Mamãe cata-piolho | Marta Barcellos | Digestivo Cultural

busca | avançada
75243 visitas/dia
2,2 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Conto HAYEK, de Maurício Limeira, é selecionado em coletânea da Editora Persona
>>> Os Três Mosqueteiros - Um por Todos e Todos por Um
>>> Sesc 24 de Maio recebe o projeto Parlavratório - Conversas sobre escrita na arte
>>> Cia Caravana Tapioca faz 10 anos e comemora com programação gratuita
>>> Eugênio Lima dirige Cia O GRITO em novas intervenções urbanas
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eleições na quinta série
>>> Mãos de veludo: Toda terça, de Carola Saavedra
>>> A ostra, o Algarve e o vento
>>> O abalo sísmico de Luiz Vilela
>>> A poesia com outras palavras, Ana Martins Marques
>>> Lourival, Dorival, assim como você e eu
>>> O idiota do rebanho, romance de José Carlos Reis
>>> LSD 3 - uma entrevista com Bento Araujo
>>> Errando por Nomadland
>>> É um brinquedo inofensivo...
Colunistas
Últimos Posts
>>> Uma história da Chilli Beans
>>> Depeche Mode no Kazagastão
>>> Uma história da Sambatech
>>> Uma história da Petz
>>> A história de Chieko Aoki
>>> Uma história do Fogo de Chão
>>> BDRs, um guia
>>> Iggor Cavalera por André Barcinski
>>> Dave Brubeck Quartet 1964
>>> Conrado Hubner fala a Pedro Doria
Últimos Posts
>>> Inação
>>> Fuga em concerto
>>> Unindo retalhos
>>> Gente sem direção
>>> Além do ontem
>>> Indistinto
>>> Mais fácil? Talvez
>>> Riacho da cacimba
>>> Mimético
>>> Cinema: Curtíssimas terá estreia neste sábado (28)
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A todos que passem por aqui
>>> João Paulo Cuenca e seu Corpo Presente
>>> Neruda, oportunista fantasiado de santo
>>> VTEX e Black & Decker sobre transformação digital
>>> Apresentação
>>> Fetiches de segunda mão
>>> Em busca do vampiro de Curitiba
>>> Millennials
>>> Um ano de blog
>>> Aracy Guimaraes Rosa
Mais Recentes
>>> Evangelho por Emmanuel - Comentários ao Evangelho Segundo Mateus de Francisco Cândido Xavier pela Feb (2015)
>>> A Casa do Califa de Tahir Shah pela Roça Nova (2008)
>>> Personagens da Boa Nova de Federação Espírita do Paraná pela Fep (2010)
>>> Personagens da Boa Nova de Federação Espírita do Paraná pela Fep (2010)
>>> Francisco - o Sol de Assis de Divaldo Franco e Cezar Braga Said pela Leal (2014)
>>> Salomé - o Encanto das Mulheres Que Surgem do Céu de Sandra Carneiro pela Vivaluz (2014)
>>> Eight early tantras of the great perfection - elixir ambrosia de Christopher wilkinson pela Christopher wilkinson (2016)
>>> O Homem Que Amava os Cachorros de Leonardo Padura pela Boitempo (2014)
>>> O fogo invisível: O segredo mais importante da humanidade está prestes a ser revelado de Javier Sierra pela Planeta (2018)
>>> Moreira da Silva: O último dos malandros de Alexandre Augusto pela Sonora (2013)
>>> O Bairro: Viva a Nossa Turma - Geografia e História de Aracy do R. Antunes; Maria de L. de A. Trindade pela Access (2013)
>>> Antes de Nascer o Mundo de Mia Couto pela Companhia das Letras (2016)
>>> Teogonia: A Origem dos Deuses- edição revisada e acrescida do original grego de Hesíodo pela Iluminuras (1995)
>>> Bíblia de Jerusalém - Média Encadernada de Deus e Vários autores pela Paulus (2004)
>>> Madame Bovary de Gustave Flaubert pela Abril Cultural (1979)
>>> Gente pequena também tem direitos de Malô Carvalho pela Autêntica (2012)
>>> Gramatyka? Dlaczego nie?!: Ćwiczenia gramatyczne dla poziomu A1 de Joanna Machowska pela Universitas (2014)
>>> Você e a Mediunidade de M. B. Tamassia pela O Clarim (2001)
>>> Depois da Queda de Dennis Lehane pela Companhia das Letras (2018)
>>> Erros e Acertos de Célia Xavier De Camargo pela O Clarim (2002)
>>> História Moderna e Contemporânea de Alceu Luiz Pazzinato; Maria Helena Valente Senise pela Ática (1998)
>>> Atlas Visual Compacto do Corpo Humano de Rúbia Yuri Tomita pela Rideel (1999)
>>> Tranca ruas das almas de João Ribeiro & Decelso pela Eco (1974)
>>> Umbanda dos pretos velhos de Antonio Alves Teixeira pela Eco (1985)
>>> O livro da bruxa de Amadeo de Santander pela Eco (1974)
COLUNAS

