Como ser um Medina | Ana Elisa Ribeiro | Digestivo Cultural

busca | avançada
77305 visitas/dia
2,7 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Exposição virtual 'Linha de voo', de Antônio Augusto Bueno e Bebeto Alves
>>> MAB FAAP seleciona artista para exposição de 2022
>>> MIRADAS AGROECOLÓGICAS - COMIDA MANIFESTO
>>> Editora PAULUS apresenta 2ª ed. de 'Psicologia Profunda e Nova Ética', de Erich Neumann
>>> 1ª Mostra e Seminário A Arte da Coreografia de 17 a 20 de junho
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> 20 contos sobre a pandemia de 2020
>>> Das construções todas do sentir
>>> Entrevista com o impostor Enrique Vila-Matas
>>> As alucinações do milênio: 30 e poucos anos e...
>>> Cosmogonia de uma pintura: Claudio Garcia
>>> Silêncio e grito
>>> Você é rico?
>>> Lisboa obscura
>>> Cem encontros ilustrados de Dirce Waltrick
>>> Poética e política no Pântano de Dolhnikoff
Colunistas
Últimos Posts
>>> Cidade Matarazzo por Raul Juste Lores
>>> Luiz Bonfa no Legião Estrangeira
>>> Sergio Abranches sobre Bolsonaro e a CPI
>>> Fernando Cirne sobre o e-commerce no pós-pandemia
>>> André Barcinski por Gastão Moreira
>>> Massari no Music Thunder Vision
>>> 1984 por Fabio Massari
>>> André Jakurski sobre o pós-pandemia
>>> Carteiros do Condado
>>> Max, Iggor e Gastão
Últimos Posts
>>> A lei natural da vida
>>> Sem voz, sem vez
>>> Entre viver e morrer
>>> Desnudo
>>> Perfume
>>> Maio Cultural recebe “Uma História para Elise”
>>> Ninguém merece estar num Grupo de WhatsApp
>>> Izilda e Zoroastro enfrentam o postinho de saúde
>>> Acentuado
>>> Mãe, na luz dos olhos teus
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Daslusp
>>> A essência de Aldous Huxley
>>> 80 anos de Alfredo Zitarrosa
>>> Dize-me com quem andas e eu te direi quem és
>>> 7 de Setembro
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Sultão & Bonifácio, parte I
>>> Retrato de corpo inteiro de um tirano comum
>>> Você é rico?
>>> Podcasters do mundo, uni-vos!
Mais Recentes
>>> Free Riders de Luiz H. Rose; Maiza Fatureto; Tereza Sekiya pela Cambridge (2008)
>>> Difícil Decisão de Juciara Rodrigues pela Atual (1996)
>>> A História Vazia da Garrafa Vazia de Jonas Ribeiro pela Do Brasil (2004)
>>> A Cadelinha Lambada de Márcia Glória Rodriguez pela Icone (1997)
>>> Pra Você Eu Conto de Moacyr Scliar pela Atual (1998)
>>> Meio Circulante de Edison Rodrigues Filho; Walter Vasconcelos pela Melhoramentos (2012)
>>> The Big Picture Level 1 de Sue Leather pela Cambridge do Brasil (2001)
>>> The Big Picture Level 1 de Sue Leather pela Cambridge do Brasil (2001)
>>> A Dieta dos 17 Dias de Mike Moreno pela Sextante (2011)
>>> Atitude Vencedora de John Maxwell pela Cpad (2004)
>>> Os Adolescentes e o Sexo de Mary Kehle pela Mundo Cristão (1989)
>>> Sonhos Mais Que Possíveis de Odir Cunha pela Planeta do Brasil (2008)
>>> 101 Idéias Criativas para o Culto Doméstico de David J. Merkh pela Hagnos (2002)
>>> A Droga da Obediência: a Primeira Aventura dos Karas! de Pedro Bandeira pela Moderna (2003)
>>> Cinco Minutos / a Viuvinha de José de Alencar pela Atica (1995)
>>> O Homem do Bone Cinzento e Outros Contos de Murilo Rubião pela Companhia das Letras (2007)
>>> Sabor de Vitória de Fernando Vaz; Jean; Cris pela Saraiva Didáticos (2010)
>>> A Autêntica Cozinha Vegetariana de Rose Elliot pela Manole
>>> Pássaros Feridos de Collen Mc Cullough pela Circulo do Livro
>>> Setembro de Rosamunde Pilcher pela Bertrand Brasil
>>> Campanhas Inesquecíveis - Propaganda Que Fez História no Brasil de Meio & Mensagem pela Meio & Mensagem
>>> História da Civilização de Will e Ariel Durant pela Companhia Editorial Nacional
>>> Vetor de Robin Cook pela Record
>>> Os Maias de Eça de Queiros pela L&pm
>>> Abc de las Naciones Unidas de Naciones Unidas pela Naciones Unidas
COLUNAS

