Maurice | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Trajetória para um novo cinema queer em debate no Diálogos da WEB-FAAP
>>> ÚLTIMAS APRESENTAÇÕES ONLINE DO ESPETÁCULO O DESMONTE
>>> Rodolpho Parigi participa de live da FAAP
>>> Para fugir de ex-companheiro brasileira dá volta ao mundo com pouco dinheiro
>>> Zé Guilherme encerra série EntreMeios com participação da cantora Vania Abreu
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Entrevista: o músico-compositor Livio Tragtenberg
>>> Cabelo, cabeleira
>>> A redoma de vidro de Sylvia Plath
>>> Mas se não é um coração vivo essa linha
>>> Zuza Homem de Mello (1933-2020)
>>> Eddie Van Halen (1955-2020)
>>> Prêmio Nobel de Literatura para um brasileiro - II
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Partilha do Enigma: poesia de Rodrigo Garcia Lopes
>>> Meu malvado favorito
Colunistas
Últimos Posts
>>> Zuza Homem de Mello no Supertônica
>>> Para Ouvir Sylvia Telles
>>> Van Halen ao vivo em 1991
>>> Metallica tocando Van Halen
>>> Van Halen ao vivo em 2015
>>> Van Halen ao vivo em 1984
>>> Chico Buarque em bate-papo com o MPB4
>>> Como elas publicavam?
>>> Van Halen no Rock 'n' Roll Hall of Fame
>>> A última performance gravada de Jimmi Hendrix
Últimos Posts
>>> Normal!
>>> Os bons companheiros, 30 anos
>>> Briga de foice no escuro
>>> Alma nua
>>> Perplexo!
>>> Orgulho da minha terra
>>> Assim ainda caminha a humanidade
>>> Três tempos
>>> Matéria subtil
>>> Poder & Tensão
Blogueiros
Mais Recentes
>>> A PROPÓSITO DE UM POEMA
>>> Como E Por Que Ler O Romance Brasileiro
>>> Jornalista, um bicho de 7 cabeças e 10 chifres
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> O amigo do escritor
>>> O primeiro Show do Milhão a gente nunca esquece
>>> SemiÓtica
>>> Vandalizar e destituir uma imagem de estátua
>>> Cinema e os Direitos Humanos
>>> Elogio Discreto: Lorena Calábria e Roland Barthes
Mais Recentes
>>> Seleta de Versos e Contos vol. 10 de Varios pela Durantis (1998)
>>> Marília de Dirceu de Tomás Antônio Gonzaga pela Publifolha (1997)
>>> O Jogo dos Convexos de Nanette Carvalho Moreira pela Alcance (1993)
>>> Em Busca de Cézanne de Peter Mayle pela Rocco (2000)
>>> Capitães da Areia - Companhia de Bolso - 2012 de Jorge Amado pela Companhia de Bolso (2012)
>>> Confusão Cotidiana de Ana Beise pela Gente de Palavra (2014)
>>> Para Além do Bem e do Mal - 2011 - Obra Prima de Cada Autor de Friedrich Nietzsche pela Martin Claret (2011)
>>> Rezando com os Anjos de Antônio Lúcio da Silva Lima (org.) pela Paulus (1994)
>>> Como ajudar seu filho na Escola de Vera Lúcia Casari Parreira e Edna Maria Marturano pela Ave-Maria (1999)
>>> A Criança de 2 a 6 anos - Vida Afetiva e Problemas Familiares de Myriam David Dra. pela Paulinas (1987)
>>> Trevas e Luz - Uma coletânea de contos, crônicas e reflexões de José Carlos dos Santos (autografado) pela Do autor (2002)
>>> O Príncipe Playboy - O Reino de Cordina de Nora Roberts pela Harlequin (2013)
