Como detectar MAVs (e bloquear) | Julio Daio Borges | Digestivo Cultural

busca | avançada
61604 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Centro em Concerto - Palestras
>>> Crônicas do Não Tempo – lançamento de livro sobre jovem que vê o passado ao tocar nos objetos
>>> 10º FRAPA divulga primeiras atrações
>>> Concerto cênico Realejo de vida e morte, de Jocy de Oliveira, estreia no teatro do Sesc Pompeia
>>> Seminário Trajetórias do Ambientalismo Brasileiro, parceria entre Sesc e Unifesp, no Sesc Belenzinho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
>>> Gramática da reprodução sexual: uma crônica
>>> Sexo, cinema-verdade e Pasolini
>>> O canteiro de poesia de Adriano Menezes
>>> As maravilhas do modo avião
>>> A suíte melancólica de Joan Brossa
>>> Lá onde brotam grandes autores da literatura
>>> Ser e fenecer: poesia de Maurício Arruda Mendonça
Colunistas
Últimos Posts
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
>>> Fabio Massari sobre Um Álbum Italiano
>>> The Number of the Beast by Sophie Burrell
>>> Terra... Luna... E o Bitcoin?
>>> 500 Maiores Álbuns Brasileiros
>>> Albert King e Stevie Ray Vaughan (1983)
>>> Rush (1984)
>>> Luiz Maurício da Silva, autor de Mercado de Opções
Últimos Posts
>>> Melhores filme da semana em Cartaz no Cinema
>>> Casa ou Hotel: Entenda qual a melhor opção
>>> A lantejoula
>>> Armas da Primeira Guerra Mundial.
>>> Você está em um loop e não pode escapar
>>> O Apocalipse segundo Seu Tião
>>> A vida depende do ambiente, o ambiente depende de
>>> Para não dizer que eu não disse
>>> Espírito criança
>>> Poeta é aquele que cala
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Precioso Livro da Miriam
>>> Perfil (& Entrevista)
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Aconselhamentos aos casais ― módulo I
>>> Violões do Brasil
>>> Heróis improváveis telefonam...
>>> A esquerda nunca foi popular no Brasil
>>> Na minha opinião...
>>> Amores & Arte de Amar, de Ovídio
>>> VOCÊS
Mais Recentes
>>> Palavras de Sempre de Helen Exley pela Eko
>>> Emprego de a a Z de Max Gehringer pela Globo (2008)
>>> A Agressão Humana de Anthony Storr pela Zahar (1976)
>>> Um Homem Chamado Luís de Roberto Brunelli pela Loyola
>>> Gerenciamento de Pessoas Em Projetos de Varios Autores pela Fgv (2010)
>>> Walking Dead, the - Rise of the Governor de Robert Kirkman pela St Martins Press (2011)
>>> Turma da Mônica Jovem - Número 22 de Mauricio de Sousa pela Panini / Planet Manga (2010)
>>> Blender 2. 6 Conception, Rendu et Animation de Décors et Scènes... de Matthieu Dupont de Dinechin pela Eyrolles (2012)
>>> Biologia para um Planeta Sustentável - Caderno de Revisão de Armênio Uzunian pela Harbra (2016)
>>> Periodontia - 3ª Edição Revista e Ampliada de Herbert F. Wolf; Edith M.; Klaus H. Rateitschak pela Artmed (2006)
>>> Cruzando Continentes de Richard Amante pela Pasavento (2017)
>>> Olhos de Espanto de Nina Schilkowsky pela Jaguatirica (2015)
>>> Marketing de Varejo de Eliane de Castro; Mauro Pacanowski e Outros pela Fgv Ed. (2008)
>>> Aforismos para a Sabedoria de Vida de Arthur Schopenhauer pela L&pm Pocket (2021)
>>> Madame Bovary de Gustave Flaubert pela Publifoha
>>> Musashi: o Livro dos Cinco Anéis (em Portuguese do Brasil) de Miyamoto Musashi pela Novo Seculo (2017)
>>> Lern-und Arbeitsbuch Entwicklungs-politik de Franz Nuscheler pela J. h. w dietz (1991)
>>> Blender 2. 5 Lighting and Rendering de Aaron W. Powell pela Packt (2010)
>>> A Vida Não Tem Preço de Eduardo Marafanti pela Libratrês (2006)
>>> Mediunidade Seus Aspectos Desenvolvimento e Utilização de Edgard Armond pela Aliança (1999)
>>> A Caçada de Steve Barlow; Steve Skidmore pela Rocco (2007)
>>> O Pequeno Príncipe (edição de Bolso) de Antoine de Saint-exupéry pela Caminho Suave / Edipro (2018)
>>> Bandeira do Divino de Edson Ubaldo pela Ed. do Escritor (1977)
>>> Previdência Complementar de Adacir Reis e Outros pela Rt (2017)
>>> Marcuse Em Quadrinhos de Nick Thorkelson; Angela Davis - Prefácio pela Veneta (2020)
COLUNAS

