO PASSARINHA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 251,00



INDICADORES CARDIOVASCULARES E QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS
JANAISA GOMES DIAS DE OLIVEIRA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 489,00





busca | avançada
22804 visitas/dia
1,1 milhão/mês