Do maior e do melhor | Flávio Moreira da Costa

busca | avançada
45137 visitas/dia
2,3 milhões/mês
Mais Recentes
>>> Projeto Memória leva legado de Lélia Gonzalez ao CCBB BH
>>> DJ Erick Jay participa de A Quebrada É Boa, evento realizado pelo Monarckas em Sapopemba
>>> Circomuns Com Circo Teatro Palombar
>>> Prêmio AF de Arte Contemporânea abre inscrições para a edição comemorativa de 10 anos
>>> Inscrições abertas para o Prêmio LOBA Festival: objetivo é fomentar o protagonismo de escritoras
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> A pulsão Oblómov
>>> O Big Brother e a legião de Trumans
>>> Garganta profunda_Dusty Springfield
>>> Susan Sontag em carne e osso
>>> Todas as artes: Jardel Dias Cavalcanti
>>> Soco no saco
>>> Xingando semáforos inocentes
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
>>> Esporte de risco
>>> Tito Leite atravessa o deserto com poesia
Colunistas
Últimos Posts
>>> Jensen Huang, da Nvidia, na Computex
>>> André Barcinski no YouTube
>>> Inteligência Artificial Física
>>> Rodrigão Campos e a dura realidade do mercado
>>> Comfortably Numb por Jéssica di Falchi
>>> Scott Galloway e as Previsões para 2024
>>> O novo GPT-4o
>>> Scott Galloway sobre o futuro dos jovens (2024)
>>> Fernando Ulrich e O Economista Sincero (2024)
>>> The Piper's Call de David Gilmour (2024)
Últimos Posts
>>> O mais longo dos dias, 80 anos do Dia D
>>> Paes Loureiro, poesia é quando a linguagem sonha
>>> O Cachorro e a maleta
>>> A ESTAGIÁRIA
>>> A insanidade tem regras
>>> Uma coisa não é a outra
>>> AUSÊNCIA
>>> Mestres do ar, a esperança nos céus da II Guerra
>>> O Mal necessário
>>> Guerra. Estupidez e desvario.
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Paciência e imediatismo
>>> Babação do popular
>>> A arte do romance, por Milan Kundera
>>> Micronarrativa e pornografia
>>> Os dois lados da cerca
>>> A primeira vez de uma leitora
>>> Se eu fosse você 2
>>> Banana Republic
>>> Da Poesia Na Música de Vivaldi
>>> Os autômatos de Agnaldo Pinho
Mais Recentes
>>> Calculo Volume I - 5a Ed de James Stewart pela Cengage (2006)
>>> Livro Literatura Estrangeira Anjos e Demônios - A Primeira Aventura De Robert Langdon de Dan Brown pela Sextante (2004)
>>> Supostamente Culpada de Tess Gerritsen pela Harlequin Books (2011)
>>> O menino-pássaro de William Wharton pela Nova Fronteira (1979)
>>> Livro História Geral O Dever Da Memoria O Levante Do Gueto De Varsóvia de Abrao Slavutzky pela Age (2003)
>>> Construções Geométricas de Eduardo Wagner pela Impa (1993)
>>> Como Ser Um Conservador de Roger Scruton pela Record (2015)
>>> Livro Religião Kairós de Padre Marcelo Rossi pela Principium (2013)
>>> Direito Autoral de Eduardo Vieira Manso pela José Bushatsky (1980)
>>> Livro Saúde As Plantas da Saúde - Guia de Tratamentos Naturais Coleção Aprendendo Com A Natureza de Marcos Gomes pela Paulinas (2002)
>>> Livro Moda Chic érrimo Moda e Etiqueta Em Novo Regime de Gloria Kalil pela Codex (2004)
>>> Livro Religião O Fim Da Terra e do Céu - O Apocalipse na Ciência e na Religião de Marcelo Gleiser pela Companhia Das Letras (2001)
>>> As Aventuras de Sherlock Holmes de Arthur Conan Doyle pela Jorge Zahar (2011)
>>> Desvendando Os Segredos Da Linguagem Corporal de Allan Pease / Barbara Pease pela Sextante (2005)
>>> Livro Literatura Estrangeira Ilíada Coleção Clássicos Ilustrados de Nick Mc Carty pela Melhoramentos (2006)
>>> Crow de Roy Braverman pela Hugo Roman (2019)
>>> Livro História Geral História Universal de José de Carvalho e Silva pela Rideel Ltda.
>>> Matemática Discreta Uma Introdução de Edward R. Scheinerman pela Cengage (2003)
>>> Logica: Pensamento Formal E Argumentação de Alaôr Caffé Alves pela Quartier Latin (2003)
>>> Lloud's Nautical Year Book 1997 de Edited by Alan Condron pela Llp (1996)
>>> Nem Céu Nem Inferno de Jorge Caldeira pela Três Estrelas (2015)
>>> Livro Literatura Estrangeira A Metamorfose de Franz Kafka pela Companhia das Letras (1997)
>>> Livro Psicologia Leituras E Leitores De Lacan Em Tres Aforismos de Ilana Katz pela Intermeios (2015)
>>> Livro Literatura Estrangeira Ana De Amsterdam de Ana Cássia Rebelo pela Quetzal (2015)
>>> A Língua dos Orixás de Batista D'obaluayê pela Jc (1999)
ENSAIOS

