Guimarães Rosa: um baiano de sangue | Ivan Bilheiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
38448 visitas/dia
955 mil/mês
Mais Recentes
>>> MANU LAFER APRESENTA SHOW NOBODY BUT YOU - TRIBUTO A KIKA SAMPAIO
>>> Sesc Belenzinho recebe a banda E a Terra Nunca me Pareceu Tão Distante
>>> Sesc Belenzinho recebe a atriz e cantora Zezé Motta
>>> Psicólogo lança livro de preparação para concurseiros usando a Terapia Cognitiva-Comportamental
>>> O Sertão na Canção: Guimarães Rosa
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Era uma casa nada engraçada
>>> K 466
>>> 2 leituras despretensiosas de 2 livros possíveis
>>> Minimundos, exposição de Ronald Polito
>>> Famílias terríveis - um texto talvez indigesto
>>> O Carnaval que passava embaixo da minha janela
>>> A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto
>>> Lançamentos de literatura fantástica (1)
>>> Cidadão Samba: Sílvio Pereira da Silva
>>> No palco da vida, o feitiço do escritor
Colunistas
Últimos Posts
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
>>> Mon coeur s'ouvre à ta voix
>>> Palestra e lançamento em BH
>>> Eleições 2018 - Afif na JP
>>> Lançamentos em BH
>>> Lançamento paulistano do Álbum
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 2
Últimos Posts
>>> Nem só de ilusão vive o Cinema
>>> As Expectativas de um Recrutador e um Desempregado
>>> A Independência Angolana além de Pepetela
>>> Porque dizer adeus?
>>> Direções da véspera IV
>>> Direções da véspera IV
>>> A pílula da felicidade
>>> Dispendioso
>>> O mês do Cinemão
>>> O NAVEGANTE DO TEMPO
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O titânico Anselm Kiefer no Centre Pompidou
>>> Woody Allen
>>> The Second Coming of Steve Jobs, by Alan Deutschman
>>> Como detectar MAVs (e bloquear)
>>> Como detectar MAVs (e bloquear)
>>> 89 FM, o fim da rádio rock
>>> Crítica à arte contemporânea
>>> estar onde eu não estou
>>> Churrascaria Ponteio Grill, 30 anos
>>> Metade da laranja ou tampa da panela?
Mais Recentes
>>> Obras completas - volume 4 - A Divina Comédia - O inferno de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Memórias de um Delegado de Polícia de Renato Augusto de Lima pela Do Autor (1972)
>>> Obras completas - volume 3 - A Divina Comédia - O inferno de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Obras completas - volume 2 - A Divina Comédia - O inferno de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> O Pai do Vento - Cordel de Chico Salles pela Graúna
>>> Obras completas - volume 1 - A Divina Comédia - O inferno de Dante Alighieri pela Das Américas
>>> Vie et Règne de l'Amour de Søren Aabye Kierkegaard pela Aubier
>>> Rumo à Cultura de L. Riboulet pela Globo (1960)
>>> No lar e no magistério de Esther Menna Barreto Costa pela Não consta
>>> Amor sem Fim de Ian McEwan pela Companhia das Letras (2001)
