Cisne Negro | Guilherme Pontes Coelho | Digestivo Cultural

busca | avançada
38827 visitas/dia
1,0 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
>>> Leminski, estações da poesia, por R. G. Lopes
>>> Crônica em sustenido
>>> Do inferno ao céu
>>> Meninos, eu vi o Bolsonaro aterrando
>>> Manual para revisores novatos
>>> A Copa, o Mundo, é das mulheres
>>> O espelho quebrado da aurora, poemas de Tito Leite
Colunistas
Últimos Posts
>>> 100 nomes da edição no Brasil
>>> Eu ganhei tanta coisa perdendo
>>> Toda forma de amor
>>> Harvard: o que não se aprende
>>> Pedro Cardoso em #Provocações
>>> Homenagem a Paulo Francis
>>> Arte, cultura e democracia
>>> Mirage, um livro gratuito
>>> Lançamento de livro
>>> Jornada Escrita por Mulheres
Últimos Posts
>>> João Gilberto: o mito
>>> Alma em flor
>>> A mão & a luva
>>> Pesos & Contra-pesos
>>> Grito primal II
>>> Calcanhar de Aquiles
>>> O encanto literário da poesia
>>> Expressão básica II
>>> Expressão básica
>>> Minha terra, a natureza viva.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Arte, cultura e democracia
>>> O Presépio e o Artesanato Figureiro de Taubaté
>>> O Vendedor de Passados
>>> A difícil arte de saber mais um pouco
>>> Modernismo e Modernidade
>>> Casimiro de Brito
>>> Contra um Mundo Melhor, de Luiz Felipe Pondé
>>> Só uma descrição
>>> 7 de Agosto #digestivo10anos
>>> Parangolé: anti-obra de Hélio Oiticica
Mais Recentes
>>> Almanaque Wicca 2006 de N/a pela Pensamento (2019)
>>> Data Science do Zero - primeiras regras com python de Joel Grus pela Alta Books (2016)
>>> Python para Análise de Dados - tratamento de dados com pandas, numpy e ipython de Wes McKinney pela O'Reilly (2018)
>>> A História de The Zondervan Corporation pela Sextante (2012)
>>> Em Guarda de William Lane Craig pela Companhia das Letras (2011)
>>> A vida e as opiniões do cavalheiro Tristram Shandy de Lawrence Sterne pela Companhia das Letras (1998)
>>> The Book of Genesis de Robert Crumb pela W. W. Norton & Company (2009)
>>> Armada de Ernest Cline pela Leya (2015)
>>> Jogador Número 1 de Ernest Cline pela Leya (2015)
>>> Senhorita Christina de Mircea Eliade pela Alaúde (2011)
>>> Introdução à Teoria Geral da Administração - Edição Compacta de Idalberto Chiavenato pela Campus (1999)
>>> Drácula de Bram Stoker; Becky Cloonan pela HarperCollins (2012)
>>> La Misere du Monde de Bourdieu, Pierre pela Seuil (1993)
>>> O Poder Americano e os Novos Mandarins de Noam Chomsky pela Record (2006)
>>> O Banqueiro do Mundo - Lições de Liderança do Diplomata das Finanças Globais de William R. Rhodes pela GloboLivros (2012)
>>> O Sinal - O Santo Sudário e o Segredo da Ressurreição de Thomas de Wesselow pela Paralela (2012)
>>> Conectado - O Que a Internet fez com Você e o Que Você Pode Fazer Com Ela de Juliano Spyer pela Zahar (2007)
>>> Economia nua e crua - O Que é, Para que Serve, Como Funciona de Charles Wheelan pela Zahar (2014)
