O que você não está lendo? | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
33925 visitas/dia
1,4 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Namíbia, Não! curtíssima temporada no Sesc Bom Retiro
>>> Ceumar no Sesc Bom Retiro
>>> Mestrinho no Sesc Bom Retiro
>>> Edições Sesc promove bate-papo com Willi Bolle sobre o livro Boca do Amazonas no Sesc Pinheiros
>>> SÁBADO É DIA DE AULÃO GRATUITO DE GINÁSTICA DA SMART FIT NO GRAND PLAZA
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Modernismo e além
>>> Pelé (1940-2022)
>>> Obra traz autores do século XIX como personagens
>>> As turbulentas memórias de Mark Lanegan
>>> Gatos mudos, dorminhocos ou bisbilhoteiros
>>> Guignard, retratos de Elias Layon
>>> Entre Dois Silêncios, de Adolfo Montejo Navas
>>> Home sweet... O retorno, de Dulce Maria Cardoso
>>> Menos que um, novo romance de Patrícia Melo
>>> Gal Costa (1945-2022)
Colunistas
Últimos Posts
>>> Lula de óculos ou Lula sem óculos?
>>> Uma história do Elo7
>>> Um convite a Xavier Zubiri
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
Últimos Posts
>>> A moça do cachorro da casa ao lado
>>> A relação entre Barbie e Stanley Kubrick
>>> Um canhão? Ou é meu coração? Casablanca 80 anos
>>> Saudades, lembranças
>>> Promessa da terra
>>> Atos não necessários
>>> Alma nordestina, admirável gênio
>>> Estrada do tempo
>>> A culpa é dele
>>> Nosotros
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Os Rolling Stones deveriam ser tombados
>>> Manual prático do ódio
>>> Por que Faraco é a favor da mudança ortográfica
>>> Modernismo e Modernidade
>>> A favor do voto obrigatório
>>> O último estudante-soldado na rota Lisboa-Cabul
>>> Sobre o Ronaldo gordo
>>> A nova escola
>>> 100 homens que mudaram a História do Mundo
>>> Entrevista com Ruy Castro
Mais Recentes
>>> Aços e Ferros Fundidos 6ª Ed de Vicente Chiaverini pela Associação Brasileira de Metal (1990)
>>> Historias Disparatadas de Vic Parker pela Silver Dolphim (2021)
>>> O Monge e o Filosofo: o Budismo Hoje de Jean-françois Revel e Matthieu Ricard pela Mandarim (1998)
>>> Kaplan GMAT 800, 2005-2006 de Vários Autores pela Kaplan Publishing (2005)
>>> Crónica de la Colonia Galesa de la Patagonia de Abraham Matthews pela El Regional (1975)
>>> Le New York de Paul Auster de Gérard de Cortanze , James Rudnick pela Du Chêne (1993)
>>> Effective horsemanship de Noel Jackson pela Arco Publishing (1967)
>>> Livro - Guias de campo- O ceu de Guias de campo pela Escala educacional
>>> Eclipse de Stephenie Meyer pela Intrinseca (2008)
>>> Famílias Terrivelmente Felizes de Marçal Aquino pela Cosac Naify (2003)
>>> Crepusculo de Stephenie Meyer pela Intrinseca (2008)
>>> O Olho Mais Azul de Toni Morrison pela Companhia das Letras (2019)
>>> The White Face de Carl Ruthven Offord pela Robert M. McBride Company (2023)
>>> Belas Maldições de Neil Gaiman Terry Pratchett pela Bertrand do Brasil (2017)
>>> Um dia minha alma se abriu por inteiro de Iyanla Vazant pela Sextante (2000)
>>> Marley e eu de John Grogan pela Prestigio (2006)
>>> Na Companhia de Soldados - o Dia-a-dia da Guerra do Iraque de Rick Atkinson pela Bertrand Brasil
>>> Leila Diniz de Joaquim Ferreira dos Santos pela Companhia das Letras (2008)
>>> A casa das sete torres de Nathaniel Hawthorne pela Nova Fronteira (2019)
>>> A cabana de William P Young pela Sextante (2008)
>>> Política - uma brevíssima introdução de Kenneth Minogue pela Jorge Zahar (1998)
>>> Cinquenta tons mais escuros de E L James pela Intrinseca (2012)
>>> Ensino da Gramática. Opressão? Liberdade? de Evanildo Bechara pela Atica (1995)
>>> Os cem melhores poemas brasileiros do século de Italo Moriconi pela Objetiva (2001)
>>> Cadê meu travesseiro? de Ana Maria Machado pela Salamandra (2004)
COLUNAS