>>> Rei Édipo, antígone, Prometeu Acorrentado (Tragédias gregas) de Sófocles, Ésquilo pela Ediouro
>>> OMC Manual Prático da Rodada Uruguai de Ligia Maura Costa pela Saraiva (1996)
>>> Contos de I. L. Peretz de J. Guinsburg pela Perspectiva (2001)
>>> RS: Modernização & Crise na Agricultura de Elomar Tambara pela Mercado Aberto (1983)
>>> Terra: Planeta Em Perigo de Vinícius Bertoletti pela Chiado (2016)
>>> Sociedade e Estado Volume X - Número 2 de Vicente de Paula Faleiros e Outros pela Unb (1995)
>>> Antimémoires de André Malraux pela Gallimard (1967)
>>> Da Matéria dos Sonhos de Rosana Rios pela Saraiva (1995)
>>> O Último Portal de Eliana Martins e Rosana Rios pela Companhia das Letras (2003)
>>> Hqs Quando a Ficção Invade a Realidade de Rosana Rios pela Scipione (2007)
>>> A Pequena Dorrit de Carlos Dickens pela Bruguera (1969)
>>> Jacare-de-papo-amarelo de Rosana Rios pela Scipione (2003)
>>> La Divina Comedia - 2 volumes de Dante Alighieri pela Sopena (1942)
>>> Marília, Mar e Ilha de Rosana Rios pela Saraiva (1998)
>>> A Relíquia de Eça de Queiroz pela Galex
>>> Manual de engenharia elétrica - volume 3 de Siemens pela Nobel (1988)
>>> Manual de engenharia elétrica - volume 1 de Siemens pela Nobel (1988)
>>> A Eneida de Virgílio pela Atena (1956)
>>> O encantador de cães: compreenda o melhor amigo do homem de Cesar Millan pela Verus (2007)
>>> Quincas Borba de Machado de Assis pela Instituto Divulgação Cultural
>>> As Vantagens de Ser Invisível de Stephen Chbosky pela Rocco (2007)
>>> O Cortiço de Aluisio Azevedo pela Ática (1979)
>>> Areia e espuma de Gibran Khalil Gibran pela Acigi
>>> A Sutil Arte de Ligar o F*da-Se: Uma estratégia inusitada para uma vida melhor de Mark Manson pela Intrínseca (2017)
>>> Estudo dirigido de desenho para o ensino programado - volume 1 de Carlos José Fiorano pela Discubra
>>> Manual de Engenharia Elétrica - volume 2 de Siemens pela Nobel (1987)
>>> Mecânica dos fluidos de Chemello Luzzatto pela Sagra
>>> Mecânica dos sólidos de Acilio Chemello e Darcy Luzzatto pela Sagra
>>> Zeitoun de Dave Eggers pela Companhia das Letras (2011)
>>> Zeitoun de Dave Eggers pela Companhia das Letras (2011)
>>> Zeitoun de Dave Eggers pela Companhia das Letras (2011)
>>> Zdm - Fogo Amigo - Vol. IV de Nathan Fox pela Panini Livros (2012)
>>> Yalo - o Filho da Guerra de Elias Khoury pela Record (2012)
>>> Xadrez - Dicas para Iniciantes de Matthew Sadler pela Artmed (2007)
>>> Xadrez - Dicas para Iniciantes de Matthew Sadler pela Artmed (2007)
>>> Wunderkind de D Andrea G. L. pela Bertrand Brasil (2012)
>>> Wild Cards - Apostas Mortais de George R. R. Martin pela Leya (2014)
>>> Wild Cards - Apostas Mortais de George R. R. Martin pela Leya (2014)
>>> Wild Cards - Apostas Mortais de George R. R. Martin pela Leya (2014)
>>> Wikileaks - Segredos, Informações e Poder de Jose Antonio Domingos pela Idea (2011)
COLUNAS