Sexta-feira, 16/1/2015
Como ser um Medina
Ana Elisa Ribeiro

+ de 4000 Acessos

Não me ligo em surfe. Não entendo as regras nem lhufas. Não sei o apelido de nenhuma manobra. Kelly Slater era um nome que me soava familiar, mas talvez eu não soubesse responder sobre ele a um quiz de múltipla escolha. Só que certas coisas acontecem e a notícia vem como uma onda pra cima da gente. É um esquema meio tsunami: você não quer saber, mas todo mundo diz, todo mundo comenta, todo jornal dá notícia, todo programa mostra, as revistas estampam, todos os amigos e conhecidos têm algo a dizer a respeito do ocorrido. Então eu tomei contato com a história - meio distorcidinha - do Gabriel Medina.

Só que eu não sou dessas pessoas que passam a gostar de tudo o que está na crista da onda. Eu não sei nada de surfe nem de tênis, e continuo sem saber. Eu sei respeitar e admirar o cara (ou a moça) que está lá no pódio, mas eu não viro uma chefa de fã clube depois que algo assim acontece. E também não nego que acontecimentos assim possam despertar alguns gênios para a coisa. Bom, o problema é quando as pessoas acham que vão "virar", mais ou menos como as borboletas. Elas querem ser a exceção, querem se transformar. Aí, não. Aí eu acho que algo ficou mal explicado. Como disse um amigo meu, esse pessoal que cresceu na "pedagogia do gostoso". Pois é. Esforço e disciplina valem como regra. E olhe lá.

Dia desses, eu trafeguei de avião de uma cidade para outra, neste Brasilzão, e resolvi ler a revista de bordo. No meu bolsão não tinha, mas aí eu pedi a revista que dava sopa no bolsão ao lado. Meu vizinho, muito simpático, com jeito de homem de negócios, deixou que eu tomasse de empréstimo aquele volume de textura gostosa. E a capa era bem uma foto grande e iluminada do campeão Medina. Então, corri pra ler um perfil dele, personagem sobre o qual eu já cultivava alguma curiosidade.

Aí eu me dei conta da simpatia que eu sentia pelo garoto, apesar de lamentar pela idade dele, mas de curtir aquela família unida e alerta, e de achar que "não há como segurar a primavera" - como diria um grande amigo meu -, mas de confiar na possível boa criação do rapazote. O elemento que me comoveu não foi a onda perfeita, nem foi o choro do menino, nem mesmo foi a bela história que ele tem com um padrasto que insiste em adotar como pai - a despeito de uma imprensa que insiste em não deixar que eles se adotem. O que me comoveu foi a narrativa sobre o esforço e a dedicação de Medina.

Li a matéria da revista a cada minuto mais encantada com aquele guri que disse o que queria ser, que sabia o que queria ser, que encontrou uns caras que o ajudassem e apoiassem de verdade, que tinha uma família confiante, que estudou, estudou, estudou - sim, surfe também se estuda -, que enfrentou disciplina e foco, para ir se aperfeiçoando, superando e tal e coisa até se tornar campeão mundial.

