Anos 90, lado B | Noah Mera | Digestivo Cultural

busca | avançada
53430 visitas/dia
1,8 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Novo livro de Vera Saad resgata política brasileira dos anos 90 para destrinchar traumas familiares
>>> Festival de Cinema da Fronteira e Sur Frontera WIP LAB abrem inscrições
>>> O Pequeno Príncipe in Concert
>>> Estreia da Orquestra Jovem Musicarium ocorre nesta quarta, dia 21, com apresentação gratuita
>>> Banda Yahoo se apresenta na Blue Note SP
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
>>> Sim, Thomas Bernhard
>>> The Nothingness Club e a mente noir de um poeta
>>> Minha história com o Starbucks Brasil
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, o homem por trás da Nvidia (2023)
>>> Philip Glass tocando Opening (2024)
>>> Vision Pro, da Apple, no All-In (2024)
>>> Joel Spolsky, o fundador do Stack Overflow (2023)
>>> Pedro Cerize, o antigestor (2024)
>>> Andrej Karpathy, ex-Tesla, atual OpenAI (2022)
>>> Inteligência artificial em Davos (2024)
>>> Bill Gates entrevista Sam Altman, da OpenAI (2024)
>>> O maior programador do mundo? John Carmack (2022)
>>> Quando o AlphaGo venceu a humanidade (2020)
Últimos Posts
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
>>> Sem noção
>>> Ícaro e Satã
>>> Ser ou parecer
>>> O laticínio do demônio
>>> Um verdadeiro romântico nunca se cala
>>> Democracia acima de tudo
>>> Podemos pegar no bufê
>>> Desobituário
>>> E no comércio da vida...
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Como ser um Medina
>>> Máfia do Dendê
>>> But I like it
>>> Abbas Kiarostami: o cineasta do nada e do tudo
>>> O enigma de Michael Jackson
>>> O tamanho do balde
>>> Baratas
>>> Ao Abrigo, poemas de Ronald Polito
>>> O dilúvio informacional, segundo a Economist
>>> Bruta manutenção urbana
Mais Recentes
>>> A arte de se tornar de Gennady Basin pela Madras (2003)
>>> Nhac de Canizales pela Telos (2017)
>>> Melusina de Ana Maria Machado pela Atica (2000)
>>> No Tempo em que a Televisão Mandava no Carlinhos de Ruth Rocha pela Ftd (2000)
>>> Lá é Aqui de Rogério Borges pela Positivo (2008)
>>> A Palavra, O Que É? de Luis Pimentel, Ionit Zilberman pela Positivo (2020)
>>> Volta Muriqui de Raquel Ribeiro pela Mib (2022)
>>> O Fantástico Misterio De Feiurinha de Pedro Bandeira pela Moderna (2009)
>>> Adormeceu a margarida? de Maria Heloísa Penteado pela Atual (2000)
>>> Juca Jabuti de Lessa Origenes pela Moderna (2002)
>>> Nós de Eva Furnari pela Moderna (2015)
>>> Drufs de Eva Furnari pela Moderna (2019)
>>> A Biblia da Aromaterapia de Gill Farrer-Halls pela Pensamento (2015)
>>> Yoga Para Nervosos de Hermógenes pela Nova era (1998)
>>> As sete leis do dinheiro de Michael Phillips pela Madras (1999)
>>> Direito Civil Brasileiro 3 de Carlos Roberto Gonçalves pela Saraiva (2010)
>>> Vidas e vindas dos ciganos espirituais de Elizabeth da Cigana Núbia pela Madras (2015)
>>> A Bíblia dos Chakras de Patricia Mercier pela Pensamento (2017)
>>> Taro Das Bruxas de Andre Mantovanni pela Madras (2004)
>>> Ideia Maluca de Cecilia Vasconcelos pela Nova Fronteira - Grupo Ediouro - Paradidatico (2014)
>>> Livro Astronomia os Caçadores de Vênus a Corrida para Medir o Céu de Andrea Wulf pela Paz e Terra (2012)
>>> O Texto sem Mistério de Norma Seltzer Goldstein pela Atica (2009)
>>> Mais esperto que o Diabo de Napoleon Hill pela Citadel (2017)
>>> Introdução ao Teste de Software de Márcio Eduardo Delamaro, José Carlos Maldonado pela Elsevier (2007)
>>> A jornada da alma livro do futuro de M. Nilsa pela Jca e Mna (2004)
COLUNAS >>> Especial Discoteca Básica

Quarta-feira, 15/6/2011
Anos 90, lado B
Noah Mera
+ de 6800 Acessos
+ 1 Comentário(s)

Conheci este objeto, o disco, um ano antes da morte do formato. Ainda que se lancem discos até hoje isto é apenas o prolongamento artificial de uma indústria falecida em 1999.

A popularização do MP3 libertou a música do disco. Digitalizados, os arquivos entrariam em seleções cada vez mais variadas recombinados da maneira que o usuário bem entendesse e não mais ao gosto do artista ou da gravadora. Uma liberdade que só sonhávamos nos anos 80, ao gravar nossas coletâneas caseiras em fitas K7. Liberdade também ao comprar/baixar apenas as músicas que interessam, sem ser obrigado a comprar um conjunto fechado.

Na era do Twitter a música também deve ser fragmentada, qual o tempo (e paciência) que temos para digerir uma proposta de 40-50 minutos? Na era do imediatismo, queremos apenas o the best of.