Terça-feira, 17/7/2012
Guimarães Rosa: um baiano de sangue
Ivan Bilheiro

+ de 5100 Acessos

Que nenhum valentão (ao estilo daqueles muitos que figuram em Corpo fechado, uma das novelas de João Guimarães Rosa que compõem a obra Sagarana (Nova Fronteira, 2001, 413 págs.)) se enfeze com leitura primeira do título acima, que logo explicação terá. O Guimarães Rosa, que é que tem e que é que não tem com sangue e com a Bahia?!

Guarde ainda as armas, e 'guenta o relance, Izé (como diriam ao personagem de São Marcos, mais uma das novelas de Sagarana) porque o tranco é ainda maior: tem aí uma história de Guimarães Rosa desocupado e homossexual... Como é que pode?

Não é preciso nem a malandragem de Lalino Salãthiel (personagem d'A volta do marido pródigo) para a explicação, basta que advogue a causa o grande Jorge Amado. Aí é que a coisa parece que embola, mas não embola, que logo se explica: percorrendo as páginas de Navegação de Cabotagem: apontamentos para um livro de memórias que jamais escreverei (Record, 2006, 544 págs.) do escritor baiano, deparei-me com duas passagens interessantes em que o autor de Sagarana aparece. Delas surgiram as considerações atordoantes citadas acima.

Quando o editor norte-americano Alfred Knopf decidiu publicar a tradução em inglês de Grande Sertão: Veredas, foi solicitado a Jorge Amado que prefaciasse a obra, lá pelos idos da década de 1960. No tal prefácio, Jorge Amado defendeu duas teses que ele mesmo reconhecia como dignas de causar escândalo. A primeira tese, imediatamente explicada por ele, é a de que "[...] Guimarães Rosa não é romancista mineiro e, sim, baiano [...]. Pode parecer brincadeira mas empresto à ideia significação literária. Desejo aproximar a ficção de Rosa de Maria Dusá, de Lindolfo Rocha, escritor baiano, nascido mineiro, distanciá-la de O mameluco Boaventura, de Eduardo Frieiro, mineiro de nascimento e letras". E vem o ponto fundamental desta tese: "Quero filiar a criação de Rosa à narrativa nordestina, escrita com sangue, não com tinta" (p. 117).

E fazendo uso da mesma relação sangue-e-tinta, Jorge Amado apresenta a segunda tese, inflamável na formulação: "Ainda discuto tinta e sangue ao recusar os termos em que a crítica brasileira, em sua grande maioria, situa a grandeza do escritor. Todos os louvores, levados ao exagero do faniquito, da histeria, são dedicados à escrita do autor de Sagarana. De fato, por maiores sejam os elogios à linguagem de Rosa - a língua brasileira é uma antes dele, outra depois -, são todos justos e merecidos. Mas contesto as afirmações dos louvaminheiros que se masturbam ante a pesquisa e a fantasia lingüísticas de Rosa: não reside na escrita o fundamento de sua obra, não é ela que a faz eterna e universal" (p. 117-8).

O caráter extraordinário da escrita de Guimarães Rosa, segundo seu auto-proclamado conterrâneo (fazendo de Rosa baiano, e não se convertendo às Minas), não é contestado, mas o fato de ele se perder na mesma proporção em que a obra do escritor ganha o mundo, com diversas traduções, faz pensar melhor os referenciais do elogio. E pergunta: "O que restará dela quando a ficção de Rosa chegar ao chinês, ao coreano, ao georgiano, ao armênio, em vez do alfabeto latino, a composição em hieroglifos, signos, ideogramas? [...] Já nada restará da escrita, da linguagem, da invenção formal".

O que permanecerá, posto que é a vida das histórias de Guimarães Rosa, é o sangue com o qual foram registradas as vivências, as paisagens, os costumes, os personagens. Segundo Jorge Amado, essa característica é típica da escrita nordestina, por isso a afirmação de que Rosa é da Bahia, sua terra. E a força de sua literatura está mais no sangue, uma força nordestina, que na tinta, a escrita (embora reconhecidamente revolucionária): "[...] restarão o Brasil e o povo brasileiro, o sertão desmedido, a desmedida bravura, a ânsia e o amor, restará o sangue quando a tinta se apagar de todo".

Não é sem razão, portanto, a observação de Paulo Rónai, em excelente texto de 1946, A arte de contar em Sagarana. Ele afirmava que o regionalismo é mais um obstáculo que um recurso. Com sua riqueza léxica absolutamente particular, torna-se uma armadilha em que caem escritores que passam a falar para um nicho muito restrito (quando ainda falam alguma coisa). Mas, continua Rónai, o regionalismo foi empecilho afrontado por Guimarães Rosa que, domado o obstáculo, apresentou obra genial: "Apresenta-se como o autor regionalista de uma obra cujo conteúdo universal e humano prende o leitor desde o primeiro momento, mais ainda que a novidade do tom ou o sabor do estilo". Jorge Amado ratifica.