>>> Marília de Dirceu de Tomás Antônio Gonzaga pela Leitura XXI (2002)
>>> Enquanto Minha Querida Dorme - Best Bolso de Mary Higgins Clark pela BestBolso (2009)
>>> Idrologia e Crenoterapia (Le acque Minerali D' Italia) - 1924 de Dott. Prof. P. Piccinini pela Ulrico Hoepli (1924)
>>> Cânticos - 1996 de Cecília Meireles pela Moderna (1996)
>>> Homem Cobra - Mulher Polvo de Içami Tiba pela Gente (2004)
>>> Um Homem de Sorte - 2012 de Nicholas Sparks pela Novo Conceito (2012)
>>> Lembranças da Espanha/Recuerdos de España de César Pereira sel. pela Orvalhon Andaluz (1996)
>>> O Homem que Calculava - 2010 de Malba Tahan pela Record (2010)
>>> Le Cahier de Turin de Lionel Duroy pela Julliard (2003)
>>> Lolita - 1998 de Vladimir Nabokov pela Companhia das Letras (1998)
>>> Amar, Verbo Intransitivo Idílio de Mário de Andrade pela Villa Rica
>>> Fahrenheit 451 - 2018 de Ray Bradbury pela Globo (2018)
>>> A Arte da Cura Espiritual - 1991 de Keith Sherwood pela Siciliano (1991)
>>> O Encontro Inesperado ditado pelo Espírito Lucius de Zibia Gasparetto pela Vida & Consciência (2014)
>>> Melhor que Comprar Sapatos - 2015 de Cristiane Cardoso pela Unipro (2015)
>>> Quem me roubou de mim? de Fábio de Melo pela Canção Nova (2009)
>>> Quebra-Cocos de Lindolfo Lino pela João Scortecci (1997)
>>> As Cidades Invisíveis - Coleção Biblioteca Folha de Italo Calvino pela Globo/Folha de S.Paulo (2003)
>>> O Uraguai de Basílio Gama pela Leitura XXI (2009)
>>> Dexter Design de Um Assassino de Jeff Lindsay pela Planeta (2011)
>>> Dexter no Escuro de Jeff Lindsay pela Planeta (2010)
>>> Querido e Devotado Dexter de Jeff Lindsay pela Planeta (2009)
>>> O Guardião de Memórias de Kim Edwards pela Sextante (2007)
>>> Querida Filha de Elizabeth Little pela Rocco (2017)
>>> Cinquenta Tons Mais Escuros de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Cinquenta Tons de Cinza de E. L. James pela Intrísica (2012)
>>> Viver é coisa Perigosa - Orientações para soluções de conflitos de Guilherme Schelb pela Do autor (2008)
>>> Contos (Literatura Francesa) de Voltaire pela Nova Cultural (2003)
>>> Mulherzinhas (Literatura Norteamericana) de Louisa May Alcott pela Nova Cultural (2003)
>>> O morro dos ventos uivantes (Literatura Inglesa/Britânica) de Emily Brontë pela Nova Cultural (2003)
>>> Naná (Literatura Francesa) de Emile Zola pela Nova Cultural (2003)
>>> Babbitt (Literatura norteamericana) de Siclair Lewis pela Nova Cultural (2003)
>>> Ivanhoé (Literatura Escocesa/Britânica) de Walter Scott pela Nova Cultural (2003)
>>> A mulher de Trinta Anos (Literatura Francesa) de Honorè de Balzac pela Nova Cultural (2003)
>>> Razão e Sensibilidade (Literatura Inglesa) de Jane Austen pela Nova Cultural (2003)
>>> Tom Jones (Literatura Inglesa) de Henry Fielding pela Nova Cultural (2003)
>>> Ninguém escreve ao coronel de Gabriel Garcia Marques pela Record (2014)
>>> Tragédias - Romeu e Julieta/Macbeth/Otelo, o mouro de Veneza de William Shakespeare pela Nova Cultural (2003)
COLUNAS

