O traidor Mark Twain | Urariano Mota | Digestivo Cultural

busca | avançada
39185 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
>>> Livro Alma Brasileira
>>> Steve Jobs em 1997
>>> Jeff Bezos em 2003
>>> Jack Ma e Elon Musk
>>> Marco Lisboa na Globonews
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dicas para a criação de personagens na ficção
>>> Tiros, Pedras e Ocupação na USP
>>> Oficina de conto na AIC
>>> Crônica em sustenido
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> O julgamento do mensalão à sombra do caso Dreyfus
>>> Retomada do crescimento
>>> Drummond: o mundo como provocação
>>> Cigarro, apenas um substituto da masturbação?
>>> De volta às férias I
Mais Recentes
>>> Tania Castelliano e J. Cabral de Entenda Seus Conflitos e Livre-se Deles pela Record (2002)
>>> 1ª Oficina de Desenho Urbano de Florianópolis de Silvia Ribeiro Lenzi (et..al): Organização pela Ipuf/ Pmf Arq./ Ufsc (1994)
>>> 1ª Oficina de Desenho Urbano de Florianópolis de Silvia Ribeiro Lenzi (et..al): Organização pela Ipuf/ Pmf Arq./ Ufsc (1994)
>>> Primeira Vez de Ivan Jaf pela Moderna (1997)
>>> Primeira Vez de Ivan Jaf pela Moderna (1998)
>>> Fe, Razon y Civilizacion: Ensayo de Análisis Historico de Harold J. Laski pela Editorial Abril/ Buenos Aires (1945)
>>> Bolofofos e Finifinos de Fernando Sabino pela Ediouro (2006)
>>> ...Quando Florescem os Ipês de Ganymédes José pela Brasiliense (1986)
>>> Robinson Crusoé A Conquista do Mundo numa Ilha de Daniel Defoe pela Scipione (1983)
>>> O Monstro do Morumbi de Stella Carr pela Moderna (1993)
>>> O Útimo Magnata de F. Scott Fizgerald / Introd.: Edmund Wilson pela Record
>>> Poesia e Prosa - (obras Completas- Avulso): Volume 3/ Encadernado de Edgar Allan Poe pela Ed. da Livr. do Globo (1944)
>>> Dama da Caridade de Antonio Cesar Perri de Carvalho pela Radhu (1987)
>>> O Castelo dos Horrores de Thomas Brezina pela Melhoramentos (1996)
>>> Rita Está Crescendo de Telma Guimarães Castro Andrade pela Atual (1989)
>>> Feliz Ano Velho de Marcelo Rubens Paiva pela Círculo do livro (1989)
>>> Uma Escola para o Povo de María Teresa Nidelcoff pela Brasiliense (1980)
>>> O Mulato de Aluísio Azevedo pela Ática (1970)
>>> Uma Escola para o Povo de María Teresa Nidelcoff pela Brasiliense (1981)
>>> O Gato Sou Eu: Todos Têm o Direito de Sonhar... de Fernando Sabino pela Record (1983)
>>> O Navegador do Espaço de José Acleildo de Andrade pela Leal (2006)
>>> Os Raios Invisíveis O astral das Coisas de Acervo Papus pela Gnosis (2002)
>>> Passes e Radiações de Edgard Armond pela Aliança (1999)
>>> O Livro da Lua de Marcia Mattos pela Campus (2001)
>>> Yokaanam fala á Posteridade de Vários pela Edição do Autor (1970)
>>> Os Tecelões do Destino de Eurípedes Kühl pela Petit (2001)
>>> O Poder dos Anjos de Martin Claret pela Martin Claret
>>> Eliminando o Estresse de Brian L. Weiss M.D. pela Sextante (2006)
>>> Fenômenos Ocultos de Zsolt Aradi pela Ibrasa (1976)
>>> Los Rosacruces de Christopher Mc Intosh pela Edaf (1988)
>>> Bases Esenias ( Em 02 volumes ) de Oreb Raja Aari pela Organizacion Esenia Universal
>>> Mudando o seu destino de Mary Orser e Ricardo Zarro pela Summus (1991)
>>> Magia Organizada Planetária de Vicente Beltran Anglada pela Aquariana (1990)
>>> Muralhas do passado de Jaci Regis pela Dpl (2001)
>>> O séculos dos Cirugiões de Jürgen Thorwald pela Hemus
>>> Dicionarios de las artes adivinatorias de Gwen Le Scouézec pela Martínez Roca (1973)
>>> Há Solução Sim! de José Lázaro Boberg pela Chico Xavier (2012)
>>> A Outra Face da doença de Mokiti Okada pela Fundação Mokiti (1986)
>>> Como evitar as influências Negativas de Amadeus Volben pela Pensamento (1984)
>>> A Última Grande lição ( O Sentido da vida) de Mitch Albom pela Sextante (1997)
>>> Terceiro Milênio de Carlos E. Pesssione pela Z. Valentin gráfica (1992)
>>> Segurança Mediúnica de João Nunes Maia pela Espirita Cristã (1992)
>>> O Que é o Espiritismo de Allan Kardec pela Ide (2008)
>>> Os Novos Pagãos de Hans Holzer pela Record (1972)
>>> As propriedades curativas dos cristais e das pedras Preciosa de Katrina Raphael pela Pensamento (1995)
>>> Justça Além da Vida de José Carlos de Lucca pela Petit (2001)
>>> Vida Ativa de Parker J. palmer pela Cultrix (1990)
>>> Amor e Vida de René Pessa pela Seja (1996)
>>> Você já viveu outras Vidas de Kurt Allgeier pela Ediouro (1998)
>>> A Misericórdia Divina nos liberta do passado de Izoldino Resende pela Chico Xavier (2012)
COLUNAS

