Querem acabar com as livrarias | Noah Mera | Digestivo Cultural

busca | avançada
33901 visitas/dia
891 mil/mês
Mais Recentes
>>> CRIANÇAS DE HELIÓPOLIS REALIZAM CONCERTO DE GENTE GRANDE
>>> Winter Fest agita Jurerê Internacional a partir deste final de semana
>>> Coletivo Roda Gigante inicia temporada no Jazz B a partir de 14 de julho
>>> Plataforma Shop Sui dança dois trabalhos no Centro de Referência da Dança
>>> Seminário 'Dança contemporânea, olhares plurais'
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
>>> Carta ao(à) escritor(a) em sua primeira edição
Colunistas
Últimos Posts
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
>>> Pensar Edição, Fazer Livro 3
>>> Juntos e Shallow Now
>>> Dicionário de Imprecisões
>>> Weezer & Tears for Fears
>>> Gryphus Editora
>>> Por que ler poesia?
>>> O Livro e o Mercado Editorial
Últimos Posts
>>> Saudades não envelhecem
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> Pelagem de flor IV: AZUL
>>> É cena que segue...
>>> Imagens & Efeitos
>>> Segredos da alma
>>> O Mundo Nunca Foi Tão Intenso Nem Tão Frágil
>>> João Gilberto
>>> Retalhos ao pôr do sol
Blogueiros
Mais Recentes
>>> 2011 e meus álbuns
>>> A arte da crítica
>>> Livros e Saúde
>>> Além do Mais em 2005
>>> O enigma de Lindonéia
>>> O enigma de Lindonéia
>>> The Guardian contrata blogueiros para fazer jornalismo
>>> Discutir, debater, dialogar
>>> I Fink U Freeky
>>> Além do Mais em 2009
Mais Recentes
>>> Os Elefantes não esquecem de Agatha Christie pela Nova Fronteira (2019)
>>> A construção do Brasil de Jorge Couto pela Forense Universitária (2011)
>>> Medicina de Reabilitação nas Lombalgias Crônicas de Julia Maria D' Andréia Greve e Marcos Martins Amatuzzi pela Roca - Brasil (2003)
>>> O exercício e a cardiologia do esporte de Paul D. Thompson pela Manole (2003)
>>> Medicina do Esporte de W. Hollman e T. Hettinger pela Manole (2005)
>>> Derrame Pleural de Franscisco S. Vagas , Lisete R. Teixeira e Evaldo Marchi pela Roca - Brasil (2003)
>>> 50 Anos a Mil de Lobão pela Nova Fronteira (2010)
>>> Furacão Anitta - Biografia Não Autorizada de Leo Dias pela Agir (2019)
>>> A Bela e a Fera - Edição Oficial do Filme de Elizabeth Rudnick pela Universo dos Livros (2017)
>>> A organização dirigida por valores de Richard Barrett pela Alta Books (2017)
>>> A Filiação Divina de Carlos Lema Garcia pela Quadrante (2002)
>>> Onde Cantam os Pássaros de Evie Wyld pela DarkSide (2013)
>>> O Espírito Santo na Experiência Cristã de James D Crane pela Juerp (1978)
>>> O Homem Moderno e a Imagem Bíblica do Homem de Leo Scheffczyk pela Edições Paulinas (1976)
>>> 50 Histórias de Ninar de Thomas Tig pela Girassol (2009)
>>> A Arte e a Ciência do Amor de Dr. Albert Ellis pela Record (1966)
>>> Acupuntura Coreana da Mão - Atlas de Bolso de Choo H. Kim pela Ícone (2019)
>>> Competência: Repertório de Jurisprudência e Doutrina de Arruda Alvim/ Teresa Arruda Alvim Pinto/ Ubiratan do Couto Mauricio pela Revista dos Tribunais/ SP. (1986)
>>> Manifesto Judeu Messiânico de David H. Stern pela Louva-a-Deus (2006)
>>> Responsabilidade Tributária dos Sócios no Mercosul de João Luis Nogueira Maria pela Mandamentos/ Belo Horizonte (2001)
>>> O conquistador de Almas de C. H. Spurgeon pela Pes (2014)
>>> Helena - Clássicos da literatura - Texto Integral de Machado de Assis pela Ciranda Cultural (2017)
>>> 100 Anos de Comunicação Espírita em São Paulo - 1881 a 1981 de Eduardo Carvalho Monteiro pela Madras (2003)
>>> Herança- Orientações Práticas de Celso Laet de Toledo Cesar (desembargador/ Tj/ Sp) pela Oliveira Mendes/ Del Rey (1997)
>>> Herança- Orientações Práticas de Celso Laet de Toledo Cesar (desembargador/ Tj/ Sp) pela Oliveira Mendes/ Del Rey (1997)
>>> Sermões de spurgeon sobre as grandes orações da biblia de Charles Haddon Spurgeon pela RBC Publicações (2018)
>>> The Virtues of Aristotle de D. S. Hutchinson pela Routledge (1986)
>>> Dia a dia com Tozer de A. W. Tozer pela Publicações pao diário (2017)
>>> Mundo Animal Caldas Fofinhas de Não Informado pela TodoLivro
>>> Mundo Animal Caldas Fofinhas de Não Informado pela TodoLivro
>>> Meu Livrinho de Pano Animais de Não Informado pela TodoLivro
>>> Canções Classicas Toque e Sinta Seu Lobato Tinha um Sítio de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Canções Classicas Toque e Sinta Seu Lobato Tinha um Sítio de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Canções Classicas Toque e Sinta Seu Lobato Tinha um Sítio de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Canções Classicas Toque e Sinta Seu Lobato Tinha um Sítio de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Os Três Porquinhos de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Os Três Porquinhos de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Pinóquio de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Pinóquio de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Chapeuzinho Vermelho de Não Informado pela TodoLivro
>>> Banho Divertido Chapeuzinho Vermelho de Não Informado pela TodoLivro
>>> Contos com Abas Chapeuzinho Vermelho de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Contos com Abas Chapeuzinho Vermelho de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Contos com Abas Três Porquinhos de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Contos com Abas Três Porquinhos de Ruth Marschalek pela TodoLivro
>>> Primeiras Palavras no Banho - Formas Primeiro Livro do Bebê de Não Informado pela TodoLivro
>>> Primeiras Palavras no Banho - Formas Primeiro Livro do Bebê de Não Informado pela TodoLivro
>>> Primeiras Palavras no Banho - Formas Primeiro Livro do Bebê de Não Informado pela TodoLivro
>>> Primeiras Palavras no Banho - Formas Primeiro Livro do Bebê de Não Informado pela TodoLivro
>>> Aprendendo a Desenhar de Não Informado pela TodoLivro
COLUNAS