Quarta-feira, 8/6/2011
Maurice
Guilherme Pontes Coelho

+ de 3800 Acessos
+ 1 Comentário(s)


O primeiro beijo gay da tevê brasileira. Isto foi uma notícia que li em algum portal noticioso. O beijo seria encenado pelas atrizes Gisele Tigre e Luciana Vendramini para alguma novela do SBT. Eu, que só ligo a tevê para ver filmes infantis e esportes de combate, achei a notícia toda curiosa. Não sabia que o SBT produzia novelas. Nem que Vendramini e Tigre (minha conterrânea) estivessem na ativa. Nem que este seria "o primeiro beijo gay da tevê brasileira".

Lembro que houve uma novela global, dessas ambientadas na imensidão territorial do Leblon, que dispunha de um casal gay no elenco. Gay lésbico, é claro. Eram as atrizes Paula Picarelli e Alinne Moraes. Pois as personagens delas não se beijaram naquela novela? Pelo visto, não. Ainda haverá um beijo gay em rede nacional. O mais curioso é que este futuro beijo gay feminino é a notícia. Uma coisa que eu supunha ser, digamos, normal (não diria corriqueira) no mundo mainstream.

Não bastasse o ineditismo, o beijo será dramatizado por duas atrizes belíssimas, que habitam as fantasias de muitos homens (e lésbicas, suponho) Brasil afora. Ou seja, um beijo gay entre personagens que se assemelhassem às atrizes Márcia Cabrita e Claudia Ximenes está fora de questão; entre personagens masculinos, nunca. (Recentemente, em dezembro de 2010, um beijo entre os personagens dos atores Hugo Leão e Fabio Enriquez, para série global Clandestinos, foi cortado na edição final.) Picarelli, Moraes, Vendramini, Tigre - só esse tipo de mulheres tem representado o namoro gay na tevê aberta porque seria mais aceitável, já que são símbolos sexuais do universo heterossexual? Nós homens gostamos muito de ver duas mulheres em ação.

Eu, muito ignorante no meu mundo recluso dos livros e da tevê a cabo, não sabia que o mainstream ainda se digladiava com questões tão medievas como uma bitoquinha lésbica. O que isso tem de mais, hein?

Infelizmente, isso tem sido demais. O discurso bolsonarizante é real, não se limita a um ou outro retrógrado idiota. Para muitos, gays são mais alienígenas que marcianos, mais criminosos que assassinos.

A notícia do beijo gay, somada às vociferações do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) e seus apoiadores, me fez pensar em Maurice, livro de E.M.Forster.

Maurice (Globo, 2006, 258 págs., tradução de Marcelo Pen) é a história de um homem insípido, anódino, mediano. Maurice Christopher Hall foi criado com um razoável conforto material. A família tinha com o que viver, um patrimônio satisfatório passado por duas, no máximo três, gerações. Além disso, seu pai, quando morrera, deixara um algo a mais para ser somado à modesta riqueza dos Hall, administrada pela mãe, enquanto Maurice não se tornasse o adulto senhor Hall, como o pai. Maurice tinha duas irmãs, com as quais não se dava bem. Quer dizer, se não era apaixonado por elas, também não nutria nada negativo em demasia nem por uma nem por outra. Era uma relação assim, mais ou menos, bem mesquinha, e recíproca.

Ele frequentou escolas assim, nem insignificantes, nem insignes. Ele mesmo era bom aluno, o suficiente para não ser notado. Não demandava a atenção dos professores por ser péssimo, nem ganhava deles os aplausos por ser extraordinário, tanto em notas quanto em comportamento. Ele era notado pelos colegas como aquele a quem eles conhecem e de quem sabem o nome, nome que nunca se lembram de imediato. Quanto à aparência, Maurice não era nenhum Adônis, tampouco um Quasímodo.

Ele praticava alguns esportes, menos por paixão do que por ser um homem fisicamente ativo (sim, ele era bem disposto, muito trabalhador). Os livros que leu faziam parte dos currículos da escola e da faculdade. Apenas um livro havia mexido com ele. Sobre música, ele beirava a indiferença. De uma sinfonia de Tchaikovsky, a única visita dele ao teatro, ele "gostou dos rompantes, dos golpes e dos trechos suaves - [porque,] para ele, a música era apenas isso". Arrumou um emprego numa empresa de investimentos financeiros, que era de um amigo do seu pai. Tornou-se sócio da empresa e tudo, assim, sem muito esforço, por causa da amizade do empregador com o Hall morto.

Maurice era um alguém trivial. Exceto por uma coisa. Ele era gay.