>>> A Era do Inconcebível - a Desordem do Mundo Não Deixa de nos Surpreender de Joshua Cooper Ramo pela Companhia Das Letras (2010)
>>> A sacada - Como empreendedores Inteligentes Superam Desafios de Norm Brodsky e Bo Burlingham pela Best Business (2009)
>>> Blowback - Os custos e as consequências do império americano de Chalmers Johnson pela Record (2007)
>>> Um breve história do século xx de Geoffrey Blainey pela Fundamento (2008)
>>> A Virada - O CEO que Ergueu os Negócios na AT&T e GM de Ed Whitacre e Leslie Cauley pela Elsevier (2013)
>>> A Doutrina dos 20% de Ryan Tate pela Elsevier (2012)
>>> Descubra o Seu Economista Interior de Tyler Cowen pela Record (2009)
>>> A Crise e Seus Efeitos - As Culturas Econômicas da Mudança de Manuel Castells, Gustavo Cardoso, João Caraça pela Paz e Terra (2013)
>>> Surtando em Wall Street - Memórias de um operador do Lehman Brothers de Jared Dillian pela Zahar (2014)
>>> Java Como Programar 6º Edição de Paul Deitel e Harvey Deitel pela Pearson Prentice Hall (2007)
>>> Gestão de Riscos nos Modelos de Negócios de Karan Girotra e Seguei Netessine pela Elsevier (2014)
>>> Código de Processo Civil Anotado... Atual. Até a Lei N. 10. 444, De... de Sálvio de Figueiredo Teixeira/Min. STJ/STE/ Autografado pela Saraiva (2003)
>>> Para Viver em Paz. O Milagre da Mente Alerta de Thich Nhat Hanh pela Vozes (1985)
>>> Uma Paixão no Deserto de Honoré de Balzac pela Paulinas (1988)
>>> Direito Penal - Volume 1/ Encadernado de Giuseppe Bettiol pela Revista dos Tribunais (1966)
>>> Bicho-do-mato de Martha Azevedo Pannunzio pela José Olimpio (1985)
>>> O jogo do bicho como jogar e ganhar de Gehisa Saldanha pela Ediouro (1986)
>>> Contos da Carochinha (Biblioteca Infantil- 11 Volumes Encadernados) de Figueiredo Pimental (e Colaboradores) pela Livr. Quaresma/ RJ. (1956)
>>> 30 anos à frente do Museu Lasar Segall de Mauricio Segall pela Museu Lasar Segall (2001)
>>> Da Prescrição Penal de Antonio Rodríguez Porto pela José Bushatsjy (1977)
>>> Cuerpo Del Derecho Civil de Bartolomé Rodriguez de Fonseca pela Tip.de Narciso Ramirez Y.C (1874)
>>> Freakonomics. O Lado Oculto E Inesperado De Tudo Que Nos Afeta de Steven D. Levitt e Stephen J. Dubner pela Campus (2007)
>>> A Semântica de Pierre Giraud pela Difel (1975)
>>> As 48 Leis do Poder de Robert Greene pela Rocco (2000)
>>> Convenções da Oit de Sérgio Pinto Martins pela Atlas (2009)
>>> Manual de Português- 3ª e 4ª Séries (ginasiais) de Celso Cunha pela Livr. São José/ RJ. (1964)
>>> As Nulidades no Direito do Trabalho de Ari Pedro Lorenzetti pela Ltr (2008)
>>> O Sucesso Segundo DEUS de Antônio Carlos Costa pela Pórtico (2016)
>>> O Que É Correto: A Verdade na Analise... (Num. Autenticado) de Dr. Candido Lago pela Typographia Am. / RJ. (1932)
>>> Projetos Culturais - técnicas de modelagem de Hermano Roberto Thiry-Cherques pela FGV (2008)
>>> Dama de Copas de Cecília Costa pela Record/ RJ. (2003)
>>> Guinada de Cecília Vasconcellos pela Record/ RJ. (2001)
COLUNAS