Mas e essa história de homossexual e desocupado? Aí é papo de em-antes, lá por volta de 1956. Jorge Amado conta que teve de ir ao Palácio do Catete falar com o então presidente Juscelino Kubitschek. Lá, à espera do atendimento, começou a conversar com o mineiro e também escritor Cyro dos Anjos. Segundo relata o baiano, aquela era época em que exaltava Guimarães Rosa com toda a sua força. Assim, achou boa pedida colocar em pauta o assunto, e cobriu Rosa de elogios. Cyro ouviu tudo atentamente, e aí veio o choque. Após dizer que os elogios eram "possivelmente certos", o interlocutor de Jorge Amado disse: "[...] mas repare, se detenha a examinar e verá que a obra de Guimarães Rosa se apóia sobre três suportes. Primeiro: o manejo dos dicionários para fabricação das palavras, para o que se fazem necessários paciência, método e tempo disponível de quem não tem obrigações a cumprir. Segundo: o conhecimento dos romances de cavalaria, o que é Grande sertão: veredas, me diga, senão um romance de cavalaria? Para finalizar, o terceiro: a sensibilidade feminina de homossexual, basta ler com atenção" (p. 366).

O choque foi grande: "Juscelino encerra a audiência, manda me chamar. Levanto-me, atarantado recolho os restos mortais de Guimarães Rosa. Cyro dos Anjos retorna a seus papéis de burocrata".

Os restos mortais, jogados ao chão após a "leitura atenta" de Cyro, foram recolhidos por Jorge Amado. Mas as partes imortais, registradas com sangue, ainda são lidas e relidas, muitas e muitas vezes, por esse mundo velho de bambaruê e bambaruá. Um viva aos baianos, e um viva à criação genial registrada em sangue!


Ivan Bilheiro
Juiz de Fora, 17/7/2012


Quem leu este, também leu esse(s):
01. T.É.D.I.O. (com um T bem grande pra você) de Renato Alessandro dos Santos
02. Goeldi, o Brasil sombrio de Jardel Dias Cavalcanti
03. Do canto ao silêncio das sereias de Cassionei Niches Petry
04. Vespeiro silencioso: "Mayombe", de Pepetela de Renato Alessandro dos Santos
05. A barata na cozinha de Luís Fernando Amâncio


Mais Ivan Bilheiro
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A INFLUÊNCIA DO FATOR PESSOAL NOS NEGÓCIOS
RONNA LICHTENBERG
CAMPUS RIO DE JANEIRO
(2002)
R$ 11,00



LICHTENSTEIN
BENEDIKT TASCHEN
TASCHEN
(1994)
R$ 30,00



UM PREÇO MUITO ALTO
CARL HART
ZAHAR
R$ 50,00



APRENDIZAGEM DA LECTOESCRITA PELAS CRIANÇAS NO AVA MOODLE
JOCENILDES ZACARIAS SANTOS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 454,00



GOL DE LETRA O FUTEBOL NA LITERATURA BRASILEIRA
MILTON PEDROSA
GOL
(1967)
R$ 90,00



LIMITES OBJETIVOS PARA A CONCESSÃO DE MEDIDAS LIMINARES EM TUTELA
REIS FRIEDE
LTR (SP)
(2000)
R$ 18,82



A MUSICA DAS ESFERAS: CRÔNICA DOS ANOS 90
LUIZ PAULO HORTA
ZAHAR
(1999)
R$ 23,82



SISTEMA AGROINDUSTRIAL DA OVINOCULTURA DE CORTE NO PARANÁ - BRASIL
MANOEL JOÃO RAMOS
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 391,00



PORQUE OS HOMENS FAZEM SEXO E AS MULHERES FAZEM AMOR
ALLAN E BÁRBARA PEASE
SEXTANTE
(2009)
R$ 8,00



SELEÇÃO DE LIVROS: O DÉCIMO PRIMEIRO MANDAMENTO E...
READERS DIGEST
READERS DIGEST
(2001)
R$ 9,00





busca | avançada
38448 visitas/dia
955 mil/mês