Ele sempre foi gay. Desde menino. O romance é isso: a história de um homem comum, tendo de lidar, na Inglaterra do início do século XX, com o pecado e o crime de fazer parte dos "incomunicáveis". Forster, ele mesmo gay e totalmente diferente de Maurice, foi genial ao narrar o sofrimento de um homem ordinário, proibido de ser ele mesmo, temendo ser condenado pelo Estado à cadeia (o romance se passa em 1912 e, àquela época, na Inglaterra, homossexualismo era crime). Maurice, que não dava valor à religião, tenta até hipnose para se "curar".

O livro acaba bem. Maurice acha o amor num homem de outra classe social. Ele se apaixona, e é correspondido, por um criado. Isso mostra outra coisa. Além do casal ser gay, cada um vem de uma classe diferente, outro tabu intransponível na Inglaterra de então. (Quando Maurice revela a um amigo nobre, um ex-namorado que se heterossexualizou, que está envolvido com uma pessoa, não passa pela cabeça do amigo nem que seja homem nem, muito menos, que seja da criadagem.)

Confesso que foi inevitável o pensamento, ao final da leitura, de que era apenas uma história de amor de uma bichinha sem graça. Mas em algum lugar os gays precisam ter um final feliz. Por enquanto, ao que parece, só na ficção. Forster escreveu Maurice entre 1913 e 1914 e não o publicou em vida, porque o romance jamais seria aceito. Seria criminoso. Mesmo. E cem anos depois do livro ter sido escrito, quarenta anos depois de ter sido publicado, os gays continuam sem ter direito a um final feliz.

Para ir além






Guilherme Pontes Coelho
Águas Claras/Brasília, 8/6/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Treliças bem trançadas de Ana Elisa Ribeiro
02. No palco da vida, o feitiço do escritor de Cassionei Niches Petry
03. Os Doze Trabalhos de Mónika. 12. Rumo ao Planalto de Heloisa Pait
04. Fake news, passado e futuro de Luís Fernando Amâncio
05. Meu querido aeroporto #sqn de Ana Elisa Ribeiro


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2011
01. A sordidez de Alessandro Garcia - 9/2/2011
02. Churchill, de Paul Johnson - 2/2/2011
03. Pequenos combustíveis para leitores e escritores. - 7/9/2011
04. Cisne Negro - 16/2/2011
05. Derrotado - 2/3/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
18/6/2011
17h02min
O curioso é que isso tudo acontece num país que tem a maior Parada Gay do mundo (São Paulo, com mais de 2 milhões de participantes), realizada com todo apoio governamental, além de existirem outras Paradas Gays nas maiores cidades do país. Essas manifestações são realizadas sem conflito com a sociedade, demonstrando que esta está madura para a questão. Que mal faria um beijo homossexual? Bolsonaro é representante de uma parcela da sociedade e não deve ser calado, mas apenas dimensionado como representante de uma pequena minoria.
[Leia outros Comentários de José Frid]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




MISS DANÚBIO
MARÇAL AQUINO
SCRITTA
(1994)
R$ 12,66



O DESENTULHO DE GÓRI
NEY EICHLER CARDOSO
AUTOR
(2003)
R$ 26,00



JE SAIS TOUT OU PRESQUE - 2658
ELISABETH IVANOVSKY
GAUTIER-LANGUEREAU
(1985)
R$ 15,00



MANUAL DE ESCRITOS
YOLANDA JORDÃO
THESAURUS (BRASÍLIA)
(1979)
R$ 31,00



THE HOUSE BY THE SEA
PATRICIA ASPINALL
CAMBRIDGE
(1999)
R$ 7,00



ASSASSINATO DE REPUTAÇÕES UM CRIME DE ESTADO
ROMEU TUMA JUNIOR
TOPBOOKS
(2013)
R$ 75,00
+ frete grátis



O AMOR, A FÉ E A ESPERANÇA - 200 CHAVES DE SABEDORIA
J. CHINELATO
K&R
(2010)
R$ 22,00



LOLITA
VLADIMIR NABOKOV
O GLOBO
(2003)
R$ 20,00



INICIAÇÃO A ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO
IDALBERTO CHIAVENATO
MAKRON BOOKS
(1991)
R$ 19,90



JK O OTIMISMO EM PESSOA
JOSÉ LOUZEIRO
EDIOURO
(1999)
R$ 5,00





busca | avançada
65675 visitas/dia
2,1 milhões/mês