Quem entende de História e quem se faz entender | Sergio Amaral Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
Colunistas
Últimos Posts
>>> Banco Inter É uma BOLHA???
>>> Não Aguento Mais a Empiricus
>>> Nubank na Hotmart
>>> O recente choque do petróleo
>>> Armínio comenta Paulo Guedes
>>> Jesus não era cristão
>>> Analisando o Amazon Prime
>>> Amazon Prime no Brasil
>>> Censura na Bienal do Rio 2019
>>> Tocalivros
Últimos Posts
>>> O céu sem o azul
>>> Ofendículos
>>> Grito primal V
>>> Grito primal IV
>>> Inequações de um travesseiro
>>> Caroço
>>> Serial Killer
>>> O jardim e as flores
>>> Agradecer antes, para pedir depois
>>> Esse é o meu vovô
Blogueiros
Mais Recentes
>>> O Salão e a Selva
>>> Ed Catmull por Jason Calacanis
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
>>> A massa e os especialistas juntos no mesmo patamar
>>> Entrevista com Jacques Fux, escritor e acadêmico
>>> Nuno Ramos, poesia... pois é
>>> Literatura e interatividade: os ciberpoemas
>>> O Valhalla em São Paulo
>>> Por dentro do Joost: o suco da internet com a TV
Mais Recentes
>>> Aprenda Xadrez com Garry Kasparov de G. Kasparov pela Ediouro (2003)
>>> Poemas para Viver de P. C. Vasconcelos Jr. pela Salesiana Dom Bosco (1982)
>>> A Casa dos Bronzes de Ellery Queen pela Círculo do livro (1976)
>>> Warcraft Roleplaying Game de Christopher Aylott e outros pela Blizzard / Arthaus / wizards (2004)
>>> A Dama do Lago de Raymond Chandler pela Abril cultural (1984)
>>> ABC do Vôo Seguro de Manoel J. C. de Albquerque Filho pela O Popular (1981)
>>> A Relíquia de Eça de Queirós pela Klick (1999)
>>> Manual Completo de Aberturas de Xadrez de Fred Reinfeld pela Ibrasa (1991)
>>> Para Sempre - Os Imortais - volume 1 de Alyson Noel pela Intrínseca (2009)
>>> A Máscara de Dimítrios de Eric Ambler pela Abril cultural (1984)
>>> Rômulo e Júlia - Os Caras-Pintadas de Rogério Andrade Barbosa pela Ftd (1993)
>>> O Nariz do Vladimir de José Arrabal pela Ftd (1989)
>>> Perigosa e Fascinante de Merline Lovelace pela Nova Cultural (2002)
>>> Brincar de Viver de Maggie Shayne pela Nova Cultural (2001)
>>> O Grande Conquistador de Rita Sofia Mohler pela Escala (1978)
>>> Comédias para se Ler na Escola de Luis Fernando Veríssimo pela Objetiva (2001)
>>> As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança de John C. Maxwell pela Agir (2007)
>>> Dungeon master guide de Jonathan Tweet / Skip Williams pela Core Rulebook II (2000)
>>> Disfunção Cerebral Mínima de Antonio Branco Lefévre - Beatriz Helena Lefevre pela Sarvier (1983)
>>> Viagem Fantástica II - Rumo ao Cérebro de Isaac Asimov pela Best Seller (1987)
>>> Tpm Número 57 Maio 2009 de Caetano Veloso pela Trip (2009)
>>> Incorporações Imobiliárias de J. Nascimento Franco/ Nisske Gondo pela Revista dos Tribunais (1984)
>>> Cavalo-Marinho no Céu de Edmund Cooper pela Hemus
>>> Suspensão de Liminares e Sentenças Contrárias ao Poder Público de Elton Venturi pela Revista dos Tribunais (2019)
>>> Revista Trip número 184 de Lyoto Machida pela Trip (2009)
>>> Revista Trip número 132 de Melaine, 21, o primeiro ensaio de uma trip girl na cadeia pela Trip (2005)
>>> A Casa do Penhasco de Agatha Christie pela Nova Fronteira (1996)
>>> A Brasileira de Prazins de Camilo Castelo Branco pela Nova Fronteira (1995)
>>> Seitas e Novos Movimentos Religiosos de Coleção Quinta Conferência pela Paulus (2006)
>>> O Dia da Sua Morte de Neimar de Barros pela Shalom (1987)
>>> A Interpretação Sistemática do Direito de Juarez Freitas pela Malheiros (2002)
>>> Tiras de Letra de Diversos pela Virgo (2003)
>>> O Guia dos Curiosos de Marcelo Duarte pela Cia das letras (2001)
>>> Ensaio sobre a Cegueira de José Saramago pela Cia. das Letras (1998)
>>> Quebrando o Código da Vinci de Darrell L. Bock, Ph.D. pela Novo século (2004)
>>> O Caso dos Irmãos Naves de João Alamy Filho pela Círculo do livro (1978)
>>> Hercólubus ou Planeta Vermelho de V. M. Rabolú pela Milenium Edições do Brasil (2003)
>>> Anjo da Morte de Pedro Bandeira pela Moderna (1996)
>>> História Social da Criança e da Família de Philippe Ariès pela Guanabara (1973)
>>> Homo Loquens - O Homem como Animal Falante de Dennis Fry pela Zahar (1977)
>>> Homem Total e Parapsicologia de Albino Aresi pela Albino Aresi (1982)
>>> Ilusões - As Aventuras de um Messias Indeciso de Richard Bach pela Record (1977)
>>> Buddha de Ordem do Graal na Terra pela Círculo do livro (2002)
>>> Você verdadeiramente nasceu de Novo da Água e do Espírito? de Paul C. Jong pela Hefzibá (2002)
>>> Trip número 139 de Danielli Freitas pela Trip (2005)
>>> 500 Perguntas sobre Sexo de Laura Muller e Nélson Vitiello pela Objetiva (2002)
>>> Direito Eleitoral Brasileiro:... (acompanha Cd) de Thales Tácito Pontes Luz de Pádua Cerqueira pela Del Rey/ Belo Horizonte (2004)
>>> Iniciação à Sociologia de Nelson Dacio Tomazi pela Atual (1993)
>>> Memórias do Armandinho Do Bixiga de Depoimento a Júlio Moreno pela Senac de SP./ SP. (1996)
>>> Convite a filosofia de Marilena Chauí pela Ática (1998)
COLUNAS