Quarta-feira, 22/10/2014
Como detectar MAVs (e bloquear)
Julio Daio Borges

+ de 39800 Acessos

Como detectar MAVs (e bloquear antes que seja tarde...):

MAV é a sigla para Militância em Ambiente Virtual. E MAVs, com "s", é uma sigla associada aos *militantes* (às "pessoas"). Todo mundo conhece essa gente. Eles infestam as caixas de comentários em portais, sites, blogs e no Facebook. Também as "timelines" do Twitter. Isso quando não fazem spam, via e-mail, ou enviam SMS "não solicitado".

Todo mundo conhece a ideologia dos MAVs. Não preciso nem dizer para qual partido eles trabalham.

"Por que então um 'manual' para detectar MAVs?", você pode me perguntar. Porque talvez um internauta mais desavisado tome um MAV por uma pessoa normal, e resolva "conversar" com ele...

Meu conselho é detectar e bloquear logo. Abaixo, enumero minhas razões para tal:

* "MAVs não são pessoas": Por isso coloquei "pessoas", entre aspas, no primeiro parágrafo. Já visitou o "perfil" de um MAV? Só tem as informações básicas - porque o perfil acaba de ser criado. MAVs se aproveitam do anonimato que grassa na internet, a fim de promover ataques "apócrifos". Você olha a foto do MAV e se sente atacado por uma pessoa. A foto é, justamente, para fazer você se sentir mal - só que não há uma pessoa "de verdade" por trás. Bloqueie. E não se sinta mal.

* "Por não serem humanos, MAVs não vão te respeitar": Sabe aquela história de respeito, que te ensinaram em casa? Então: não vale para MAVs. Eles vão invadir sua casa - sua página, seu post, sua timeline - e vão te atacar sem cerimônia. Eles não são como um "convidado trapalhão" do qual você acha graça. No mínimo, no mínimo, eles vão rir da sua cara logo na entrada. Tentarão te desqualificar. Se puderem soar ofensivos, *vão* soar. Trabalham com terapia de choque. Para, quando você for se lembrar do que publicou, ficar com um gosto amargo na boca. Não fique. Bloqueie o MAV.

* "MAVs não tem sentimentos": Imagine um atendente de telemarketing acessando uma longa lista de telefones e discando o primeiro número. Qual a relação do atendente com a pessoa para a qual ele telefona? Nenhuma. Para o atendente, aquela pessoa é apenas um número de telefone. Mesma coisa os MAVs. É como se cada MAV recebesse uma lista de links para visitar - e pichar ("pichar" no sentido de pichador; e, não, no de grafiteiro, antes que me ataquem...). A analogia com a pichação é boa. A lógica do MAV é a seguinte: "Como é que eu posso arruinar aquele post, aquela timeline - de modo que fique imprestável?". Entendeu? Então bloqueie logo.

* "MAVs são à prova de argumentos": Você já sofreu algum assalto? Você, que já foi assaltado, acha que dá para discutir com o assaltante? Dá para argumentar com ele? Mesmo você que nunca foi assaltado, pense... Não dá, né? O assaltante não vai querer ouvir você. Ele não quer saber das *suas* razões. Você simplesmente deu azar de cruzar com ele. E ele vai te agredir e passar para o próximo, sem ressentimentos. A imagem do assaltante pode parecer um pouco forte, mas muitos MAVs, se pudessem, te deletavam (para usar uma metáfora light). Você, que já discutiu com MAV: é ou não é verdade? É ou não é para bloquear?