Segunda-feira, 1/9/2008
Do maior e do melhor
Flávio Moreira da Costa
+ de 7700 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Se a frase de Drummond "Escrever é cortar palavras" faz sentido para alguns escritores, não faz para outros. É, para ficar na metáfora cortante, uma faca de dois gumes. (Imaginem Proust, Joyce ou Guimarães Rosa cortando na própria carne da escrita: seriam os mesmos?) A lâmina de Dalton Trevisan é bem afiada, e ele tem sido admirado e criticado por isso. Quem lê as primeiras edições de Novelas nada exemplares, Guerra conjugal ou O vampiro de Curitiba e vai lê-las de novo, a partir da edições revistas pelo autor, pode ficar confuso. O mesmo livro ou um outro, dizendo a mesma coisa com o mínimo de palavras? Afinal, o velho (neo?) realismo já era ("já conheço os passos desta estrada/ sei que não vai dar em nada..." ― Tom e Chico): é preciso dosá-lo com as tintas do hiperrealismo, chegando às vezes (e aqui entra o humor do autor) à quase caricatura de sentimentos e comportamentos. Ao velho cafageste municipal, com dentinho de ouro, anel de falso rubi no dedo mindinho e bigodinho que disfarça o riso de vampiro suburbano; as Marias seduzidas e abandonadas, "virgens porém grávidas" e que apanham, reclamam, mas gostam.

Quanto aos que o que criticam por isso tudo, ou por isso mesmo, seria como criticar João Gilberto por cantar as mesmas músicas. Sem notar que elas são as mesmas na essência, mas diferentes, porque aprimoradas, tanto nas ressonâncias da própria harmonia quanto nas reentrâncias e significâncias das letras: "Vou te contar: os olhos já não podem ver/ coisas que só o coração pode entender...." (Tom, salvo erro). Mas aqui também a faca-só-lâmina de Trevisan tem dois lados: se um é João Gilberto pela linguagem contida, o outro gume, não menos cortante, é Nelson Cavaquinho ― pelos personagens e o mundinho semi-trágico em que eles estão imersos. Há uma "luz negra de um destino cruel" envolvendo cada um deles, sem esperança e sem futuro: "Sempre só/ eu vivo procurando alguém/ que sofra como eu também..." ― e a conclusão, sem medo do patético, é o choro/chorinho contido (contido?): "estou chegando ao fim...".

Os contos de Trevisan são, quase sempre, se não sempre, sobre um desencontro ― de um homem e uma mulher. E a solidão, é "um abismo de rosas". Aliás, os próprios títulos do autor já inscrevem seu tema: Guerra conjugal, Crimes de paixão, Desastres do amor, A faca no coração, Lincha tarado, A trombeta do anjo vingador, O vampiro de Curitiba, Meu querido assassino.

