Se for viajar de navio... | Campos de Carvalho

busca | avançada
54003 visitas/dia
1,1 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
ENSAIOS

Segunda-feira, 4/9/2006
Se for viajar de navio...
Campos de Carvalho

+ de 17400 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Se você pretende viajar de navio para a Europa, compre hoje mesmo sua passagem de avião e agarre-se a ela com unhas e dentes. O avião ainda é o meio de transporte mais rápido, sobretudo se está caindo — o que maior conforto oferece, sobretudo à família.

Sempre me diziam: "Vá de navio: é uma viagem inesquecível." Que é inesquecível eu sei agora melhor do que eles, e não pretendo esquecer nunca mais. Por via das dúvidas trouxe comigo alguns souvenirs: cinzeiros, baralhos, caixas de fósforos, toalhas, guardanapos, colchas, lençóis, cobertores, travesseiros, tapetes, facas, colheres, garfos, xícaras, pratos, um espelho de toalete, uma mesinha de cabeceira, a dentadura do comandante — em troca naturalmente dos três quilos e meio que perdi na viagem e lá ficaram no navio, por culpa exclusiva do cozinheiro de bordo. Que o miserável era o pior cozinheiro da Europa e ali estava justamente porque não o deixavam pisar em terra, ficou definitivamente provado no último dia de viagem, quando o navio se pôs a desenvolver uma velocidade só comparável à do Nautilus, o que foi logo atribuído a completo estado de inanição dos passageiros. Ao cruzar o Equador ofereceram, como de hábito, uma lauta refeição aos sobreviventes, como se costuma fazer com condenados à morte na véspera da execução — o que de certa forma permitiu que, tão logo Portugal despontou na linha do horizonte, todos se precipitassem para a proa do navio aos gritos de TERRA! TERRA!

Mas a viagem começa naturalmente com você procurando onde fica o seu camarote, e você leva exatamente a metade da viagem procurando onde fica o seu camarote: são sete andares com 70 escadas e mais de 700 corredores: todos rigorosamente iguais e dando para 7.000 portas cuja única diferença são pequenos números cabalísticos, quase invisíveis. Afinal, depois de tomarem você por um clandestino — pois só um louco ou um clandestino poderia dormir na mesa de bilhar com uma bola por travesseiro — levam-no numa padiola para onde exatamente está o seu camarote e que você descobre no dia seguinte ficar exatamente onde fica o rabo do navio. (Na agência de viagem garantiram que você teria uma vista magnífica, mas queriam evidentemente referir-se à sua vista propriamente dita, incluindo a pupila direita e a esquerda, o cristalino, a córnea, a retina, a íris, o diafragma, o nervo óptico, as pálpebras, sem falar do seu par de óculos.) O máximo que você consegue ver através da vigia, quando não está ninguém do outro lado vigiando você, é um pedaço da chaminé e dois escaleres suspensos no espaço, a lembrar que a qualquer momento o navio pode ir para o fundo, o que não deixa de ser uma lembrança altamente confortadora. Aliás, logo após a partida, submetem os passageiros a um exercício simulado de salvamento, com apito, sinos, silvos, correria, desmaios, salva-vidas e o resto, mas tudo tão perfeito e tão bem encenado que dois navios e três torpedos vieram imediatamente em nosso auxílio.

A primeira noite que você passa na sua cabine — assim chamada apesar de você mal caber nela — já é uma outra história. Deitado no beliche, mesmo porque não poderia estar sentado ainda que quisesse, você aos poucos vai se dando conta de que todos os barulhos do navio resolveram vir passar a noite em sua companhia, desde o motor da hélice situado exatamente debaixo da sua bunda até o mais ínfimo ruído do copo batendo no espelho do banheiro. Todos os objetos em redor da sua cama, mais as paredes, o teto, o chão, a porta, a maçaneta, as lâmpadas, os cabides, o guarda-roupa, as cortinas, a tampa da privada, o papel higiênico, sem falar naturalmente dos fantasmas — tudo junto e uníssono forma uma grande orquestra sinfônica de guinchos, rangidos, sopros, assovios, pancadas, soluços, suspiros, gemidos, reco-reco, pandeiro, tamborim, cuíca, frigideira e berimbau, no pior estilo da mais moderna música concreta ou eletrônica. Por mais admirador que você seja do som universal e experimental, e apesar de o navio jogar mais do que bêbado em noite de terremoto, você acaba mesmo é pulando da cama e passando o resto da noite a imaginar um meio de voltar imediatamente para os braços de sua mãe, nem que seja a nado.

