uau! | Paula Mastroberti

busca | avançada
114 mil/dia
2,4 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Festival Halleluya em São Paulo realizará ação solidária para auxiliar as famílias no RS
>>> Povo Fulni-ô Encontra Ponto BR
>>> QUEÑUAL
>>> Amilton Godoy Show 70 anos. Participação especial de Proveta
>>> Bacco’s promove evento ao ar livre na Lagoa dos Ingleses, em Alphaville
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
>>> Glenn Greenwald sobre a censura no Brasil de hoje
>>> Fernando Schüler sobre o crime de opinião
>>> Folha:'Censura promovida por Moraes tem de acabar'
Últimos Posts
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
>>> Calourada
>>> Apagão
>>> Napoleão, de Ridley de Scott: nem todo poder basta
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Romance breve
>>> Prefeito dará a carros bela vista da universidade
>>> O assassinato de Herzog na arte
>>> A revista Bizz
>>> Cheech & Chong reloaded
>>> A Istambul de Orhan Pamuk
>>> Carles Camps Mundó e a poética da desolação
>>> Considerações sobre a leitura
>>> cheiro de sossego
>>> Niemeyer e a unanimidade
Mais Recentes
>>> Livro Literatura Estrangeira O Coração das Trevas de Joseph Conrad pela Abril (2010)
>>> Os Dois Capetinhas de Ofélia Fontes pela Vozes (1982)
>>> Livro Literatura Brasileira Cinderela Pop de Paula Pimenta pela Galera Record (2015)
>>> Overworked And Underpaid de Mary Bridget Carroll pela Fawcett Publications (1984)
>>> Mediunidade e Caminho de Carlos A. Baccelli / Odilon Fernandes pela Ide (2014)
>>> Na Pele De Uma Jihadista de Anna Erelle pela Paralela (2015)
>>> Circuitos de Rua 1908-1958 de Paulo Scali pela Imagens Da Terra (2018)
>>> Éléments de linguistique anglaise - Langue et langage la phrase complexe et les nominalisations de François Dubois Charlies pela Libraire Larousse (1971)
>>> Livro Filosofia Montesquieu Cartas Persas Coleção Folha Grandes Nomes do Pensamento 21 de Folha de S. Paulo pela Folha de S. Paulo (2015)
>>> Sem Dúvidas: Estatuto Da Criança E Do Adolescente de Vários Autores pela TypeLaser (1999)
>>> As Provacoes De Apolo - Livro 1: O Oraculo Oculto de Rick Riordan pela Intrínseca (2016)
>>> Business Cards - A Collection from Around the World de Edited by Takenobu Igarashi pela Books Nippan (1989)
>>> Livro Literatura Estrangeira Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley pela Globo (2012)
>>> Mediunidade e Evangelho de Carlos A. Baccelli / Odilon Fernandes pela Ide (2008)
>>> O Peso Do Estado Na Patria Do Mercado - Os Estados Unidos Como País Em Desenvolvimento de Reginaldo C. Moraes pela Unesp (2013)
>>> Livro Literatura Brasileira As Esganadas de Jô Soares pela Companhia Das Letras (2011)
>>> Livro Literatura Estrangeira Damas Rebeldes Brilhante A História de Belle Volume 2 de Julia Quinn pela Arqueiro (2021)
>>> O Brasil na Rota da Navegação Francesa de Julio Bandeira pela Reler (2006)
>>> Livro Filosofia Marx Contribuição À Crítica Da Economia Política Coleção Folha Grandes Nomes do Pensamento 22 de Folha de S. Paulo pela Folha De S. Paulo (2015)
>>> Reologia E Escoamento De Fluidos de José Carlos Vieira Machado pela Interciência (2002)
>>> Organize Your Office de Ronni Eisenberg; Kate Kelly pela Hyperion (1998)
>>> As Raízes do Rock de Florent Mazzoleni pela Companhia Nacional (2012)
>>> Livro Filosofia Antifonte Testemunhos, Fragmentos, Discursos Coleção Folha Grandes Nomes do Pensamento 23 de Folha de S. Paulo pela Folha de S. Paulo (2015)
>>> The Complete Book Of How To Succeed With Women de Victor Wild pela Wildfire (1981)
>>> Livro Literatura Estrangeira Damas Rebelde Esplêndida A História de Emma Volume 1 de Julia Quinn pela Arqueiro (2021)
COMENTÁRIOS

Sábado, 30/7/2005
Comentários
Leitores

uau!
uau!

