Tectônicas por Georgia Kyriakakis | Humberto Pereira da Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
35004 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
Colunistas
Últimos Posts
>>> Fernanda Young (1970-2019)
>>> Estratégia das Privatizações
>>> Estratégia Econômica Governo
>>> Brandenburg Concertos (1 - 6)
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A polêmica da leitura labial
>>> A ousadia de mudar de profissão
>>> O assassinato e outras histórias, de Anton Tchekhov
>>> O Livro dos Insultos, de H.L. Mencken
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Sobre o Ronaldo gordo
>>> Do inferno ao céu
>>> Para entender Paulo Coelho
>>> O amor que choveu
Mais Recentes
>>> Como Trabalhar Para Um Idiota de John Hoover pela Saraiva (2010)
>>> Não Tenha Medo De Ser Chefe de Bruce Tulgan pela Sextante (2009)
>>> Fui Promovido! E Agora? de Roberto Ruban pela M. Books (2010)
>>> Faça O Que Tem De Ser Feito de Bob Nelson pela Sextante (2003)
>>> Deixar de Fumar O que Você Precisa Saber de Jorge Schemes pela Dpl (2004)
>>> Casamento Blindado de Renato & Cristiane Cardoso pela Thomas Nelson Brasil (2012)
>>> Pai Rico Pai Pobre de Robert T. Kiyosaki pela Campus (2000)
>>> De Volta Ao Mosteiro de James C. Hunter pela Sextante (2014)
>>> Ufo Os Códigos Proibidos de Alfredo Lissoni pela Madras (2007)
>>> 12 Meses Para Enriquecer. O Plano da Virada de Marcos Silvestre pela Lua de Papel (2010)
>>> O Flagelo de Hitler de Albert Paul Dahoui pela Lachâtre (2012)
>>> Comunicação Global:A Mágica da Influência de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> Comunicação Global:A Mágica da Influência de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> Comunicação Global: Aumentando Sua Inteligência Interpessoal de Dr. Lair Ribeiro pela Rosa dos tempos/ RJ. (1992)
>>> Temperamento forte e bipolaridade de Diogo Lara pela Do autor (2004)
>>> O Sucesso Não Ocorre por Acaso/ Incluindo as 18 Leis Universais ... de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> O Sucesso Não Ocorre por Acaso/ Incluindo as 18 Leis Universais ... de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1993)
>>> O Sucesso Não Ocorre por Acaso/ Incluindo as 18 Leis Universais ... de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ.
>>> As Chaves da Autoconfiança: um Guia Avançado para Vencer na Vida de Robert Anthony pela Best Seller/ SP. (1989)
>>> Estruturas Clínicas de Freud a Lacan Travessia Nº 3 Jan/94 de Vários pela Gráfica da Ufes (1994)
>>> Viabilizando Talentos:Como Semear o Crescimento Pessoal e Profissional de J. R. Gretz pela Florianópolis (1997)
>>> O inumano: considerações sobre o tempo de Jean-François Lyotard pela Estampa (1997)
>>> Toque de Midas: Dinheiro, Poder e Riqueza, do Oriente ao Ocidente de Anthony Sampson pela Best Seller/ SP. (1989)
>>> Prepare-se para Enriquecer... de R. Stanganelli pela Eparma (1983)
>>> Viajando no Tempo: Recriando Seu Passado- Criando Seu Futuro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1994)
>>> Viajando no Tempo: Recriando Seu Passado- Criando Seu Futuro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1994)
>>> Apometria...E Por que Não? de Marcel Benedeti pela Mundo Maior (2008)
>>> Prosperidade: Fazendo Amizade com o Dinheiro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1992)
>>> Prosperidade: Fazendo Amizade com o Dinheiro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1992)
>>> Prosperidade: Fazendo Amizade Com o Dinheiro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1992)
>>> Prosperidade: Fazendo Amizade Com o Dinheiro de Dr. Lair Ribeiro pela Objetiva/ RJ. (1992)
>>> Concubinos: União Estável no Novo Código Civil/ Encad. de João Roberto Parizatto/ Autografado pela Edipa: Ed. Parizatto (2002)
>>> Principios Para Uma Clinica Antimanicomial e outros escritos 1 edição de Ana Marta Lobosque pela Hucitec (1997)
>>> Direito Administrativo de Diógenes Gasparini pela Saraiva/ SP. (1995)
>>> Recursos Humanos: Crise e Mudanças de Flávio de Toledo pela Atlas/ SP. (1989)
>>> Análise Sintática: a Oração na Frase Portuguesa de Antonio de Abreu Rocha/autografado pela São Vicente/ Belo Horizonte (1957)
>>> Filologia e Gramatica: Referente À Língua Portuguesa de J. Mattoso Câmara Jr pela J. Ozon Editor/ RJ. (1968)
>>> A Análise Matemática do Estilo: Aplicação do Processo de Fucks... de Tulo Hostílio Montenegro pela Ibge: / RJ. (1956)
>>> Atlas Previo dos Falares Baianos de N. Rossi pela Imprensa Nacional: Inl: Rio (1965)
>>> Sintomas Mórbidos - A Encruzilhada da Esquerda Brasileira de Sabrina Fernandes pela Autonomia Literária (2019)
>>> Trechos Selectos (trechos Seletos): Com uma Introdução ... de Sousa da Silveira pela Typogr. Bernard Frères/ RJ. (1919)
>>> Revolução Africana - Uma antologia do pensamento marxista de Jones Manoel e Gabriel Landi (orgs.) pela Autonomia Literária (2019)
>>> Antifa - O Manual Antifascista de Mark Bray pela Autonomia Literária (2019)
>>> A Narrative of Travels on the Amazon and Rio Negro de Alfred Russel Wallace (ll. D) pela Ward, Lock/ B. and Co. London (1892)
>>> O Ponto Zero da Revolução - Trabalho Doméstico, Reprodução e Luta Feminista de Silvia Federici pela Elefante (2019)
>>> Calibã e a Bruxa - Mulheres, Corpo e a Acumulação Primitiva de Silvia Federici pela Elefante (2017)
>>> Ah! Eu Não Acredito! de Sérgio Almeida pela Casa da Qualidade (2001)
>>> As Aventuras de Pedro Malasarte de Sérgio Augusto Teixeira pela Ediouro
>>> O'Hurley's Return de Nora Roberts pela Visit Silhouette Books (2010)
>>> Glory in Death de Nora Roberts (Writing as J. D. Robb) pela Berkley (2000)
COLUNAS