Quarta-feira, 29/5/2002
Quem entende de História e quem se faz entender
Sergio Amaral Silva

+ de 5500 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Principalmente a partir dos anos 80, tem crescido o interesse do público brasileiro pelas biografias, resultando em sucessos editoriais como Olga e Chatô, de Fernando Morais; O Anjo Pornográfico e Estrela Solitária, de Ruy Castro; ou Mauá, de Jorge Caldeira. Os autores desses best-sellers são jornalistas e não historiadores.

Tentando fazer com que os acadêmicos participem desse boom, a Editora da Fundação Getúlio Vargas, do Rio de Janeiro, lançou a coleção "Os que fazem a História". Segundo a editora-executiva Alzira Alves de Abreu, um historiador ou cientista social, "utilizando métodos rigorosos de pesquisa, busca controlar os dados e informações obtidos nas mais diversas fontes". Assim, seria capaz de "uma narração histórica construída a partir de pressupostos e métodos da disciplina histórica".

E a que leitor se destina a coleção, "comprometida com as características da historiografia contemporânea moderna e/ou pós-moderna, conforme a opção ou não do autor pelo "realismo histórico"? Para seu coordenador, o professor Francisco Calazans Falcon, da PUC carioca, "a um público diversificado", incluindo estudantes secundários e universitários e "todos os que se interessam pela construção do nosso passado e pela compreensão do nosso presente". Ou seja: biografias feitas por quem entende do assunto, para um leitor não necessariamente iniciado.

O primeiro dos três novos lançamentos é José Bonifácio (1763-1838), escrito por Berenice Cavalcante, doutora em História Social e professora da PUC-RJ.

Paulista de Santos, Bonifácio passou uma longa temporada de estudos na Europa, especializando-se em mineralogia e só retornando ao Brasil em 1819, já às vésperas da Independência.

Na Corte, conquista a confiança de Pedro I, sobre o qual exerce grande influência, inclusive graças à maçonaria, da qual ambos faziam parte. Em maio de 1822, assume a posição mais elevada da maçonaria, a de Grão-Mestre, cargo que passa a d. Pedro logo após o 7 de setembro.

Como ministro do novo Império, Bonifácio defende a abolição da escravatura e a integração social dos índios, contrariando o interesse das elites e acaba por desentender-se com o imperador. Deputado à Constituinte fechada por d. Pedro, é preso e exilado para a França, em 1824, voltando ao Brasil em 1829.

Forçado a abdicar em 1831, o imperador nomeia José Bonifácio tutor de seus filhos, inclusive do herdeiro do trono, então com cinco anos. Acusado de conspirar e perturbar a ordem pública, perde a tutoria e é de novo preso. A autora destaca a ética como principal característica do Patriarca da Independência que, absolvido, morre em Paquetá, aos setenta e cinco anos.

José de Alencar (1829-1877) é a personagem de Antonio Edmilson Martins Rodrigues, livre-docente em História e professor da PUC-RJ, da UERJ e da UFF. Ele abre o livro com um capítulo em primeira pessoa, como se o próprio romancista de Iracema e O Guarani resumisse os principais episódios de sua vida. A partir daí, cita autores clássicos que escreveram sobre Alencar, realçando os acontecimentos mais marcantes.

Nesse retrato harmonioso em que se fundem o político e o literato, sobressaem os traços do patriota que tinha um projeto para o Brasil e cuja literatura inovadora foi um dos instrumentos de realização. Várias vezes deputado, Alencar sintetizou suas posições políticas nas Cartas de Erasmo, em que se dirige ao imperador Pedro II, diagnosticando a crise brasileira na década de 1860.