Sexta-feira, 31/5/2013
Mamãe cata-piolho
Marta Barcellos

+ de 5000 Acessos

Eu almoçava com uma amiga que não via há meses quando a conversa chegou ao inevitável e delicioso assunto "filhos" ― os nossos têm idade próxima. Não lembro exatamente qual era a história, mas o fato é que ela precisou confessar: seu filho, de 15 anos, não sabia andar de bicicleta. Ela abaixou a cabeça, constrangida. Largou o garfo. Tentei minimizar seu desconforto, animá-la um pouco, mas nós duas sabíamos se tratar de um daqueles estrondosos atestados de fracasso da maternidade/paternidade.

Comigo foi por pouco. Jamais vou esquecer da tensão disfarçada, dos planos detalhados, tudo para tentar tirar as rodinhas de apoio da bicicleta na idade certa. Idade certa? Pois é, sua filha deve aprender a nadar, pular corda e jogar vôlei (ou queimado) em uma idade bem determinada, sob pena de sofrer graves problemas de autoestima para o resto da vida. E os culpados serão os pais, que inclusive poderão ser acusados de negligência pelos próprios filhos quando eles forem adultos.

Foram algumas tentativas frustradas: primeiro em torno da Lagoa ― cheia demais. Depois na pista fechada da praia aos domingos: ela ficava nervosa, brigava conosco, estávamos fazendo tudo errado, empurrando por tempo demais, ou de menos, ela queria as rodinhas de volta! Como eu já tinha observado no caso de pular corda, a presença de pai e mãe às vezes atrapalha. Se ela morasse numa cidade de interior, aprenderia na rua, com as outras crianças. Como de certa forma foi comigo (passando férias em Paquetá) ou com o pai dela, no interior do Rio Grande do Sul. Não sabíamos como lidar com a situação na zona sul do Rio de Janeiro.

O playgroud do prédio onde moramos é pequeno, mas talvez fosse nesse espaço, emblemático do lazer das crianças urbanas, que ela devesse aprender, sem a pressão de um programa de domingo com os pais. Obtive pequenos sucessos, mas o equilíbrio momentâneo logo esbarrava no complicador de ter que fazer a curva para não dar de cara na parede. O play era bem pequeno. Até que, naqueles dias, tivemos a visita da filha da empregada, três anos mais velha e com algumas orgulhosas cicatrizes no joelho conferidas pela precocidade com que andou de bicicleta. Em seu aniversário, eu havia lhe dado um presente que a frustrara ― soube depois, pela minha filha, que ela esperava um CD do High School Musical.

― Você quer ganhar um CD do High School Musical? ― perguntei. E fiz a proposta, como uma mãe desesperada, capaz de tudo para não ganhar um daqueles definitivos atestados de incompetência.

― Só isso? ― ela estranhou.

― Só. Mas, além de andar, ela tem que saber fazer curva.

― Fechado ― e pegou minha filha pela mão, rumo ao playground.

No dia seguinte, devo ter parecido a maior fã do High School Musical na loja de discos (elas ainda existiam), tamanha era a minha satisfação. Contei a história do suborno para minha amiga no almoço, e ela se sentiu um pouco melhor. Nada como a cumplicidade dos imperfeitos. Afinal, tínhamos um dia das mães pela frente, e precisávamos nos preparar para o papel de genitora impecável que nos cabe nessas horas.