Quarta-feira, 13/8/2014
Tectônicas por Georgia Kyriakakis
Humberto Pereira da Silva

+ de 13800 Acessos


Tectônicas, 2014, metal, mármore, pigmentos (detalhe)

A artista baiana de Ilhéus radicada em São Paulo Geórgia Kyriakakis faz jus a atenção cuidadosa da crítica, de estudiosos, de apreciadores em geral da cena artística no Brasil nas duas últimas décadas. Com uma trajetória que se inicia na segunda metade dos anos de 1980, é responsável por intensa atividade: presença constante em diversas mostras individuais ou coletivas no Brasil e no exterior. Destaco aqui as exposições "Coordenadas", no Espaço ECCO (2011), e "Meridianas" (2013), na Funarte, "Beelden uit Brazilie", no Sterdelijk, Holanda (1996). Ativa, antenada nos movimentos e debates recentes, criadora de proficuidade destacada, o reconhecimento de sua intensa atividade nos anos recentes se refletiu no Prêmio Funarte de Arte Contemporânea em 2012.

Quem quiser conferir o estágio atual dos trabalhos de Geórgia, recomendo visitar a Galeria Raquel Arnaud, que exibe a exposição Tectônicas entre 4 e 29 de agosto. A obra que dá título à exposição é uma instalação que alinha, inclinadas e recostadas numa parede, placas de ferro em forma de paralelogramo de dimensões variáveis e quinas sem padrão definido. A disposição dos paralelogramos no espaço proporciona interseções casuais entre seus lados, cujas bases se apoiam em irregulares blocos de mármore no chão. Em três placas, espaços vazados formam letras que dão origem às palavras "estreito", "deserto" e "pacífico"; estas mesmas palavras estão grafadas no chão, respectivamente ao lado das placas que as contém.

