O Banquete | David Donato | Digestivo Cultural

busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Festa na floresta
>>> A crítica musical
>>> 26 de Julho #digestivo10anos
>>> Por que escrevo
>>> História dos Estados Unidos
>>> Meu Telefunken
>>> Uma Receita de Bolo de Mel
>>> O apanhador no campo de centeio
>>> Curriculum vitae
>>> O Salão e a Selva
Mais Recentes
>>> Harry Potter e a Pedra Filosofal de J. K. Rowling pela Rocco (2000)
>>> Infinite Jest de David Foster Wallace pela Back Bay Books (1996)
>>> Nine Dragons de Michael Connelly pela Hieronymus (2009)
>>> The Innocent de Taylor Stevens pela Crown Publishers (2011)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> The Watchman de Robert Crais pela Simon & Schuster (2007)
>>> Filosofia Para Crianças e Adolescentes de Maria Luiza Silveira Teles pela Vozes (2008)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> O Caminho da Perfeição de A. C. Bhaktivedanta Swami pela The Bhaktivedanta (2012)
>>> Vida de São Francisco de Assis de Tomás de Celano pela Vozes (2018)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Apóstolo Paulo de Sarah Ruden pela Benvirá (2013)
>>> Astrologia e Fatalismo Magnetismo e Hipnose de Ferni Genevè pela Fase (1983)
>>> Práticas da leitura de Roger Chartier (org.) pela Estação Liberdade (2001)
>>> Universo em Desencanto A Verdadeira Origem da Humanidade Vol 1 de Não Informada pela Mundo Racional
>>> Matemática Financeira de Roberto Zentgraf pela Ztg (2002)
>>> Como Negociar Qualquer Coisa Com Qualquer Pessoa Em Qualquer Lugar do Mundo de Frank L. Acuff pela Senac (1998)
>>> Morte e Vida Severinas: das Ressurreições e Conservações ... Ed. Ltda. de Nelci Tinem e Luizamorim: Organização pela Impre. Univ. J. Pessoa (2012)
>>> Mais Trinta Mulheres que Estão Fazendo a Nova Literatura de Luiz Ruffato pela Record (2005)
>>> Príncipe Sidarta A Fuga do Palácio de Patricia Chendi pela Rocco (2000)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Como Criar Filhos Autoconfiantes de Anthony Gunn pela Gente (2011)
>>> Smart Work Why Organizations Full Of Intelligent People ... de Steven A. Stanton pela Do Autor (2016)
>>> Estatística Objetiva de Roberto Zentgraf pela Ztg (2001)
>>> Diários Messiânicos: uma Experiência de Extensão Universitária de Bruno Cesar Euphrasio de Mello pela Univ. Federal Rgs. (2015)
>>> The Lost Symbol de Dan Brown pela Doubleday (2009)
>>> Dez Dias de Cortiço de Ivan Jaf pela Ática (2009)
>>> Medicina do Além Um Presente de Jesus para a Humanidade de Fabio Alessio Romano Dionisi pela Dionisi (2014)
>>> Energia Renovável de Dme pela Dme
>>> São João Paulo Grande Seus Cinco Amores de Jason Evert pela Quadrante (2018)
>>> At Risk de Patricia Cornwell pela Little Brown And Company (2006)
>>> Gone For Good de Harlan Coben pela Na Orion Paperback (2007)
>>> When The Wind Blows de James Patterson pela Little Brown And Company (1998)
>>> Windmills Of The Gods de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1987)
>>> If Tomorrow Comes de Sidney Sheldon pela William Morrow And Companhy (1985)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Pearl Dakotah Treasures 2 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2004)
>>> Children Of The Lamp Book One de P. B. Kerr pela Orchard Books (2004)
>>> The Tale Of Despereaux de Kate Di Camillo pela Candlewick Press (2003)
>>> What She Left For Me de Tracie Peterson pela Bethany House (2005)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> Mulher (Trilingue) de Orestes Campos Barbosa pela Sografe, Belo Horizonte (2009)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> A Christmas Carol de Charles Dickens pela Bendon (2014)
>>> Ruby Dakotah Treasures 1 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2003)
>>> Opal Dakotah Treasures 3 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
>>> Amethyst Dakotah Treasures 4 de Lauraine Snelling pela Bethany House (2005)
COLUNAS

