A pomba gíria | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Relacionamentos amorosos com homens em cárcere é tema do espetáculo teatral ‘Cartas da Prisão’, monó
>>> Curso da Unil examina aspectos da produção editorial
>>> “MEU QUINTAL É MAIOR DO QUE O MUNDO - ON LINE” TERÁ TEMPORADA ONLINE DE 10 A 25 DE ABRIL
>>> Sesc 24 de Maio apresenta Música Fora da Curva: bate-papos sobre música experimental
>>> Música instrumental e natureza selvagem conectadas em single de estreia de Doug Felício
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
>>> A situação atual da poesia e seu possível futuro
>>> Um antigo romance de inverno
>>> O acerto de contas de Karl Ove Knausgård
>>> Assim como o desejo se acende com uma qualquer mão
>>> Faça você mesmo: a história de um livro
>>> Da fatalidade do desejo
>>> Cuba e O Direito de Amar (3)
>>> Isto é para quando você vier
>>> 2021, o ano da inveja
Colunistas
Últimos Posts
>>> Hemingway by Ken Burns
>>> Cultura ou culturas brasileiras?
>>> DevOps e o método ágil, por Pedro Doria
>>> Spectreman
>>> Contardo Calligaris e Pedro Herz
>>> Keith Haring em São Paulo
>>> Kevin Rose by Jason Calacanis
>>> Queen na pandemia
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Elon Musk no Clubhouse
Últimos Posts
>>> Gota d'agua
>>> Forças idênticas para sentidos opostos
>>> Entristecer
>>> Na pele: relação Brasil e Portugal é tema de obra
>>> Single de Natasha Sahar retrata vida de jovem gay
>>> A melancolia dos dias (uma vida sem cinema)
>>> O zunido
>>> Exposição curiosa aborda sobrevivência na Amazônia
>>> Coral de Piracicaba apresenta produção virtual
>>> Autocombustão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Amamos, vivimos y entendemos
>>> Ser intelectual dói
>>> O grito eletrônico do Overmundo
>>> Picasso versus Duchamp e a crise da arte atual
>>> Usina
>>> Introducing Baden Powell and His Guitar
>>> Web 2.0 reloaded
>>> Lendas e mitos da internet no Brasil
>>> A loucura das causas
>>> Queen na pandemia
Mais Recentes
>>> O Ser Consciente: Série Psicológica Joanna de Ângelis de Divaldo Pereira Franco pela Leal (2014)
>>> Les Dieux Ont Soif de Anatole France pela Gallimard (1989)
>>> Destinado - As Memórias secretas do Sr. Clarke de Carina Rissi pela Verus (2016)
>>> Terapêutica de Emergência de Divaldo Pereira Franco pela Lea (2015)
>>> Encontrada - A Espera do Felizes para Sempre de Carina Rissi pela Verus (2014)
>>> História da Riqueza do Homem 14ºed. de Lao Huberman pela Zahar (1978)
>>> Perdida - Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo de Carina Rissi pela Baraúna (2011)
>>> Os Dez Mandamentos de Loron T. Wade pela Casa (2006)
>>> Novas Mensagens De Maria de Annie Kirkwood pela Nova ErA (1996)
>>> Expansao Da Mente de Tarthang Tulku pela Cultrix (1995)
>>> Espiritismo e Questão Social (Problemas da Atualidade I) de Prof. Rino Curti pela Feesp (1983)
>>> Persuasão - Edição Bilíngue - Português/Inglês de Jane Austen pela Landmark (2007)
>>> Os Anjos Respondem de Lynn Taylor pela Pensamento (1999)
>>> O Retorno À Origem de Lex Hixon pela Cultrix (1997)
>>> Emma - Edição Bilíngue - Português/ Inglês de Jane Austen pela Landmark (2012)
>>> O Vento Da Mudança de Julie Soskin pela Pensamento (2000)
>>> A Nave de Noé de Trigueirinho pela Pensamento (1999)
>>> Karma E Maturidade Um Guia Diferente para a Jornada de Eileen Connolly pela Cultrix (1999)
>>> Diálogos de Roman Jakobson e krystyna Pomorska pela Cultrix (1985)
>>> Receita da felicidades de Ken Keyes Jr. E Penny Keyes pela Pensamento (1995)
>>> História Caderno de Competências Conecte de M. Esther Nejm et al pela Saraiva (2014)
>>> A Viagem de Uma Alma de Peter Richelieu pela Pensamento (2006)
>>> Entre o Agora e o Sempre de J. A. Redmerski pela Suma de Letras (2014)
>>> Respostas da Vida de Francisco Cândido Xavier (Espírito André Luiz) pela Instituto André Luiz (1975)
>>> Entre o Agora e o Nunca de J. A. Redmerski pela Suma de Letras (2013)
COLUNAS

Sexta-feira, 1/5/2015
A pomba gíria
Ana Elisa Ribeiro

+ de 4800 Acessos

Eu não sei direito o que é uma gíria, morou? Mas eu sei usá-las, saca? E eu talvez tenha a manha de empregá-las do jeito certo, porque isso é uma arte. Não é assim de qualquer jeito, pá pum. É algo que exige uma ciência. E por que será que a gíria é tão desprezada? Disse o querido escritor Leo Cunha que a gíria virou a pomba gíria.