Segunda-feira, 17/1/2011
Querem acabar com as livrarias
Noah Mera

+ de 6300 Acessos
+ 3 Comentário(s)

Que vivemos em um país que lê muito pouco é consenso, e a solução para este problema, todos sabemos, é educação. A melhor política possível de democratização da leitura é melhorar principalmente nosso ensino fundamental, capacitando professores e investindo em bibliotecas. Até agora não disse nada de mais, não é mesmo? Qualquer pessoa que tenha tido a sorte de ter acesso a um mínimo de escolaridade sabe que a solução passa por estes passos (simples de observar e apontar, mas um desafio enorme para executar em um país como o nosso...).

Qualquer pessoa também sabe da triste situação da escola pública brasileira. E muitos de nós fomos até mesmo traumatizados durante a idade escolar por professores e programas incapazes de despertar o verdadeiro gosto pela leitura nos alunos (claro que há o fator cultural, são poucos os leitores que conheço que não vêm de famílias onde pelo menos um parente próximo cultivasse o hábito).

Apesar do exposto, o mercado livreiro fervilha de alguns anos para cá (se não em vendas, pelo menos em lançamentos). Feiras, bienais, prêmios e festas literárias pululam aos quatro cantos do país, novas editoras e autores surgem todos os dias. Não fosse o conhecimento comum da situação sobre a qual discorri nos dois primeiros parágrafos, poderíamos supor que jorra dinheiro no mercado literário brasileiro. Triste ilusão.

Grande parte dos títulos são lançados por editoras pequenas, com tiragens muito reduzidas e grande risco de pouco retorno do investimento. Sem contar que vários desses livros contam com a participação do autor no financiamento das tiragens.

Mas existe um modelo de negócio sem risco (pelo menos para uma das pontas): é um expediente estranho usado por algumas gráficas que montam selos e fazem "chamadas de autor" para coletâneas cujas tiragens são pagas integralmente pelos próprios em troca de uma parcela dos livros.

Esses autores, de posse do seu tão sonhado livro, ficam responsáveis também pela distribuição e comercialização dos mesmos. Acontece que estes autores amadores vendem uma meia dúzia de livros aos familiares, outra meia dúzia aos parentes e acabam com o resto da tiragem mofando em algum canto da casa. Independente da qualidade do autor, é muito difícil vender mais que estas duas dúzias de produtos (sim, caro autor, quando você pensa em venda deve dessacralizar o livro, ele torna-se um produto e segue as leis de marketing como qualquer outro bem de consumo) em condições como estas. O que estas gráficas fazem é ludibriar os aspirantes a best-seller com o sonho de ter seu livro publicado, mas sem um trabalho sério de editoração, distribuição e divulgação, assim vendem seu produto e deixam o cliente com um belo pepino (encalhe) nas mãos. Quem sabe o básico de marketing já viu que dos 4Ps (produto, preço, praça e promoção) dois ficam por conta de quem geralmente não tem o conhecimento e/ou condições para a correta execução das variáveis.