* "MAVs são autômatos": MAVs trabalham com palavras-chave. Pense no corretor ortográfico. Agora pense no corretor ortográfico do seu celular, cujo teclado é menor e as letras são mais apertadas: para digitar uma palavra errada e ele te sugerir outra mais errada ainda é um pulinho, ou uma escorregadela. A "inteligência" dos MAVs é mais ou menos como a desses corretores ortográficos: para uma determinada palavra-chave, eles vêm com outra pronta, "pressetada". Assim como os atendentes de telemarketing (coitados), trabalham com um "roteiro" pré-fabricado. Você pode até achar que está "argumentando" com eles, mas não está. A "aparência" humana só serve para te atordoar, trata-se de um robô, no duro. Bloqueie com a mesma sem-cerimônia com que você desliga na cara de um operador de telemarketing (coitado; mas quem mandou trabalhar com telemarketing?).

* "MAVs são mercenários": Não adianta apelar para os "bons sentimentos" dos MAVs. Eles não têm alma. Eu falei de ideologia (no segundo parágrafo), mas nem ideologia eles têm. Seus ataques são orquestrados. Como grandes coreografias em estádios olímpicos. Sabe aquele ponto, naquela "formação" que você admirou? Aquele pontinho colorido - aquela pessoa - quase nunca é o autor da coreografia. Ele (o ponto) recebe a parte dele, ele treina, e ele pode até executar com maestria, mas, normalmente, não foi ele quem concebeu "o todo". Se você tiver alguma questão, sobre o todo, não é com ele que você vai conversar, é com o coreógrafo. Os MAVs também decoraram a "parte" deles, mas não estão aptos a discutir nada. Bloqueie sumariamente.

* "MAVs são mal remunerados": Os atendentes de telemarketing, pelo menos, são sindicalizados, já os MAVs... Sabe aqueles desocupados que você encontra dando sopa na internet? Geralmente, desempregados - são ótimos candidatos a MAV. Quanto mais desiludidos da vida, melhor. Fracassados? Melhor ainda. Revoltados contra o sistema? Vão dar excelentes MAVs! Tipo aqueles touros bravos, que são incitados, antes de enfrentar o toureiro: quanto pior a vida do MAV, quanto mais "sem saída" ele estiver, mais ele vai funcionar nos ataques coordenados. Ele nem precisa ter raiva do alvo "a priori". Basta canalizar toda a sua frustração e... voilà! Agora imagina um sujeito desses - sem perspectivas - vindo pra cima de você? Bloqueie sem pensar duas vezes.

Sabe aquele "bode" que todo mundo sente das redes sociais? São os MAVs que provocam. Os MAVs são os "black blocks" da internet. Assim como os vândalos esvaziaram as manifestações de rua, para que as pessoas não protestassem mais, os MAVs estão invadindo a internet para interromper as "conversações" (no sentido que o Manifesto Cluetrain dá ao termo).

Os MAVs estão preparando o terreno para a ditadura do partido único. Uma única verdade... que deve ser imposta. Jamais questionada. Os contestadores devem ser combatidos... até a morte.

Felizmente nós ainda podemos bloquear os MAVs.

E votar.


Julio Daio Borges
São Paulo, 22/10/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O chilique do cabeleireiro diante da modelo de Yuri Vieira


Mais Julio Daio Borges
Mais Acessadas de Julio Daio Borges em 2014
01. Como detectar MAVs (e bloquear) - 22/10/2014
02. 40 - 29/1/2014
03. Sobre o caso Idelber Avelar - 8/12/2014
04. Meu Primeiro Livro - 18/6/2014
05. Mamãe - 19/1/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Tres Noites de Paixão
Luna Caliente
Geração
(2012)



Meu Livro de Histórias Bíblicas
Não Encontrado
Não Encontrado



Os Maiores Clássicos do Homem de Ferro - Volume 1
Marvel
Panini Comics
(1979)



Sempre Viva
Antonio Callado
Circulo do Livro
(1988)



Manual de Administração de Pessoal Relações Industriais
Flávio de Toledo
Atlas
(1960)



Poemas de Amor
Walmir Ayala
Ediouro
(1991)



Plantas de Interior - para Todas as Estações
Patrick Mioulane
Europa América
(1989)



Estado e Capital Ferroviário Em São Paulo
Guilherme Grandi
Alameda
(2013)



Técnico e Analista. Teoria Unificada - Coleção Concursos
Marcelo Tadeu Cometti
Saraiva
(2014)



O Apanhador no Campo de Centeio
J. D. Salinger
Do Autor





busca | avançada
61604 visitas/dia
1,8 milhão/mês