[Sobre "Não existe pote de ouro no arco-íris do escritor"]

por Paula Mastroberti
30/7/2005 às
15h31 200.198.132.37
(+) Paula Mastroberti no Digestivo...
 
o ato de escrever
Olá, Andrea! Lendo o seu texto, mais uma vez fui obrigado a repensar uma máxima que não se descola da minha mente: literatura para valer é aquela que pensa a si mesma, aquela que assume uma crise própria ao ato de escrever. Contudo, é impossível escaparmos de um "a priori": se escrevemos que talvez não escreveremos mais, é porque pelo menos tem sentido escrever nem que seja para assumirmos que não temos mais nada a dizer. E desse paradoxo não podemos fugir. Cabe a cada um alimentá-lo ou não. E alimentá-lo bem, diga-se de passagem. Quanto à leitura dos ditos "clássicos", fica a pergunta: existem mesmo, objetivamente, os clássicos, independentemente da época e tal, ou a "luz" que os ilumina varia o tempo todo, de acordo com critérios absolutamente discutíveis e suspeitos?

[Sobre "Sobre Parar de Escrever Para Sempre"]

por Alexandre Bueno
30/7/2005 às
13h07 200.96.99.194
(+) Alexandre Bueno no Digestivo...
 
O Alquimista Achou o Pote
Julio, você, sem saber (provavelmente), exprimiu exatamente o que eu passei como escritor. Quis muito ganhar a vida apenas escrevendo e publicando, e cada vez vejo que isso não dá, é uma ilusão. Por mais sorte que eu tenha de ter publicado um livro por uma grande editora juvenil, procurei um emprego e consegui, num site da internet! E não, não vou abandonar este emprego... ! Fico também confortado em saber que muitos escritores passam por isso, por esse querer achar o pote de ouro no final do arco-íris... Mas também acho que, talvez, um dia, daqui a uns quinze anos, eu possa - se eu for bom o suficiente - viver de literatura. Mas talvez quinze anos não, talvez só na próxima encarnação... Um dado importante é que a maioria dos escritores que vivem de literatura são todos cinquentões ou mais...! E, para finalizar, sinto muito feliz com o que você disse de mil exemplares vendidos é um estrondo... Sou um estrondo!!! Abraço, DNY

[Sobre "Não existe pote de ouro no arco-íris do escritor"]

por Denny Yang
30/7/2005 às
12h33 200.158.61.117
(+) Denny Yang no Digestivo...
 
Uma Estorieta
No 15º capítulo do 3º tomo da "Coleção Lendas, Fábulas e Mitos dos Índios Tupiwanbara da América Central" consta uma estorieta que pode resolver a questão proposta por Julio. Achei útil postar seu resumo: "O terrível gigante Patã, ladrão do sol e fechador de fontes, cria 5 filhas, grandes serpentes chamadas de Anhã.(...) A cada lua elas crescem 1 metro, e precisam comer mais. A cada 30 anos as Anhãs são presas de fome tão grande, que uma delas ataca Patã, matando-o com seu veneno. (...) Essa permanece 1 ano ingerindo as carnes do gigante. (...) Porém, na noite em que regurgita os ossos do Pai, a Anhã assassina se transforma em Patã, e mata as antigas irmãs. De seu tornozelo brota uma pequena serpente, a nova Anhã, que o devorará. (...) Mas porém houve uma noite em que Iamã prestava atenção na terra, e abençoou uma Anhã de nome Tuangá. E Tuangá matou Patã, e não se alimentou dele. E por 6 meses o sol brilhou constantemente, e não faltava água. Mas porém uma de suas irmãs achou o corpo morto do Gigante, e devorou-o, e transformou-se em Patã. (...) O novo Patã, receoso, expulsou Iamã do céu. E matou Tuangá. Mas Tuangá renasceu da própria pele, porque havia sido abençoada. E se vingou, envenenando Patã. Mas uma Anhã achou seu corpo, e virou gigante e matou Tuangá.(...) E toda vez que Patã rouba o sol e seca as fontes, Tuangá renasce e mata Patã, e nos devolve a luz e a água. E assim que Tuangá foi o Primeiro Ator, porque troca de peles, e é o deus de todos os Atores e Artistas, que devem seguir Tuangá." Achei extraordinário como essa pequena estorieta resolve nossa questão!

[Sobre "Não existe pote de ouro no arco-íris do escritor"]

por Fabiano
30/7/2005 à
01h47 200.100.237.164
(+) Fabiano no Digestivo...
 
literatura e política
"É triste, mas, mais uma vez, os escritores brasileiros estão deixando de se envolver com literatura para se envolver com política." Como se envolver com literatura sem deixar de se envolver com política?

[Sobre "Não existe pote de ouro no arco-íris do escritor"]

por fabiano fel
30/7/2005 à
01h16 200.100.237.164
(+) fabiano fel no Digestivo...
 
Idiomas
Longe de mim a intenção de defender o Lula, que aliás julgo péssimo presidente, mas não concordo com ser vexame o fato de o presidente de uma nação continental não falar inglês. A propósito, além do inglês, que outro idioma fala o Sr. Bush, um homem que, antes de tomar posse como presidente, jamais estivera na Europa? O Lula é primário, mas, por incrível que pareça, perto de certos "vultos" da atualidade, não fica muito mal.

[Sobre "Se o Lula falasse inglês..."]

por José L. Fernandes
30/7/2005 à
00h45 200.97.70.96
(+) José L. Fernandes no Digestivo...
 
