O caso Luis Suárez | Humberto Pereira da Silva | Digestivo Cultural

busca | avançada
62960 visitas/dia
2,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Senac São Paulo abre as portas para atividades voltadas ao protagonismo juvenil
>>> Ribeirão Preto recebe o Teatro Portátil no Dia das Crianças
>>> SHOPPING GRANJA VIANNA INCENTIVA A ARTE NA REGIÃO COM O GRANJA CULTURAL
>>> Turnê Babi Jaques e Lasserre (PE)
>>> Samantha Dalsoglio e Dan Rosseto protagonizam comédia Relação a Dois dirigida por Hudson Glauber
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rodolfo Felipe Neder (1935-2022)
>>> A pior crônica do mundo
>>> O que lembro, tenho (Grande sertão: veredas)
>>> Neste Momento, poesia de André Dick
>>> Jô Soares (1938-2022)
>>> Casos de vestidos
>>> Elvis, o genial filme de Baz Luhrmann
>>> As fezes da esperança
>>> Quem vem lá?
>>> 80 anos do Paul McCartney
Colunistas
Últimos Posts
>>> Agnaldo Farias sobre Millôr Fernandes
>>> Marcelo Tripoli no TalksbyLeo
>>> Ivan Sant'Anna, o irmão de Sérgio Sant'Anna
>>> A Pathétique de Beethoven por Daniel Barenboim
>>> A história de Roberto Lee e da Avenue
>>> Canções Cruas, por Jacque Falcheti
>>> Running Up That Hill de Kate Bush por SingitLive
>>> Oye Como Va com Carlos e Cindy Blackman Santana
>>> Villa candidato a deputado federal (2022)
>>> A história do Meli, por Stelleo Tolda (2022)
Últimos Posts
>>> Universos paralelos
>>> Deseduquei
>>> Cuidado com a mentira!
>>> E agora? Vai ter pesquisa novamente?
>>> Cabelos brancos
>>> Liberdade
>>> Idênticos
>>> Bizarro ou sem noção
>>> Sete Belo
>>> Baby, a chuva deve cair. Blade Runner, 40 anos
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Dentro da Baleia
>>> 2006, o ano que não aconteceu
>>> Víkingur Ólafsson toca Rameau
>>> E-lovelados
>>> Quanto custa rechear seu Currículo Lattes
>>> Vamos pensar: duas coisas sobre home office
>>> Real tédio
>>> Revolução dos sexos
>>> Entrevista com o poeta Augusto de Campos
>>> Querem proibir as palavras
Mais Recentes
>>> Os Enamoramentos de Javier Marías pela Companhia das Letras (2015)
>>> Tex Almanaque do Faroeste Nº 1 de Bonelli pela Globo (1996)
>>> Persépolis - Completo de Marjane Satrapi pela Quadrinhos Na Cia (2018)
>>> Até Que a Morte os Separe de Nero Blanc pela Ediouro (2005)
>>> Getúlio 1882-1930: Dos Anos de Formação à Conquista do Poder de Lira Neto pela Companhia das Letras (2012)
>>> A Rainha Ginga de José Eduardo Agualusa pela Quetzal (2014)
>>> Escritos - Campo Freudiano no Brasil de Jacques Lacan pela Jorge Zahar (1998)
>>> Star Wars: A Trilogia - Special Edition de George Lucas pela DarkSide (2014)
>>> Squid: The Definitive Guide de Duane Wessels pela O"Reilly (2004)
>>> Tex e os Aventureiros Nº 3 de Bonelli pela Mythos (2005)
>>> O Ritual de Bordeaux de Jean Pierre Alaux e Noel Balen pela Rocco (2008)
>>> Genetic Algorithms in Search, Optimization and Machine Learning de David E. Goldberg pela Addison Wesley (1997)
>>> 1822 - Edição Juvenil Ilustrada de Laurentino Gomes pela Nova Fronteira (2011)
>>> Nem Sempre é Assim de Shunryu Suzuki pela Religare (2003)
>>> O Mundo Emocionante do Romance Policial de Paulo M. E Albuquerque pela Francisco Alves (1979)
>>> Corpo Humano: Fundamentos de Anatomia e Fisiologia de Gerard J. Tortora, Bryan Derrickson pela Artmed (2017)
>>> Os Segredos da Mente Milionária de T. Harv Eker pela Sextante (2020)
>>> Public-Key Cryptography de Arto Salomaa pela Springer-Verlag (1996)
>>> Rainha do Inverno de Boris Akunin pela Objetiva (2003)
>>> A Travessia de William P. Young pela Arqueiro (2012)
>>> Coleção 70º Aniversário da 2ª Guerra Mundial - 30 Volumes de Abril Coleções pela Abril Coleções (2009)
>>> Desvendando Margaux de Jean Pierre Alaux e Noel Balen pela Rocco (2007)
>>> Bio-Inspired Credit Risk Analysis: Computational Intelligence with Support Vector Machines de Lean Yu; Shouyang Wang; Kin Keung Lai; Ligang Zhou pela Springer-Verlag (2010)
>>> A VIda é Cheia de Curvas de Eugenio Mussak pela Abril (2014)
>>> Action Coaching de David L. Dotlich pela Jossey Bass (1999)
COLUNAS >>> Especial Copa 2014

Quarta-feira, 16/7/2014
O caso Luis Suárez
Humberto Pereira da Silva

+ de 4200 Acessos

Um dos acontecimentos mais insólitos desta Copa foi a mordida do atacante uruguaio Luis Suárez no defensor italiano Giorgio Chiellini. Julgado pelo gesto incomum em Copa do Mundo, ele pegou nove jogos de suspensão pela celeste. A mordida tirou o uruguaio da competição e, além dos nove jogos pela seleção, ele está impedido de jogar futebol por quatro meses.