Além desta obra, que se destaca à primeira vista, o visitante da exposição verá ainda Vento, Equador, Vidros da Patagônia, uma série de fotografias de lagos da Patagônia - cada qual, a partir da base, com um fragmento da imagem coberta por um pó plúmbeo - e, separando em duas partes o espaço expositivo, uma linha oblíqua de irregulares blocos de mármore da mesma dimensão dos que servem de apoio às placas de ferro. A unidade das obras é dada pela persistência de linhas que se cruzam ao acaso, pela sobreposição de planos e por arranjos que se equilibram numa horizontalidade que desconcerta em razão da falsa percepção de deslocamento do centro de gravidade.

De fato, todas as obras na exposição sugerem - o que do ponto de vista da física é equívoco - uma reorganização sensitiva do eixo de gravidade da Terra. A persistência no entrecruzamento de linhas, de sobreposição de planos e percepção difusa do senso de horizontalidade é uma constante nos trabalhos da artista. De suas obras anteriores que exibem essas constantes destaco, da exposição "Coordenadas", Deixa rolar (2010), Horizontes elásticos (2010), Por motivo de força maior (2010) e Genius Loci - "Espírito do lugar" (2011).

Em Deixa rolar, com relação ao plano do chão, uma mesa é inclinada num ângulo de aproximadamente 45º; sobre a mesa está fixada uma cadeira. Outra cadeira, devidamente apoiada no chão, encontra a tábua da mesa em seu banco. Em volta desta mesma cadeira, cobrindo suas pernas traseiras, um monte de pó carbonizado. O arranjo da obra sugere, equivocadamente, que o monte de pó teria escorrido da mesa. Ora, em planos distintos, o pó na mesa e o no chão estariam sujeitos a ações igualmente distintas da gravidade.

Nesse mesmo sentido, as imagens nas fotografias da série Genius Loci deixam a sensação de perda de centro de gravidade. Geórgia foi fotografada em pé numa rua acentuadamente inclinada, mas firma o corpo numa posição perpendicular à rua. O enquadramento da fotografia, no horizonte da rua, gera a sensação de estranheza com respeito à fachada de casas ao fundo. As linhas destas, obviamente em desacordo com a da rua, são vistas com acentuada inclinação. Novamente, em planos distintos, Geórgia e as casas estão sujeitas a ações distintas da gravidade.

O que se tem com isso - em Tectônicas, Deixa rolar ou Genius Loci - é um jogo que força o olhar o focar inclinações que perturbam o conceito físico de centro de gravidade. Claro, Geórgia não creio esteja explicitamente interessada em discutir leis da física, mas, assim suponho, com o quanto estas carregam de metáfora, quando entendidas em nossa percepção do mundo. Vale dizer: o quanto de enganoso é traduzido por sensações de equilíbrio de desequilíbrio; ou mesmo, o quanto nós nos habituamos a tomar por absoluto o que, com um deslocamento de eixo, perturba a maneira como convencionamos ver o mundo.

Merece realce por isso em Tectônicas as palavras "estreito", "deserto" e "pacífico". Ora, estas - se tomadas como adjetivos - implicam numa semântica para a qual, num primeiro momento, causa estranheza buscar aproximação: estreito é uma pequena abertura que limita a passagem; deserto é um espaço desabitado, vazio; já pacífico é aquele que conduz a paz. Mas, cabe ponderar, se entendidas como substantivos são acidentes geográficos: Estreito é um canal de água que corta uma massa de terra e liga dois espaços aquosos; Deserto é uma região que recebe pouca precipitação pluviométrica; Pacífico é um oceano, a maior massa de água da terra. Ou seja, para o olhar do espectador, a mudança semântica e a alteração de sentido para as palavras; de maneira similar, a mudança de enquadramento nas fotografias de Genius Loci gera perda de referência do centro de gravidade.