Dia desses, contei, em um texto, que fui a uma reunião de escola em que uma mãe zelosa pediu a palavra para banir a gíria. É arriscado, mas muita gente acha que está fazendo a melhor coisa do mundo, especialmente na criação dos filhos. Até aí, tudo bem. É até bom ter fé nisso, cara, para criar uma segurança necessária ao andamento da vida. Mas ó: querer que todos e a escola façam o mesmo já fica pesado, não?

A dita mãe - falante de um português castiço e mal lavado - tinha a seguinte teoria sobre a linguagem: a gíria atrapalha a criança no desenvolvimento dos textos, ao longo da vida. É bem parecida com uma teoria, aliás, sobre o uso desbragado do internetês pelos jovens antenados e conectados. Todas teorias furadas.

Mas, vez ou outra, gosto de ouvir as teorias sobre tudo das pessoas. Acho divertido. E tenho cá as minhas, não menos amalucadas. Mas de linguagens e textos eu entendo. Digo isso porque há quem diga que entende de cálculo, de estômago, de dente e de tantas outras coisas. Por que não posso dizer que tenho minhas sapiências? É proibido? Logo eu cá, que me formei nesse negócio?

Bom, a mãe queria banir a gíria. Fiquei com pena. Das duas. Já pensou? Controlar uma criança que interage no mundo, dessa maneira? Sei não.

Acho mais interessante quando a criança (ou quem for) tem opção e entende que as tem; isto é, quando a pessoa tem uma coleção de possibilidades expressivas e sabe usá-las. A gíria, certamente, faz parte disso.

Conheço um garoto de 10 anos que andou dando demonstração dessa sabideza. Certa vez, diante do Facebook, ele mostrava um vídeo divertido à mãe. Ela, que também está nas redes sociais, pediu que o guri a marcasse na publicação. O garoto, do alto de sua sapiência linguajeira, escreveu assim: "mãe, pra vc", ali no campo dos comentários. E marcou a mãe, que espiava a operação por trás dos ombros do garoto. Antes que ela dissesse qualquer coisa a respeito do "vc", e ele intuía que ela diria, o carinha já se adiantou: "ó, mãe, eu sei que aqui no Facebook isso pode". O que está absolutamente certo, minha gente!

É disso que estou falando. É de jogo de cintura, coisa que é muito necessário se ter na linguagem (como na vida). Estou falando de quando a gente escolhe um jeito de dizer, de quando alguém diz "não dê a notícia assim, é muito impactante", e você formula de outro jeito: faleceu, morreu, bateu as botas, passou desta pra melhor, foi comer capim pela raiz e assim vai. Estou falando de quando as pessoas mudam seu linguajar conforme o grupo de que participam ou conforme a cena em que se encontram: na reunião, na entrevista de emprego, no boteco ou em família. É isso. É esse jogo, tão importante, que faz a linguagem ser a roupa que a gente usa, conforme a ocasião.

Tem tanto livro que trata bonitamente disso! Tem tanto professor que sabe das coisas. Tem tanta gíria linda. E todo mundo intui que a gíria entra e sai da moda. Fazia um tempo, por exemplo, que eu não ouvia o "bacana". E agora ela anda aí com toda a vivacidade. Daqui a pouco, pede um descanso de novo. E aquele "morou", lá no início do texto? Essa é velha, teve sua época, e nem era a minha. É empregada em uma propaganda de ótica, aqui pros lados de Minas Gerais. E só. E o "véi", da moçada? E o "broto", que ninguém usa? E chamar o Fábio Júnior de "pão"? Poxa, qual é o problema, galera? Eu não estou dizendo que a gente precisa usar gíria sem parar; mas que a gíria é um recurso pra ser usado na hora certa.

O que atrapalha as pessoas é elas não saberem que dispõem da linguagem para todos os seus afazeres, em todas as cores. Ficam limitadas, sem opção. E aí, sim, seus textos estarão prejudicados - ou zoados - para sempre, tá ligado?



Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 1/5/2015


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2015
01. Para que serve a poesia? - 26/6/2015
02. A pomba gíria - 1/5/2015
03. Como ser um Medina - 16/1/2015
04. Momento ideal & conciliação - 25/9/2015
05. Leitura, curadoria e imbecilização - 11/9/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




O Beijo do Otário
Alan Parker
Planeta
(2004)



O novo testamento ilustrado
Liga Bíblica
A palavra de Deus
(1990)



Viva Como Você Quer Viver
Eduardo Shinyashiki
Gente
(2004)



A Carta de Pero Vaz de Caminha
Poliana Asturiano e Rodval Matias
Ftd
(1999)



A Vida Acidentada de um Vampirinho
Carlos Queiroz Telles e Eneas Carlos Pereira
Ftd
(1997)



Nicolai Gogol - Uma biografia
Vladimir Nabokov
Ars Poética
(1994)



O Vendedor de Queijos e Outras Crônicas
Alexandre Azevedo
Atual
(2016)



A Bruxa de Portobello
Paulo Coelho
Gold
(2007)



Linda Historia De Linda Em Olinda, A
Adrienne Myrtes E Marcelino Duarte
Escala Educacional
(2007)



Administrando a Micro Informatica na Empresa
Naomi Karten
Campus
(1992)





busca | avançada
84710 visitas/dia
2,6 milhões/mês