Mas quem leva a culpa?
Não é difícil encontrar pelas comunidades virtuais dedicadas aos aspirantes a autores quem culpe as livrarias pelo caso, e parece que esta parcela da população encontrou seu representante na figura de Sua Excelência Deputado Bonifácio de Andrada, que encaminhou o Projeto de Lei 7913/2010 que obriga as livrarias a comercializarem qualquer livro que for oferecido a elas.

O PL ainda define que "Toda livraria será considerada núcleo cultural de importância social protegida pelo Poder Público" ― um status interessante, mas que vem desacompanhado de qualquer benefício prático. Mais à frente, ainda advoga que "As livrarias e os pontos de venda não podem ficar submetidos ao jogo econômico e as preferências pessoais de certas empresas distribuidoras, sobretudo quando estas discriminam organizações gráficas ou de edição com menor expressão econômica e financeira" e (o grifo é meu) "É preciso, portanto, dar à livraria e ao ponto de vendas do livro um caráter público e social, pois não são meras casas comerciais, ou centros de manobras mercantilistas em favor de grupos econômicos, mas locais de transmissão de circulação de ideias e produtos intelectuais de interesse da cultura nacional". Não ficou claro, no trecho que destaquei, se o deputado gostaria de estatizar as livrarias, porque, caso contrário, as livrarias são, sim, casas comerciais que vendem produtos culturais e estão sujeitas às leis de mercado (demanda, oferta e procura) como qualquer outra atividade econômica.

O que Sua Excelência não percebe é que o Projeto de Lei não beneficia em nada o mercado livreiro brasileiro, pelo contrário! Cria enormes problemas para as livrarias. Vamos a uma rápida explanação sobre eles:

Problema de gestão de estoques: A maioria absoluta das livrarias utiliza softwares comerciais adaptados ― conheço apenas um software voltado exclusivamente para livrarias que dispõe de ferramenta para administração de múltiplas consignações, mas é um programa caro, a maioria das empresas não teria como arcar com o custo de implantação e mensalidades. Essa, aliás, é uma necessidade do setor livreiro (e uma oportunidade para os programadores), já que uma eficiente administração de consignações de vários distribuidores beneficiaria ― e muito ― a operacionalização de qualquer livraria, mesmo no cenário atual.

Outro problema neste tópico é que é impossível prever qual será a quantidade de livros enviados a cada livraria, e isto pode gerar um problema grave com um ponto de venda abarrotado de material.

Problema dos preços: Os livros geralmente têm um preço de capa dado pela editora e a livraria ganha um percentual deste (geralmente na faixa de 30%), mas o PL não prevê regulamentação para estes descontos, o que pode estreitar as margens já baixas das livrarias. Um problema grave e que pode inviabilizar muitos estabelecimentos. Sem contar que as livrarias físicas já sofrem com a concorrência desleal das livrarias virtuais, que conseguem grandes descontos por volume com as editoras e regularmente lançam promoções contra as quais as livrarias menores não conseguem competir.

Problema da venda: Este afeta as duas pontas. A disponibilidade do livro na prateleira não garante a venda. A venda de um livro depende de inúmeros fatores, entre os quais destaco o interesse do cliente (grande parte dos clientes vai à livraria em busca de um livro específico), o interesse do vendedor (e aqui entra até mesmo o conhecimento do vendedor deste mundo que é a literatura) e a necessidade do cliente. Como vendedor/atendente, meu último interesse é vender best-seller ― esse vende por si, o cliente já vai procurando e, se for a necessidade dele, dificilmente vai levar outra coisa que não um best-seller. Agora, se for outro tipo de leitor, com uma necessidade específica, aí entra o talento e o conhecimento do vendedor em encontrar o livro que o atenda ― sendo de uma grande distribuidora/editora ou não!

Quando eu tinha livraria e algum autor regional com potencial de venda nos procurava, nós aceitávamos o livro prontamente (tínhamos uma solução trabalhosa, mas satisfatória para o problema da consignação), mas, quando o livro não tinha potencial, não dava para aceitar, encalhe na estante significa prejuízo.

Conclusão
O Projeto tramita em caráter conclusivo, o que significa que não será votado no plenário, apenas por comissões designadas para analisá-lo. Mas pode perder o status no caso de parecer divergente entre as comissões, ou no caso de recurso quando da aprovação ou não pelas comissões. Acho difícil que um projeto desse passe, mas é uma grande oportunidade para colocar estas questões do mercado livreiro em discussão aproveitando o interesse de Sua Excelência (neste artigo mesmo há um bom punhado de problemas que mereceriam alguma atenção).