Não adiantava ter costas quentes nem largas; ser amigo do rei; ganhar tickets pra Pasárgada; conhecer a filha do dono; paquerar a prima do imperador; ter amigos no staff; pedir a ajuda da comunidade; fazer propaganda comovente; ter nascido em berço de ouro ou disto e daquilo; arranjar estágio na empresa de prancha... Não adiantava. Não fazia a menor diferença. O lance é que, pra ser o campeão mundial de surfe, o cara, o próprio cara, tem de surfar bem, fazer a manobra perfeita, na hora certa, quando o mar tá pra peixe. O cara precisa surfar muito, ter muitas horas dormidas e mal dormidas, muito campeonato perdido, muito patrocínio crente, muito desgaste nas juntas, muita prancha quebrada, muito maiô puído, muita salada de alface... muito tudo o que ele fez - com a ajuda sincera de uns e outros - para chegar lá. E quando ele chegou, não esqueceu de ninguém. E um montão de gente, de repente, se lembrou dele, e começou a ser amigo dele, e a chamá-lo para as festas.

O que me comove, resumindo, é raça. É gente que sabe o que quer, mas que sabe também o que tem de projetar e fazer pra chegar lá. E faz. E chega, quando dá. E gente que ouve, que aprende, que tem o apoio de gente mais experiente, que traça um caminho - ou vários - e manda ver. Aí eu fiquei vendo aquele adolescente que se dedicou a ser campeão. E fiquei pensando que nem todo mundo quer ser campeão, claro. Nem precisa querer. E me lembrei do Fernando Pessoa, quando ele dizia que todos os amigos dele eram campeões em tudo, mas que ele era reles e vil. Mas, todo mundo sabe, o Pessoa era uma fera. Uma fera!

Então não adiantava o Medina ter amigos na diretoria nem ser filho do dono do campeonato. Pra ser campeão em algumas coisas, a pessoa precisa estudar, mandar bala, endurecer, apertar, por as duas mãos na massa. Não adianta namorar a princesa nem ser vizinho do gerente. Sacumé?

Deve rolar politicagem, lobby, diz-que-diz, atravessamentos, desqualificação. Deve sim. Mas quem define, ó, é o cara ali, em cima da prancha. Boa prancha, bom atleta, ondas perfeitas. Fazer o quê? Não é matemática. É uma mistura de arte com um monte de outras coisas. Não é como em outros campos, feito, sei lá, a literatura, por exemplo. Mas deixa essa história pra lá, né, Medina?


Ana Elisa Ribeiro
Belo Horizonte, 16/1/2015


Quem leu este, também leu esse(s):
01. Corot em exposição de Jardel Dias Cavalcanti
02. Nós que aqui estamos pela ópera esperamos de Renato Alessandro dos Santos
03. Um parque de diversões na cabeça de Renato Alessandro dos Santos
04. Tirem as Viseiras! de Heloisa Pait
05. Journey de André Graciotti


Mais Ana Elisa Ribeiro
Mais Acessadas de Ana Elisa Ribeiro em 2015
01. Para que serve a poesia? - 26/6/2015
02. A pomba gíria - 1/5/2015
03. Como ser um Medina - 16/1/2015
04. Momento ideal & conciliação - 25/9/2015
05. Leitura, curadoria e imbecilização - 11/9/2015


* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site



Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Comics Starwars - Clássicos 1
Roy Thomas e Outros
Planeta Deagostini
(2015)



Leão de Chácara
João Antônio
Civilização Brasileira
(2002)



As Alegres Comadres de Windsor Medida por Medida o Sonho de U
William Shakespeare, Ivo Barroso (tradutor)
Abril Cultural
(1981)



La V Republique - 30 Ans
Pouvoirs, Nº 49 de 1989
Puf
(1989)



Communication Progressive Du Francais des Affaires: Corriges
Jean Luc Penfornis
French and European
(2013)



Cinco Aulas e Finanças e Política Fiscal
Aliomar Baleeiro
Jose Bushatsky
(1975)



Estilhaços
Eduardo Wotzik
Autor (rj)
(2011)



Iso 9000 Passaporte para a Qualidade
Heitor R. de Carvalho
Campus
(1996)



Os Limites da Legalidade Tributária no Estado Democrático De
Alberto Nogueira
Renovar (rj)
(1996)



Conocimientos Basicos para El Estudio de los Cuidados Esteticos
Humbert Pierantoni
Les Nouvelles Esthetiques





busca | avançada
77305 visitas/dia
2,7 milhões/mês