Segunda-feira, 3/11/2003
O traidor Mark Twain
Urariano Mota

+ de 2700 Acessos

O livro "Patriotas e Traidores - Antiimperialismo, política e crítica social", uma seleção de artigos e ensaios de Mark Twain, acende e acorda no leitor vários movimentos e surpresas. A principal surpresa é a de ver que o autor de Tom Sawyer está longe de ser um escritor para crianças e adolescentes. Entenda-se, por favor, a descoberta: escritores para crianças são ótimos, quando escrevem para humanos de todas as idades, como num diálogo com a graça da flor rara que foi Hans Christian Andersen. Escritores para crianças são péssimos, quando escrevem para uma idealização da infância, e em vez de escritores infantis, para infantes, tornam-se infantis, idiotas. A surpresa que o leitor recebe se deve à fala de Mark Twain para adultos quando adultos, e sob um ângulo, como dizê-lo, já que se trata de uma surpresa?, vá lá, sob um ângulo absolutamente novo. Se não, como classificar palavras de Twain do gênero

"Ele nada tinha de pessoal contra mim, exceto o fato de eu me opor à guerra política, e me chamou de traidor por não ter ido lutar nas Filipinas. Mas isso não prova nada... Seria completamente diferente se a vida do país estivesse em perigo... mas quando não se trata de qualquer ameaça à nação, mas apenas de uma guerrinha distante, então pode se dar que a nação se divida em torno da questão política, metade patriotas, metade traidores..."?

E tal surpresa tem uma explicação, que desculpa e perdoa a nossa ignorância. A introdução ao livro, assinada por Maria Sílvia Betti, é bem esclarecedora. Twain foi, durante décadas, até a segunda metade do século XX, expurgado, purificado, censurado. Ou por razões de Estado, de propaganda, de política externa norte-americana, ou de negócios (o que vem tudo ao fim dar no mesmo), recebemos e lemos todos um Mark Twain ótimo para crianças e adolescentes, um bom humorista de costumes para adultos, e um escritor absolutamente cego ao sangue arrancado a outros povos pelos Estados Unidos. Um inofensivo indivíduo de museu, espécime do século XIX, com um babado charuto na boca. Segundo Maria Sílvia Betti, o biógrafo oficial e executor do testamento literário de Twain foi também um ativo personagem da execução de sua memória.

"O que caracteriza a relação de Paine", o biógrafo e testamenteiro homicida, "com o material ficcional e ensaístico de Mark Twain é seu desejo de acomodar a imagem do autor aos moldes do estereótipo que a opinião pública foi levada a fixar e que, evidentemente, deixava de lado os aspectos de sua crítica ao imperialismo norte-americano. A preocupação de Paine a esse respeito é explicitada em uma carta que ele dirige a um editor da Harper & Brothers em 1926, sugerindo que todos os esforços possíveis fossem feitos para evitar que outros ensaístas ou pesquisadores escrevessem sobre o autor, sob pena de verem a imagem do Twain 'tradicional', que haviam preservado, começar a perder o brilho e a transformar-se. O apelo do biógrafo à casa editora encontra respaldo num argumento poderoso dentro da lógica do mercado editorial: o fato de que, em sua avaliação, o material literário de que a Harper era proprietária sofreria, se isso acontecesse, um processo de depreciação, decorrente da agregação de aspectos que destoariam dos já estabelecidos pela fortuna crítica do escritor" .

O Twain que até então conhecíamos, ao lado do criador de Huckleberry Finn e de Tom Sawyer, era um Twain dos primeiros tempos, do contista das cidadezinhas do oeste dos Estados Unidos, da Célebre Rã Saltadora, do contador de anedotas, como na História de Um Inválido. Dizia-se dele, até, que não era um pensador, mas uma força natural que sacudira o mundo de rir, como um primitivo, como um Adão norte-americano, que tudo vira com olhos inocentes. A sua técnica, dizia-se, era essencialmente oral, e grande era a preferência pelas narrativas autobiográficas. Já se vê, pelo espólio que se impunha a Twain, que se pode caluniar uma pessoa sob um manto de elogios. Ora, o Twain resgatado é infinitamente melhor e mais humano. Ele é o contista de uma obra-prima sufocada pela tradição de censura, sufocada já a partir do título, "O homem que corrompeu Hadleyburg". Esse conto, cuja recuperação do tema por Howard Fast sofreu perseguição do macarthismo, é uma história com o ardor de um açoite sobre toda hipocrisia. Nela, uma cidadezinha orgulhosa de sua absoluta honestidade, de ser a mais incorruptível dos Estados Unidos, pois que se protege ostensivamente de toda tentação, como frades reclusos... enfim, após três gerações de homens de moral imaculada chega ao fim sem um só cristão íntegro.