Você pode acompanhar o andamento do processo através deste link: [PL-7913/2010]. O e-mail do Deputado autor do PL é dep.bonifaciodeandrada@camara.gov.br.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no blog O surrealista insone. Leia também "Considerações sobre a leitura".


Noah Mera
Pato Branco, 17/1/2011


Mais Noah Mera
Mais Acessadas de Noah Mera em 2011
01. As Midias Sociais e a Intimidade Inventada - 11/5/2011
02. Querem acabar com as livrarias - 17/1/2011
03. Informação, Redes Sociais e a Revolução - 9/3/2011
04. Anos 90, lado B - 15/6/2011
05. Walking Dead - O caminho dos mortos na cultura pop - 5/10/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
17/1/2011
09h44min
Noah, as editoras que publicam os livros com edições pagas não necessariamente iludem o autor, acenando com sucesso editorial. A outra face, que talvez você desconheça, é que as pessoas têm inúmeros motivos para publicar um livro - necessidade, no caso de um professor, por exemplo; sonho - e este é um fortíssimo e válido motivo; vontade de divulgar o que pensam; memórias que interessam a um grupo restrito... entre outros. Nada de promessas não cumpridas. A Ophicina de Arte & Prosa não faz promessas inalcançáveis, com certeza! Rachel Kopit Cunha - Fernando Poetta (Editores)
[Leia outros Comentários de Arte & Prosa]
26/1/2011
14h13min
Noah, eu concordo com seu ponto de vista. Acho que, de fato, muitas gráficas ludibriam, sim, os aspirantes a "best-seller" com o sonho de ter seu livro publicado, pois raríssimas têm um trabalho sério de editoração, distribuição e divulgação. Acredito também que muitos autores, como eu, recebam "chamadas" frequentes desses tipos de editoras para integrar nestes novos "projetos/selos", mas cabe a cada autor analisar com muitíssima cautela essas "chamadas"/propostas. Afinal, quais as chances de um autor desconhecido conseguir repassar seus livros para as livrarias? Bem, respondendo à minha própria pergunta, imagino que nenhuma, ou quase nenhuma. Por isso, eu preferi aguardar quase 7 anos para conseguir publicar meu primeiro livro ("Vítimas do Silêncio"), mas não me arrependi, não, pois, apesar de a editora que me contratou ainda pecar bastante na questão do marketing, o livro pode ser encontrado em várias livrarias em todo o país.
[Leia outros Comentários de Janethe Fontes]
26/1/2011
22h07min
Interessante este ponto tocado por você. De uma maneira geral, as pessoas não conseguem exergar um livro ou filme, por exemplo, como um produto. Não conseguem entender que existe uma cadeia de corporações e de pessoas que vivem disso e que precisam do dinheiro resultante dessas transações comerciais pra continuar produzindo. Mas tratar o problema como esse deputado propõe não é solução, não basta abraçar todos os livros/autores (é preciso, como em qualquer negócio, separar o joio do trigo) porque aí, sim, estaremos matando o que resta desse mercado.
[Leia outros Comentários de Guilherme Ferreira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




BRANCO COMO A NEVE
SALLA SIMUKKA
NOVO CONCEITO
(2017)
R$ 31,84



DIÁRIO DE UM ADOLESCENTE APAIXONADO
RAFAEL MOREIRA
NOVAS PAGINAS - NOVO CONCEITO
(2015)
R$ 31,84



TIRO DE MISERICÓRDIA
FLÁVIO RICARDO VASSOLER
NVERSOS
(2014)
R$ 32,00



NÓS , AS GAROTAS O MUNDO DAS MULHERES
NATHALIE ROQUES
SCIPIONE
(1994)
R$ 4,00



PROCESSO PENAL- PROCEDIMENTOS, NULIDADES E RECURSOS-SINOPSE JURÍDICAS
ALEXANDRE CEBRIAN- VICTOR EDUARDO RIOS
SARAIVA
(2005)
R$ 29,90
+ frete grátis



FADINHA ANINHA. MUSICA MÁGICA
MARGARET RYAN
FUNDAMENTO
(2008)
R$ 25,82



TÉCNICAS OPERANTES NA SALA DE AULA
LLOYD HOMME E OUTROS AUTORES
DE BRASÍLIA
(1971)
R$ 4,00



AÇÕES AFIRMATIVAS
GREGÓRIO DURLO GRISA
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 489,00



PIRANDELO Y SU TEATRO
JOSÉ MARÍA MONNER SANS
EDITORIAL LOSADA
(1947)
R$ 12,00



PRETO E BRANCO: A IMPORTANCIA DA COR DA PELE
FRENETTE
PUBLISHER BRASIL EDITORA
(2001)
R$ 23,14





busca | avançada
33901 visitas/dia
891 mil/mês