Até eu caí nessa | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Pousada e Recanto dos Pássaros – Sítio Vô Elias Maffei
>>> Coreógrafa carioca Esther Weitzman ministra oficina gratuita de dança no Sesc Santana
>>> Caleidos apresenta “Entrevista” para gestores e professores da rede pública de São Paulo
>>> É HOJE (30/9): Mostra Imaginários no Cine Bijou
>>> Etapa apresenta concerto gratuito da Camerata Fukuda com o violinista Ricardo Herz
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
>>> Conforme o combinado
>>> Primavera, teremos flores
>>> Além dos olhos
>>> Marocas e Hermengardas
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 50 anos de Bossa Nova
>>> O humor da Belle Époque
>>> 24 de Março #digestivo10anos
>>> Lendo Virgílio, ou: tentando ler os clássicos
>>> Introdução ao filosofar, de Gerd Bornheim
>>> Kindle DX salvando os jornais?
>>> A Casa de Ramos
>>> Reconhecimento
>>> A hora exata em que me faltaram as palavras
>>> Salão do Livro para crianças
Mais Recentes
>>> Fator de Enriquecimento de Paulo Vieira pela Gente (2016)
>>> Treinamento de Líderes Voluntários de Silvino J Fritzen pela Vozes (1982)
>>> A Sentence of Life de Julian Gloag pela World Books (1967)
>>> Amanhã é Natal de Liene Collaço Paulo pela Do Autor (1997)
>>> Pequenas Quinquilharias para Colecionadores Precoces de Liluah pela Saint Germain (2002)
>>> Dogsong de Gary Paulsen pela Aladdin (1985)
>>> A Vantagem Competitiva das Nações de Michael E. Porter pela Campus (1990)
>>> Sexo e Obsessão de Divaldo Pereira Franco pela Leal (2004)
>>> Sinfonia dos Animais Noturnos de Lourenço Cazarré pela Artes Ofícios (1994)
>>> Seja Feliz, Meu Filho! de Içami Tiba pela Gente (1995)
>>> Pai sem Computador de Amilcar Neves pela Atual (1993)
>>> Vinhedo das Vontades de Eduardo Dall Alba pela Iel (2000)
>>> Adoro Problemas de Michael Moore pela Leya Casa da Palavra (2011)
>>> O Mecanismo da Vida Consciente de Carlos Bernardo Gonzáles pela Logosófica (2002)
>>> S. Rita de Cássia de L. de Marchi pela Paulinas (1979)
>>> E o Nilo Continua... de Carmen Annes Dias Prudente pela Melhoramentos
>>> Nova Lei de Falências de Emilio Sabatovski Iara P Fontoura pela Juruá (2005)
>>> A Vida e o Amor Meninas 3 a 8 Anos Meninos e Jovens de Bernardette Delarge Doutor Emin pela Rideel
>>> Contos e Cânticos de Felicidade de A Bogaz e M Couto pela Escala
>>> Simbologia Braille de Geisa Leticia Kempfer Bock pela Dioesc (2013)
>>> Nem Sempre Verdade Nem Tanto Folclore de Pedro Sampaio pela Do Autor (2007)
>>> Rumo ao Sucesso - a Jornada de Us1 Bilhão da Phison... de Ks Pua pela Age (2012)
>>> A Hora - uma Revolução na Imprensa de Lauro Schirmer pela L&pm (2000)
>>> Feng Shui - o Livro das Soluções de Nancilee Wydra pela Pensamento (2000)
>>> Fragmentos Revista Vol 1 Nº 1 de Universidade Federal de Santa Catarina pela Ufsc (1986)
COLUNAS

Sexta-feira, 8/11/2013
Até eu caí nessa
Marta Barcellos

+ de 4400 Acessos

Setembro de 2013: O milionário e playboy Chiquinho Scarpa anuncia que, a exemplo dos faraós, que enterravam fortunas para chegarem ricos ao reino dos céus, iria colocar sob a terra um de seus bens mais preciosos, um Bentley avaliado em R$ 1,5 milhão. Absurdo, claro, mas se tratando de uma celebridade excêntrica e meio esquecida, a história convenceu. A imprensa que cobre celebridades dispostas a qualquer coisa para aparecer divulgou e foi cobrir o tal enterro.

A pegadinha de Scarpa, pelo menos, era por um bom motivo, e a mídia espontânea foi gerada sem maiores constrangimentos. Um publicitário havia bolado toda a ação para divulgar uma campanha de doação de órgãos. Assim, no dia do enterro, fotógrafos e cinegrafistas a postos, Chiquinho anunciou, ao lado do carro e do trator que havia cavado uma cova em seu jardim, ter desistido da ideia. E lançou o tema da campanha, já impresso em farto material guardado dentro da casa: "Absurdo é enterrar algo muito mais valioso que um Bentley: seus órgãos."

Outubro de 2013: No dia do Enem, o estudante Flávio Queiroz, de 20 anos, chega atrasado a um dos maiores locais de aplicação da prova. Pendura-se nas grades do portão fechado, é fotografado pela imprensa que costuma ficar no local atrás desse "personagem", e dá as declarações esperadas: "Meu pai vai ficar muito bravo". E ainda: "Agora é estudar para as próximas." Só não conseguiu, nas matérias que se espalharam pela internet, muito destaque para o desabafo "Não queria fazer Mackenzie, que é minha segunda opção!". A encenação do estudante de ciências contábeis da USP era para zoar o Mackenzie, tradicional rival da sua faculdade numa competição universitária, e só foi descoberta dois dias depois. A foto de Flávio, empoleirado nas grades, saiu até na primeira página da Folha de São Paulo.

