Uma visão de mestre do cinema | Marcela Tullii | Digestivo Cultural

busca | avançada
49702 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> De Kombi na Praça - Pateo do Collegio
>>> Primeiras edições de Machado de Assis são objeto de exposição e catálogos lançados pela USP
>>> Projeto lança minidocumentário sobre a cultura do Gambá na Amazônia
>>> Cinema itinerante leva sessões gratuitas a cidades do Sudeste e do Sul
>>> Artistas abrem campanha de financiamento para publicação de graphic novel
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
Colunistas
Últimos Posts
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
Últimos Posts
>>> Direitos e Deveres, a torto e a direita
>>> Os chinelos do Dr. Basílio
>>> Ecléticos e eficazes
>>> Sarapatel de Coruja
>>> Descartável
>>> Sorria
>>> O amor, sempre amor
>>> The Boys: entre o kitsch, a violência e o sexo
>>> Dura lex, só Gumex
>>> Ponto de fuga
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Hasta la vista, baby
>>> O amor é importante, porra
>>> Por uma arquitetura de verdade
>>> O criador do algoritmo do YouTube
>>> Cisne Negro: por uma inversão na ditadura do gozar
>>> Filosofia teen
>>> Extraordinary Times
>>> O melhor programa cultural
>>> As estrelas e os mitos
>>> Open Culture
Mais Recentes
>>> Politica. os Textos Centrais de Roberto Mangabeira Unger pela Boitempo (2001)
>>> Perdas e ganhos de Lya Luft pela Record (2004)
>>> Zizek e Seu Diálogo Com Marx, Lacan e Lenin de Claudia Cinatti e Cecilia Feijoo e Gastor Gutie... pela Iskra (2015)
>>> Classe operária, sindicatos e partido no Brasil de Ricardo Antunes pela Cortez (1982)
>>> O lugar do marxismo na história de Ernest Mandel pela Xamã (2001)
>>> Um Brasileiro na China de Gilberto Scofield Jr. pela Ediouro (2007)
>>> Traité Pratique D Iridologie Médicale de Gilbert Jausas pela Dangles (1985)
>>> A inocência e o pecado de Graham Greene pela Verbo
>>> Carlos Marx y Rosa Luxemburgo - La acumulación de capital en debate de Severo Salles pela Peña lillo (2009)
>>> Narcotráfico um jogo de poder nas Américas de José Arbex Jr. pela Moderna (2003)
>>> O Método Em Karl Marx Antologia de Gilson Dantas e Iuri Tonelo Orgs pela Iskra (2010)
>>> China Moderna de Rana Mitter pela L&PM (2008)
>>> Vendedoras boazinhas enriquecem de Elinor Stutz pela Gente (2007)
>>> Gossip Girl - Você sabe que me ama vol 2 de Cecily Von Ziegesar pela Galera (2010)
>>> O Perfume da Folha de Chá de Dinah Jefferies pela Paralela (2017)
>>> O partido Político em Marx e Engels de Orides Mezzaroba pela Paralelo 27 (1998)
>>> Novissima Enciclopedia Mundial de Arte Culinaria de Mestre Cuca pela Formar
>>> Escritos Filosóficos de Leon Trotsky pela Edições Centelha Cultural (2015)
>>> O espírito da coisa de Liber Matteucci pela Prumo (2013)
>>> A Medicina dos Sintomas de Gilson Dantas pela Itacaiúnas (2015)
>>> Pão e Rosas de Andrea D`Atri pela Iskra (2008)
>>> Ícone de Frederick Forsyth pela Record (1997)
>>> A Esposa Americana de Curtis Sittenfeld pela Record (2010)
>>> O Marxismo e a Nossa Época de Leon Trotski pela Iskra/centelha Cultural (2016)
>>> Trabalho e proletariado no capitalismo contemporâneo de Sérgio Lessa pela Cortez (2007)
COLUNAS

Segunda-feira, 24/11/2008
Uma visão de mestre do cinema
Marcela Tullii

+ de 3000 Acessos

A Escola de Comunicações e Artes da USP promoveu a IX Semana do Audiovisual, que teve início no dia 6 de outubro e terminou no dia 10 do mesmo mês. Na programação, debates sobre o audiovisual no Brasil, exibições de projeções universitárias e bate-papos com diretores consagrados, dentre eles Fernando Meirelles.

Meirelles é conhecido pela direção de filmes como Cidade de Deus, O jardineiro fiel e, mais recentemente, Ensaio sobre a cegueira, além de ser um dos cineastas brasileiros com maior projeção internacional.

O bate-papo durou pouco mais de duas horas. O diretor chegou pontualmente ao auditório, onde se amontoavam mais de 200 estudantes, sentados no chão, nas janelas e até pendurados no teto. Respondeu a todas as perguntas sem pressa e com ótimas e divertidas tiradas. Falou-se sobre o cinema no Brasil, a produção de filmes, o papel do cinema na sociedade e sobre os trabalhos do diretor.

A maior parte do público era da área de audiovisual, mas alguns "penetras", como eu, se faziam presentes. Leiga que sou, fiquei surpresa com algumas práticas que são de praxe no fazer de um filme.

