A refundação de Obama | Régis Bonvicino

busca | avançada
37300 visitas/dia
1,3 milhão/mês
Mais Recentes
>>> Banda GELPI, vencedora do concurso EDP LIVE BANDS BRASIL, lança seu primeiro álbum com a Sony
>>> Celso Sabadin e Francisco Ucha lançam livro sobre a vida de Moracy do Val amanhã na Livraria da Vila
>>> No Dia dos Pais, boa comida, lugar bacana e MPB requintada são as opções para acertar no presente
>>> Livro destaca a utilização da robótica nas salas de aula
>>> São Paulo recebe o lançamento do livro Bluebell
* clique para encaminhar
Mais Recentes
>>> Rinoceronte, poemas em prosa de Ronald Polito
>>> A forca de cascavel — Angústia (FUVEST 2020)
>>> O reinado estético: Luís XV e Madame de Pompadour
>>> 7 de Setembro
>>> Outros cantos, de Maria Valéria Rezende
>>> Notas confessionais de um angustiado (VII)
>>> Eu não entendo nada de alta gastronomia - Parte 1
>>> Treliças bem trançadas
>>> Meu Telefunken
>>> Dor e Glória, de Pedro Almodóvar
Colunistas
Últimos Posts
>>> Revisores de Texto em pauta
>>> Diogo Salles no podcast Guide
>>> Uma História do Mercado Livre
>>> Washington Olivetto no Day1
>>> Robinson Shiba do China in Box
>>> Karnal, Cortella e Pondé
>>> Canal Livre com FHC
>>> A história de cada livro
>>> Guia Crowdfunding de Livros
>>> Crise da Democracia
Últimos Posts
>>> Uma crônica de Cinema
>>> Visitação ao desenho de Jair Glass
>>> Desiguais
>>> Quanto às perdas I
>>> A caminho, caminhemos nós
>>> MEMÓRIA
>>> Inesquecíveis cinco dias de Julho
>>> Primavera
>>> Quando a Juventude Te Ferra Economicamente
>>> Bens de consumo
Blogueiros
Mais Recentes
>>> Ser intelectual dói
>>> O Tigrão vai te ensinar
>>> O hiperconto e a literatura digital
>>> Aberta a temporada de caça
>>> Se for viajar de navio...
>>> Incompatibilidade...
>>> Alguns Jesus em 10 anos
>>> Blogues: uma (não tão) breve história (II)
>>> Picasso e As Senhoritas de Avignon (Parte I)
>>> Asia de volta ao mapa
Mais Recentes
>>> O Livro da moda de Alexandra Black pela Publifolha (2015)
>>> Rejuvelhecer a saude como prioridade de Sergio Abramoff pela Intrinseca (2017)
>>> O livro das evidencias de John Banville Tradução Fabio Bonillo pela Biblioteca Azul - globo (2018)
>>> O futebol explica o Brasil de Marcos Guterman pela Contexto (2014)
>>> O Macaco e a Essencia de Aldous Huxley pela Globo (2017)
>>> BATISTAS, Sua Trajetória em Santo Antônio de Jesus: o fim do monopólio da fé na Terra do Padre Mateus de Jorgevan Alves da Silva pela Fonte Editorial (2018)
>>> Playboy Bárbara Borges de Diversos pela Abril (2009)
>>> Sarah de Theresa Michaels pela Nova Cultural (1999)
>>> A Bela e o Barão de Deborah Hale pela Nova Cultural (2003)
>>> O estilo na História. Gibbon & Ranke & Macaulay & Burckhardt de Peter Gay pela Companhia das Letras (1990)
>>> Playboy Simony de Diversos pela Abril (1994)
>>> Invasão no Mundo da Superfície de Mark Cheverton pela Galera Junior (2015)
>>> José Lins Do Rego- Literatura Comentada de Benjamin Abdala Jr. pela Abril Educação (1982)
>>> A modernidade vienense e as crises de identidade de Jacques Le Rider pela Civilização Brasileira (1993)
>>> Machado De Assis - Literatura Comentada de Marisa Lajolo pela Abril Educação (1980)
>>> A Viena de Wittgenstein de Allan Janik & Stephen Toulmin pela Campus (1991)
>>> O Velho e o Mar de Ernest Hemingway pela Círculo do livro (1980)
>>> Veneno de Alan Scholefield pela Abril cultural (1984)
>>> O Livreiro de Cabul de Asne Seierstad pela Record (2007)
>>> Os Dragões do Éden de Carl Sagan pela Francisco Alves (1980)
>>> O Espião que sabia demais de John Le Carré pela Abril cultural (1984)
>>> Administração de Materiais de Jorge Sequeira de Araújo pela Atlas (1981)
>>> Introdução à Programação Linear de R. Stansbury Stockton pela Atlas (1975)
>>> Como lidar com Clientes Difíceis de Dave Anderson pela Sextante (2010)
>>> As 3 Leis do Desempenho de Steve Zaffron e Dave Logan pela Primavera (2009)
>>> Curso de Educação Mediúnica 1º Ano de Vários Autores pela Feesp (1996)
>>> Recursos para uma Vida Natural de Eliza M. S. Biazzi pela Casa Publicadora Brasileira (2001)
>>> Jesus enxuga minhas Lágrimas de Elza de Almeida pela Fotograma (1999)
>>> As Aventuras de Robinson Crusoé de Daniel Defoe pela LPM Pocket (1997)
>>> Bulunga o Rei Azul de Pedro Bloch pela Moderna (1991)
>>> Menino de Engenho de José Lins do Rego pela José Olympio (1982)
>>> Terra dos Homens de Antoine de Saint-Exupéry pela Nova Fronteira (1988)
>>> O Menino de Areia de Tahar Ben Jelloun pela Nova Fronteira (1985)
>>> Aspectos Endócrinos de Interesse à Estomatologia de Janete Dias Almeida pela Unesp (1999)
>>> Nociones de Historia Linguística y Estetica Literaria de Antonio Vilanova- Nestor Lujan pela Editorial Teide/ Barcelona (1950)
>>> El Estilo: El Problema y Su Solucion de Bennison Gray pela Editorial Castalia/ Madrid (1974)
>>> El Cuento y Sus Claves de Raúl A. Piérola/ Alba Omil (profs. Univ. Tucumán pela Editorial Nova, Buenos Aires (1955)
>>> Las Fuentes de La Creacion Literaria de Carmelo M. Bonet pela Libr. del Collegio/ B. Aires (1943)
>>> As Hortaliças na Medicina Doméstica/ Encadernado de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar (1976)
>>> A Flora Nacional na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Arlington Park de Rachel Cusk pela Companhia das Letras (2007)
>>> Muitas Vidas, Muitos Mestres de Brian L Weiss pela Salamandra (1991)
>>> As Frutas na Medicina Doméstica de Alfons Balbach pela A Edificação do Lar
>>> Coleção Agatha Christie - Box 8 de Agatha Christie; Sonia Coutinho; Archibaldo Figueira pela HarperCollins (2019)
>>> As Irmãs Aguero de Cristina García pela Record (1998)
>>> Não Faça Tempestade Em Copo Dágua no Amor de Richard Carlson pela Rocco (2001)
>>> Um Estudo Em Vermelho - Edição De Bolso de Arthur Conan Doyle pela Zahar (2013)
>>> Eu, Dommenique de Dommenique Luxor pela Leya (2011)
>>> Os Cavaleiros da Praga Divina de Marcos Rey pela Global (2015)
>>> O Futuro da Filosofia da Práxis de Leandro Konder pela ExpressãoPopular (2018)
ENSAIOS