Jannis Kounellis, Die Eiserne Runde, Hamburger Kunsthalle, 1995 - metal, carvão, estopas

Os trabalhos de Geórgia são comumente identificados à Arte Povera, mais especificamente a Jannis Kounellis. De fato, há aproximações inegáveis entre eles; basta contrapor a instalação Die Eiserne Runde (1995), de Kounellis, a Tectônicas para se notar o quanto sua arte deve a este artista. Mas, mais do que o superficial confronto de obras, em ambos a referência ao filósofo grego Parménides. Para este, "a unidade é a imobilidade do Ser"; em outras palavras, o mundo sensível é ilusório; qualquer que seja a mudança, o movimento, não há alteração naquilo que o Ser efetivamente é.

A filiação à Arte Povera e a Kounellis, no entanto, é um dado que limita as realizações artísticas de Geórgia. Assim como em relação à Kounellis, bem pode se procurar em suas obras aproximações com artistas como Mary Miss, Stake Fence (1970), Richard Long, Walking a line in Peru (1972), ou Alice Aycock, A Simple Network of Underground Wells and Tunnels (2011). Do mesmo modo que para Geórgia, uma fotografia de Long é uma obra em sim mesma, ou é lá, em algum lugar, na Patagônia, por exemplo, que está a obra real, da qual nós, na galeria, vemos tão somente a evidência documental?

Este um enigma cuja solução não se fia na primazia da presença do objeto de arte. Ao dialogar com referências como as oferecidas por Mary Miss, Richard Long ou Alice Aycock, assim entendo, Geórgia situa suas realizações numa posição impar; de sorte que a exposição "Tectônicas" - devidamente articulada à sua trajetória de quase três décadas, tanto quanto em sintonia com movimentos e artistas recentes da cena artística - merece, pois, toda a atenção de todos que decidam olhar os fenômenos do mundo de um ponto de vista artístico.


Richard Long, Walking a line in Peru, 1972, fotografia


Humberto Pereira da Silva
São Paulo, 13/8/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Notas confessionais de um angustiado (IV) de Cassionei Niches Petry
02. Terra, chão de primavera de Elisa Andrade Buzzo
03. A Casa de Ramos de Elisa Andrade Buzzo
04. As maravilhas do mundo que não terminam de Marilia Mota Silva
05. O que em silêncio sabemos de Marilia Mota Silva


Mais Humberto Pereira da Silva
Mais Acessadas de Humberto Pereira da Silva em 2014
01. Tectônicas por Georgia Kyriakakis - 13/8/2014
02. O medo como tática em disputa eleitoral - 8/10/2014
03. Gustavo Rezende: uno... duplo... - 22/1/2014
04. Monticelli e a pintura Provençal no Oitocentos - 5/2/2014
05. O momento do cinema latino-americano - 11/6/2014


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CARTAS AOS MEUS AMIGOS - FRANZ KAFKA (LITERATURA ALEMÃ)
FRANZ KAFKA
NOVA ÉPOCA EDITORIAL
R$ 15,00



OS LUSÍADAS DE CAMÕES
LUÍS DE CAMÕES PREF. ALVARO JULIO
INSTITUTO CAMÕES
(2000)
R$ 37,39



PSICOLOGIA CIÊNCIA E PROFISSÃO -Nº 1
CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA
PEPSIC
(2009)
R$ 6,00



LÁZARO: A AMIZADE NA BÍBLIA
MARCO GARZONI
PAULINAS
(1997)
R$ 12,82



E. BOUDIN NO BRASIL
JOSÉ ROBERTO TEIXEIRA LEITE

R$ 25,00



QUEDA DE GIGANTES
KEN FOLLETT
SEXTANTE
(2010)
R$ 25,00



O QUE É REVOLUÇÃO UTOPIA - ANARQUISMO
FLORESTAN FERNANDES- TEIXEIRA COELHO - CAIO TULIO
CIRCULO DO LIVRO
R$ 6,90



AFINAL, QUEM SOMOS?
PEDRO GRANJA
EDICEL
(1981)
R$ 40,00



CIENCIAS NATURAIS - APRENDENDO COM O COTIDIANO
EDUARDO LEITO DO CANTO
MODERNA DIDÁTICOS
(2013)
R$ 7,00



SEUS PONTOS FRACOS
DR. WAYNE W. DYER
RECORD
(1976)
R$ 6,80





busca | avançada
35004 visitas/dia
1,0 milhão/mês