Os uruguaios não se conformaram com a punição. Com ela, fizeram as mais diferentes insinuações. Tudo, como a mordida, no clima de provocações e catimbas que fazem parte do folclore do futebol. Aqui no Brasil também se discutiu o exagero na punição. Para muitos, tirar Suárez da Copa do Mundo foi uma decisão de bastidor que privou o público de ver uma de suas estrelas.

Fosse uruguaio, não perdoaria o jogador. A celeste tinha nele, e em sua recuperação de cirurgia recente, a grande esperança para fazer uma grande Copa do Mundo. Quarto colocado na Copa passada, o Uruguai não se renovou, veio para o Brasil com uma equipe envelhecida. Mas Suárez, aos 27 anos, artilheiro da liga inglesa na temporada passada, tinha tudo para honrar as cores do país.

Acontece que ele, com histórico pouco animador de polêmicas e suspensões por indisciplina, fez valer o que sabido por quem conhece sua carreira: não suportar pressão e jogar no limite da expulsão. Perdoa-lo é esquecer seu histórico, fazer de conta que ele apenas caiu em tentação e desconsiderar as consequências de seu ato.

Ele fez o que já havia feito e, provavelmente, não deixará de fazer o que fez: defender com unhas e dentes a equipe que defende. Não há, portanto, o que o perdoar. A não ser que se entenda que ele cedeu a pulsões bestiais, que não consiga dominar seus instintos e que seja do ponto de vista moral um fraco, que assim merece antes de censura a compaixão.

Não sustento que Suárez seja um fraco e que mereça compaixão. Pelo contrário, para mim um jogador provocador e catimbeiro. Sendo assim, nas minhas contas ele jogou com o risco de deixar sua seleção em apuros e, em consequência, ser desclassificada do mundial. Esse um ponto que não foi devidamente lembrado por muitos aqui no Brasil que se manifestaram contrariados com a punição imposta pela FIFA.

Ora, não é o caso, sem um riso de desfaçatez, de os leigos se expressarem sobre jurisprudência: não vá o sapateiro além do sapato, diz o dito grego sobre o sapateiro que corrigiu um pintor. Nove jogos é uma punição pesada? Mas só foi preciso um jogo para o Uruguai ser eliminado da Copa, o jogo que ele cumpriria necessariamente em razão da mordida. Ou não houve mordida?

Passada a Copa, é quase certo que muitos que se manifestaram contrários à punição se, subitamente, forem lembrados do nome Luis Suárez pensem tratar-se de um pintor espanhol contemporâneo de Diego Velásquez... Tenho grandes suspeitas de que a grande maioria que se expressou contrária à punição sequer sabe onde ele joga...

Quer dizer, no fervor do momento, defender que a punição foi exagerada. Mas ao mesmo tempo perder de vista que qualquer que fosse a punição isso implicaria o Uruguai não ter seu melhor jogador no jogo decisivo nas oitavas de final.

O que se viu foi o que não deveria passar despercebido em quem passou da primeira dentição. Uma seleção da qual já se tinha desconfiança perdeu o prumo completamente e foi eliminada.

Colocar a eliminação na conta de Luisito Suárez? Sim, mas também lembrar que os que o defenderam com a alegação de que a punição foi exagerada não consideraram que foi preciso só um jogo, não mais que um, para a eliminação uruguaia no mundial.

Mais que isso, os oito jogos de punição ele cumprirá contra quem, e isso resultará em quê? Pois, todos sabem, a próxima Copa na Rússia será em 2018. Quem lembrará sua ausência no próximo jogo do Uruguai? Possivelmente nas eliminatórias para a Copa de 2018? Certo, mas nesta, o que importa, ao jogar roleta russa, Suárez jogou com a possibilidade de haver bala no tambor; havia, e disparou; agora seu caso é história.


Humberto Pereira da Silva
São Paulo, 16/7/2014


Quem leu este, também leu esse(s):
01. O fim dos livros físicos? de Luís Fernando Amâncio
02. Hilda Hilst delirante, de Ana Lucia Vasconcelos de Jardel Dias Cavalcanti
03. As pedras de Estevão Azevedo de Wellington Machado
04. Séries da Inglaterra; e que tal uma xícara de chá? de Renato Alessandro dos Santos
05. Metallica e nostalgia de Luís Fernando Amâncio


Mais Humberto Pereira da Silva
Mais Acessadas de Humberto Pereira da Silva em 2014
01. Tectônicas por Georgia Kyriakakis - 13/8/2014
02. O medo como tática em disputa eleitoral - 8/10/2014
03. Gustavo Rezende: uno... duplo... - 22/1/2014
04. Monticelli e a pintura Provençal no Oitocentos - 5/2/2014
05. O caso Luis Suárez - 16/7/2014


Mais Especial Copa 2014
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Cristianismo - Fraude Ou Fato Histórico?
Josh Mcdowell
Candela
(1999)



Abelhas e Mel - Criação - Extração
Nelson Mello da Lima
Ediouro



No Verão, a Primavera
Lucília J de Almeida Prado
Melhoramentos
(1980)



O Mundo Mágico de Harry Potter
David Colbert
sextante
(2001)



Bandeirismo: Dominacão e Violência
Julio Jose? Chiavenato
Moderna
(1991)



Aristóteles para Todos
Mortimer J. Adler
Realizações
(2010)



Livro - Sequestrado
Robert L. Stevenson
Nova Alexandria
(1996)



Meu Nome não é Johnny
Guilherme Fiuza
record
(2004)



Alma Paulista
Arnaldo Antunes
Abooks



O Livro Vermelho do Sexo sem Vergonha
Rose Villela
Novo Século
(2019)





busca | avançada
62960 visitas/dia
2,0 milhão/mês