Segunda-feira, 17/11/2008
A refundação de Obama
Régis Bonvicino

+ de 3200 Acessos
+ 2 Comentário(s)

Barack Obama não é um bom político (aquele que se adapta aos tempos e lida bem com as oportunidades na medida em que aparecem, como, por exemplo, Fernando Henrique Cardoso e Lula) mas um inovador, um grande político ― que antecipa oportunidades, que os outros não anteviram, e cria possibilidades que não existiam antes dele. Não pretende apenas implementar programas de governo mas criar novos padrões culturais para o seu país. Aliás, a comparação com Lula ou Evo Morales é de todo descabida. Obama é um escritor, um intelectual, formado em ciências políticas em Columbia, e direito em Harvard, e professor de direito constitucional. Nunca apregoou o antiintelectualismo ou antiacademicismo.

Em seu discurso da vitória, no Grant Park, de Chicago, evocou um único antecessor ― Abraham Licoln (1809-1865), com mandato de 1861 a 1865, quando foi assassinado ― poucos dias depois do término da Guerra de Secessão, que contivera ― no Teatro Ford, de Washington, enquanto assistia a uma peça, pelo ator John Wilkes Booth ― defensor da causa sulista. Licoln era abolicionista. Libertou os escravos. Quando tomou posse, a Carolina do Sul declarou sua independência e foi seguida por mais seis Estados do sul. Esses Estados rebeleram-se contra a abolição.