Surpreendeu-me, por exemplo, como o resultado final de um projeto, ao contrário do que se pensa, é muito diferente da visão inicial do diretor. Um dos motivos para isso diz respeito à praticidade. O filme Ensaio sobre a cegueira, que foi co-produzido pela produtora de Meirelles, a O2, foi filmado em São Paulo, pois, sendo a produtora daqui, a possibilidade de fechar locações compatíveis com o roteiro era maior. O diretor mostrou certo descontentamento com o fato de muitos cenários serem reconhecíveis, como o centro da cidade e a nova ponte na avenida Roberto Marinho, praticamente cartões-postais de São Paulo, o que desviou um pouco o propósito de retratar nas filmagens uma cidade genérica e não-reconhecível. Mas, nesse caso, os procedimentos burocráticos falaram mais alto. Outro motivo é a necessidade de fazer um filme ser mais comerciável. Muito embora os filmes de Meirelles sejam classificados como smart art, a pressão por um bom desempenho nas bilheterias é grande. Para isso, o filme passa por diversas modificações na edição original. A primeira edição é passada para um público teste em uma sala, e as emoções e reações do público são acompanhadas e analisadas; a partir disso, modificações no filme são feitas para torná-lo mais compatível ao gosto do público. Tudo isso com certo critério, é claro. Só para ilustrar, a versão original de Ensaio sobre a cegueira continha duas cenas de estupro. Durante a sessão-teste, algumas poucas pessoas saíram da sala na primeira cena, o que já era previsto. Durante a segunda cena, muitas pessoas levantaram e se retiraram da sessão, algo que se mostrou inesperado pela equipe do filme. Na versão que foi aos cinemas, a segunda cena é bem editada, quase só insinuada.

Outra coisa explicada pelo diretor e desconhecida do grande público é como se dá início a um filme. Muitos roteiristas mandam suas propostas de roteiros para produtoras, que, ao lerem um interessante, dão prosseguimento ao projeto, enviando o texto a potenciais diretores, até que algum aceite e comece a montar sua equipe. O que mais me chamou a atenção nesse processo é que a maioria dos roteiros que chegam a produtoras e são levados adiante são, na verdade, reescritos por roteiristas "profissionais" contratados pelas produtoras, que adaptam a boa história da proposta inicial para um roteiro filmável.

Esse ponto, aliás, vai ao encontro do pensamento de Meirelles acerca das inovações para o cinema contemporâneo. De acordo com o diretor, não há nada de realmente novo a ser feito. A novidade reside na descoberta de novas maneiras de se fazer o que um dia já foi feito e fazer isso bem.

Para isso, o Brasil precisa consertar uma grande lacuna que ainda existe: a falta de roteiristas realmente bons e profissionalizados, para sanar o problema de muitos filmes nacionais, que possuem roteiros razoáveis, mas mal escritos, acarretando em filmes ruins. O próprio Meirelles, acreditando nessa idéia, abrirá em sua produtora um curso para roteiristas, que funcionará em forma de workshops. Os convidados a participar da primeira temporada foram selecionados através de roteiros enviados para a O2, que escolheu aqueles com maior potencial.

O cineasta acredita que o Brasil está começando a mostrar seu potencial, fazendo filmes de qualidade e compromisso. A facilidade com que os filmes brasileiros estão indo para o exterior e sendo reconhecidos pelos grandes festivais internacionais comprova que o futuro é promissor. Mas, para que o cinema nacional consiga ter maior êxito aqui no país, apontou que ainda é preciso a implementação de políticas que viabilizem novas produções, facilitem a exibição e divulgação dos filmes nacionais, pois grande parte entra em cartaz sem divulgação por falta de patrocinadores de peso e em circuitos alternativos que não são de conhecimento do grande público, o que dificulta o acesso. A luta não está em conquistar o reconhecimento lá fora, mas em tornar o filme nacional uma opção viável e interessante para o público brasileiro.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pela autora. Originalmente publicado na Gazeta Vargas nº 77.


Marcela Tullii
São Paulo, 24/11/2008


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A suíte melancólica de Joan Brossa de Jardel Dias Cavalcanti
02. As maravilhas do modo avião de Julio Daio Borges
03. As palmeiras da Politécnica de Elisa Andrade Buzzo
04. A coerência de Mauricio Macri de Celso A. Uequed Pitol
05. Amores, truques e outras versões, de Alex Andrade de Jardel Dias Cavalcanti


Mais Marcela Tullii
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Depois da Meia Noite
Diana Palmer
Harlequin
(2007)



Enfoques Doutrinários
Danilo C. Villela
Lar Fabiano de Cristo
(2005)



O Mistério da Múmia Sussurrante
Alfred Hitchcock
Clássica
(1988)



Confissões verídicas de um terrorista albino
Breyten Breytenbach
Rocco
(1985)



A Aventura do Universo
Luis E. Navia
Melhoramentos
(1977)



Além do Cordão de Prata, Labirinto dos Sonhos
Patrícia Fernandez
Travassos
(2015)



Enciclopédia do Patrimônio da Humanidade - Europa 1 - Grécia e Chipre
Altaya
Altaya
(1998)



A literatura e os Deuses
Roberto Calasso
Companhia das letras
(2004)



Lendas do Folclore Popular
Beto Brito e Tatiana Móes
Prazer de Ler
(2006)



J. Carlos Em Revista
Julieta Sobral
São Paulo
(2016)





busca | avançada
49702 visitas/dia
2,0 milhão/mês