Quarta-feira, 16/2/2011
Cisne Negro
Guilherme Pontes Coelho

+ de 4600 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Nina Sayers acorda. As testemunhas habituais de seu despertar diário são bichos de pelúcia, uma extensa e variada coleção muito bem incorporada ao branco da mobília e aos vários tons de rosa do papel de parede, que forra todo o cômodo, exibindo inofensivas borboletas. Jogo de cama, tapete e bibelôs ― todo o quarto lembra o de uma menina que ainda não chegou à adolescência. Bem, a depender da mãe, Erica, Nina ainda é uma criancinha, que precisa ser protegida do mundo. Proteção que Erica, implacável, exerce de forma opressora. E Nina, sem alternativas, tenta ao máximo corresponder às exigências da mãe por comportamento exemplar, irrepreensível, excelente. Como escape, Nina sofre, já há algum tempo, de um prurido crônico, que a faz sangrar a pele a unhadas.

Sobre o criado-mudo, Nina tem uma tradicional, e algo vintage, caixinha de música, que faz uma minibailarina rodopiar à melodia d'O Lago dos Cisnes, de Tchaikovsky. (Sua mãe gosta de dar corda à musiquinha da caixa quando põe Nina para dormir.) O famoso balé dramático russo tem semelhanças com o sonho do qual Nina acordou naquela manhã para mais um dia de ensaios exaustivos na companhia para a qual dança. Ela é bailarina, sempre foi. Sua mãe, que abandonara uma carreira infrutífera como bailarina aos 28 anos para parir sua única filha, a levava ainda criancinha às aulas, mesmo a contragosto da menina. Mas a rejeição inicial da pequena se tornou uma entrega absoluta ao balé, arte que vive uma decadência menos lenta do que parece. Nina dedica sua vida ao balé, dedica horas, dias, noites e sonhos ― não só os que sonha acordada.

"I had the craziest dream last night", ela disse, ainda entre lençóis e travesseiros, pela voz meiga da atriz que a interpreta, Natalie Portman (impecável). Ela sonhou um pas de deux com uma negra figura emplumada e ameaçadora, que violentamente conduzia a ela, tão frágil e elegante, não de todo consciente de quem a guiava na dança.

A coreografia, que tem dois minutos, começa com a bailarina, sozinha, no proscênio, à meia-luz, estática na quinta posição. Um único holofote sobre ela. Um pas de basque a põe em movimento e por quase quarenta segundos ela desfila graciosidade nas pontas dos dedos até se sentar no chão, com momices de moça bem comportada, pressentindo (como se estivesse à espera) a presença de algo que não conhece, sugerido pela mudança de tom na trilha sonora, que acende o clima de suspense, num ótimo trabalho do compositor Clint Mansell, inspirado na partitura original de Tchaikovsky.

Até este ponto, o olhar da câmera é estável, limpo e harmônico. Mas quando a presença que a bailarina sente é introduzida na cena, a limpidez da fotografia sofre ruídos. O andar do bailarino sombrio, que sai da escuridão e se aproxima às costas de Nina, é acompanhado passo a passo pelas lentes do diretor de fotografia, Matthew Libatique, em câmera solta e, antes que o bailarino apareça na tela e incendeie a curiosidade da garota, é pela subjetividade dele que vemos sua presa.

Ela se levanta. Ele se aproxima, firme, e a observa, sempre às suas costas. Ela o procura, ele a persegue. Ela se afasta (as lentes a perdem). Ele, ao som da trilha retumbante e apoteótica, se transforma, se cobre de penas e ganha um par de chifres. A bailarina é conduzida pelo demônio impetuoso e colérico. Ela tenta escapar, ele a reconquista. Ela estende os braços em direção à luz, ele a retoma ― para depois deixá-la ir, e ela chora. Recobra a consciência e voa, elegante, recomposta, para o longe. Acaba o sonho.

O despertar de Nina foi seguido por um café da manhã entre ela e Erica, atuação soberba de Barbara Hershey, a mãe cujo hobby é pintar, exaustivamente, retratos da filha. Há um ateliê no claustrofóbico e escuro apartamento onde vivem só para estas pinturas. Então ela faz uma pequena viagem de metrô à companhia de dança, e é neste ponto que o diretor Darren Aronofsky faz, para os olhos de Nina, a primeira e discreta aparição do Doppelgänger, que tende a crescer durante a narrativa.

A estrela da companhia de dança, Beth Macintyre, vivida por uma convincente Winona Ryder, está se aposentando, a contragosto. Uma bailarina brilhante, autodestrutiva, impulsiva, "às vezes perfeita", para quem a idade havia chegado há tempos. O diretor da companhia, Thomas Leroy (Vincent Cassel, ótimo), precisará de uma nova solista para uma adaptação do, como ele mesmo diz, "superbatido" O Lago dos Cisnes.

O famoso balé foi criado a partir de um misto de fontes germânicas e eslavas. Há um príncipe, uma princesa, uma maldição. O libreto de Tchaikovsky conta a história de Odette, uma princesa amaldiçoada pelo bruxo Von Rothbart. Durante o dia ela é um cisne branco, mas ao anoitecer sofre uma metamorfose e volta à forma humana. Só o amor verdadeiro a libertará desta maldição. O príncipe, que está à procura de uma noiva, se apaixona por Odette; mas Von Rothbart, ardiloso, apresenta a ele sua sensual filha, Odile, que é idêntica à princesa maldita. O príncipe se casa com Odile pensando ser Odette, ele acredita que seu amor quebrou o feitiço.


Natalie Portman, como Nina, em Cisne Negro

O desfecho da história varia de acordo com a montagem, mas, geralmente, acaba em morte.