A Guerra Civil (1861-1865) ocupou todo o mandato do republicano Licoln, que, no entanto, a venceu e impediu o desmantelamento do país, com inflexão conciliatória, de integração.

Depressão econômica
Como afirma Michael Cohen, é equivocada a comparação de Obama com Franklin Delano Roosevelt, John Kennedy, Ronald Reagan ou Bill Clinton ― que para ele é somente "um populista para a classe média". O populismo é degradação da democracia. Por que Obama pretende superar as várias divisões internas dos EUA, entre republicanos e democratas, negros e brancos etc? Porque sem sobrepujar, numa escala ao menos média, o federalismo extremado de seu país, não vai conseguir superar a depressão econômica e a pobreza ― conseqüência, agora, da irresponsabilidade da era Reagan (o Estado é o problema) e de seus sucessores, incluindo-se o neoliberal Clinton ― um democrata do Sul, quase um republicano clássico, com seu Consenso de Washington, e excetuando-se Jimmy Carter.

Obama, em seu discurso da vitória, disse: "não somos inimigos, mas, amigos", referindo-se aos eleitores de John McCain e aos seus e igualmente às divisões raciais, de classe etc. Afirmou também que sem ajuda recíproca os americanos não avançariam o suficiente para sobrepassar a depressão econômica. Obama quer se confrontar com as divisões internas dos EUA, como Licoln.

Sua tarefa não é das mais fáceis. Embora tenha vencido McCain por 349 delegados (27 Estados) contra 163 (21 Estados) do senador do Arizona, este obteve 46% dos votos populares contra 53% do democrata. A divisão é visível, explosiva e se soma à uma depressão intelectual, educacional e social. Milhões de jovens não completam sequer o colegial. Há cerca de 50 milhões de pessoas sem planos de saúde e aqueles que têm não conseguem pagá-lo. Há 30 milhões de miseráveis. As redes sociais foram liquidadas pelo neoliberalismo. A ignorância passou a ser celebrada nos EUA, como observa Bob Herbert. Nos anos 60, a música popular produziu Bob Dylan, Janis Joplin e Jimi Hendrix, além do cool jazz. Hoje, Paris Hilton e Britney Spears são "ícones culturais", segundo ainda Herbert. A programação da tevê ― acrescenta o colunista do Huffington Post ― é a pior do mundo e o americano médio a assiste quatro horas e meia por dia. A brasileira é igual.

Além disso, Obama pretende limitar rigorosamente as intervenções militares de seu país ― que, de 1980 para cá, fez incursões ― quase todas unilaterais, "privilégio" não só de George Bush ― em mais de 50 países. Lembram-se de Reagan em Granada em 1983, para combater a influência soviética e cubana na minúscula ilha caribenha? Ele já deixou claro que seu principal instrumento de trabalho internacional será a diplomacia e sua eleição significa o retorno dos EUA à comunidade de nações. Terá que convencer 46% dos estadunidenses.

Por isso tudo, Obama não deseja apenas governar, mas refundar o país, ao almejar para ele nova unidade cultural e social. Sem essa unidade, não vai sobrepujar a depressão econômica. A "unidade" proposta pelos republicanos foi a do "inimigo" ― uma unidade bélica, que levou o país à bancarrota e à uma cultura de centro-direita muito enraizada. Seu movimento ao centro é um passo enorme. E sua vitória em si ― a de um negro, independente, filho de um imigrante africano e mãe solteira, a de alguém que não pertence à elite econômica ou à uma família tradicional (Kennedy) ― sinaliza que ele tem força suficiente para ser bem-sucedido, em médio prazo.

Voto pouco envergonhado
A mídia impressa brasileira ― uma das mais empobrecidas intelectualmente e uma das mais provincianas do mundo hoje ― insistiu na tese do voto branco envergonhado em McCain até a véspera da eleição. Mas, quem votou ― sem tanta vergonha ― em Barack Obama foi Condoleezza Rice ― segregada, na infância, no Alabama. Rice declarou exultante: "Os americanos não podem estar satisfeitos até que estabeleçam união perfeita", ecoando Obama. Aliás, falando em mídia brasileira, há que se cumprimentar a Globo News e o Jornal das Dez, ancorado por André Trigueiros ― que fez a mais cosmopolita, informativa e reflexiva cobertura dessa campanha que marcou ― para sempre ― o mundo.

Nota do Editor
Texto gentilmente cedido pelo autor. Originalmente publicado no site Último Segundo, do portal iG. Leia também Especial "Presidente Negro".