Quarta-feira, 22/9/2004
O que você não está lendo?
Ana Elisa Ribeiro
+ de 4000 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Fui à biblioteca pública assistir a um evento em que se contavam "causos" e histórias da tradição oral. Encontrei lá um moço urbano travestido de capiau, simulando um sotaque do interior norte de Minas e alternando a voz com uns solos de violão. Uma graça o show, mas senti falta também da leitura simples, da revelação dos textos de papel.

Depois disso, fui ouvir umas leituras num velho teatro. Algumas pessoas liam em voz alta textos que eu conhecia, ao menos de ouvir falar. E das bocas dos atores saíram as vozes sumidas de Machado de Assis, Lima Barreto, Manuel Bandeira e Carlos Drummond de Andrade.

Na televisão, à meia-noite, me surpreende um programa em que renomados artistas aparecem dizendo contos dos medalhões da literatura, mas, também, de gente nova, viva, producente. Assim, páro, embora à meia-noite, para escutar uma história de Marcelino Freire e outra de Dalton Trevisan. Um Marçal Aquino feito por excelente ator, mas muito caricatural.

E aí vou dormir. Antes, no entanto, de vir o sono, me acomete a vontade de pensar na propagação da literatura contemporânea. Fico imaginando quantas pessoas assistiram àquele programa. Umas tantas, mas ainda poucas. Das tantas que zapeavam e foram parar ali, várias quiseram mesmo era ver um ator da Globo lendo um texto do famoso quem?. O texto que liam tinha status de coadjuvante, mas prendeu, se era bom. E a câmera de clipe da emetevê ajudou a entreter. Depois, quando leram na tela o nome do autor, pensaram em conhecer mais, em comprar o livro, talvez. Engraçado, nunca ouviram falar em um tal Marçal Freire ou Marcelino Aquino. Ou coisa assim.

Na falta de propagação da literatura contemporânea, jamais chegaremos a vender o produto livro com agilidade ou a fazer andar a fila dos grandes nomes da literatura brasileira.

Na Internet, tem-se muita literatice e uma moda de apinhar textos, mas é verdade que eles ganham velocidade de propagação. Quando viram impressos, no entanto, costumam provar que o grande barato ainda é publicar em papel e que só se vende livro no dia do lançamento, pros parentes, principalmente se a família for grande e o autor não tiver saído de casa fugido.

Mas o problema não pode ser apenas não vender. O problema maior é não circular, não se fazer conhecer, ao menos como boato. Se um notívago inveterado ou um insone zapeador tiverem ouvido aquele conto falado pela Giulia Gam à meia-noite, então aquela literatura terá se propagado... um tanto... e, com ela, o nome do autor, a vontade de ter um livro, quem sabe?

E como se propaga literatura? Ué... fazendo sobre ela programas antes e também depois da meia-noite; falando nela nos jornais impressos, eletrônicos e digitais; conversando com os autores em eventos na biblioteca pública; revelando textos pra quem estiver lá; fazendo jornalismo cultural investigativo, e não essa clonagem de listas de best-sellers e copy/paste descarado de releases superficiais.

Pra quem gosta de teorias de complexidade, considere-se que cada pessoa tem uns amigos e parentes e que, se ela se comunica, então ela pode tecer comentários sobre um tal texto que a tenha tocado. Um bom texto sempre carrega essa mágica, como um bom prato ou uma boa bebida. E então a desculpa de que não há quorum pra eventos desse tipo só faz desestimular a formação dessa rede.