O problema que a companhia enfrenta quando Thomas escolhe Nina como solista é que ela faz o cisne branco à perfeição. É técnica, controlada, elegante. Pela tradição, a mesma bailarina deve fazer Odette e Odile (o cisne negro), e Nina parece ser incapaz de incorporar a antípoda ao cisne branco. Ela desconhece o impulsivo, o livre, o espontâneo. O sensual. Entra em cena a catalisadora Lily, também uma ótima atuação de Mila Kunis. Ao contrário de Nina, nova-iorquina e assexuada, Lily vem da solar São Francisco, dança de cabelos soltos e sorri quando erra a coreografia. É fascinante pela naturalidade, é sedutora. É com a presença de Lily que começa toda a transformação de Nina.

Darren Aronofsky, se não fez um filme corajoso, teve coragem para fazer este filme. A partir da relação entre Nina e Lily, relação que define o drama psicológico da protagonista, e com base no roteiro de Mark Heyman, Andres Heinz e John McLaughlin, Aronofsky optou por ser fiel à tormenta que a arte provoca quando o ator se entrega ao papel que o escolheu. O filme é uma ode ao ideal romântico, que pode não agradar aos olhos. Um drama psicológico, de horror, que por vezes chega ao grotesco (não podia ser diferente, na película há um caso de licantropia clínica). Um grotesco, contudo, que dá sentido ao filme e que é coerente com a cinematografia de Aronofsky até então.

Nota do Editor
Leia também "Bailarina salta à morte, ou: Cisne Negro".


Guilherme Pontes Coelho
Brasília, 16/2/2011


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Nenhum Mistério, poemas de Paulo Henriques Britto de Jardel Dias Cavalcanti
02. O Carnaval que passava embaixo da minha janela de Elisa Andrade Buzzo
03. A menos-valia na poesia de André Luiz Pinto de Jardel Dias Cavalcanti
04. As Lavadeiras, duas pinturas de Elias Layon de Jardel Dias Cavalcanti
05. Como eu escrevo de Luís Fernando Amâncio


Mais Guilherme Pontes Coelho
Mais Acessadas de Guilherme Pontes Coelho em 2011
01. A sordidez de Alessandro Garcia - 9/2/2011
02. Churchill, de Paul Johnson - 2/2/2011
03. Pequenos combustíveis para leitores e escritores. - 7/9/2011
04. Cisne Negro - 16/2/2011
05. Derrotado - 2/3/2011


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
5/3/2011
15h05min
Ótima resenha.
[Leia outros Comentários de Marcos Ordonha]
8/3/2011
13h01min
A obra artística é valorizada em cada ponto, graças a todo o corpo artístico, seja no cinema ou no teatro. Vale destacar os bailarinos, os atores, os músicos, os cenários as coreografias. Às vezes, traçamos comentários gerais, mas o que conta são os pequenos detalhes.
[Leia outros Comentários de manoel messias perei]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.




Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




DO VALOR DA CAUSA E SUA IMPUGNAÇÃO
LUIZ CLAUDIO AMERISE SPOLIDORO
LEJUS
(1997)
R$ 5,00



MEMORIAS REVISITADAS: O INSTITUTO AGGEU MAGALHAES NA VIDA DE SEUS
ANTONIO TORRES MONTENEGRO E TANIA FERNANDES
FIOCRUZ
(1997)
R$ 17,82



TURISMO IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS
AMALIA INES G. DE LEMOS
HUCITEC
(1996)
R$ 10,00



A SOCIOLOGIA DA VIDA ECONÔMICA
NEIL J. SMELSER
BIBLIOTECA PIONEIRA
R$ 11,00



ANTOLOGIA - AMOR ENTRE LETRAS
VÁRIOS AUTORES
ALL PRINT
(2011)
R$ 8,30



AS AVENTURAS DE ALENCAR ALMEIDA
GUILHERME AZEVEDO
V
(2005)
R$ 4,20



A SEMÂNTICA DE DAVIDSON
JONATAN HENRIQUE PINHO BONFIM
NOVAS EDIÇÕES ACADÊMICAS
R$ 349,00



CASE SOLARI LOCALI
PETER VAN DRESSER
FRANCO MUZZIO & C
(1979)
R$ 20,00



MENINO ANTIGO
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE
JOSÉ OLYMPIO
(1974)
R$ 10,00



GUIA INTERNET DE CONECTIVIDADE
CYCLADES BRASIL
CYCLADES
(1996)
R$ 4,00





busca | avançada
38827 visitas/dia
1,0 milhão/mês