Régis Bonvicino
São Paulo, 17/11/2008

Quem leu este, também leu esse(s):
01. Harold Ramis (1944-2014) de Marcel Plasse
02. De Kooning em retrospectiva de Sonia Nolasco
03. Delírios da baixa gastronomia de Ruy Castro
04. Jane Fonda em biografia definitiva de Sonia Nolasco
05. História do Ganesha de Wagner Veneziani Costa


Mais Régis Bonvicino
* esta seção é livre, não refletindo necessariamente a opinião do site

ENVIAR POR E-MAIL
E-mail:
Observações:
COMENTÁRIO(S) DOS LEITORES
25/11/2008
12h00min
Escrevo de Chicago, onde estamos "lambendo" mais uma cria, mais um neto. Excelente o texto do Regis Bonvicino. As comparacoes com ex-Presidentes americanos estao precisas, e so' loucos varridos pensariam em comparar Obama a Lula, Chavez, Morales, ou Castro. O desafio dos 46% do povo americano e' de fato enorme, e crimes de odio racial cresceram desde a eleicao, o ultimo em New Jersey, nao contra negros mas contra latinos, esta' movimentando a imprensa por aqui. O desafio maior de Obama e' conseguir parar o pendulo no ponto de equilibrio (a medio prazo) sem deixar que ele balance para o outro extremo da curva. Extremismo nao faz bem a ninguem, nao importa qual o extremo... E se ha' alguem capaz de enfrentar tal desafio, atraves de uma politica de uniao, participativa, inclusiva, esse e' Obama, cuja experiencia como organizador politico no sul negro e pobre, aqui de Chicago, e' vital. Fiquei satisfeito de saber que Condoleeza Rice votou como eu, sempre bom estar em boa companhia. PARABENS ao autor!
[Leia outros Comentários de Claudio Spiguel]
14/12/2008
06h21min
Condoleezza Rice? Condoleezza estava respectivamente comprando sapatos, assistindo um musical da Broadway e jogando uma partidinha de tenis com Monica Seles em Nova Iorque enquanto New Orleans afundava, não por causa do Katrina, mas por causa da indiferenca criminosa dos neo-liberais republicanos.
[Leia outros Comentários de Paulo Moreira]
COMENTE ESTE TEXTO
Nome:
E-mail:
Blog/Twitter:
* o Digestivo Cultural se reserva o direito de ignorar Comentários que se utilizem de linguagem chula, difamatória ou ilegal;

** mensagens com tamanho superior a 1000 toques, sem identificação ou postadas por e-mails inválidos serão igualmente descartadas;

*** tampouco serão admitidos os 10 tipos de Comentador de Forum.

Digestivo Cultural
Histórico
Quem faz

Conteúdo
Quer publicar no site?
Quer sugerir uma pauta?

Comercial
Quer anunciar no site?
Quer vender pelo site?

Newsletter | Disparo
* Twitter e Facebook
LIVROS




CORPUS HERMETICUM - DISCURSO DE INICIAÇÃO
HERMES TRISMEGISTOS
HEMUS
(1983)
R$ 120,00



A WORLD LIT ONLY BY FIRE
WILLIAM MANCHESTER
LITTLE BROWN
(1992)
R$ 44,61
+ frete grátis



O RENASCIMENTO
AFONSO ARINOS DE MELO FRANCO E OUTROS
AGIR
(1978)
R$ 14,00



O GOLPE DE UM BILHÃO DE DOLARES
PAUL E. ERDMAN
CÍRCULO DO LIVRO
R$ 8,00



PERTINI SI PERTINI NO
LIVIO ZANETTI
FELTRINELLI
(1985)
R$ 70,00



INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA
DAVID A. STATT
HARBRA
(1986)
R$ 10,00



SELEÇÕES DO READERS DIGEST DE OUTUBRO DE 1976
IVO BARROSO (EDITOR CHEFE)
SELEÇÕES DO READERS DIGEST
(1976)
R$ 7,00



O ENSINO NA ESCOLA
MICHEL SAINT ONGE
LOYOLA
(1999)
R$ 23,00



COMO FALAR EM PÚBLICO E INFLUENCIAR PESSOAS NO MUNDO DOS NEGÓCIOS
DALE CARNEGIE
RECORD
R$ 16,56



NOSSA SENHORA DESATADORA DOS NÓS
VARIOS
VOZES
R$ 5,36





busca | avançada
37300 visitas/dia
1,3 milhão/mês