Dezenas de livros, centenas de contos e um mundo só, cuja capital é uma cidade imaginária chamada Curitiba. Como Nova York (a Broadway dos anos 30) para Damon Runyon. Com a vantagem para esse brasileiro que, aos 83 anos (alô, alô, escritores-blogueiros), é um escritor novo ou um novo escritor. Em dezenas de livros e centenas de contos, um autor surpreendentemente (se isso não for novidade e surpresa, não sei, não...) fiel a um gênero e a si mesmo. Mesmo que fuja da imprensa como seus pequenos meliantes fogem da polícia. Incógnito? Nem a imprensa cultural fala dele como ele merece.

Impossível é o bom leitor de ficção fugir de um novo título de Dalton Trevisan. Fugir por que, se o melhor é acompanhá-lo? Só agora começo a falar de O maníaco do olho verde? Não, comecei antes: Trevisan não publica livros isoladamente; ele constrói uma obra. Sempre in progress. Como um Tchekhov nosso, primo-irmão de João Gilberto e Nelson Cavaquinho ("Sou um rei destronado/ sou um rei sem coroa..."). Repetitivos os 26 contos deste novo livro? Não, evolutivos; acompanham até a evolução (evolução? Bem...) dos costumes. Antes, o álcool é que infernizava e destruía a vida dos habitantes de seu mundo caído. Agora, o crack, como em "Tem um craquinho aí?", o primeiro conto.

O livro é pequeno, mas é amplo seu pequeno mundo. Acanhado, sem poesia, cruel? Vejam os inícios certeiros de alguns contos: "Esta história aí no papel não é verdade. Na época eu tive um caso com uma moça. Sentamos por acaso no mesmo banco da praça Osório. Foi como tudo começou." ("Amor de machão"). Ou: "Puta, não senhor. Garota de programa. Não sei de nada. Só que fui presa." ("Garota de programa"). Mais um: "O que aconteceu lá, sem mentira nenhuma, não é nada disso." ("A guria").

Não é nada disso. Sabem aquela história (que o brasileiro adora) do melhor e do maior? Pois é, o nome dele é Dalton Trevisan.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no Jornal do Brasil em agosto de 2008. Leia também "Deus".


Flávio Moreira da Costa
Rio de Janeiro, 1/9/2008
Mais Flávio Moreira da Costa
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
3/9/2008
16h58min
Você soube definir bem o mundo de Trevisan. A comparação com João Gilberto está primorosa. É um autor que leio sempre e cada vez gosto mais. Não sei por que é meio desconhecido ou pouco compreendido. Não conheço esse novo livro, mas certamente fará parte da minha biblioteca.
[Leia outros Comentários de Adriana Godoy]
12/9/2008
12h27min
Penso muito na relação da minha escrita com a música. Gostei especialmente das comparações que fez com as canciones populares. Agora, como vive um homem que só vive de escrever sem aparecer? Vive no Brasil mesmo?
[Leia outros Comentários de Gabriel Pardal]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




Jogo De Damas
David Coimbra
L&pm
(2008)



Direito do Trabalho
Sergio Pinto Martins
Atlas
(2004)



Roland Barthes
Leda Tenório Da Motta
Iluminuras
(2011)



Princípios de Ciência dos Materiais
Lawrence H. Van Vlack
Edgar Blucher
(1970)



Star Wars - Clássicos 1
Disney
Planeta di agustini



Características de Deus que Chamam a nossa Atenção
Silas Malafaia
Central Gospel



Teatro Classico:traduções Integrais de Jenny Klabin Segall - Vol II
Jenny Klabin Segall
Martins
(1963)



Adeus Ao Trabalho?
Ricardo Antunes
Cortez
(1999)



Livro A Evolução Para o Método DeRose: O Porquê Da Transição Para O Que Fazemos Hoje
Derose
Fisicalbook
(2013)



Livro de bolso Literatura Brasileira A Relíquia
Eça de Queirós
Atelie
(2001)





busca | avançada
45137 visitas/dia
2,3 milhões/mês