Apesar da postura crítica, Alencar chegou a ser ministro da Justiça entre 1868 e 1869. Deixou o gabinete quando d. Pedro não aprovou sua candidatura ao Senado, alegando que ele era muito jovem. Alencar teria respondido que, nesse caso, o imperador não deveria ter aceito a antecipação da maioridade, assumindo o trono aos quatorze anos...

Embora tenha morrido precocemente, aos quarenta e oito anos, Alencar construiu uma importante obra. Para Rodrigues, "não foi apenas o fundador da literatura brasileira; não foi apenas o homem que mostrou a capacidade de idéias e imaginação que o país possuía, mas sim um grande descobridor do Brasil".

Já o padre Antônio Vieira (1608-1697) é o tema de Marcus Alexandre Motta, doutor em História. Vieira, famoso como orador e por seus Sermões, dificilmente se tornará mais conhecido através desta obra sobre sua vida. Motta decidiu narrar a trajetória do jesuíta barroco como se escrevesse uma peça de teatro com três personagens: a Ironia, o Luto e o Mar.

Os dados essenciais, é claro, estão lá: o célebre "estalo" no cérebro, quando o jovem suplica à Virgem que lhe conceda o talento que não tinha, as inúmeras viagens e pregações, a defesa da liberdade dos índios, o julgamento pela Inquisição. Mas entremeados de diálogos por vezes longos, grandiloqüentes, filosóficos e até de difícil compreensão.

Um pequeno exemplo? Da página 39: "Mar - Gosto da seguinte idéia: a biografia de Vieira, desfocada e desolada, coagula a hemorragia da composição originária dos Descobrimentos portugueses. Ironia - O senhor quer dizer: a individualidade de Vieira se confunde na ilusão narrativa daquele fato. Algo da apreensão fantasmática de si, enquanto indivíduo ao alcance daquela fatalidade histórica."

Se o livro não deveria destinar-se a especialistas acadêmicos, mas a um público diversificado, não chega a dar saudades do estilo fluente dos jornalistas-biógrafos? O próprio Motta recomenda, dirigindo-se ao leitor que espera "a exaustão do que se pode admitir como uma biografia de Antônio Vieira": não leia...

Para ir além

* José Bonifácio: razão e sensibilidade, uma história em três tempos, de Berenice Cavalcante, 136 págs.;



* José de Alencar: o poeta armado do século XIX, de Antonio Edmilson Martins Rodrigues, 156 págs.;



* Antônio Vieira: infalível náufragio, de Marcus Alexandre Motta, 164 págs., R$ 14 cada volume, Editora FGV.


Sergio Amaral Silva
São Paulo, 29/5/2002


Quem leu este, também leu esse(s):
01. As sobras completas, poesias de Jovino Machado de Jardel Dias Cavalcanti
02. Quando amor e terra quase se confundem de Elisa Andrade Buzzo
03. Como Passar Um Ano Sem Facebook de Dani Arrais
04. Novos velhos e lagostas de Carla Ceres
05. De Siegfried a São Jorge de Celso A. Uequed Pitol


Mais Sergio Amaral Silva
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
31/5/2002
09h17min
Excelente resenha feita por Sérgio Amaral, que acompanho em vários trabalhos. Espero ver mais de suas resenhas neste site.
[Leia outros Comentários de Ricardo de Jesus Mor]
7/6/2002
11h06min
Muito bom, como sempre, o trabalho do Sérgio Amaral. Quero mais.
[Leia outros Comentários de Decio Tambelli]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




PRIMEROS PASOS EN PINTURA ARTÍSTICA
JOSÉ PARRAMÓN
PARRAMÓN
(1991)
R$ 40,00



GRUPOS FAMILIARES A EXPLOSÃO DA IGREJA NOS LARES
ALUÍZIO ANTONIO SILVA
O FRUTO DA VIDE
(1995)
R$ 20,00



MODIFICAÇÃO DE COMPORTAMENTO PRINCÍPIOS BÁSICOS 2
R. VANCE HALL
EPU
(1975)
R$ 4,40



FANTASMA
LUIZ ALFREDO GARCIA-ROZA
COMPANHIA DAS LETRAS
(2012)
R$ 24,00



SERENDIPITY NEW TESTAMENT FOR GROUPS
VÁRIOS AUTORES
ZONDERVAN
(1987)
R$ 40,00



CARTWHEELS IN A SARI: A MEMOIR OF GROWING UP CULT
JAYANTI TAMM
BROADWAY BOOKS
(2010)
R$ 19,82



DIÁRIO DE UM ZUMBI DO MINECRAFT: UM DESAFIO ASSUSTADOR
HEROBRINE BOOKS
SEXTANTE
(2015)
R$ 23,86



LIVRO DIDÁTICO EM DEBATE
SUZANNA NEVES FERREIRA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



THE LAST DAYS OF NEWGATE (A PYKE MYSTERY)
ANDREW PEPPER
PHOENIX
(2011)
R$ 19,82



TE CUIDA! GUIA PARA UMA VIDA SAUDÁVEL
DR CLÁUDIO DOMÊNICO
CASA DA PALAVRA
(2012)
R$ 39,00
+ frete grátis





busca | avançada
29791 visitas/dia
1,1 milhão/mês