O meu dia das mães começou ótimo, até porque, com minha filha mais crescida, agora posso ler o jornal com calma aos domingos. E teria terminado bem, não fosse eu resolver dar uma olhada, à noitinha, no Facebook. Entre as mil e uma homenagens e gracinhas relativas à data, uma amiga comentava, em tom indignado, uma matéria do jornal sobre a epidemia de piolhos que se repete todo ano no Rio. A reportagem incluía dicas de uma catadora profissional de piolhos, que cobra R$ 70 por hora, e tanto ela como os comentadores do post achavam um absurdo uma mãe contratar alguém assim. Ora, catar piolho é incumbência de mãe, no máximo da avó, e essas mães dondocas do Rio não têm mais o que terceirizar, depois que passaram a contratar até babás folguistas, vestidas de branco e empurrando carrinhos nos fins de semana.

Engoli em seco. Olhei para os lados. Eu tinha lido a matéria pela manhã, de uma página, com o máximo de atenção, apesar de já saber praticamente tudo sobre a reprodução dos bichinhos (já os chamo carinhosamente) e todos os remédios e receitas caseiras que nunca funcionam. Só tinha lamentado não haver, no jornal, o telefone da catadora. Diante da condenação explícita piscando na tela do computador (incompetente! desnaturada! terceirizadora de criancinhas!), tentei me consolar, como havia feito com minha amiga da bicicleta. Pelo menos eu nunca tive babá no fim de semana, pensei. Mas não havia jeito: meu dia das mães terminara com a tal vergonha de não ser assim tão perfeita quanto nos anúncios da TV.

Como eu precisava confessar em algum lugar, aqui está: nunca consegui enxergar os tais bichinhos, muito menos as lêndeas, que também precisam ser "removidas" do couro cabeludo para o tratamento dar certo. Nas vezes em que minha santa empregada (juro que ela não usa uniforme) precisou catar, condescendente com minha inaptidão, fiquei ao lado e constatei: tratava-se de mais uma daquelas habilidades intuitivas que surgem no pós-parto mas que a natureza, por algum descuido, esqueceu de me contemplar.

O curioso foi que, depois do baque, voltei ao post indignado com a cata-piolhos do jornal, e observei melhor os comentários. Ninguém falava da própria experiência de catadora, ou se orgulhava dela, mas sim de como tiveram seus piolhos catados por mães e avós sem frescura. Hummm, sei não. Acho que a catadora profissional deve cobrar tão caro por causa da cláusula de sigilo embutida no contrato.


Marta Barcellos
Rio de Janeiro, 31/5/2013


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Cuba E O Direito de Amar (2) de Marilia Mota Silva
02. Nem morta! de Ana Elisa Ribeiro
03. A noite iluminada da literatura de Pedro Maciel de Jardel Dias Cavalcanti
04. A entranha aberta da literatura de Márcia Barbieri de Jardel Dias Cavalcanti
05. A noite do meu bem, de Ruy Castro de Julio Daio Borges


Mais Marta Barcellos
Mais Acessadas de Marta Barcellos em 2013
01. Para viver de literatura - 7/2/2013
02. Mamãe cata-piolho - 31/5/2013
03. Suicídio - 15/2/2013
04. Suicídio, parte 2 - 15/3/2013
05. Até eu caí nessa - 8/11/2013


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Cinquenta tons de cinza
E L James
Intrínseca
(2012)



Estandartes das Tribos de Israel
Plínio Martins Filho
Atiliê Editorial
(2001)



O Fabricante de Terremotos
Wilson Rocha
Ática
(1995)



Contornos do Dia Que Vem Vindo - 1ª Edição
Leonora Miano
Pallas
(2009)



Inglês: Guia de Conversação para Viagens
Folha de São Paulo
Publifolha
(1999)



O Círculo Matarese
Robert Ludlum
Nova Fronteira
(1979)



Os Portais do Santuario
Os Portais do Santuario
Esotera
(2001)
+ frete grátis



Soltando os Bichos Em Três Tempos
Lindomar da Silva
Rhj
(2011)



É Facil Decorar/ Bolos-doces-salgados Vol Ii
Francisco / Elza Henriques
Calçada
(1958)



A Estrutura do Tesão Melissa
Claudia Riecken
Universidade Quantum
(2012)





busca | avançada
75243 visitas/dia
2,2 milhões/mês