Mas nem tudo, afinal de contas, é choro e ranger de dentes numa viagem transatlântica. Há sempre uma piscina ou outra para os que ainda acham pouco toda aquela imensidão de mar em torno durante sete dias e sete noites (eu, de minha parte, já no segundo dia recusava delicadamente água às refeições) — e há os sempre excelentes filmes das Andrew Sisters ou dos Ritz Brothers, projetados numa tela da mesma época naturalmente para emprestar maior autenticidade. Há sobretudo os divertidíssimos jogos de salão, como a víspora, a amarelinha, a cabra-cega, por exemplo, bem como movimentada e tradicional dança da quadrilha, assim chamada no caso por nela tomar parte toda a tripulação, o cozinheiro inclusive. Como todos os passageiros, a começar por você, já se acham condicionados dos pés à cabeça pelos esplêndidos programas de televisão dos respectivos países, a alegria se torna logo esfuziante e total — e depois de certo tempo é com uma ponta de orgulho que todos se põem a relinchar e a trotar como no ano 2000.

O resto da viagem deixo-o por conta da sua própria imaginação — mesmo porque já é tempo de que se ponha um pouco de fantasia neste relato que, por excesso de meu amor à verdade, acabou saindo assim tão realista e tão fotográfico.

Nota do Editor
Agradecimentos ao prefaciador do livro Antonio Prata; à dona Lígia de Carvalho, viúva do escritor; e à Editora Record, que autorizaram a reprodução do texto, originalmente publicado em Cartas de viagem e outras crônicas, de Campos de Carvalho. Livro que integra a coleção Sabor Literário, da Editora José Olympio, lançada neste ano.


Campos de Carvalho
Rio de Janeiro, 4/9/2006

Mais Campos de Carvalho
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
4/9/2006
15h06min
Campos de Carvalho foi um grande escritor, e a leitura das cartas e textos contidos neste livro nos revelam um autor vigoroso, de humor cortante e apurada verve irônica. Havia muito tempo eu não ria tanto com um livro.
[Leia outros Comentários de Luis Eduardo Matta]
22/10/2006
19h31min
peraí, queremos mais detalhes da viagem! qual o problema com a comida? qual a resposta dos funcionários do navio? quais os passatempos deprimentes? quem eram os passageiros? tiveram a mesma impressão? falaí!
[Leia outros Comentários de rubem]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




ARMADILHA PARA LAMARTINE
CARLOS & CARLOS SUSSEKIND
BRASILIENSE
(1991)
R$ 10,00



TRAGWERKSBERECHNUNG NACH CROSS
C. PRENZLOW
WERNER VERLAG
(1963)
R$ 40,00



ANÁLISE DO "MODELO" BRASILEIRO
CELSO FURTADO
CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA
(1978)
R$ 6,90



DEUS ESTA CONTIGO - 1ª EDIÇÃO
PADRE JOHN WOOLLEY
PENSAMENTO
(2014)
R$ 19,95



A DIETA DA PORÇÃO PERFEITA
LINDA GASSENHEIMER
PUBLIFOLHA
(2007)
R$ 15,00



MITOLOGIA GRIEGA Y ROMANA
J. HUMBERT
GUSTAVO CILLI
(1943)
R$ 24,00



SUPER REVISAO OAB - DOUTRINA COMPLETA
WANDER GARCIA
FOCO
(2014)
R$ 20,65



O PENSAMENTO VIVO DE JOHN LENNON
EIDE M. MURTA CARVALHO
MARTIN CLARET
(1986)
R$ 6,90



VISÕES
SIRON FRANCO
SIMÕES DE ASSIS GALERIA ARTE
(1998)
R$ 40,00



MINERALOLUND BRENNSTOFFNORMEN
GEANDERTE AUFLAGE
BEUTH VERTRIEB
(1972)
R$ 60,00





busca | avançada
54003 visitas/dia
1,1 milhão/mês