Esse Twain que agora descobrimos é o pensador que não precisa pedir a bênção a Voltaire. Ele nos escreve coisas como "A primeira coisa que um missionário ensina a um selvagem é a indecência". Ou "Uma das provas da imortalidade da alma são os milhões que nela acreditaram. Mas eles também acreditaram que a Terra era plana". Ou quando declara que se tivesse de escolher entre o céu e o inferno ficaria com os dois. "O Céu pelo clima. O Inferno pela companhia". Esse Twain revelado é o autor que aponta o dedo contra o imperialismo do seu país, tão atual, tão moderno, que parece apontar contra os Estados Unidos de Bush, ao parodiar o cinismo das desculpas para a guerra:

"(...) Fomos traiçoeiros, mas foi apenas para que o bem emergisse do mal aparente. É verdade que esmagamos um povo iludido e confiante; atacamos os fracos e sem amigos que confiavam em nós (...) apunhalamos um aliado pelas costas e esbofeteamos o rosto de nosso hóspede; compramos uma mentira de um inimigo que nada tinha para vender; roubamos a terra e a liberdade de um amigo confiante; convidamos nossos jovens a apoiar no ombro um fuzil desacreditado e os obrigamos a fazer o trabalho que geralmente é feito por bandidos, sob a proteção de uma bandeira que os bandidos aprenderam a temer, não a seguir; corrompemos a honra americana e maculamos seu rosto perante o mundo, mas cada detalhe visava o bem (...)".

Esse Twain, enfim, é um Twin, é um gêmeo nosso, um irmão de humanidade. É um bravo que se volta contra a covardia de linchamento de negros, contra a perseguição a chineses em San Francisco, contra o império dos negócios que sobrevivem sobre um mar de sangue. O movimento final que temos é o de abraçar esse gêmeo, esse gênio, latino, europeu, asiático, africano. Que nova luz recebemos! Queremos dizer, como ficou bom voltar a ler as aventuras de Tom Sawyer e de Huckleberry Finn.

Para ir além






Urariano Mota
Olinda, 3/11/2003


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O gueto dos ricos de Marta Barcellos
02. Portas se abrindo de Marta Barcellos
03. Memórias de um caçador, de Ivan Turguêniev de Ricardo de Mattos
04. O Hobbit - A Desolação de Smaug de Duanne Ribeiro
05. Pynchon Contra o Dia de Luiz Rebinski Junior


Mais Urariano Mota
Mais Acessadas de Urariano Mota em 2003
01. Lulu Santos versus Faustão - 11/7/2003
02. A nova escola - 29/8/2003
03. Alfredo Bosi e a dignidade da crítica - 18/4/2003
04. O chimpanzé, esse nosso irmão - 20/6/2003
05. O rei nu do vestibular - 8/12/2003


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




LÍNGUA, LITERATURA E PRODUÇÃO DE TEXTO, CURSO COMPLETO (SEMI NOVO)
SIQUEIRA E BERTOLIN
IBEP
(2005)
R$ 23,27



A CONSTRUÇÃO DA INTERPRETAÇÃO DO CANTOR LÍRICO
MÁRCIA ALIVERTI
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 167,00



HISTORIA ECONOMICA E ADMINISTRATIVA DO BRASIL
BRASIL BANDECCHI
OBELISCO
R$ 6,00



POR QUE TE AMO?
CYNTHIA RUBERT
VERGARA & RIBA
(2004)
R$ 9,90



ESTUDO COMPARADO DE PROFICIÊNCIA ORTOGRÁFICA NO ENSINO SUPERIOR
JOÃO SAMUEL
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



TUDO O QUE VOCÊ QUERIA SABER SOBRE ASTROLOGIA
JUAREZ DE FAUSTO PRESTUPA
MADRAS
(2008)
R$ 12,00



FAUSTO
GOETHE
ITATIAIA
(1981)
R$ 49,90
+ frete grátis



PROBLEMAS E PRIVILÉGIOS DA TERCEIRA IDADE
ADEMAR DE OLIVEIRA GODOY
SOCEP
(1997)
R$ 10,00



BRINCADEIRA NO PALCO
GILDA FIGUEIREDO PADILLA
PAULINAS
(1992)
R$ 10,00



UMA VIDA SEM LIMITES
NICK VUJICIC
NOVO CONCEITO
(2013)
R$ 13,00





busca | avançada
39185 visitas/dia
1,1 milhão/mês