Só se compra, se lê, se ouve, se vai atrás daquilo que se sabe que existe ou que se tem vontade de pesquisar. E é importante plantar pulgas atrás das orelhas dos leitores, mesmo quando eles ainda são potenciais. Essa energia se libera por inércia.

Que livros você não está lendo? Talvez esteja perdendo o vôo da madrugada que propõe Sérgio Sant'Anna ou o encarniçamento de João Filho, morador dos confins da Bahia, que a esta hora deve estar vendendo estopa no pequeno comércio do pai. E quem criou o leitor João? E quem criou o escritor João? E quem o ajudou a fazer o belíssimo percurso que o tornou artista? E quem o conectou ao resto do país e ao resto do mundo? E quem lhe leu originais e o publicou em livro? E quem disse que João teve escola boa ou curso superior?

João sabe vender farinha e escrever contos. Mas João ouviu falar de livros e os conseguiu emprestados ou furtados ou comprados a muito custo. Questão de prioridade para ele, ora. A literatura pode se propagar e deve ser incentivada a isso. Para que apareçam mais Joões que façam a fila da literatura brasileira dar um passinho à frente.

A lista dos figurões não é lá muito dinâmica. Os boatos literários enganosos são mais ágeis. Mas o que toca o leitor é problema dele, questão de experimentar. João degustou uns drummonds antes de chegar à literatura recém-saída dos fornos. E quem sabe, pela propagação, João se enfie pela boa literatura adentro? Quem sabe também Maria e Fabrício?

Eu digo a Jorge: não adianta guardar projetos na gaveta. Para isso, te dou de presente umas pastas de arquivo coloridas. Tem que publicar e deixar que se propague. E você não terá controle do que lêem, como lêem ou quando o fazem. São seus convidados, mas tomam conta da casa.

Leia-se o livro na biblioteca, na praça, no velho teatro, no cinema em ruínas, no circo, no palácio, no centro de cultura, no bar temático. O livro vem a reboque. Revele-se o que antes ficaria muito tempo guardado. Palavra não é coisa que se possa manter presa. Pense: o que você não está lendo, está perdendo.


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 22/9/2004

Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2004
01. Ler muito e as posições do Kama Sutra - 2/6/2004
02. Autor não é narrador, poeta não é eu lírico - 24/3/2004
03. Para gostar de ler - 11/8/2004
04. Em defesa dos cursos de Letras - 6/10/2004
05. Mulheres de cérebro leve - 13/2/2004


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
30/9/2004
10h17min
Pois é, depois de ler esse texto, já escolhi três lançamentos. Não posso "perder" nada.
[Leia outros Comentários de sonaly ]
4/10/2004
09h19min
Disse tudo, Ana! E muito obrigada!
[Leia outros Comentários de Mônica]
12/10/2004
19h38min
Ótimo!!! Ainda bem que não perdi este texto...
[Leia outros Comentários de lucas]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Bricabraque (2005)
Hugo Passolo
Companhia Ed Nacional
(2005)



Triste Fim de Policarpo Quaresma (com Questões do Enem)
Lima Barreto
Cered Objetivo
(2004)



Fisico Quimica
Vera Lucia Duarte
Atual
(1982)



Livro - Memórias Póstumas de Brás Cubas - Col Núcleo de Literatura
Machado de Assis
Núcleo
(1996)



No Carrossel do Zodíaco
Maria R. Mizrahi
Berkana
(1996)



O Caçador de Pipas - Confira!
Khaled Hosseini
Nova Fronteira
(2005)



Vocabulário para Ortodontia & Ortopedia Funcional dos Maxilares
Ana Julia Perrotti-garcia
Sbs
(2003)



Mangá Blade 24
Hiroaki Samura
Conrad
(2004)



Misturas e Substâncias Reações Químicas - Série Ciências para o 1
Angélica Ambrogi, Julio Cezar Foschilini Lisb
Hamburg
(1973)



Vila Sésamo o Livro das Perguntas - a Terra
Vários Autores
Folio
(2007)





busca | avançada
33925 visitas/dia
1,4 milhão/mês