Novembro de 2013: A Veja São Paulo coloca em sua capa o "rei do camarote" Alexander de Almeida, que gasta R$ 50 mil em uma balada na cidade e aceita gravar um vídeo para a revista com os "dez mandamentos" de quem quer ostentar riqueza e status. Na internet, segue-se uma onda de indignação, outra de desconfiança e por fim Alexander sugere que tudo poderia ser uma pegadinha. O suspense se instala, à espera do próximo capítulo: Alexander poderia dizer que não é Alexander; ou, pressionado pela repercussão negativa, alegar que tudo se tratava de uma campanha de doação de órgãos ou de uma aposta feita com os amigos da USP. À revista, já beneficiada pela audiência, caberia provar que o personagem era "verdadeiro".

Daqui a um mês, mal vamos lembrar do rei do camarote. Mas ficará registrada, em algum lugar de nossos cérebros, uma experiência que se repete: acreditar, se indignar (ou se emocionar), descobrir que foi enganado por uma pegadinha (ou jurar que desconfiou desde o início), e até mesmo não concluir se era pegadinha ou não, antes de o assunto encher a paciência. Aos mais atentos, talvez restará a lembrança da versão "definitiva" do rei do camarote oferecida por alguma emissora de TV ou blogueiro bem informado.

A intenção aqui, ao destacar as três histórias, não é fazer uma crítica ao trabalho da imprensa, cada dia mais misturado à própria internet. É até curioso que não seja mais possível culpar a mediação da imprensa por tudo que se reflete nela, como fazíamos antigamente. Não faz sentido, por exemplo, uma pessoa reclamar do sensacionalismo da imprensa enquanto ela própria clica em links suspeitos, que infectam seu computador, por não resistir à promessa de sensacionalismo. Com a mediação pulverizada pela internet, e a sua concorrência, nem sei se ainda cabe a antiga discussão sobre o papel social da imprensa, que deveria de abrir mão da audiência fácil em nome da sua responsabilidade na construção dos valores de uma sociedade.

Pode-se, assim, afirmar que a história tola sobre o carro de Chiquinho Scarpa atraiu a imprensa porque ela avaliou - corretamente - que a notícia fabricada atrairia o seu público. Era "notícia" e pronto. Da mesma forma, o estudante pendurado na grade e o sujeito que queima dinheiro na balada também são "notícias". Para completar, as táticas do marketing de guerrilha, que existem há décadas, tentam se aproveitar dessa simplificação sobre o que é relevante ou interessante para as muitas mídias, com as brechas potencializadas pela velocidade da internet - que impede e nem valoriza as checagens da informação.

Até os mais experientes e espertos na internet já foram enganados alguma vez, se não com um falso personagem ou uma falsa notícia, com uma falsa corrente, uma fotomontagem ou (nos primórdios) uma falsa crônica de Luis Fernando Veríssimo. Na medida em que apuramos o nosso faro, as táticas para nos enganar também se aperfeiçoam.

Onde isso vai parar? Não resta mais dúvida que a tecnologia e a internet - hoje, especialmente, as redes sociais - têm a capacidade de mudar comportamentos, moldar valores, criar novos vínculos sociais. A questão é se vamos nos acostumar a um mundo de muitas versões e incertezas - até porque estamos nos divertindo com paródias e ironias - ou se de alguma forma a credibilidade e a autoridade continuarão a ser relevantes.



Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 8/11/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. A sujeira embaixo do tapete de Renato Alessandro dos Santos
02. Notas sobre a Escola de Dança de São Paulo - I de Elisa Andrade Buzzo
03. Buenos Aires: guia de viagem de Gian Danton
04. Suicídio, parte 2 de Marta Barcellos
05. Suicídio de Marta Barcellos


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2013
01. Para viver de literatura - 7/2/2013
02. Mamãe cata-piolho - 31/5/2013
03. Suicídio - 15/2/2013
04. Suicídio, parte 2 - 15/3/2013
05. Até eu caí nessa - 8/11/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




A Grande Esperança
Ellen G. White
Casa Publicadora Brasileira
(2012)



A Paternidade Faz a Diferença
Wilmer Bottura Junior
Gente
(1994)



Através do Espelho
Jostein Gaarder
Cia das Letras
(2012)



O Desenvolvimento Econômico Brasileiro / 15ª Ed - Confira !!!
Argemiro Jacob Brum
Vozes
(1995)



Kairós
Padre marcelo Rossi
principium
(2013)



Altíssima Pobreza
Giorgio Agamben; Selvino J. Assmann
Boitempo
(2014)



As Formas do Conteúdo
Umberto Eco
Perspectiva
(1974)



Produtividade no Brasil: a Chave do Desenvolvimento Acelerado
Mckinsey Adapt Mirian Leitão
Campus
(1999)



Livros - Cochichos e Sussurros - Contos
Edson Gabriel Garcia
Atual
(1988)



Pequenas Historias da Vila Galvão
Vicência Purificação Fernandes
Própria
(2002)





busca | avançada
59843 visitas/dia
2,0 milhão/mês