Terça-feira, 29/4/2008
O Banquete
David Donato

+ de 2200 Acessos

Tive uma professora de biologia ― na oitava série, se bem me lembro ― que disse uma vez que nós usamos as mesmas proteínas das coisas que comemos para construir nosso próprio corpo. Já que são exatamente as mesmas substâncias, a única coisa que nos impede de termos, por exemplo, um pedaço de peito de frango no lugar da nossa panturrilha é a ordem que nosso corpo monta essas proteínas. Claro que não é a melhor explicação do mundo (ela definitivamente não era a melhor professora do mundo), mas foi uma imagem que me marcou e, de certo modo, serve para muitas outras coisas na vida. Acredito na velha máxima "você é o que você come". Cada experiência, cada viagem de ônibus, cada almoço no boteco sujo, cada livro lido e cada pé na bunda deixam para trás um eu menor e mais antigo, ou mais magrinho e desnutrido, para não fugir da metáfora. Isso é especialmente verdade quando se trata de artes. Claro que há refeições e refeições, esfihas do Habib's de experiência (a última refilmagem de terror japonês) e verdadeiros banquetes (pensou em Dostoiévski? Eu também.) Acho que eu, nesse sentido, já nasci com fome.

Uma das minhas primeiras memórias com as letras onde eu mesmo peguei o cardápio e escolhi sozinho a refeição foi em uma biblioteca infantil, onde conheci Ruth Rocha, Maria José Dupré e Ziraldo. Assim, me tornei um pouco Marcelo, Marmelo, Martelo, cachorrinho Samba, um pouco Maluquinho. Vivi muito tempo com Monteiro Lobato e toda sua obra infantil, que eu devorava deitado no tapete do quarto. Provei os clássicos juvenis, adaptações de Moby Dick, Frankenstein, Robin Hood e Sherlock Holmes; passei um bom tempo me deliciando com a obra de Jules Verne e a maioria dos livros da Coleção Vaga-Lume. Em poucos anos, tinha vivido séculos de experiências, viajado ao centro da Terra, passado semanas na fazenda e em mundos fantásticos, caçado obsessivamente baleias, explorado minas de ouro e resolvido mistérios insolúveis, sempre em doses não muito maiores que cem páginas. No fim do dia eu me sentia velho, saciado. Mas como toda saciedade se esgota no dia seguinte, lá estava eu procurando o que ler até na estante empoeirada de casa. E foi aí que as coisas começaram a mudar.

Aos treze anos achei um livrinho de capa dura, bastante sólido e bem conservado, apesar dos vinte e cinco anos de publicação. Minha mãe o tinha desde a adolescência, mas mal se lembrava. Na capa preta, em dourado, um desenho quase abstrato de um homem e um gato e a inscrição POE ― Histórias Extraordinárias. Esse livro de pouco mais de trezentas páginas me mostrou um outro mundo, denso, obscuro e extremamente bem construido. Os contos pioneiros de Edgar Allan Poe, quase todos em primeira pessoa, falavam para o adolescente em mim ainda mais que as músicas em primeira pessoa da Legião Urbana. Nunca me esqueço do arrepio que senti ao terminar "O poço e o pêndulo". Fui atingido por uma porção de pensamentos, e o último foi "como alguém consegue descrever sensações de forma tão poderosa sem ter passado pelo que seus personagens passaram?" O mundo aventureiro dos anos anteriores acabara de se tornar também subjetivo, reservado, misterioso.

No mesmo ano, a mesma mudança aconteceu com o cinema, quando, sem opção numa praia chuvosa, entrei numa sessão qualquer de um cinema qualquer. O mundo aventureiro de Jurassic Park e De volta para o futuro levou um soco no estômago de Seven, com aquela sequência de abertura incrível e história impactante demais para quaisquer treze anos de idade. Foi aí que percebi que eu realmente gostava de cinema. Aí minha fome aumentou de verdade. Fiquei um pouco mais cínico com Kubrick, mais virtuoso com Hitchcock, mais neurótico com Woody Allen. Ainda assim, gordo, sem conseguir absorver tantos nutrientes em tão pouco tempo, me deixei levar pela gula e enfrentei sozinho Crime e Castigo. Era como se eu vivesse em restaurantes, mas nunca tivesse comido um grande e desafiador filé mignon. Cento e cinqüenta anos de proteína assim me transformaram em alguém mais complexo, mais incoerente, mais humano e com muita vontade de aprender russo e ter um amigo chamado Svidrigáliov. Meu mundo também era frio, pobre e sujo como a São Petesburgo de Raskólnikov.