Parabéns, Ricardo!
Ricardo de Mattos, brilhante como sempre, conseguiu em síntese apresentar ao leitor o que realmente aconteceu em Paraty durante a FLIP.

[Sobre "Últimas Notas Sobre A FLIP"]

por Eliane P. Marcondes
29/7/2005 às
21h55 201.7.75.13
(+) Eliane P. Marcondes no Digestivo...
 
Uma literatura para poucos
Bom texto. A meu juízo, uma das causas desta baixa perspectiva que a maioria dos escritores tem de ver sua obra mais difundida - e, por conseguinte, mais rentável -, é a evidente má comunicação existente entre autores e leitores no Brasil. Não se trata simplesmente de falta de leitores. A Literatura brasileira, por mais extraordinária que seja, não tem apelo junto à massa de pessoas que compram livros. É uma Literatura para poucos, para um nicho intelectual muito restrito. A saída para os escritores que pretendam viver de Literatura no Brasil é se voltar para um público mais amplo. Mas, essa missão parece complicada numa nação onde todos querem, de alguma forma, consagrar-se como literatos e é vista, por muita gente, quase como uma heresia.

[Sobre "Não existe pote de ouro no arco-íris do escritor"]

por Luis Eduardo Matta
29/7/2005 às
18h45 200.157.104.200
(+) Luis Eduardo Matta no Digestivo...
 
O que falta é governar
Creio que o ponto relevente dessa história toda a respeito do nosso presidente não seja a maneira com que se expressa. Se ele se porta como um operário ou um lord, ou ainda se gosta de cachaça e torce para o Corinthians. O que importa são ações de governo, que tragam prosperidade e perspectiva de crescimento para a população. O que todos deveriam lembrar é do lado profissional do governo de Lula. Mas, até aqui, isso deixa a desejar.

[Sobre "Se o Lula falasse inglês..."]

por Sergio Capozzielli
29/7/2005 às
16h05 200.208.25.66
(+) Sergio Capozzielli no Digestivo...
 
prepare-se para as machadinhas
Umas observaçoes: 1) não sei aonde, li que uma boa máquina de escrever daria jeito na situação. Afinal com a máquina, tem que se ter muita paciência quando se erra, tem que se reescrever a página inteira para ficar limpinho. Exercício que desanima muita gente. 2) Discordo que não dá para viver de ser escritor. Não dá para viver tentando ser Kafka. Mas aqui nos EUA eu encontro pessoas que escrevem estes romances de bolso, e vivem disso. Não são nenhuma obra da genialidade humana, mas vivem disso. Tem que ouvir seus clientes, como qaulquer micro-empresário, fazer ajustes e tal. Veja só quantos livros de fantasia são publicados por ano (e são uns dois por autor). 3) O problema da nova geração, de qualquer coisa feita no Brasil, é que querem logo serem famosos. Querem logo serem comparados a qualquer coisa que tenha notoriedade ou seja símbolo de qualidade. Mas pera lá, será que é mesmo tão importante termos outro Kafka brasileiro? Nisso eu prefiro a recomendação do meu orientador, siga o seu caminho. E 4) não entendo porque o público leitor se preocupa com movimentos. Isso é coisa de público um pouco idiotizado. Será que cada um não deveria ser capaz de ler, e julgar por si mesmo a qualidade de um livro? Isso impediria coisas chinfrins de se propagarem em velocidade instantânea... O problema da coisa chinfrin que se propaga rápido não é sua existência, mas sim que pode acabar danificando algo de bom que venha a acontecer. Mas ótima questão a ser levantada Julio! E prepare-se para as machadinhas...

[Sobre "Não existe pote de ouro no arco-íris do escritor"]

por Ram
29/7/2005 às
12h08 160.39.240.15
(+) Ram no Digestivo...
 
Julio Daio Borges
Editor
mais comentários

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Cristo espera por ti
Waldo Vieira
Ide
(2014)



Relação de Emprego e Direito do Trabalho
Roberta Dantas de Mello
Ltr
(2015)



A Voz do Padre Pio - Encadernação desses anos 1983 a 1991
Convento dos Padres Capuchinhos
Leone
(1883)



Livro de Bolso Religião Presença de Luz
Francisco Cândido Xavier
Geem
(2008)



Tudo pode ser Curado o Sistema do Corpo Espelho
Martin Brofman
Ground
(1999)



Auditoria e Controle Interno na Administração Pública
Domingos Poubel de Castro
Atlas
(2008)



100 Ideias para o Ensino de Idiomas
Nia Griffith
Sbs
(2010)



A Simetria Oculta do Amor - por Que o Amor Faz os Relacionamentos ...
Bert Hellinger
Cultrix
(2006)



Ulisses
James Joyce
Abril Cultural
(1980)



Rah, o Mensageiro do Setimo Raio - Entre Linhas
Luci Guimarães Watanabe
Atual
(2007)





busca | avançada
114 mil/dia
2,4 milhões/mês