Essa percepção, porém tardou muito a alcançar artistas e empresários e ainda não foi totalmente absorvida. É interessante acompanhar a evolução do projeto Teargarden by Kaleidyskope da banda Smashing Pumpkins que se trata justamente de eliminar o disco como processo de trabalho. A banda lança periodicamente músicas novas que ficam disponíveis para audição no site e são compiladas em luxuosas edições de colecionador de tempos em tempos. Oceania será a próxima leva, com músicas inspiradas no jogo de Tarô.

Sou uma criança dos anos 80 e meu encontro com o disco foi tardio. Não que não tenha tido contato com o objeto antes, Pink Floyd e The Beatles estavam bem ao alcance, cheguei até a comprar alguns vinis, mas nada que tivesse um impacto significativo. E eu sempre fui um curioso musical.

Os anos 90, minha adolescência, aquele período em que se costuma desenvolver a discofilia, foram de um marasmo e um incessante velar do eterno moribundo rock'n'roll que vinha perdendo espaço crescente para a música pop. Sem espaço e em profunda crise criativa, só restou ao rock a autodestruição. Daí a importância do Nirvana e Kurt Cobain, herói Campbelliano do culto à celebridade, 'antena da raça' que incorporou como ninguém o zeitgeist dos anos 90. Interessante de analisar, mas achava a musica de uma chatice abissal naquela época, preferia me ater ao nonsense e bom humor de Mutantes, Pato Fu (e aqui cabe um disco favorito na época: Gol de quem?) e Karnak.

Foi quando em 1998 me deparei com dois discos que marcariam a minha história como consumidor de música. Vasculhando a loja de CDs, uma busca de quem sabia mais do que não gostava, acabei me demorando em uma capa de CD que sempre evitava por ter uma cara New Age e reconheci uma banda da qual já havia lido muito (um ano antes do napster conhecíamos bandas lendo!), desanimado pedi para a balconista os Cds para ouvir... e me tornei de curioso a apaixonado por música. O disco era Mellon Collie and The Infinite Sadness do Smashing Pumpkins, a obra máxima da grandiloquente banda liderada por Billy Corgan. Se as influências eram o Hard Rock e o punk - as mesmas das bandas grunge que dominavam a cena musical (na esteira do Nirvana) e as letras tivessem da mesma angústia e niilismo juvenil, o acréscimo de influências do rock progressivo na mistura e a pretensão de um disco conceitual, uma obra de arte como um todo, eram todo o diferencial que eu precisava e procurava. O disco é diversificado e coeso, vai do folk Take me Down ao metal de Zero passando pela eletrônica 1979 e pela progressiva e orquestrada Tonight, tonight mesmo assim cada parte funciona dentro da estrutura do álbum. Não que seja novidade, mas nenhum disco conceitual tinha capturado minha atenção desta maneira antes.

O outro disco foi Ok Computer do Radiohead, um épico conceitual (de novo) de música eletrônica que descortinou algumas possibilidades sonoras que não entravam no meu cardápio habitual. A partir daí o som do Radiohead foi ficando cada vez mais hermético, de digestão cada vez mais difícil, mas um processo delicioso em entender a proposta, viajar nas texturas e rococós da banda.

Assim, ainda que eu entenda que discos não fazem sentido, tenho uma pequena discografia básica sentimental, formada por puro acidente.


Noah Mera
Curitiba, 15/6/2011

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Solitária cidadã do mundo de Elisa Andrade Buzzo
02. Kurt Cobain; ou: I Miss the Comfort in Being Sad de Duanne Ribeiro
03. Política e Cidadania no Sertão do Brasil (parte 1) de Diogo Salles
04. Cultura-Espuma, Hofdware e Outras Questões de Luis Dolhnikoff
05. De olho em você de Marilia Mota Silva


Mais Noah Mera
Mais Acessadas de Noah Mera em 2011
01. Querem acabar com as livrarias - 17/1/2011
02. As Midias Sociais e a Intimidade Inventada - 11/5/2011
03. Anos 90, lado B - 15/6/2011
04. Informação, Redes Sociais e a Revolução - 9/3/2011
05. Walking Dead - O caminho dos mortos na cultura pop - 5/10/2011


Mais Especial Discoteca Básica
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
29/8/2011
14h42min
Não sei quais eram tuas fontes, mas quase tudo do que eu mais gosto de rock é dos anos 90. São tantas bandas e tantos estilos [aliás, o hibridismo é uma das grandes marcas daquela década] que quase me perco. Vejo uma ideia generalizada de que os 90 foram quase uma Idade das Trevas do rock. Eu, particularmente, discordo com veemência. De qualquer modo, gostei do post. Smashing Pumpkins é sem dúvida uma das pérolas do período. Abraço.
[Leia outros Comentários de Sandro Brincher]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Construindo o Saber
Maria Cecília M. de Carvalho
Papirus
(1995)



Handbook Of American Idioms asnd Idiomatic Usage
Harold C. Whitford e Outro
Regents Publishing
(1953)



Playback
Raymond Chandler
Artenova
(1974)



Livro de Bolso Literatura Estrangeira Pequenos Burgueses Mãe
Gorki
Abril
(1979)



Mpt
Henrique Correia
Juspodivm
(2019)



Américas, um sonho de escritores
Philippe Ollé-Laprune
Estação Liberdade
(2022)



The Tao Of Inner Peace - Ingles - literatura
Diane Dreher
Harper Collins
(1991)



Estudo de Problemas Brasileiros
Hilário Torloni
Pioneira
(1979)



Criando Meninos
Steve Biddulph
Fundamento
(2006)



A Grande Upanishad da Floresta (Brhâdaranyâka Upanishad)
Carlos Alberto Tinoco
Madras
(2013)





busca | avançada
53430 visitas/dia
1,8 milhão/mês