As refeições que mudaram minha composição química vão além. Kafka me fez ver o mundo pelo avesso, Umberto Eco, de trás para frente. Borges, de todos os ângulos possíveis e ao mesmo tempo. Douglas Adams me fez rir de minha petulância e Arthur Clarke me fez temê-la. George Orwell e Art Spiegelman me fizeram ter cuidado com o mundo. Alan Moore e Paul Thomas Anderson me fizeram ter cuidado com os habitantes do mundo. Chuck Jones, Brad Bird, Michel Gondry, Winsor McCay e Tim Burton me mostraram como construir mundos particulares. Matt Groening e Tarantino, como desconstruir qualquer mundo. Os contistas brasileiros me mostraram quanta coisa interessante pode acontecer no meu quintal. Os Monty Python mostraram como isso pode ser ridículo.

Não incluo aqui os filósofos nem a religião pelo mesmo motivo que não incluo o quanto fui ensinado por meus pais: isso é o arroz e feijão. É a base, sem a qual ninguém dura muito tempo nessa vida. Quero me concentrar nas carnes, nas saladas, entradas e molhos, que, mesmo que consumidos com frequência, sempre dão um sabor especial ao prato. Também não incluo aqui a música nem as artes plásticas, mas isso é porque o texto ia ficar muito longo mesmo.

Mas de que adianta passar a vida no restaurante? A verdade é que comemos para viver, e não o contrário (nunca achei que esses sábios eremitas que vivem em cavernas fossem tão sábios assim. Afinal, acumular sabedoria mas nunca colocá-la em prática não me parece nada, digamos..., sábio). Queimar toda essa gordura secular não é fácil, principalmente num mundo onde se come tão mal e não se faz exercícios. Precisamos achar nossas pistas de corrida em conversas de boteco, nossas academias (inclusive no sentido literal do termo), nossas ciclovias em nossas próprias famílias e malhar até a exaustão. É a segunda melhor forma de agradecer aos que nos proporcionaram tanta boa comida. A melhor maneira é aprender a cozinhar.


David Donato
São Paulo, 29/4/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cidades do Algarve de Elisa Andrade Buzzo
02. Uma livrada na cara de Guilherme Carvalhal
03. Os 60 de Eugenia Zerbini
04. Jackie O., editora de Eugenia Zerbini
05. Autoajuda e Poesia de Mariana Portela


Mais David Donato
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O CIENTISTA
HENRY MARGENAU - DAVID BERGAMINI
JOSÉ OLYMPIO
(1970)
R$ 29,90
+ frete grátis



CONVENÇÃO EUROPÉIA DE DIREITOS HUMANOS
JOSÉ A F LOPES DE LIMA
MIZUNO
(2007)
R$ 10,00



O CORREIO DO CORPO
THÉRÈSE BERTHERAT
MARTINS FONTES
(1984)
R$ 25,00



SÍNTESE DE DOUTRINA SOCIAL
GABRIEL GALACHE
LOYOLA
R$ 16,07



IMPACTOS ECONOMICOS E FINANCEIROS DA UNESP PARA OS MUNICIPIOS
JOSÉ MURARI BOVO - ORG
UNESP
(2003)
R$ 5,00



THE MIND OF THE TOPS - A TRAJETÓRIA E A CONSTRUÇÃO DAS GRANDES MARCAS DO PARANÁ
JORGE POLYDORO ORG.
INSTITUTO AMANHÃ
(2015)
R$ 14,00



O FRACASSO DO ENSINO
CODECRI
REGIS FARR
(1982)
R$ 4,00



HISTÓRIAS PARA NINAR E SONHAR
RUTH MARSCHALEK NASCIMENTO
EKO
(2002)
R$ 14,77



INDEPENDÊNCIA - O COTIDIANO DA HISTÓRIA
EDGARD LUIZ DE BARROS
ÁTICA
(2000)
R$ 4,05



A FILHA DE BURGER
NADINE GORDIMER
ROCCO
(1985)
R$ 15,00





busca | avançada
34554 visitas/dia
1,1 milhão/mês